História Coração de gelo. - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Personagens Originais
Visualizações 146
Palavras 1.482
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Piano das melodias da minha noite...


Fanfic / Fanfiction Coração de gelo. - Capítulo 4 - Piano das melodias da minha noite...

Eu estava no meio da aula de matemática. Meu professor é super divertido, apesar de sua cara de limão.

Para minha infelicidade, ou não, eu fiquei na mesma sala que o sesshoumaru. E para a minha surpresa, ele também irá cursar arquitetura.

Além de tudo percebi que ele é um pegador daqueles. Ao seu redor várias menina de todos os jeitos e estilos. Não que eu tenha alguma coisa haver com isso, mais né... 

- bom classe... Vejo que a turma desse ano será bem calma. Espero que todas as nossas aulas sejam assim. Agora eu vou passar algumas questões de sondagem para ver se o fundamental se vocês servil de algo. - disse o professor de forma calma.

Ela com certeza já estava na casa dos quarente. Casado provavelmente, se não ele não estaria com essa aliança no dedo. Não é feio, porém não é bonito. Eu diria um meio termo.

Encheu o quadro com as ditas questões e todos se puseram a responde-las.

Confesso que não estava difícil, estava mamão com mel na verdade. Respondi tudo e levei até ele. O mesmo só olhou por cima e disse que estava tudo certo.

Ainda bem que na faculdade não tem esse negócio de dar visto em caderno.

Logo o intervalo chegou e todos nós nos dirigimos ao refeitório, bom, eu apenas segui todo mundo, já que não sabia de nada ali.

O local é enorme. Cheio de mesas e pessoas. 

Ali puder ver a separação da faculdade. Tinha a mesa dos nerds, das patricinhas, dos jogadores, dos otakus e por fim a dos galãs. Imaginem onde o sesshoumaru estava sentado? Isso mesmo, na mesa dos galãs. 

Esse daí se acha viu!

Peguei meu almoço e me dirigi a uma mesa vazia. Me sentei e comecei a comer sozinha mesmo.

- olá! Você é a Rin não é mesmo? - perguntou-me uma jovem e bonita moça. De feições amigáveis e meigas.

Ao seu lado um jovem e bonito rapaz sorria para mim. Ela tinha um cabelo castanho, preso em um rabo de cavalo e ele tinha o seu um pouco mais escuro e em um corte médio.

- sou sim! E vocês quem são? - perguntei sorrindo meiga.

Sério gente, quando eu quero eu sou uma Fofura de pessoa! Me admiro por isso.

- eu sou a sango e esse é meu namorado Miroke. Somos da mesma classe de matemática, literatura e português. É um prazer conhecer você - disse ela me estendendo a mão em um aperto caloroso. - diga um "oi" Miroke!

- olá senhorita Rin. É um prazer conhece-la. - disse cordial também apertando minha mão.

- podemos nos sentar junto a você? - pergunta sango.

- claro que pode - digo sorrindo para ela.

- amor, pega nossos almoços por favor - dis olhando para o namorado ao seu lado.

Ele assente e sai.

- fiquei sabendo que você trabalha na casa dos Thaiso. É verdade? - pergunta de forma mais baixa, assim que nos encontramos a sós.

Olho para ela com estranheza.

- sim... Por quê? - pergunto e logo após bebo um pouco do meu suco.

- er... Bem, exitem muitas lendas sobre eles. Como eles são? - perguntou realmente curiosa.

- normais eu diria. Não vi nada fora dos padrões na casa dos Thaiso. - digo dando de ombros.

- aqui amor - diz Miroke entregando a bandeja com o almoço se sango.

°°°

Já era hora de ir em bora. Eu estava exausta! Esse dia realmente me cansou.

Eu estou na frente da faculdade esperando o sesshoumaru vir com o carro. O que está demorando.

Olhei a hora no celular e vi que já estava tarde. Ainda tínhamos que pegar os meninos na escola deles. Descobri que aqui todos os estudantes, sejam ele universitários ou fundamentais, estudam durante todo o dia. Coisa que inu não havia me dito antes.

Já era na base de umas 17:48 e saímos da faculdade uns já a uns trinta minutos.

Será que ele esqueceu de mim? Ho não! Eu não sei voltar sozinha! Kami!

Me desesperei. E ainda por cima não tenho o número do sesshoumaru! Como vou para casa agora?

- olha só... Vejam rapazes se não é a novata gostosa - me assustei ao ouvir uma voz masculina atrás de mim. Me virei e vi auê era um dos jogadores do time de basquete da faculdade. Ele estava acompanhado de mais quatro rapazes e todos me olhavam com malícia.

- o que vocês querem? - perguntei tentando parecer firme.

Eles olharam um para o outro e depois riram alto.

- o que queremos? Bom... Queremos você de pernas abertas agora para nós! - disse o que parecia ser o líder vindo na minha direção.

Tentei fugir mais eles me seguraram. Meu coração disparou e minha respiração ficou descompassado. Dois me seguravam e os outros se aproximavam de mim como felinos atrás da caça.

Quando eu achei que tudo estava perdido, ouvimos o som do carro de alguém. Automaticamente olhamos na direção e eu pude ver o Trevita do sesshoumaru se aproximando rapidamente.

Ele fez uma derrapagem bem próximo a nós que chegou a levantar poeira. Saiu do carro e veio na nossa direção andando calmamente e com um olhar nada amigável.

Quando ele chegou até mim, me puxou pelo pulso e fez com que eu desse de cara com seu peitoral ainda vestido com o uniforme.

O cheiro amadeirado dele invadiu minhas narinas com tudo.

- o que quer, Thaiso? Não se meta no que não é da sua conta! - disse o líder deles com uma voz raivosa.

- está tão na seca que anda abusando de jovens indefesas, Malfoy? - perguntou em tom de voz presunçoso.

Levantei meu rosto e pude ver o seu semblante sério e seus olhos irados.

Ele me apertou mais com seu peitoral e sua outra mão colocou dentro do bolso da calça.

O outro rosnou em resposta.

- vai me dizer que ela é sua!? Ou o seu costume de se apossar das coisas ainda não mudou? - agora foi a vez do outra falar com prepotência.

Sesshoumaru riu anasaldo.

- sim, ela me pertence! Ela é minha e de mais ninguém! - disse calmo porém firme.

É O QUÊ? '-' 

ELE DISSE ISSO MESMO!? Esse homem é louco! Só pode ser isso!

O olhei incrédula e ele nem me dirigiu o um olhar se quer.

Onde eu fui amarrar o meu burro???

- ho claro, claro... Deixe-nos dar uma leve comida nela e depois você a leva - disse com tom de voz tão malicioso que fez meu corpo estremecer.

Senti um leve rosnado escapar da garganta de sesshoumaru.

- muito cuidado com as palavras, Malfoy... Elas podem te levar a morte - disse de uma forma tão fria que até eu fiquei com medo.

Olhei de lado para eles e os vi recuarem de leve sobre o olhar de sesshoumaru. Ele então me virou, me pegou pelo pulso e saiu me puxando. 

Os rapazes ficaram lá nos olhando incrédulos.

Sesshoumaru me colocou dentro do carro, deu a volta e entrou do lado do motorista.

Deu uma partida tão firme no carro que cantou pinel.

Eu ainda estava aérea com tudo aquilo.

Como assim ele disse que eu era dele? Eu sou dele? Não claro que não! Não viaja Rin, não viaja!

- por que você disse aquilo? - perguntei sem olha-lo.

- um obrigado não mata ninguém, sabia? - disse sério.

O olhei e suspirei.

- obrigada... Por que disse aquilo? - pergunto novamente.

- preferia servir de brinquedo para aqueles caras? - perguntou agora me olhado enquanto estávamos em um sinal vermelho.

Acho que estávamos indo na direção da escola de inuyasha e Kagome.

- não se responde uma pergunta com outra. Mesmo assim... Muito obrigada por ter me salvado. - digo o olhando e acabo vendo ele rir de canto olhando para o asfalto a frente.

°°°

Já era noite. Eu havia acabado de colocar Kagome para dormir e agora andava na direção do meu quarto.

Andava no automático presa nos acontecimentos de mais cedo.

Por que ele falou aquilo? Será que foi só para me salvar? Haaah odeio ficar assim! É frustante.

Fui tirada de meus devaneios por um som clássico de um piano. O som era doce como mel. Uma melodia de Beethoven.

O som me fazia viajar e me acalmar.

Vi que a porta do quarto do sesshoumaru estava entre aberta. Me aproximei com cautela e vi que era ele o autor daquela deliciosa melodia.

Era a primeira vez que via seu quarto. Era de pouco iluminação. Seus lençóis e cortinas eram em tons escuros. A porta de sua varanda estava aberta, o iluminado com a luz da lua. O piano era branco com a neve.

Sesshoumaru o dedilhava com  a mais pura perfeição. O toque me ativava e me provocava.

Ele estava sem camisa, só com uma calça moletom e seu cabelo estava preso em um coque folgado com fios soltos, o deixando sexy.

Era incrível sua sincronia com o piano. Pareciam feitos um para o outro.

Ele parou de tocar de repente e m olhou. Meus olhos se arregalaram e eu sai dali rapidinho.

Entrei em meu quarto Fechei e tranquei a porta, não sei por que. Fui até minha cama me joguei nela.

- céus o que está havendo comigo?



Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...