1. Spirit Fanfics >
  2. Coração de um Youkai >
  3. Declarações

História Coração de um Youkai - Capítulo 8


Escrita por: SweetCatGirl

Capítulo 8 - Declarações


Fanfic / Fanfiction Coração de um Youkai - Capítulo 8 - Declarações

Acordei com muita dor no corpo, Naruto me chacoalhava e sua voz estava tão longe, abri meus olhos com dificuldade e ouvi vários estrondos atrás de mim. 

- Sakura! Sakura! Acorde! Você precisa controlar o Kakashi-sensei! - me chacoalhava, peguei seu pulso com dificuldade para que ele parasse e me deixei tombar para o lado olhando para o lobo branco fora de controle. 

- Ka...kashi - ele parou por um momento observando todos e voltou a sua forma humana correndo até mim. 

- Oe! Fique acordada - senti ele me levantar do chão e apaguei novamente. 

****************************

- Kami-sama Kakashi-sensei, vai tomar um banho, a Sakura vai morrer com o seu cheiro - Ino? 

- Não mexa com ele Ino, a Yurei dele está aqui a 3 dias, inugamis são imprevisíveis - Tsunade-sama?

- Mas ele está fedendo a sangue podre! - aos poucos a sensibilidade de meu corpo foi voltando e pude sentir mãos segurando uma das minhas e alguma coisa dura roçando em meu braço, virei minha cabeça com devagar e vi seus cabelos vermelhos quase negros e duros de tanto sangue - Sakuraaaaaa! - ele levantou a cabeça abruptamente me olhando. 

- Sakura - Ino que ia me abraçar foi empurrada de leve por ele e ouvi Tsunade suspirar.

- O que? - olhei em volta do quarto branco - Kami-sama que cheiro é esse - olhei para Kakashi que estava da cabeça aos pés ensopado de sangue seco. 

- Da pra mandar o seu Ayakashizinho tomar um banho? Faz três dias que ele está aqui - disse Ino de braços cruzados brava. 

- Três dias? 

- Sakura, como se sente - Tsunade ia colocar a mão sobre minha testa, Kakashi ia impedir, mas ela lhe lançou um olhar que o fez sentar a contra gosto e percebi que ele não soltou minha mão - ainda está um pouco quente pela febre. Vou te dar um antibiótico. 

- Amiga todo mundo ficou uma merda, aparentemente as kunais deles estavam envenenadas, mas a Tsunade-sama já conhecia o veneno. A que foi mais atingida foi você. 

- Porque foi imprudente - sussurrou Kakashi e puxei minha mão. 

- Não fui imprudente, minha amiga estava desacordada e eu a protegi! 

- E quase morreu. E se eu não tivesse chegado a tempo? 

- Eu teria morrido pela segunda vez. - retruquei brava - ah vai tomar um banho pelo amor de Deus - falei o fuzilando com o olhar. Ele desviou o rosto franzindo o cenho e saiu da sala. 

- Sakura, precisa saber de uma coisa - Tsunade falou cruzando os braços - ele é um Inugami, o tipo mais perigoso de ayakashi, até se Ino te der um tapa de brincadeira ele pode mata-la, então o mantenha na linha. 

- Eu não escolhi ser Yurei dele, ele tirou meu direito de escolha! - Tsunade deu de ombros. 

- Mas agora você é e não pode fazer nada sobre isso. Cedo ou tarde vai se apaixonar, querendo ou não - disse saindo. 

- Ele ficou aqui os três dias. Não comeu, não bebeu água, não trocou uma palavra sequer com ninguém, não foi ao banheiro, ele parou de viver enquanto você estava aqui - olhei para Ino assustada - ele não soltou sua mão um segundo sequer. Tenho que admitir amiga, fico feliz dele ser seu ayakashi. 

- Ah - Suspirei olhando o teto. 

- Ele até escolheu seu quarto, com vista pra cidade - apontou para a janela e pude ver a cidade de longe, a olhei confusa - ele é seu ayakashi, a cada dia que passa ele te conhece mais, mesmo sem vocês falarem nada. Pensa um pouco, sabe algo dele? - parei um pouco refletindo. 

 - Ele... Ele perdeu um olho em um batalha... - falei tentando encontrar de onde veio essa lembrança - e os dois melhores amigos dele morreram nessa batalha - senti meu peito se apertar. 

- Desista - ela falou sorridente - Kakashi-sensei foi um dos primeiros a virem pra ca depois da escola Konoha ser fundada, ele esperou quase mil anos pra encontrar você. Vocês são almas gêmeas - arregalei meus olhos e virei meu rosto escondendo a vermelhidão - ele ja sabia disso, por isso te beijou. - a olhei e ela continuava sorridente - AAHHH que inveja, você está aqui a menos de uma semana e já encontrou sua alma gêmea, enquanto eu tô aqui a quase 200 anos e ainda não encontrei ninguém - debruçou-se sobre a cama me fazendo rir. 

- Você vai encontrar alguém, sinto isso. - ela sorriu me olhando. 

O dia passou rápido, no fim da tarde Kakashi voltou e se recusava a sair, mesmo não falando comigo, aparentemente para não me irritar, ele ficou sentado o dia inteiro naquela cadeira aparentemente desconfortável lendo um pequeno livrinho. 

- Jantaaaaar - Ino entrou animada com a bandeja. 

- Aahhhh vocês me deixaram sem comida o dia todo - falei me sentando animada enquanto ela colocava a bandeja sobre uma mesinha que vinha até em cima da cama - Arigato Ino. 

- Nani mo - disse se dirigindo a porta - até amanhã, Oyasumi Kakashi-sensei. - fechou a porta

Comecei a comer animada e ouvi um barulho alto no quarto, olhei para Kakashi que escondia se escondia atrás do livro. 

- Oe! - o chamei e ele me olhou - vem aqui - chamei - anda logo - ele parecia relutante, mas se aproximou da cama - senta - ele me olhou confuso - da pra sentar logo? - assim ele fez. 

Empurrei a mesinha lado e me aproximei dele, ergui uma das minhas mãos e retirei sua bandana, ele não disse nada, não fez nada, apenas olhava em meus olhos, havia uma cicatriz e seu olho é vermelho com três pontas negras, passei a mão pela cicatriz o fazendo fechar o olho e parei meus dedo na borda de sua máscara, esperando que ele me impedisse, mas ele deixou... Abaixei sua máscara completamente corada, ele me olhava sério. Sorri serena e me afastei puxando a mesa de volta, com o hashi peguei um pouco de Gohan colocando minha mão embaixo para não derrubar e levei até perto da sua boca vendo-o me olhar confuso 

- Anda, come, me falaram que está a 3 dias sem comer. 

- Mas você precisa comer - sua voz me causou arrepios. 

- Se eu sou sua Yurei você tem que me obedecer - ele revirou os olhos e sorri vitoriosa vendo-o abrir a boca. 

Comemos juntos e dividimos o suco também, ele parece mais amistoso, aliás, eu pareço mais amistosa, já que a grossa da história eu tenho conhecimento que sou eu. 

- Se você já sabia que éramos almas gêmeas porque não me contou? Deixou eu ficar brava com você. 

- Eu tentei te contar, você não me escutou - abaixei o olhar. 

- Fui tão grossa com você, e você cuidou tão bem de mim. - ele sorriu me olhando com carinho. 

- Eu não me importaria nem se você me odiasse. Falando nisso, achei que você me odiasse, por isso fiquei quieto ali - olhou para a cadeira - imaginei que não fosse querer falar comigo, mas não consigo ficar longe de você. 

- Nunca te odiei, só fiquei com raiva, e magoada - o vi arregalar os olhos - o que foi? 

- Magoei você? - pude ver o peso em sua voz e sorri. 

- Então é isso que é ter um ayakashi, é ter alguém que se importa com você.

- Eu não só me importo com você, eu morreria por você, morreria se você morresse, mas antes torturaria e mataria quem a matou - seu semblante mudou repentinamente. 

- Para com isso, não quero você matando pessoas por aí e nem se matando - ele me olhou confuso - preciso de uma aula sobre inugamis - falei sorrindo e ele riu. 

- Será a pauta da próxima aula, pelas ordens de Tsunade, não sei como ela não me expulsou quando descobriu. 

- Eles achavam que você era um Oni né? 

- Já deve saber que Inugamis não têm uma boa reputação. Mas eu não sou assim... Pelo menos tento não ser... Eu só... Não consegui me controlar naquele dia... Ver você machucada e a beira da morte... Eu... - vi seus olhos marejarem. 

- Esperei por isso a minha vida toda - falei e ele me olhou confuso - alguém que tem medo de me perder, esperei por isso a vida toda, morri sozinha, mas agora no pós vida ironicamente tenho você, um cara de mil anos que eu nem conheço. 

- Claro que me conhece - falou e suas palavras rodearam minha cabeça me trazendo mais lembranças.

- Seu pai... Se matou... - falei e ele assentiu estranhamente sorridente. 

- Viu, você me conhece, ninguém aqui sabe disso. 

- Você sabe como eu morri? 

- Ainda não - abaixou o olhar - mas não foi fácil, isso eu sei. 

- Como pode saber se nem eu sei? - ele deu de ombros. 

- Eu só sinto - Kakashi se levantou e voltou para a cadeira, me deitei me ajeitando na cama com sua bandana na mão, ele se recostou na cadeira fechando os olhos, fiquei observando ele por alguns segundos. Eu... Parece que sinto medo assim, queria ele mais perto. 

- Kakashi-sensei. 

- Não me chame assim - ele me olhou arqueando uma sobrancelha. 

- Kakashi - ele sorriu, ergui minha mão e ele se levantou se aproximando e a pegando, corei violentamente ao puxar um pouco seu braço e ele me olhou confuso, já estava com sua mascara de volta, puxei novamente dando espaço na pequena cama. 

Ele pareceu entender e se deitou ao meu lado, levantei um pouco a cabeça e o vi passar o braço com um pouco de medo, me aconcheguei mais nele ainda segurando sua bandana nas mãos. 

- Você prefere eu de cabelo solto, eu prefiro você sem bandana - falei e ri, não obtive resposta, mas podia sentir o medo exalando pelo quarto, ele parece paralizado olhando o teto - está com medo do que? 

- De fazer algo que você não goste e fique com raiva de mim de novo - falou e gargalhei o vendo fechar a cara, puxei sua máscara novamente e selei nossos lábios o surpreendendo, mas logo se virou de frente para mim segurando meu rosto com carinho. 

- Me sinto mais viva agora do que em toda minha vida - ele sorriu e me abraçou roçando seu nariz em meus cabelos, os cheirando, me apertou, me aninhei em seu peito encolhida agarrada a sua bandana e embriagada de seu cheiro agora maravilhoso - não fique mais sem tomar banho, amo seu cheiro - sussurrei me deixando levar pelo sono. 




Notas Finais


Me digam o que estão achando


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...