História Cool For The Summer. - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Anitta, Austin Mahone, Becky G, Beyoncé, Britney Spears, Cameron Dallas, Cole Sprouse, Dylan Sprouse, Harry Styles, Herman Tømmeraas, Ian Somerhalder, Jensen Ackles, Justin Bieber, Kendall Jenner, Madelaine Petsch, Nicki Minaj, Sandra Bullock, Selena Gomez, Shawn Mendes, Vanessa Hudgens, Zac Efron, Zayn Malik, Zendaya
Personagens Austin Mahone, Becky G, Cole Sprouse, Dylan Sprouse, Herman Tømmeraas, Justin Bieber, Selena Gomez, Zac Efron, Zendaya
Tags Banda, Colegial, Comedia, Drama, Musica, Romance
Visualizações 42
Palavras 1.814
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, LGBT, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 28 - O Beijo.


Fanfic / Fanfiction Cool For The Summer. - Capítulo 28 - O Beijo.

  Mity POV.

 

 

     Depois que a Taylor saiu irritada do refeitório, fui atrás dela para entender o que a irritou tanto. Após procura-la em toda parte, a encontrei na sala de dança sozinha. Me sentei ao seu lado e perguntei cuidadosamente:

 

   -Você está bem?

 

   -Estou! Me desculpa ter saído daquele jeito, é que na hora fiquei cega de ódio! -Explicou Taylor.

 

  -Más porque? Você não queria ter sido selecionada pra coroação? 

 

  -Não! Más nem é pelo fato de achar isso uma coisa totalmente inútil, más sim porque sei o quanto minha mãe vai querer forçar em cima disso! Ela não vai sossegar até ter certeza que eu vou conseguir ganhar essa maldita coroa! -Taylor explicava irritada. -Nem quero pensar nos subornos e coisas absurdas que ela vai fazer pra que eu ganhe!

 

  -''Suborno''? Sua mãe iria tão longe assim por causa de uma premiação de escola? -Perguntei pasma.

 

  -Não é só uma simples ''premiação de escola'' pra ela! Ela sempre diz que teve que abandonar o ensino médio pra poder cuidar de mim e nunca teve a oportunidade de ir na própria coroação! Ela tinha certeza absoluta que se tivesse ido, ela ganharia. Então desde que eu tinha uns cinco anos, ela vem me dizendo que um dia eu iria ganhar a coroa de rainha do baile, não somente por mim, más por nós! -Ela falou deprimida. 

 

   -Nossa Taylor, que horrível! Não sei nem o que dizer...

 

   -Não precisa dizer nada, vocês já me ajudam muito, sabia? Só pelo fato de você ter vindo atrás de mim, já significa muito! Eu nunca tive pessoas que se importavam realmente comigo, más agora eu tenho vocês! -Taylor disse dando um sorriso fraco.

 

   -Você pode contar com a gente para o que precisar, sempre! -Falei segurando a mão dela.

 

 

  Nancy POV.

 

 

     Depois que deixei Dylan e Cole no refeitório, fui até meu quarto sem conseguir parar de pensar nisso. Eles devem estar sofrendo tanto....

     Horas depois Mity apareceu e explicou o motivo da Taylor ter se aborrecido na hora do jantar. O engraçado é que sempre que acho que a vida da Taylor não pode piorar, sempre acabo descobrindo mais coisas absurdas. O engraçado é que todos da escola a chamam de metida, coisas voltadas a beleza, más não fazem ideia do que ela passa por trás de toda aquela faxada de menina perfeita que todos idealizam. 

    Já era onze e meia da noite quando a Mandy foi atender alguém que bateu na porta.

 

   -Nancy, eu preciso da sua ajuda! -Cole falou desesperado. -O Dylan sumiu!

 

  -Como assim sumiu? -Perguntei me levantando da cama e indo até a porta.

 

  -Depois que vocês sairão, ele simplesmente saiu correndo do refeitório. Como eu sei que ele não costuma lidar muito bem com emoções fortes, eu preferi dar um tempo sozinho pra ele e não fui atrás. Más já faz horas que ele não aparece e eu já procurei pela escola toda, e nenhum sinal dele! 

 

  -Nossa, você já olhou no dormitório de vocês? -Perguntei.

 

  -Já, já sim! Eu sei que você seria a ultima pessoa da qual saberia onde ele está, más eu estou desesperado, não sei mais aonde procurar! E eu preciso acha-lo porque tenho medo que ele possa fazer alguma besteira...

 

  -Eu queria poder ajudar, más não faço ideia de onde ele possa ter ido... Se por acaso ele passar por aqui, oque eu duvido muito, más eu te aviso! -Falei.

 

  -Obrigado Nancy! -Cole agradeceu e depois saiu.

 

   Quando fechei a porta, comecei a pensar aonde que ele poderia ter ido. Foi ai que me lembrei de ontem, quando sai pra refrescar a cabeça e o encontrei no terraço, talvez ele esteja lá!

    Sai do meu dormitório mesmo sabendo que nesse horário é totalmente proibido ficar andando pelo colégio. Subi até o terraço e respirei aliviada assim que o vi sentado bem na beira. Enviei uma mensagem para Cole dizendo que havia o encontrado e que ele não precisava mais se preocupar.

    Dylan chorava muito enquanto olhava lá pra baixo. Me aproximei lentamente dele, foi quando ele percebeu minha presença.

 

  -Some Nancy, eu quero ficar sozinho!!! -Ele falou enquanto virava o rosto para o lado oposto para que eu não o visse chorar.

 

   -Você sumiu, o Cole está preocupado com você... -Falei de um jeito calmo enquanto me sentava ao seu lado.

 

   -Agora que você já me achou, pode cair fora! -Ele disse todo grosseiro. Sei que ele está em xoque, então não vou considerar as grosserias e ofensas que ele me disser.

 

    Continuei sentada ao seu lado sem dizer nenhuma palavra. Eu não queria o incomodar com palavras de consolação que não servem para nada, más também não queria o deixar sozinho. Foi ai que no meio do choro ele começou a desabafar.

 

   -Ele prometeu, ele prometeu! -Dylan repetia sem parar.

 

   -Prometeu oque?

 

   -Que iria estar sempre aqui pra mim quando eu mais precisasse, e porra, cade ele agora? Cade? -Dylan se perguntava entre soluços.

 

    Eu sentia meus olhos encherem de lagrimas enquanto eu o via chorar. Droga, sou muito emotiva com essas coisas.

 

   -Não acredito que ele me deixou aqui sozinho! Eu nunca tive ninguém, a unica pessoa da qual se importava comigo, se foi....

 

   -Não diga isso, você ainda tem o Cole, sua mãe, o Zac... -Enquanto eu falava, ele deu uma risada irônica.

 

   -Tenho? Cole não está nem ai pra mim, a unica coisa que nos une é o fato de sermos irmãos, fora isso não temos mais nada! Já minha mãe... ela nunca se importou comigo, não vai ser agora que vai começar! E o Zac, apesar de ser meu primo, ele só é meu amigo porque ninguém mais o suporta, se é que eu posso chama-lo de ''amigo''.... Eu não tenho ninguém Nancy, eu não tenho ninguém... -Ele começou a chorar mais ainda, foi ai que coloquei minha mão sobre a dele e disse:

 

   -Você tem a mim! -Assim que falei, Dylan ficou serio por alguns instantes e depois começou a olhar fixamente em meus olhos.

 

   Ele me olhava com uma expressão diferente, de um jeito que nunca havia me olhado antes. Não sei se oque eu disse foi bom ou ruim, já que eu seria a ultima pessoa que ele iria gostar de ter. Foi então quando percebi que ele começou a se aproximar lentamente de mim. Eu não sabia oque ele estava fazendo ou oque estava prestes a fazer, simplesmente fiquei parada observando seus movimentos.

   Dylan já estava bem próximo de mim, sem tirar os olhos dos meus um minuto sequer. Quando ele olhou para os meus labios, foi ai que soube oque ele queria fazer. Eu sei que ele está completamente em xoque e deve estar agindo por impulso, então talvez nem ele sabia oque está fazendo. Só sei que não posso lhe dar um fora em um momento desses.

   Continuei parada e senti minhas mãos suarem só de senti-lo tão perto de mim assim. Foi ai que ele voltou a olhar em meus olhos, como se tivesse pedindo permissão para me beijar. Continuei parada apenas o encarando, foi então que ele me beijou. Assim que senti seus labios tocarem os meus, no mesmo instante, me subiu um frio por todo o meu corpo. Ele me beijava lentamente, de um modo intenso. Apesar de eu ter beijado somente uma vez até hoje, nosso beijo se encaixava perfeitamente, como se ele soubesse exatamente como me beijar. Foi um beijo tão calmo e doce, que até mesmo duvidei que era o Dylan quem eu estava beijando. Levei minha mão até seus cabelos, onde comecei a acariciar lentamente. Senti ele se arrepiar por completo enquanto eu o acariciava. A brisa gelada daqui do terraço deixava nosso beijo ainda mais perfeito (se é que era possível).

   Não sei oque é mais estranho, o fato de estar beijando o DYLAN, ou se é isso que estou sentindo agora... É uma sensação que nunca senti antes, como se eu pudesse permanecer aqui para sempre. Porem, apesar de estar viajando, senti o beijo perdendo a intensidade, até pararmos por completo. Dylan finalizou o beijo com um selinho demorado. Apesar de já termos parado, permaneci de olhos fechados, pois não tenho coragem de encara-lo. Foi então que o abracei. Ficamos assim durante um tempo, ainda não consigo acreditar que acabei de beijar o Dylan, o garoto que implica comigo desde que entrei no colégio, o garoto que faz de tudo para me irritar, o garoto que sempre tem piadinhas prontas sobre mim. Más o mais estranho disso tudo, foi que eu gostei... 

 

 

  No dia seguinte.


 

    Passei a madrugada em claro pensando no beijo de ontem. Sei que eu não deveria me apegar tanto a isso, já que ele estava em um momento de xoque e talvez hoje nem mesmo se lembre disso. Más eu senti uma coisa tão intensa ontem que não consigo parar de pensar sobre.

 

   -Bom dia prima! -Mandy disse. -Acordou cedo hoje!

 

   -Na verdade, eu não dormi! -Respondi e ela me olhou assustada.

 

   -Credo, isso vai te deixar com olheiras horríveis! -Mandy disse fazendo uma careta de reprovação. -Más tenho cremes pra isso, se você quiser! -Ela continuou más não dei atenção.

 

   A unica coisa da qual eu pensava, era em como eu iria ficar frente a frente com o Dylan depois do que rolou entre a gente... Não vai ser mais a mesma coisa.

   Quando já era hora de irmos pra aula, não vi Cole nem Dylan pelo colégio. Resolvi enviar uma mensagem para o Cole perguntando se ele estava bem, foi então que ele mandou outra dizendo que eles iriam passar alguns dias em casa por conta do luto. Fiquei mais aliviada em saber que não vou ter que ver o Dylan. Más uma hora terei de encara-lo...

 

 

  Dylan POV.

 

 

   Ontem aconteceu uma coisa que até agora não consigo explicar, Nancy e eu nos beijamos. O mais estranho disso tudo é que eu não consigo parar de pensar nisso. Por um lado é até bom porque eu me distraio e paro de pensar um pouco no meu pai... A verdade é que lembrei do que ele havia me dito na ultima vez que o vi, ''Você deveria correr atrás da Nancy''. E então, em um momento confuso do qual passava mil coisas em minha cabeça, eu a beijei. Más não me arrependo, ontem senti uma coisa, que nunca havia sentido com nenhuma das garotas que eu já fiquei na vida. Talvez seja porque meus sentimentos estavam a flor da pele e eu acabei sentindo mais que o normal, deve ser isso. 

   A Britney veio nos buscar para passarmos o dia em casa, eu não queria, por mim eu continuaria na escola, pois lá é mais a minha casa do que na residencia dessa mulher. Más aceitei por causa do Cole, eu sei que ele fica chateado quando me vê discutindo com ela. Já perdemos o nosso pai, não quero o chatear mais.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...