1. Spirit Fanfics >
  2. Coração Defeituoso >
  3. Coração Defeituoso

História Coração Defeituoso - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


E vamos de shipp que só fanfiqueiras conseguem imaginar.

Capítulo 1 - Coração Defeituoso


E mesmo isolado da festa, mesmo tentando ocupar a mente com coisas contrárias, Prior não era capaz de pensar em nada mais além de Daniel e seus cabelos esvoaçantes.

Era difícil para Felipe assimilar o montante de informações que lhe ocorreu nos últimos dois dias. A saída de Petrix, o surgimento de novos conflitos e, principalmente, a chegada de novas informações do exterior junto ao rapaz que fizera seu coração bater mais forte.

Fora isso sua pauta em um dos momentos da breve discussão que compartilhou com o brother. Daniel dissera ter um coração, e Prior não desejou parecer um insensato ou, como afirmara Daniel diante seu rosto, um retardado. Felipe carregava um coração defeituoso, do tipo que poucos são capazes de consertar, e Daniel era um destes poucos.

Ele ainda enxergava Daniel no lado oposto de onde estava, festejando com o grupo das meninas, longe da parede onde estava apoiado. Ele jogou sua bebida fora, preparou o coração e gritou pelo nome do outro. Daniel o ouviu, o encarou com receio de um cão que escuta um outro latido à distância. Falou para Daniel se aproximar, pois ele tinha mais coisas a discutir. E mesmo que não mais quisesse se envolver em brigas com Prior, Daniel marchou até a posição que ele se encontrava.

— O que é que você quer? — Perguntou ríspido Daniel.

— Relaxa, Danielzão, eu só quero me redimir contigo. Acho que a gente começou com o pé esquerdo. — Respondeu com a voz trêmula como se estivesse declamando uma declaração ensaiada.

Daniel riu, a incredulidade esbanjava por seu rosto pálido. Felipe era mesmo um retardado, um idiota de sorriso maior. E mesmo que sentisse vontade de dar abertura a um novo diálogo, Daniel não confiava naquele homem. Poderia toda sua conversa ser mais uma jogada suja de seu grupo.

— Cara, vê se cresce. Eu não tenho nada contigo e nem quero ter. — Trovejou Daniel conforme recuava. Tivera sido uma perca de tempo, como imaginara.

Mas antes que pudesse deixar totalmente o perímetro que os separava, Daniel pôde sentir o calor da mão de Prior se espalhar pela sua. Felipe houvera lhe agarrado a mão, em seu rosto uma expressão indecifrável maquinava. O que era aquilo?

— Calma aí, Daniel. Eu falei para você me botar no paredão. — E, mesmo atônito, Daniel deixou-se levar pelo movimento de Prior que o puxava para um pouco mais perto de onde estava. — Falei mesmo para você me jogar no paredão, mas eu não disse qual.

A curiosidade o afligia, o nascimento de um desejo que não nunca notou. Felipe não era exatamente o tipo de cara atraente, mas algo em suas palavras o tornava um ímã notoriamente físico.

— Eu preciso destes seus dedos em meu corpo, desta sua força que me empurrou. Deste seu coração. — Prior tremia, sentia um frio calor em seu estômago, em sua espinha e em seu peito. Daniel estava ainda paralisado, sem reação alguma. E nos instantes que se seguiram de tensão, pelo desespero de imaginar que seria exposto e humilhado, seus pés moveram-se para o lado, deixando para trás os olhos cristalinos de Daniel.

— Você é mesmo um retardado, não é? — Exprimiu Daniel após um longo tempo de choque. Seu semblante sério, que devastava as emoções de Felipe o enganou, pois logo em seguida de suas palavras, um suntuoso sorriso transpareceu em sua fisionomia. E naquela mesma hora, Prior fora levado ao paredão, prensado pelo corpo intrusivo de Daniel, por suas mãos que lhe apertavam a cintura e sua boca voraz que o abocanhava os lábios. Seu coração batia forte, rápido, ele pensara também sentir o de Daniel quando colara seu corpo ao seu, puxando-o pela nuca, percorrendo seus fios dourados, e o trazendo para mais junto de seu calor sexual.

Daniel pressionava Felipe cada vez mais na parede. Usava de suas mãos para estapear  e apertar a bunda de Prior por cima do jeans, ouvir os gemidos do brother quando o penetrou com os dedos pela calça e por debaixo de sua cueca onde o estímulo da região anal por Daniel fazia Felipe gemer em meio aos beijos molhados que partilhavam.

A mão de Prior desceu devagar pelo torso de Daniel, explorando seu abdômen, sua virilha e o enorme volume que constava no tecido de sua calça. Era grande, extenso e úmido. A prova viva de que Daniel admirava seu retardo mais do que podia admitir.

— Daniel... Ah...! — Gemia Prior conforme o brother progredia na profundidade que seus dedos exploravam seu interior. — Eu vou gozar, caralho! Não dá para ir mais devagar?

— Devagar? Agora você quer que as coisas sejam devagar? Cadê toda aquela sua coragem quando resolveu me acusar? — Provocava Daniel conforme sentia o corpo de Prior ceder diante seu toque, retraindo-se em gemidos e bufadas.

Felipe sentia o calor percorrer seu corpo, a excitação latente em seu ventre que se desdobrava em um desejo fogoso de sexo. Ele queria aquele homem em seu interior, queria-o por inteiro como uma avalanche que engole a montanha.

— Daniel... por favor, cara. — Implorava enquanto sentia o tesão o devorar por partes.

— Por favor o que? — Dissera Daniel enquanto mordiscava o lábio do rapaz que se contorcia com a cabeça repousada em seu ombro.

— Por favor, me come. — Sussurrara Prior exaustivamente, finalmente a reconhecer seu estado deplorável de submissão.

— Não, aqui não. Você vai ser queimado se pedir isso. — Analisou Daniel com sarcasmo diante a situação que se enrascara que, certamente, acarretaria também sua saída.

— Foda-se o público. Agora só quero você. Eu preciso de você. — Confessara Prior no exato momento que Daniel atingira seu ponto máximo com os dedos e o fizera se derramar numa ejaculação que cobriu toda sua cueca e sua calça. E após isso, mesmo em êxtase pela adrenalina, pelas emoções e o prazer, Felipe ouvira de Daniel uma outra proposta:

— No banheiro. Daqui cinco minutos. — E beijou outra vez Felipe. Um beijo rápido, mas não de despedida, apenas de continuidade.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...