1. Spirit Fanfics >
  2. Coração Escarlate >
  3. Segredo

História Coração Escarlate - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Segredo


Olhei para o chão.

Eu tinha patas, quatro patas.

Me sinto nauseada.

O que eu faço?

Adentrei a floresta para me esconder, alguém poderia ver o estrago que fiz e...

Não iria dar bom.

Antes de encontrar um lugar, havia visto um imenso lago, onde pude me enxergar.

Meus pelos eram brancos, eu tinha um detalhe abaixo dos olhos parecendo uma sombra ou um lápis de olho preto como se eu estivesse maquiada.

Fiquei admirada com a imagem que vi.

Fiquei bem escondida.

Estava deitada com a minha cabeça apoiada nas patas dianteiras.

Até que começo a escutar vozes na minha cabeça.

_Estão sentindo isso? – perguntou alguém com a mesma voz de Sam.

_Acho que temos um novo lobo a vista – disse alguém com a mesma voz de Paul.

Acho que estou ficando maluca.

Começo a esfregar a minha pata na minha cabeça para as vozes pararem.

_Ele está no Sul – gritou alguém.

É, eu estou na direção sul, preciso sair daqui.

Corro o mais longe possível, cada vez mais que sinto o cheiro de outros animais, na verdade, outros lobos por perto.

Nem reparei na direção que eu estava indo até que me deparo em frente a minha casa.

Ai meu deus, o que eu faço?

_Por que não estamos o ouvindo? – perguntou alguém.

Eu comecei a me desesperar, eles estavam perto demais.

Se concentra, Bella.

Deve haver uma forma de voltar ao normal.

Encho a minha mente de memórias antigas de quando eu estava com a minha mãe, com o meu pai.

Me concentro em lembrar de quando estava na forma humana.

Sinto o meu corpo inteiro arder, arder muito.

Sinto meu corpo encolhendo.

Será que funcionou?

Abri os olhos, olhei para baixo.

Dois pés.

Sorri vitoriosa, mas depois percebi que estava sem as minhas roupas.

Por sorte, eu estava tão próxima da porta que consegui entrar de fininho.

Pelo o que vi, Charlie não havia chegado ainda.

Subi para o meu quarto para tomar um banho e vestir uma roupa.

Ao sair de lá, peguei o meu notebook e comecei a fazer pesquisas aprofundadas a respeito de lobisomens.

Só que não havia conseguido achar nada na internet a respeito, diferente de vampiros.

As únicas coisas que achei foram a respeito de mordidas de lobisomens, transformação, nada do que eu procurava.

Isso parecia familiar pra mim.

Eu havia escutado algo a respeito de lobos.

Pesquisei a respeito deles e obtive a informação relacionadas a tribos.

Isso.

Jake havia citado a respeito dos quileutes.

Os quileutes supostamente são descendentes dos lobos.

Agora sim, faz sentido, mas eu não sou uma quileute.

Eu precisava conversar com o Jacob.

Espera, ele também é um lobisomem?

Talvez, o meu pai soubesse a resposta.

De repente, escuto o barulho das chaves na parte de baixo.

Ele chegou.

_Charlie – o chamei descendo as escadas – preciso falar com você – disse ficando de frente pra ele.

_O que foi? – perguntou preocupado trancando a porta atrás de si – Aconteceu alguma coisa?

_Sabe até onde da nossa árvore genealógica? – fui direta.

_Sei de quase tudo praticamente – sorriu – O que quer saber?

_Nossa família tem sangue quileute? Ou de alguma tribo indígena? Sempre fui curiosa com isso – tentei disfarçar, antes que me enchesse de perguntas.

_Não – meu pai pareceu pensar – é não, não temos, mais alguma pergunta?

_Não, é só isso – dificultou ainda mais.

_Por que quer saber?

_É porque eu estava pesquisando a respeito de tribos indígenas, e fiquei curiosa – de certa forma eu estava dizendo a verdade.

Ele deu de ombros e foi para a cozinha, enquanto eu fiquei sentada no pé da escada pensando no que eu deveria fazer.

 

...

 

Uma certeza eu tinha, caso aconteça novamente, para voltar ao normal é só focar nas minhas lembranças como uma humana.

Isso já é um ponto.

Liguei várias vezes para Jacob desde que acordei e nada.

Ele parecia ignorar as minhas ligações.

Me senti mal com isso.

Abandonada pelo Edward e depois Jacob.

Me joguei na cama novamente.

Me arrumei para sair, peguei a minha picape e saí indo rumo a casa de Jake.

Bati na porta e vi Billy vindo na minha direção para abri-la.

_Bella?

_Preciso falar com ele – disse para Billy me referindo ao Jake.

_Ele não está – olhei para o lado de fora analisando se era verdade, e não era.

Aquilo estava me deixando aflita.

_Olha, Billy, desculpa eu preciso mesmo – disse passando na pequena abertura que tinha entre ele e a porta – falar com ele.

_Bella? – me chamou novamente, porém não me virei para vê-lo.

Fui direto ao quarto de Jake e o vi dormindo serenamente.

Fiquei um pouco aliviada por estar bem.

De repente, escutei alguns barulhos vindos por alguém no lado de fora e me virei para ver.

Era aquela gangue idiota do Sam.

Estavam os quatro.

Saí da casa e fui em direção a ele, chegando perto:

_O que você fez? – gritei de longe – O que você fez, o que fizeram com ele? – empurrei Sam.

_Calma – disse Sam.

_Ele não queria – eu estava tão irritada com aquilo tudo.

_O que a gente fez? O que ele fez? – Paul olhou pra mim nervoso.

_Calma aí, vocês dois – disse Sam tentando ter controle da situação.

_Ele não me disse nada, porque tem medo de vocês – após eu dizer isso, os outros três começaram a rir de mim, exceto por Sam.

Fiquei irada que esbofeteei Paul que começou a bufar intensamente.

_Tarde demais – disse o outro garoto.

_Bella pra trás – gritou Sam comigo, enquanto comecei a escutar rangidos vindos do Paul – Bella vai pra trás agora – nisso fui me afastando na medida que aumentava o rugido.

Até que o corpo de Paul se transformou em um animal enorme, um lobo meio cinzento, não fiquei reparando muito, afinal eu precisava correr para longe dali.

_Bella – vi Jake pular a pequena parede vindo correndo na minha direção.

_Foge – gritei – Jake, foge – gritava enquanto corria.

Jake vinha na minha direção tão veloz que não consegui vê-lo pular em cima de mim. Quando me dei conta estava no chão caída, enquanto um lobo castanho meio- avermelhado se pôs na minha frente, reagindo ao rosnado de Paul.

Olhava aquilo atônita, meu deus.

De repente, os dois entraram em atrito. Vi Paul morder Jacob que conseguiu sair da situação. Os dois entraram em atrito novamente e escutava o som das mordidas no ar. Jake mordeu o pescoço de Paul e nisso rolaram floresta a baixo.

_Aí – disse Sam- Levem a Bella pra casa da Emily.

_O segredo do lobo foi revelado – disse Embry.

Alice, é possível que não exista nada sadio ou normal?

Ontem, descobri que havia me transformado numa loba. Hoje, foi o Jake.

Só queria a minha vida normal de antes, mas não sem ele.

Os meninos entraram na minha picape e fomos até a referida casa, demorei alguns minutos para sair do carro até que Embry fala:

_Vem, Bella – disse ele olhando um pouco longe de mim – A gente não morde.

_Fale por você – disse o outro.

Entramos na casa dela e vi uma morena de franja me olhar com curiosidade:

_Quem é essa? – perguntou sorrindo.

_Bella Swan, quem mais?

_Hum, então é a garota dos vampiros – disse pra mim.

_E você a dos lobisomens – disse ela.

Emily me tratou super bem, me ofereceu biscoitos. Para uma desconhecida até que ela era uma pessoa legal. Não passou muito tempo até Jacob chegar e nisso, Paul veio seguido dele:

_Desculpa – disse se sentando e olhando pra mim.

Jake fez um sinal com a cabeça para conversarmos e nisso fomos até a praia.

_Então, é um lobisomem? – disse puxando o assunto.

_É, pelo o que eu sei – estávamos caminhando - Alguns caras de sorte da tribo tem o gene. Um sugador de sangue chega na cidade, aí bate a febre.

_Ah.

_Antes fosse.

_Não pode arrumar um jeito de parar? – disse pausadamente - Isso é bem errado.

_Não é uma escolha de estilo de vida, Bella – ele parecia nervoso e chateado - Eu nasci assim, não posso evitar – e assim continuou - Mas que hipocrisia, que foi? Não sou o tipo de monstro certo pra você?

_Não é o que você, é o que você faz – tentei explicar - Eles não machucam ninguém. Vocês mataram pessoas, Jake.

_Bella, não estamos matando ninguém – disse em sua defesa.

_Então, quem está? – de fato?

_Estamos protegendo vocês deles, as únicas coisas que nós matamos: vampiros.

_Espera, Jake. Você não pode... – minha voz diminuiu o tom.

_Não se preocupe, não podemos tocar nos seus queridos Cullen, a menos que violem o contrato.

_Eu... não é o que eu estou dizendo, não podem matar vampiros, eles podem matar vocês – eu fiquei preocupada ao imaginar Jake em contato com um.

_É mesmo? Demos um jeito naquele sanguessuga com dreads na boa – disse relaxado.

_Laurent? – perguntei perplexa.

_E a namorada dele ruivinha é a próxima.

_Victoria... Victória estava aqui? – estava mais perto que pensei.

_Esteve, perseguimos ela até a fronteira canadense, ela sempre volta, não sabemos o que ela quer.

_Eu sei – disse com desgosto - sou eu.

Jake aparentou pelos primeiros segundos mostrar uma feição de surpresa para depois voltar com a pose robusta que estava antes, mas depois relaxou.

_Posso te pedir um favor? – perguntou.

_As ordens – disse.

_Tem como você ficar na reserva? – perguntou sério – É mais fácil estando nas nossas terras proteger você.

_Não quero que se incomodem comigo – e de fato não queria ser um fardo.

Estava pensando em como contar ao Jake o que aconteceu, ontem. Como que em dois dias o meu mundo poderia virar de cabeça para baixo?

Suspirei fundo.

Jake tentou me convencer e por fim, aceitei.

Ao chegarmos de volta a casa da Emily, fiquei sentada apoiada em uma parede ao lado, esperando Jake voltar lá de dentro.

Nisso, escutei uma conversa.

_Acham que o plano vai funcionar? – perguntou Embry.

_Todos nós tomamos o antídoto, em breve, iremos pega-lo – disse Paul dando uma risadinha.

_O cheiro dele pareceu familiar ou só eu quem achou isso? – perguntou Jared.

_Mantenho o mesmo posicionamento, eu acho que conhecemos a pessoa – disse Paul.

_Pena que o Jacob não estava lá – afirmou Embry.

Não estava aonde?

Do que eles estão falando?

Jake aparece em minha frente rapidamente e fomos para o lado de fora. Ele iria me levar para casa. No trajeto, ficamos conversando.

_Do que eles estavam falando? – perguntei curiosa.

_Parece que temos um novo membro na matilha – enquanto mantinha a atenção no volante, ele me explicava – Um lobo que não conseguiram alcançar e nem ouvir os pensamentos.

_Espera aí, vocês se comunicam por pensamentos? Podem escutar o que o outro pensa? – perguntei incrédula.

_Sim, é uma verdadeira falta de privacidade – explicava – Mas só quando estamos em forma de lobos, porém achamos isso muito estranho, nunca teve um caso assim antes, antes da chegada dele.

_Dele? Tem que ser um homem?

_Não tem lobas na matilha, acreditamos que o gene só é desperto nos homens.

_Isso é pouco machista, sabia? Poderia ter lobas, sim.

_Não é questão de ser machista, Bella – ele olhou pra mim – É o único fato que explica a ausência de lobas na nossa matilha. Simplesmente, não tem.

Eu não poderia rebater com Jake. Ele sabe mais do que eu.

_Será que tem alguma outra forma de ser um lobo, sem ter o sangue quileute? – essa era o momento perfeito para perguntar.

_Não, não tem – riu – Por que? Quer ser uma loba?

_Não foi isso que perguntei, Jake.

_E se tiver?

_Então, se tiver – disse parando o carro em frente a minha casa - é uma forma desconhecida por nós.

_Jake? – o chamei.

_Sim – disse desligando a picape.

_Seria pedir muito para você dormir aqui – eu estava com vergonha de dizer isso – comigo, hoje? – olhei para os seus olhos e por mais que estive a noite, seus olhos brilharam de uma forma nunca vista por mim antes.

Ele me olhava de uma forma diferente, como se estivesse, não sei, paralisado.

Pensei que talvez eu tenha sido um pouco evasiva com ele, então:

_Desculpa – disse abrindo a porta do carro – Não deveria ter perguntado isso.

Quando eu estava pronta para descer do carro, Jake pegou o meu braço esquerdo me puxando de volta e fechando a porta do carro.

Ficamos perto o suficiente um do outro, ainda mais, Jake estava meio caído em direção ao banco, ainda segurando o meu braço.

Meu coração acelerou por um momento.

_Espera – disse se levantando – Eu nem respondi ainda – ele olhou para frente – Eu fico. Vou avisar ao Sam que irei dormir esta noite, aqui.

_Olha, se quiser não precisa, tá bom? Eu só estou um pouco assustada com isso e – antes que eu pudesse terminar de falar, Jake me abraçou de lado.

_Não precisa se explicar, Bells – disse me abraçando mais forte – Vai ficar tudo bem.

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


o que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...