1. Spirit Fanfics >
  2. Coração Bandido >
  3. Capítulo 02

História Coração Bandido - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Vamos lá com mais um?

Boa Leitura ❤❤❤

Capítulo 2 - Capítulo 02


Fanfic / Fanfiction Coração Bandido - Capítulo 2 - Capítulo 02

   4 anos depois...

Reino Unido, Inglaterra

Bradford: 02:15 a.m

Zayn on:

-Eu já disse que quero aquele filho da puta morto não disse?- Falei tentando soar calmo mais isso já estava me irritando, porra, esse cara tá me dando trabalho demais toma no cu.- Ele não pode ter fugido de mim de novo, foram onde ele costuma passar a noite?

-Ele sumiu mano, fomos lá no bar onde ele vivia mais nem sinal do cara.- Disse Liam meu braço direito. Soquei com raiva a mesa e me levantei, joguei o cigarro fora e peguei minha Glock colocando no cós da calça.

-Onde vai bro?

-Mandar o filho da puta pros quintos dos infernos.- Falei saindo do QG.

Sei quem pode me informar seu paradeiro. Se esse cara não sabe com quem ele se meteu, ele vai saber agora.

(...)

Elena on:

O desgraçado dormia como se não tivesse feito nada comigo a 1 hora e meia atras. Já haviam se passado 4 anos da morte da minha mãe na sala de casa e a única coisa que ele fez foi tocar fogo no corpo dela, depois não sei mais oque fez pois fiquei presa a vários dias nesse quarto. Perdi anos de aula por causa desse miserável. Abraçei minhas pernas sentindo minha intimidade queimar pelo ato nojento do Michael que vem acontecendo sempre.

Eu sou fraca, não consegui evitar. 

Nesse exato momento estou sentada um pouco distante da cama com uma corrente presa em meu tornozelo, ele faz isso todas as noites quando vai dormir, diz ele que isso o faz dormir tranquilo sabendo que dessa forma não fugirei a noite.

O canto da minha boca estava sarando aos poucos porque noite passada eu neguei em transar com ele pois ainda sentia dores pelo corpo, mais ele não gostou e acabou me batendo até eu aceitar fazer oque ele queria.

Eu estou em pânico, não paro de me tremer a cada vez que ele se movimenta enquanto dorme. Arfei e deixei as lágrimas escorrerem silenciosas. Minha vida não é mais a mesma, eu queria ter morrido junto a minha mãe.

Seria melhor assim.

(....)

Zayn on:

Soquei o arrombado mais uma vez e o segurei pelos cabelos loiros dele o forçando a olhar pra mim.

-PARA CARA POR FAVOR!!- O carinha já todo ensanguentado pedia no meio do seu quarto num lugarzinho moribundo que ele chamava de casa.

-Então abre a porra da sua boca e fala, cadê o David?- Perguntei como se estivesse falando com uma criança.

-Eu não sei eu juro, nos vimos essa noite no bar mais ele disse que iria viajar por uns tempos ao amanhecer.

-Qual o destino?- Ele tentava ficar acordado mais permanencia em silêncio oque me deixava puto. Odeio falar com alguém e essa pessoa me fazer de cachorro, peguei minha arma e acionei a mesma colocando na testa dele.- FALA PORRA!!

-DENVER, ELE VAI PRA DENVER!- Assenti.

-Bom garoto, onde ele está morando agora? Pelo jeito tem grana pra tudo menos pra pagar oque me deve.

-Numa pousada na beira da estrada, fica a leste daqui.- Disse ele trêmulo olhando pra arma apontada em sua testa.

-Nome, eu quero o nome desse lugar.

-La Blanche, quarto 02 lado direito terceiro andar.- Falou ele rapidamente.

 Olhei pros caras atrás de mim e assenti. Louis e Niall saíram já entendendo e sabendo oque fazer. Voltei a olhar pro surfista e sorri de canto.

-Valeu pela ajuda irmão.- Dei dois tapinhas em seu ombro e o afastei abruptamente dando as costas pro mesmo que estava no chão e segui pra porta da casa mais antes de sair me virei e atirei 4 vezes no mesmo o matando na mesma hora.

-Zayn cara, você sabe que isso vai render vingança não sabe?- Dei de ombros ao ouvir Harry falar.- Esse garoto era sobrinho do Winter bro, tu quer guerra caralho?

-É se eu quiser? Oque você tem haver com isso?- Ele ficou calado e negou com a cabeça.- Partiu puteiro?- Falei acendendo mais um cigarro enquanto ria da cara do Liam e do Harry.- Vambora carai.- Gargalhei e entrei no carro vendo eles fazer o mesmo e seguimos pra uma das boates pegar umas gatas, preciso foder uma gostosa pra me distrair. 

.....

Manhã seguinte...

Elena on:

O dia amanheceu e eu ainda não havia pregado o olho um minuto sequer. Michael pareceu estar acordando e eu fiquei em alerta. O mesmo se levantou e se espreguiçou me olhando em seguida.

-Bom dia Leninha.

-Vai pro inferno.- Falei sem olhar pra ele que veio até mim pegando meu queixo me forçando a olha-lo.

-Eu também te amo gostosinha.- Disse ele passando a língua em minha bochecha.- Estava uma delícia ontem, espero que hoje me ceda essa belezinha de bom grado.- Tentou tocar na minha intimidade mais eu não deixei fechando as pernas.- Olha, não seja uma menininha mal criada.

-Me deixa em paz seu nojento.- Falei virando o rosto e me encolhendo. Ele sorriu.

-Olha só, pra você ver que eu não sou tão ruim assim irei te colocar na escola novamente.- Eu ouvia tudo calada.- Mais claro, colocarei meu pessoal pra te vigiar todos os dias, não quero correr o risco de te perder de vista.- Disse ele entrando no banheiro.- Irei te matrícular hoje olha que legal.

Fechei os olhos pedindo a deus pra me livrar desse tormento que vivo a anos. Alguns minutos se passaram e o demônio saiu do banheiro tomado banho cantarolando todo feliz. Revirei os olhos de tédio. 


-Vamos lá Leninha, sorria, você vai voltar pra escola não é uma boa notícia?


-Oque você quer que eu faça?- Perguntei e ele logo sorriu vestindo sua calça jeans e sua camisa cinza.


-Ja sabe não é?- Continuei o olhando.- Voce irá vender drogas pra mim.


-Eu oque??- Perguntei indignada.- Não, eu não vou fazer isso, eu não sou uma drogada como você seu saco de lixo.- Ele veio até mim rapidamente acertando um tapa forte em meu rosto.


-Voce vai porque eu tô mandando você ir, se por acaso abrir a boca pra alguém sobre oque acontece aqui dentro, eu acabo com você sua vagabunda.- Disse ele pegando em meu cabelo fortemente.- Seja uma boa menina e faça oque eu mandar e continuará viva estamos entendidos?- As lágrimas já caiam dos meus olhos amedrontados, ele apertou mais ainda meus cabelos esperando uma resposta e eu assenti com medo da sua ameaça.- Ótimo.- Me soltou e eu voltei a me encolher no canto. O mesmo soltou a corrente do meu tornozelo.- Vou sair agora volto a noite, arruma toda a bagunça da casa quero tudo no lugar e limpo, e quando eu chegar.- Se abaixou novamente próximo a mim que manti o rosto virado.- Teremos uma noite longa, bem longa.- Beijou meu rosto me fazendo fechar os olhos fortemente sentindo nojo.- Até a noite Leninha.


Após isso ele saiu assobiando e eu só ouvi a porta da frente batendo. Na mesma hora comecei a chorar encolhida. O som do seu carro logo se fez presente e logo já não oul ouvia mais.


-EU TE ODEIO SEU FILHO DA PUTA!!! EU TE ODEIO!!!- Gritei chorando enquanto esfregava as mãos pelos meus braços pernas, pescoço e logo corri pro banheiro ligando o registro e me enfiando debaixo. 


Chorava enquanto tentava inutilmente apagar as digitais do desgraçado em mim. Mais mesmo assim eu me sentia suja, frágil, me sentia pequenina demais, não tinha ninguém por mim e nem a porra da morte me queria pois já tentei me matar por diversas vezes e nunca consegui.


-Mãe, me ajuda por favor, me ajuda eu não aguento mais isso.- Pedi me sentando no chão com a água caindo sobre mim. Eu me sentia um nada, era abusada sexualmente todas as noites a força, era agredida e agora teria a oportunidade de ver o mundo depois de 4 anos trancada nesse inferno.


É isso ou morrer pelas mãos desse miserável e isso não pode acontecer, não agora, eu preciso continuar firme e forte, não vou sussegar até dar um fim nesse filho da puta do Michael.

(....)

Zayn on:

Fodia a cachorra de quatro enquanto ela gritava pedindo por mais. Deus tapas em sua bunda e puxei seu cabelo fazendo a mesma gemer mordendo os lábios. É isso aí, mulher tem que se entregar entre quatro paredes é de fodas assim que eu gosto. A penetrava forte e com vontade até que sai de dentro da mesma e a virei abaixada a minha frente, a mesma abriu a boca já sabendo oque fazer e eu gozei a lambuzando por completo. Puta safada do caralho.

A empurrei na cama e dei as costas pra ela indo até minha roupa a vestindo. Ela continuava nua na cama do motel então peguei 100 dólares e joguei pra ela.


-Foi um prazer Chère.- Disse ela mordendo a ponta da unha. Sorri de canto.


-Ate nunca mais vadia gostosa.- Falei e ela sorriu. Pisquei pra ela e sai do quarto colocando minha jaqueta. Ao sair o sol já estava alto e na mesma hora recebi uma msg de Niall.

De Niall:

"Estamos com ele bro, oque faremos?"

Sorri e digitei a resposta.

Não façam nada, me esperem eu já estou chegando.

Assim que a mensagem foi enviada eu abri a porta do meu carro, mais antes de entrar eu avistei um cara estranho atravessando a rua. O observava de longe enquanto caminhava passando de frente ao Starbucks girando uma chave em sua mão. Não é a primeira vez que o vejo mais sei que não fui com a cara dele, algo nele não me desce.

O observei bem até que o mesmo entra no prédio onde vive Hugo um dos que mais me odeiam aqui na cidade. Hugo Burton é dono da outra parte da cidade, ele teve a audácia de invadir meu território e até hoje somos inimigos mortais, até surgir outro que queira enfrentar a morte de perto.

Hum ... ai tem, oque será que esse puto aí quer no escritório do Burton?

Verei do que se trata mais tarde, agora tenho uma dívida pra cobrar com um certo carinha chamado David.

(...)

Michael on:

- Achei que não viria Winters, sente-se.- Me sentei a sua frente e ele cruzou as mãos sobre a mesa.- Eu avaliei bem sua proposta como me pediu a alguns meses atrás.

-E então, oque achou?- Ele sorriu e se levantou indo até o outro lado da sala. Eu apenas observava. 

O mesmo abriu um cofre tirando de lá alguns papéis e um envelope marrom. Virou-se pra mim se aproximando, me levantei ficando de frente a ele.

-Agora você é dono da minha parte Michael, espero que faça ótimos lucros no meu lugar.- Entregou me os papéis e o envelope fazendo com que o sorriso em meu rosto crescesse.- Considere-se um homem rico e poderoso agora, lembrando, terá sérios inimigos a partir de hoje.- Fizemos um aperto de mãos.- Foi ótimo fazer negócio com você.


-Digo o mesmo Hugo.- O mesmo se retirou levando seus pertences pois iria sair do país enquanto eu agora mandava nessa porra toda. Gargalhei me jogando no agora meu sofá  de couro preto.

-Terei vida de rei nesse caralho.- Falei pegando o controle da grande TV a minha frente.- Agora tudo irá mudar, darei a Leninha tudo oque uma puta merece ter, e pra comemorar, hoje terei uma noite memorável.- Gargalhei novamente enquanto curtia meu novo negócio.

(.....)

Zayn on:

Cheguei no QG e entrei. 

Os caras já me esperavam do lado de fora da sala de tortura.

-Deu trabalho?- Tirei a jaqueta.

-Um pouco, quando nos reconheceu tentou escapar pelos fundos da pousada mais deu ruim.- Falou Louis.- Vou logo te dizendo cara, ele já deixou claro que não vai pagar a dívida.

-É oque vamos ver.- Falei e entrei sozinho lá dentro. Essa sala é a minha preferida do QG, é aqui que gosto de trazer todos aqueles que me afrontam ou que simplesmente me devem e não pagam tipo esse gordo nojento aqui.

Já cheguei colocando o soco inglês e desferi um no mesmo que acordou na hora.

-Olá David, que bom te ver de novo.- Falei como se fosse um velho amigo. Puxei a cadeira e pus de frente a ele me sentando.- Um passarinho me contou que você disse que não vai pagar sua dívida, é verdade?

-Não cara, quem foi o otário que te falou isso?- Disse ele risonho com os dentes avermelhados de sangue. 


-Nao sabia que Tomlinson era otário, posso chamá-lo aqui pra confirmar isso?- Ele arregalou os olhos nervoso.

-Não, não precisa, não precisa e-eu...

-Cala a boca filho da puta que eu conheço sua raça.- Grunhi segurando seu pescoço fortemente.- Eu disse que quando te encontrasse não teria conversa fiada, você me deve seu desgraçado e quando eu vou cobrar você foge?

-Eu não ia fugir eu...

-Eu já disse pra calar a boca.- Acertei a arma em seu rosto fazendo o mesmo cuspir sangue na mesma hora. Segurei seu queixo o forçando a olhar pra mim.- Você podia ter me conhecido melhor antes de se meter comigo porque eu não tenho pena de matar ninguém.

-O senhor vai me matar?- Dei a volta por ele e fui até a mesa pegando uma corda me aproximando por trás dele.- Eu vou te pagar e-eu juro eu só preciso d-de de mais um tempo.

-Um tempo?- Ele assentiu e então passei a corda pelo seu pescoço e a apertei no mesmo fazendo ele ficar agoniado na cadeira sem conseguir respirar.- Seu tempo já era cuzão.- Puxei mais ainda vendo ele sem ar a casa segundo que passava. Eu sorri ao vê-lo se debatendo mesmo amarrado, 7 minutos depois o gordo já estava morto de olhos arregalados. 

Soltei a corda e fui até a mesa pra acender meu cigarro. Só que algo embaixo da cadeira onde estava o cadáver me chamou atenção. Traguei o cigarro com os olhos semicerrados e fui até lá vendo que era o celular do David. Peguei o mesmo e alguns segundos depois ele se acendeu. Era uma mensagem do Hugo.

Do Hugo?

Abri a mesma curioso pra saber oque ele queria com esse gordo babaca.

"O negócio está feito prepare-se pra viagem irmãozinho em breve estaremos longe daqui, na minha casa em Bradford as 13:00 hrs sem falta, nos vemos lá.""

-Irmãozinho?- Ri com a descoberta.- David irmão do Hugo, é cada uma que me aparece. É quando chega outra mensagem só que de um número desconhecido.


"Novo chefe, novas regras, em breve marcarei uma reunião com todos pra ditar novas regras e ordens, e isso não é um pedido, fiquem atentos."


Acho que tenho um inimigo novo na área, pois bem,  já tem o pé na cova e não sabe.


Notas Finais


Continuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...