História Coração De Diamante - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Castelo, Londres, Principe, Realeza, Romance
Visualizações 13
Palavras 2.910
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Gostinho de capítulos finais com emoção, o livro Coração de Diamante está quase no final galera
Boa Leitura

Capítulo 20 - Decreto


Ela sentiu uma das criadas do reino fechar os botões de seu vestido com força, e se segurou para não xinga-la. Se seria uma rainha, tinha que aprender a ser mais educada. Ergueu sua postura, quando a rainha de Gardênia, a olhou com repreensão, e obrigou seu corpo a se virar, para que ela pudesse ter uma boa visão de si mesma no espelho e se surpreendeu-se.

Nunca se imaginou daquele jeito, vestida de noiva, com um traje da cor branca que significava pureza, mas, naquele momento ficou tão feliz por estar vestida com aquilo, que seus olhos chegaram a marejar. Não queria manchar a maquiagem, que durou 3 horas irritantes para ficar pronta, mas, não conseguiu segurar a emoção.

A rainha de Gardênia foi para trás dela, e segurou seu ombro, enquanto Emma sorriu para sua imagem.

—Você é noiva mais linda que eu já vi, querida. — elogia, então Emma se vira para ela. — Sempre me culpei por não poder dar ao meu filho um futuro com escolhas, sempre esperei que ele fosse feliz com Trina, mas, no fundo eu sabia que ele não seria. Então, ele conheceu você, e Emma, aquele olhar que ele tem quando te observa, é o olhar mais sincero dele. Meu garotinho te ama tanto, que foi capaz de enfrentar o pai por você. — a rainha lhe diz aquilo tudo com carinho.

—Você é uma mãe maravilhosa,...Mason tem sorte por ter você. — se viu no dever de retribuir as palavras dela.

—Se quer saber, você também tem sorte, porque a sua é uma mulher e uma mãe cheia de qualidades...E ela está ali fora, esperando, te dando espaço, isso tudo porque te ama...Quando na verdade, tudo que ela queria era estar aqui dentro, admirando a beleza da primeira filha dela, que está prestes a casar-se e tornar-se rainha. — fala, mostrando quão sábia era. — E eu, estou indo agora ver como meu filho está, e deixo com você a grande decisão; Quer que eu a mande entrar ou não? — questionou, Emma olhou para ela, em seguida para porta e suspirou.

—Eu adoraria que ela estivesse aqui. — cedeu, ouvindo seu coração. Algo que havia aprendido com Mason.

A rainha de Gardênia assentiu, e alguns minutos depois dela sair, a rainha de Aleanor adentrou ao quarto, onde Emma estava se preparando e se deparou com a filha vestida como uma verdadeira princesa.

Ela chorou.Fazendo Emma ofegar.

— A rainha de Gardênia disse que você estava linda...Mas, acho que ela não fez jus a sua beleza...Você está deslumbrante. — ela sorriu com um orgulho, que Emma nunca viu ninguém sentir por ela.

—Obrigada. — Emma agradeceu, desviando os olhos.

—Acho que adiamos essa conversa por tempo demais...Eu entendo, que para você é difícil aceitar que a história em que você acreditou a vida toda não é verdade...Que você, que nós fomos vítimas de uma injustiça. — começou.

—Acho que você não entende...Eu tomei todas as decisões da minha vida, acreditando que eu nunca fui suficiente para ninguém, nem para os meus próprios pais...Não é difícil aceitar que vocês não me abandonaram...É difícil aceitar que eu estou feliz. — explicou calmamente e a rainha de Aleanor franziu as sobrancelhas. — Acho que pode ser um choque para uma mãe ouvir isso de uma filha, mas, eu nunca fui feliz antes...Nunca tive um lugar para chamar de lar, a estabilidade de um emprego normal, noites calmas com a família, planos seguros para o futuro...Porque, quando eu olhava em volta, e via todas as pessoas, tendo o carinho dos pais e da família por completo, eu não me sentia digna de nada disso, porque eu nunca tive nada de verdade. Então, Mason surgiu na minha vida, e ele foi como uma luz, em meio a escuridão que eu me encontrava...Ele me deu amor, esperança e ele me fez acreditar que tudo era possível, porque de certa forma, ele remendou minha alma quebrada e por intermédio dele, eu descobri que tenho vocês....Então, eu posso estar me fingindo de indiferente como sempre faço, quando na verdade, estou feliz. Muito feliz, para ser sincera. — Emma discursou e sua mãe a olhou com amor.

—Bom, teremos de ter muita paciência para recuperar todos esses anos perdidos...E eu não me dou por vencida fácil. —  disse, pegando as mãos da filha, e as segurando delicadamente.

—Temos isso em comum então, mãe. — Emma sorriu aliviada quando disse aquilo. —Uau, isso é estranho. — as duas riram, e sua mãe lhe presenteou com um esperado abraço. No qual Emma se sentiu acolhida e protegida. Então era isso, estava acontecendo. Ela estava casando, e tinha sua mãe ali com ela.

[...]

—Céus, é real mesmo! Emma vai casar, e vai ser uma rainha. — Maggie anunciou gritando, abraçando Emma pela vigésima vez, desde que chegou ao castelo. Ela só pôde retribuir, agradecendo aos céus por sua melhor amiga estar ali, naquele momento, com ela. Rostos conhecidos era tudo que ela precisava no momento. — Você está tão linda. — ela elogiou emocionada e as duas choraram juntas.

—Sou realmente vencedora, me casarei antes de você. — zomba e a outra revira os olhos.

—Nunca duvidei do seu potencial. — ela devolve com deboche e ambas riem.

Jacob observava a interação das duas, com um sorriso genuíno nos lábios. Nunca tinha visto, Emma tão feliz assim, e apesar de ser estranho, soava completamente certo.

Maggie o encarou, então notou que estava sobrando ali, por hora.

—Acho melhor eu ir, vocês precisam de um daqueles momentos de irmãos. — ela declarou, e após mais um abraço os deixou.

Emma se virou para ele, demonstrando pela primeira vez a alguém, o quão nervosa estava. Em um suspiro ele soube, que ela estava com medo.

Ele se aproximou calmamente, e quando estava perto o bastante, a presenteou com um carinhoso beijo na testa.

—Estou tão orgulhoso da mulher que você se tornou. — ele afirmou, e Emma agarrou suas mãos, as apertando com bastante força.

—Eu não seria essa mulher, sem você...Você por muito tempo foi tudo que eu tive na vida...E eu...Não sei como agradecer, por nunca ter desistido de mim. — Emma conta com a voz embargada.

—Só precisa ser feliz. — é o que ele quer. — Aliás, preciso saber, como está de verdade com toda essa história dos seus pais? — ele não seria ele, se não perguntasse.

—Eu sempre achei que quando descobrisse porque meus pais me abandonaram parte de mim se aliviaria...Mas, agora, Jacob, só me sinto injustiçada e quero bater de verdade na cara desses crápulas. — ela revela.

—Não foque nisso, Emma...Pensamentos de vingança não levam ninguém a lugar algum...Só precisa focar nas coisas boas, como no fato de que você vai se casar hoje, com um homem que te ama de verdade, e que fará de tudo para ver um sorriso no seu rosto. — Jacob diz sério.

—Tudo bem, posso fazer isso. — ela concorda. — Agora, pode me dar um momento a sós, preciso disso. — pede e seu irmão não demora a conceder.

Logo,  se encontra ali, no silêncio, tendo como único amigo seus pensamentos. Ofega de vez em quando, assim que lembra o que está prestes a fazer, e quando o pensamento de fugir lhe atinge, ela lembra-se que quem lhe esperará no altar, é Mason, o homem que a fez amar da forma mais intensa que podia.

Ela encara o enorme anel de diamante em suas mãos, e ri quando constata que poderia comprar o hotel em que trabalhava se o vendesse. Os King, e suas ostentações.

É, ela estava pronta, se aquele era o futuro dela, que ela o abraçasse rápido então.

[...]

Se agarrava ao braço de Charlie, como se chão estivesse repleto de buracos. Sentia um misto de coisas; Felicidade, ansiedade e raiva...Afinal, aquele véu exagerado em sua cabeça, junto com o coque bem elaborado não tinham nada a ver com ela. Tudo pelo bom encaixe da coroa — fora o que Trina disse. Ela era uma idiota.

O caminho florado até a igreja particular do castelo também estava a irritando, pois era muito longo. A única coisa que aprovou ali fora a orquestra, que tocava uma música calma, que contrastava com o humor dela naquele momento.

Ela arregalou os olhos quando o barulho de várias pessoas conversando — gritando — chegou aos seus ouvidos. E foi quando de fato adentrou ao jardim que notou que nas laterais  várias arquibancadas foram montadas, onde os súditos do reino se encontravam sendo guardados por centenas de guardas.

Uou o casamento seria público. Ela não se lembrava disso.

—Vai ficar tudo bem. — Charlie garantiu em um murmúrio e ela assentiu, forçando um sorriso.

—Sim...Se eu não desmaiar. — cantarolou com deboche.

Engoliu a seco, e finalmente a igreja pôde ser vista, aquilo só aumentou mais seu nervosismo, e foi ali que notou que de corajosa ela não tinha nada.

O belo look  repleto de rendas e detalhes delicados, se movimentava levemente a cada passo, e aquilo a deixava mais linda do que ela já estava.

E finalmente, eles entraram na igreja ornamentada por flores elegantes, e foi ai que os olhos dela recaíram em Mason, a esperando no altar. Ele era realmente um perfeito príncipe naquele traje repleto de medalhas de reconhecimento.

Seus corações se aceleraram ao mesmo tempo, assim como seus olhos marejaram, e um sorriso tomou conta de seus rostos. Já não importava mais quantas pessoas estivessem a redor deles, naquele momento, tudo que importava eram os dois, era o amor.

Ela não teve mais medo, só certeza. A pura certeza de que se dependesse dela, eles ficariam juntos para sempre.

Quando Charlie entregou Emma, a Mason, ele fez uma promessa silenciosa de sempre cuidar dela, e céus, ele estava ansioso para cumprir isso.

—Cerimônias de casamento são tediosas...A melhor parte é a lua-de-mel. — Emma murmurou para que só ele ouvisse, e Mason riu baixo.

—E é por esse seu comportamento impróprio, que eu me apaixonei por você. — ele afirma e Emma sorri.

—Mason, sempre um cavalheiro. — eles não seriam eles, se naquele momento, não entrassem naquele joguinho.

—A propósito...Descobri que o vestido vermelho não é o traje que você fica mais bonita...Branco é definitivamente sua cor. — ele a olhava com emoção.

Assim, o padre começou uma típica cerimônia de casamento, com todos os sermões e tradições necessárias, e enquanto Mason prestava atenção, Emma apenas o olhava, se perguntando o que tão de bom fez, para merece-lo.

—Então... — Emma começou em um sussurro, notando que o padre estava distraído, assim como o resto das pessoas estava. — Antes de você dizer o previsível "sim", preciso te informar uma coisa. — ela diz fingindo hesitação. — Eu estou grávida. — diz séria.

Mason arregala os olhos, e fica branco como um papel.

—O-O que? — gagueja e Emma dá uma risada baixa.

—Brincadeira, só queria cortar a tensão. — esclarece e volta a ouvir o padre.

Foram bons minutos, de palavras, palavras e palavras, até a parte dos votos chegarem, eles dispensaram um discurso elaborado por eles mesmos, e disseram apenas o clichê de sempre.

Não demorou para a troca das alianças acontecer, e o beijo de recém casados ocorrer. Só que esse com certeza não era o ponto principal daquele dia, o que viria a seguir era o ápice.

Foi nesse ponto, que a cerimônia de coroação se iniciou. Primeiramente, houve um discurso de despedida do rei um tanto político demais, e após toda a parte "chata" segundo Emma, houve a parte mais emocionante.

Mason fez a típica promessa de honrar a coroa, e assim por si só, decidiu falar o que sentia sobre isso.

—Por toda minha vida, fui treinado para quando esse dia chegasse, só que nada do que aprendi, me serviu até esse momento, porque eu descobri que para ser rei de vocês, primeiramente, eu tenho que ser um bom homem, um bom filho, um bom marido, e talvez em breve, um bom pai...Reinar é sim estratégia, ser objetivo e ás vezes ser frio...Mas, acima de tudo, é compreender que cada decisão sua afeta milhares de pessoas, que podem não estar preparadas para um impacto brusco...É se preocupar com cada pessoa, como se fosse próxima a ela...É passar a ver os familiares de seus súditos, como os seus próprios...Há pouco tempo, eu era só um garoto, com medo de receber uma grande responsabilidade...Então, alguém... — ele olhou para Emma, que sorria o encorajando. — Me fez descobrir que eu posso ser mais do que sou, que posso ser o melhor de mim...Que posso decidir o que quero e ao mesmo tempo pensar no melhor para vocês...Então hoje, eu realmente recebo essa coroa, prometendo a cada um presente aqui, que eu darei o melhor de mim por vocês, e ainda que não seja suficiente, haverá alguém ao meu lado que se doará com toda intensidade que puder. — encarava sua esposa com muito amor.

Todos o aplaudiram sem exceção, acreditando firmemente em suas palavras.

A coroa em sua cabeça, a qual ele pensou que pesaria por toda sua vida, estava mais leve do que uma pena. Porque, ele definitivamente, não estava sozinho para carrega-la.

Logo, fora a vez de Emma de ser coroada rainha de Gardênia.

Chegada a hora de seu discurso, ela olhou para a multidão, e tentou encontrar palavras para expressar o que queria dizer.

—Pode parecer louco...Mas, eu nunca quis isso...Nem quando era pequena, nunca quis ser uma princesa, ou ter um reino encantado para mim, nunca quis um príncipe, e nem um casamento perfeito, com vestido branco e essas coisas...Então, eu descobri que ter tudo isso, era meu destino, e não mentirei para vocês...Eu não sei se serei capaz de ser uma boa rainha, eu nunca fiz nada, pensando nas pessoas ao meu redor, sempre foi exclusivamente para mim...Mas, eu sempre fui boa em ir até o fim, em nunca desistir...E estou realmente empenhada em conseguir ser...Não posso prometer perfeição, mas, posso dizer, que independente do meu evidente egoísmo, tentarei ao máximo, ajudar Mason a tornar Gardênia o melhor lugar para se viver. — ela discursou séria, e então, encarou o rei passado com diversão. —E como rainha, eu declaro que meu primeiro decreto, é banir todos os casamentos por tratos de união...A parti de hoje, ninguém se casará obrigado nesse reino, o direito de escolha será preservado...E nem mesmo em situações desesperadoras, faremos um desses. — Mason ao seu lado, riu da audácia da esposa, enquanto o rei antigo arregalou os olhos.

—Decreto apoiado. — o atual rei disse sorrindo.

Os súditos gritaram de animação, e os próximos a ele, os olharam com orgulho.

[...]

Seus corpos se moviam ao ritmo da música romântica que exalava no ambiente, após toda parte exagerada da cerimônia, o momento em que os recém-casados se reuniriam com aqueles que amavam, finalmente chegou, e agora estavam no enorme salão de festas do castelo, tendo a dança típica que ocorre após as cerimônias de casamento.

Emma riu levemente, quando Mason a girou em seus braços, depois a pegou de volta, e ele retribuiu a risada. Em determinado momento, ela derramou uma única lágrimas solitária de emoção, que seu marido, prontamente limpou.

—Nunca pensei que pudesse ter isso...Essa paz. — ela revela serenamente.

—É porque você nunca achou que merecia, mas, você, antes princesa, agora rainha Emma, merece cada pedacinho de felicidade que conseguir. — o novo rei de Gardênia garantiu, e ela assentiu, tentando concordar com aquilo.

Foi ai que reparou, que em algum ponto, eles haviam se afastado de todos que estavam na pista dança, agora eles giravam e se balançavam próximos as majestosas vidrarias do ambientes, que naquele momento foram iluminadas por fogos de artifícios em comemoração ao casamento que acabara de acontecer.

Se olharam ao mesmo tempo, e se lembraram do baile que ocorreu em Londres e sorriram abertamente.

—Eu menti hoje mais cedo. — Emma admite do nada, e de repente prende seu ar.

Mason, olha para ela de forma divertido.

—Em que momento? Por favor, não diga que não foi nos votos. — pede sorrindo, Emma está tão nervosa, que nem consegue se levar pelo sorriso dele naquele instante e fazer o mesmo.

—Na parte que eu disse que não estava grávida. — por fim fala, e Mason fica estático, sem acreditar no que acabara de escutar, vendo a reação dele, ela tenta explicar. — Bem, quando transamos estávamos um tanto afobados, então nada de camisinha, e...E eu não estava tomando anticoncepcionais, e com tudo que aconteceu depois, nem me preocupei com isso...Nos dias que fiquei com você, antes de vir para Gardênia, descobri...Suspeitei que estava grávida... Então fui até a enfermaria daqui, contei com a descrição de uma enfermeira gentil e comprovei que estava mesmo.— fala tentando não surtar com o silêncio dele. — Pode falar algo? — pede quase desesperada.

—Eu... — não, ele não conseguia, olhou ao redor, depois voltou seu olhar para Emma, que o encarava com expectativa. — Isso não é real...Eu é que não posso acreditar agora, que tenho isso tudo...Que me casei com a mulher da minha vida, e que ela espera um filho meu...Você tem certeza...Está grávida? — indaga tentando digerir a informação.

—Sim. Estou. — confirmou.

—Obrigado...Obrigado por me fazer o homem mais feliz do mundo. — agradeceu sorrindo e chorando ao mesmo tempo, então sem delongas, a ergueu em seus braços, enquanto Emma gargalhava. Aquilo era felicidade. Era tudo que ela nunca pediu. Mas, o que sempre mereceu.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...