História Coração de gelo - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias IDOLiSH7
Personagens Gaku Yaotome, Personagens Originais, Ryunosuke Tsunashi, Tenn Kujo
Visualizações 1
Palavras 2.153
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Harem, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Passando aqui no início rapidinho apenas para desejar uma boa leitura e, se você não conhece o anime Idolish7, eu super recomendo para todos! É um anime incrível e engraçado!

Capítulo 1 - Voltando para a Cidade.


Em uma manhã calma e agradável, eu pego minha bolsa antes de sair de casa. Decidi passear um pouco por esta Cidade na qual não venho a muito tempo. O motivo? Bem...

Quando pequena, eu sempre tive muitos problemas de saúde, e foi decidido que o melhor para mim era viver com meus avós em sua fazenda, afastada da Cidade. Lá, eu conheci muito sobre música, e me apaixonei pela mesma. Eu realmente era feliz lá, não tinha do que reclamar. Mas, precisei voltar a Cidade em busca de emprego, pois preciso ajudar meus avós em suas despesas. O que eu deveria fazer aqui? Ser uma compositora? Coreógrafa? Ou quem sabe até uma idol...? Sorrio com meu pensamento bobo, é claro que isso não aconteceria. Estava tão distraída que, acabei esbarrando em alguém, no que resultou na queda de minha bolsa, que por descuido meu, estava aberta e isso fez com que vários papéis de minhas composições caíssem pelo chão.

— Me desculpe! — Digo me abaixando rapidamente para recuperar os papéis um pouco desajeitada. 

— Tudo bem. — O homem respondeu serenamente, sua voz calma soa um pouco baixo. Ele se abaixou e me ajudou a recuperar os papéis. Ao me levantar com as melódias nos braços, vejo então a aparência do rapaz: Sua pele é branca, seus cabelos são rosados, assim como seus olhos. Ele está a usar um óculos e uma máscara, provavelmente está resfriado. O rapaz se levanta lendo uma das composições, antes de me entregá-la.

— Muito obrigada! — Digo colocando os papéis em minha bolsa.

— De nada. Você é uma boa compositora. — Disse-me naturalmente.

— Obrigada novamente... — Agradeço um pouco constrangida, me curvando.

— Bem, até mais. — Ele sai andando acenando, mesmo por trás de sua máscara, eu sabia que havia um sorriso em seu rosto. Voltei a caminhar em seguida.

Entrei em uma cafeteria quando começou a chover, não estou com nenhum guarda-chuva aqui, e não posso de forma alguma ficar na chuva, por isso, preciso esperar um pouco até que pare. Já que estou aqui, vou aproveitar para tomar um café, por quê não?

Fui ao balcão e pedi um café com leite e espuma, não demorou para o mesmo ser entregue. Me sentei em uma mesa perto das enormes janelas para observar as mesmas. As gotas de chuva escorrem pela janela, é bonito de se ver, mas ao mesmo tempo, um pouco triste para mim, de alguma forma. 

Quando coloquei o líquido quente do copo em minha boca, sinto meu celular vibrar em minha bolsa, pego o mesmo vendo mensagens da Yuka, minha prima. Faz tempo que não a vejo. Ela me visitava quando morava com meus avós, pelo menos, uma vez por mês. Era divertido. As mensagens diziam:

Yuka:

Olá! Fiquei sabendo que chegou, onde está?

Sayori:

Oii, estou em uma cafeteria. Precisei me abrigar aqui quando começou a chover...

Yuka:

Entendo, acho que sei onde é, me aguarde, estou indo aí!

Sayori:

Ei, espere!

Ela fica offline sem que eu possa dizer mais nada, como Yuka é apressada...

Eu já havia terminado meu café, e Yuka ainda não havia chegado... Ela deve ter ido a cafeteria errada! Quando estava prestes a me levantar...-

— Sayo-chaaaan!!! — Sou surpreendida quando uma louca pula em cima de mim, me prendendo em seus braços, me apertando. — Que saudades, Sayo-chan!!!

— Y-Yuka-chan! Eu não consigo respirar! — Digo tentando retribuir o abraço de alguma forma.

— Hehe, desculpe, desculpe... — Ela me soltou e se sentou à mesa. — Quanto tempo, né? Como estão as coisas na casa da vovó e do vovô? Foi tranquilo para chegar aqui? Já arrumou algum namorado? — Ela fazia suas perguntas umas atrás das outras.

— Devagar, devagar! — Digo rindo para ela. Conversamos um pouco, colocando o assunto em dia. Então, decido comentar com ela sobre o rapaz no qual me esbarrei.

— Ehh? E como ele era? — Perguntou com um grande sorriso.

— Nem vem, nós apenas nos esbarramos! — Viro o rosto, um pouco corada. — Ele tinha cabelos e olhos rosados, sua pele era branca, ele era um pouco mais alto que eu, vestes normais e usava um óculos e uma máscara.

— Uh, ele me lembra alguém... — Disse meio pensativa.

— Hm? Quem? — Perguntei curiosa.

— Deixe-me ver... — Continou pensativa por mais alguns instantes antes de... — Já sei! Kujou Tenn! 

— “Kujou Tenn”? — Repeti o nome confusa.

— Sim, ele é um idol aqui! Faz parte do grupo Trigger, suas músicas são muito boas! — Um idol... Pff, claro que não. — A diferença é que ele não usa um óculos nem uma máscara...

— É, com certeza não era ele, quais são as chances de eu me encontrar com um idol? — Perguntei para ela com um pouco de ironia.

— Não diga isso! Espere. — Ela pegou seu celular, e após alguns segundos, virou o celular para mim, me mostrando um rapaz. — Se parece com ele?

— Um pouco... — Então, com a ajuda de um aplicativo, ela colocou uma máscara e um óculos nele, não eram o mesmo, mas estava bem mais parecido com ele. — É! É praticamente ele! — Respondo apontando para a foto.

— Você se encontrou com Tenn, não é possível! Como foi?! — Me perguntou com ansiedade.

— Foi bem rápido. Eu me esbarrei com ele, acabei deixando minhas composições caírem, e então ele me ajudou a pegar, até mesmo elogiou uma delas. — Sorri com meu pensamento.

— Que inveja de você! — Disse sorrindo também. — Vamos indo? A chuva já parou. Eu posso te deixar em casa, se quiser. 

— Agradeço mas, vou continuar passeando. — Respondo à ela.

— O que? Mas e se começar a chover de novo? — Perguntou-me com um ar de preocupação.

— Eu compro um guarda-chuva.

— Não é o suficiente, pelo menos, pegue meu casaco, com essas roupas você com certeza ficará resfriada! — Ela retirou o casaco e jogou em minha cabeça.

— N-Não precisa! Além disso, você também pode ficar resfriada. — Pego o casaco e devolvo para ela.

— Não sou frágil como você! — Riu um pouco. 

Escuto o sino da porta, avisando que alguém estava adentrando o local. Poderia ser só mais alguém, mas não, eram três rapazes, entre eles, Kujou Tenn com quem me encontrei a um tempo atrás. Fiquei um pouco surpresa, e isso não passou despercebido por Yuka-chan.

— Hm? O que foi? — Yuka olhou na mesma direção que eu, ou seja, na dos rapazes.

— N-Nada! Ei, você já viu minha nova composição?! — Tentei distraí-la com outra coisa. Conhecendo Yuka como conheço, seria um verdadeiro pesadelo se ela encontrasse os rapazes, talvez, fôssemos até presas! Retirei um papel da bolsa e entreguei para ela, que o leu sorrindo.

— Que lindo! É impressionante a forma como você escreve tais coisas. — Me devolveu, eu observei o papel por alguns segundos.

— Obrigada... Escrevi essa quando estava no ônibus, o trajeto me motivou.

— Interessante, a senhorita se incomodaria se eu desse uma olhada? — De repente, um rapaz de cabelos brancos, seus olhos eram azuis meio acinzentados, e me causavam uma sensação diferente... Aparece atrás de mim. Este acompanhava os outros dois homens que havia visto, sua mão estava estendida, ele pedia para ver a composição.

— C-Claro... — Entrego o papel para ele, que o observa atentamente.

— Ei, Gaku, não demore. — Tenn lhe disse, sentando-se em uma das mesas.

— Gaku?!- — Antes que Yuka pudesse dizer mais alguma coisa, ela entendeu o significado de meu olhar e abaixou a cabeça, segurando-se para não gritar.

— É uma bela canção, você que escreveu? — Perguntou me entregando o papel novamente.

— Obrigada, fui eu sim... — O coloco dentro da bolsa novamente.

— Já optou por ser uma compositora? Tem talento para isso. 

— Já sim, mas digamos que estou indecisa...  — Sorri um pouco nervosa.

— “Indecisa”? — Repetiu.

— Sim! Sabe, ela é muito talentosa no assunto música, e não sabe se deseja se tornar uma cantora, compositora ou coreógrafa! — Yuka dizia com um largo sorriso no rosto.

— Y-Yuka-chan! — Chamei sua atenção, sentindo meu rosto em chamas.

— Mesmo? Posso me sentar para conversamos melhor? 

— Claro... — Após dizer, o rapaz puxa uma cadeira e se senta.

— Eu sou Yaotome Gaku, e vocês? 

— Me chamo Yamanaki Sayori. — Fiz um gesto formal.

— Yamanaki Yuka...

— Sendo direto, já devem me conhecer, certo? — Eu balancei a cabeça para os lados, dizendo não calmamente, enquanto Yuka fez o oposto.

— Sayo-chan veio para a Cidade à pouco tempo, então... —Yuka explica.

— Entendo. Bem, nós estamos precisando de um compositor no momento, e você possui um ótimo talento para isso, além de outras coisas que sua amiga informou. 

— Err... — Lancei um olhar furioso para Yuka. 

[Pov Narradora]

— O que ele está fazendo...? — Em outra mesa, o rapaz chamado Tenn reclama ao observar seu companheiro em outra mesa com duas garotas.

— Calma, Tenn, eles estão apenas conversando. — Seu outro colega tenta lhe acalmar.

— Eu vou chamá-lo. — Se levanta da mesa.

— E-Espere! Deixe que eu o chamo. — O moreno, vendo que aquilo não terminaria bem, se levantou primeiro e foi a passos calmos até a mesa onde os três estavam, ele cutucou de leve o braço do amigo. — Gaku-san... — Mostrou um sorriso nervoso.

— Diga ao Tenn para ele esperar, estou ocupado também. — O esbranquiçado já sabia do que se tratava, então não esperou respostas do moreno.

 — C-Certo... — Voltou para a mesa.

— Vamos conversar melhor outra hora, ok? Aqui está meu número. — Nós trocamos nossos números. — Bem, até mais.

Ao chegar na mesa de seus companheiros, foi recebido com o olhar frio e irritado de Tenn.

— O que estava fazendo? — O rosado perguntou.

— Sabe, se ninguém toma iniciativas, eu irei tomar. — Respondeu pegando um dos copos que havia na mesa.

— Do que está falando?

— Eu preciso de uma música nova, e para isso, é necessário um compositor. E desde que o nosso foi embora, ninguém fez nada. — Gaku explicou.

— E...? — Tenn indicou para ele continuar.

— Então, eu estou procurando por um compositor, acabei de encontrar uma que parece boa o suficiente para o Trigger. — Disse dando um gole na bebida em seguida.

— Tsc... — Tenn pegou sua bebida também. — E conseguiu?

— Com você me apressando, passei meu número para ela, iremos conversar outra hora. Acredite em mim quando digo, pelo pouco que eu pude ler de uma de suas músicas... — Ambos na mesa observaram as garotas na mesa ao lado.

— Vamos, Yuka-chan! — Sayori tentava chamar a amiga.

— Só mais um pouco... — A morena que quase babava sobre a mesa disse, observando os três homens na outra mesa.

— Se começar a chover novamente, eu lhe mato! — A garota a puxa, e ao olhar na direção dos meninos, os mesmos lhe observavam também. Yuka acenou com um sorriso de orelha a orelha enquanto Sayori saiu apressada e constrangida. 

As jovens ao saírem da cafeteria, se dirigiram a casa de Sayori. Ao chegarem, ficaram no quarto, conversando.

— Estava na cara que ele tinha interesse! — Yuka disse alto.

— Claro que não! Yuka-chan, minhas composições não são tão boas assim, nem mesmo minha voz ou minhas danças... — Abaixou um pouco o olhar.

— É claro que são! Sayori, você é talentosa, não perca uma oportunidade dessas! — Yuka apontou para Sayori.

— Ah... — Suspira. — Eu vou pensar sobre. Além disso, ele não deixou nada tão claro assim. E como você disse, Trigger é um grupo de idols famoso por aqui, qualquer pequeno erro meu seria uma catástrofe! 

— Claro que não, não seja exagerada! 

[Pov Yamanaki Sayori]

— Olha quem fala sobre exagero... — Nós rimos. Então, escuto meu celular vibrar na cama. Era uma mensagem de Yaotome-san, li a mensagem em voz alta para que Yuka também ouvisse. — “Desculpe pelo ocorrido de hoje, podemos nos encontrar amanhã às oito horas na Deep River?” — Tirando o fato de que eu não faço a mínima idéia de onde é este local, estou disponível neste horário e parece até divertido. — “Deep River”? O que é isso, Yuka-chan? 

— É uma casa norturna, eu irei sair com a Ema e posso lhe deixar lá, se quiser. — Ela diz.

— Ok. Espere, isso significa que você não poderá ir comigo...?

— Desculpe, Sayo-chan, eu já havia prometido sair com ela há bastante tempo...

— Tudo bem. — Sorri e respondi a mensagem: “Sem problemas, e eu posso sim!”. Não demorou para ele responder: 

Yaotome Gaku:

Ótimo, leve uma de suas composições, por favor.

Sayori:

Certo!

Yaotome Gaku:

Então, até amanhã.

Sayori:

Até.


Notas Finais


Olá gente! Espero que tenham gostado do capítulo. Já vou avisando que trarei outra fanfic de Idolish7, desta vez focada em todos os personagens em geral, não somente nos Trigger.
E também, vocês devem ter percebido meu sumiço, não é? Pois bem, estou tendo alguns problemas e também, meu tempo está sendo bem reduzido aqui no Spirit pois estou ocupada com outras tarefas, mas não irei parar de postar fanfics, não se preocupem! ^^
Por fim, a capa desta fanfic estará pronta em breve, obrigada! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...