História Coração Maligno - Fragmentados (Reescrita) - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Alan Deaton, Chris Argent, Corey Bryant, Decaulion, Derek Hale, Isaac Lahey, Jordan Parrish, Ken Yukimura, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Melissa McCall, Scott McCall, Theo Raeken
Tags Bruxas, Darkfic, Lobisomens, Loucura, Magia, Romance Gay, Sacrificios, Theo
Visualizações 12
Palavras 3.184
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção Adolescente, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Lute pela Vida - Demônio Vs Kitsune


5 minutos antes – Loft de Derek



Willow colocava gelo na cabeça para amenizar a dor e olhava para o anel em seu dedo que parecia zombar dele. Afinal ele abriu a porta. E para sempre terá que praticar magia nem que seja para a manter sobre controle.

Ele podia sentir seu corpo absorvendo energia naturalmente, sem ser muita e nem pouco. Diferente de antes, que era uma verdadeira zona.

Lydia bebia um copo de água. Ela estava tensa e com um péssimo pressentimento.

Mas ela o ignorava afinal, o importante era salvar Scott.

Ela se senta de frente para Willow e sorri para ele.

Lydia – Graças a sua ajuda vamos salvar O Scott.

Ele faz careta.

Willow – Quer me agradecer me compra um monte de barra de chocolate que estamos quites.

Ela revira os olhos.

Mas uma batida na porta do loft a deixa tensa.

Lydia – Consegue saber de quem é a energia?

Willow – Lydia olha bem para mim, eu Mal consigo ficar de pé.

Diz reclamando.

Ela suspira

Lydia – Que sensível...

Diz se levantando

Afinal ela era uma banshee é uma mulher forte e qualquer coisa era só gritar e explodir a cabeça do inimigo

Não havia motivo para medo.

Willow – Eu não sensível e você que não respeita meus sentimentos.

Diz com deboche.

Lydia – Se você diz.

Ela chega a porta e suspira a puxando para o lado.

Ela arregala os olhos ao ver Deaton.

Suas roupas estavam sujas e rasgadas

Lydia – Meu Deus o que houve com você.

Diz o ajudando a entrar e o amparando. O deixando no sofar.

Deaton – Eu não sei... Eu encontrei um médico....e tentamos escapar juntos

Willow se levanta deixando a bolsa de gelo de lado e se aproxima do sofá.

Willow – Foi uma festa e tanto em...

Deaton olha para trás tenso

Lydia – Está tudo bem! Will já voltou ao normal. Ele está bem.

Willow – Melhor impossível.

Willow sentia algo estranho em Deaton. Seus olhos lhe davam medo. O jovem se sentia olhando para um abismo sem fim que desejava devorar sua alma.

Lydia – Willow... você tá bem? Esta pálido.

Lydia se aproxima de Willow atrás do sofá. E algo no sorriso de Deaton, faz Os instintos de Willow gritarem. Lydia ouvia as vozes lhe avisando da morte.

Willow segura Lydia e a puxa pelo braço a afastando de Deaton.

Lydia – Will!

Willow – Você não Deaton! Quem é você!?

Deaton sorri e com um aceno Willow é arremessado metros acertando e atravessando as janelas gigantes do loft em direção a queda e sua morte.

Lydia instintivamente põem a mão em frente ao corpo e grita.

Deaton é arremessado contra a parede a rachando.

Lydia mesmo fraca corre em direção a janela e suspira aliviada ao ver Willow pendurado na sacada.

Willow – NÃO Me olha! ME PUXA PORRA!

Lydia consegue puxar Will.

Mas assim que ele cai para dentro do loft, Deaton puxa Lydia pelos cabelos e acerta sua cabeça na parede.

Willow vai para cima dele mas com um aceno ele levita no ar.

Deaton se aproxima dele o encarando com os olhos vazios e sem vida.

Deaton – Nunca consegui entender pq tanto medo. Só um monte de carne é uma alma vazia.

Diz debochado olhando de Lydia para Willow.

Deaton – Uma sacerdotisa falha e um Herege sem nome. Sim eu sei seu passado e o que você fez...

Diz se aproximando de Willow

Will ergue a mão até as costas e retira a faca ritualística do cinto e quando Deaton se aproxima ele a crava em seu pescoço.

Willow cai de joelho, agora liberto da força invisível e se abaixa até Lydia a erguendo a arrastando até a saída.

Porém Deaton já havia retirado a faca do pescoço e cauterização o ferimento se tornando uma imensa cicatriz.

De suas mãos saiam ondas de calor abrasadores.

Ele gargalha e com um aceno Willow levita acertando o teto com força. Logo ele cai e bate no chão e levita sendo jogado contra a parede.

Deaton caminhava até Willow assobiando divertido. Mas para ao senti uma terceira presença.

Ele pula para o lado se esquivando de uma katana em volta em trovões.

Kira gira a espada e expande sua aura de raposa.

Deaton a fuzila com o olhar

Deaton – Você estava no cemitério eu senti.

Kira sorri

E o demônio a encara compreendendo.

Deaton – O MALDITO QUIMERA!

Ele gargalha.

Deaton assobia uma canção macabra rodeando Kira e sorrindo convencido. Ele para de frente para ela.

Deaton – Qual deve ser o sabor da alma de uma kitsune, uma raposa do trovão. Deve ser delicioso...

Diz de forma insana

Kira estava apavorada, vendo o mesmo druida que sempre os ajudou possuído por um demônio.

Se Théo não tivesse desconfiado e feito esse plano, nos obrigando a saber de última hora, ao ler as cartas que ele escreveu para cada grupo. E em especial para mim.

Quem sabe o que teria acontecido!

Claro que eu tive que volta para o loft correndo mas e se não tivesse o que teria acontecido?

Ela fecha os olhos e os abre recuperando o foco.

Vendo Willow caído ferido e Lydia desmaiada.


Ela ataca o demônio que sorria divertido desviando com facilidade de seus ataques.

Kira tenta corta seu estômago mas ele desvia pulando para trás.

Por instinto ela ergue a katana e corta o ar mas sente uma densidade.

O demônio também podia criar vértices.

Ela gira a katana mais atenta do que nunca. Com Willow e Lydia tão próximos, ela estava em total desvantagem. Ela respira se concentrando.

Tendo completa noção que precisava saber a distância que os vertices alcançavam  e quantos eram.

Deaton – Não importa quantos vértices eu tenha ou quantos metros eles possam atingir. Saber disso não vai salvar sua alma de mim...

Ele corre em direção a Kira.

E ele gira e estoca contra ele.Ele desvia pulando para o lado.

Kira se joga para trás e rola desviando de um ataque dos vértices que deixam buracos e marcas de mãos nas paredes.

O demônio surge a sua frente veloz e a chuta lhe tirando o ar e por reflexo ela coloca a katana na frente.

Se protegendo de lascas de vidro que levitavam e eram jogadas em sua direção.

Causando vários arranhões em seu rosto e braços.

Ela tenta se levantar mas ele a chuta a fazendo perder a Katana e a puxa pelo pescoço a levantando.

Deaton – Esse é o melhor das Kitsunes, que vergonha.

Ele a solta e a soca a fazendo acerta a parede porém uma força a mantém no ar.

Deaton – Pensei que iria proteger seus amigos mas não passa de uma garota tola.

Ela abre os olhos sentindo os vértices passearem por sua pele.

Ela se encolhe divertindo ainda mais o demônio.

Deaton – Qual deve ser seu sabor garotinha?!

Diz divertido.

Kira – Deaton eu sei que está aí? Para com isso! Você não é assim!

O vértice passa por seu corpo e não importa o quanto de debatesse e não parava

Demônio – Deaton não está no momento querida, vai ter que se contentar comigo para fuder sua vida ou todo o resto quem sabe.

O demônio faz um gesto e a katana boa para suas mãos ele sorri disvertido voltando a assobiar.

Demônio – Sabe eu prefiro um bisturi mas até que uma Katana serve, é melhor para cortar mais carne.

Volta a assobiar admirando a Katana.

Kira – Você é bom Deaton! Você é um druida! Você é nosso druida! Nosso amigo! Não faz isso!

O demônio põem a cabeça de lado

Deaton – Sabe o problema de quem se acha herói. Vocês falam de mais.

Ele enfia a ponta da Katana na barriga de Kira a fazendo gritar.

Deaton – Calma garotinha so foi a pontinha...seu namorado não te ensinou como se faz?! Respira, relaxa que entra tudo!

Ele gargalha e gira a ponta dentro de Kira a fazendo se contorcer.

Ele tira a ponta da lâmina e lambe.

Demônio – Delecioso.

Kira soava e chorava

Kira – Para Deaton....

O demônio sorri ainda mais.

Demônio – Não há mas druidas enxeridos aqui.

Os vértices se aproximaram da mão de Kira e quebraram um dedo da mão direita a fazendo gritar.

Demônio – Ora! Só comecei.

Ele faz uma cadeira levitar e a coloca no chão e a faz se sentar.

Os 3 vértices dos demônio começaram a arrancar as unhas das mãos de Kira.

Ela soluçava e tremia enquanto ele gargalhava divertido. Ele ergue a katana e começa a enfia-la em suas coxas, braços, ombros, barriga, costas e onde causasse mais dor.

Ela estava soada e encharcada de sangue, as feridas não fechavam ela não entendia. Ela só queria que aquilo parasse.


Willow desperta ouvindo os gritos de Kira e se arrasta se aproximando de Lydia. Ele consegue acorda-la e os dois se levantam chocados com Deaton torturando Kira.

Willow estava travado e com medo. O cheiro de sangue e suor, dor e medo impregnavam no ar.

Lydia o toca ainda zonza com um corte e um galo na cabeça

Willow – O que podemos fazer contra isso?

Lydia sorri

Lydia – Seguimos nossos instintos.

Ela sai de trás da parede

E quando ele está mais afastado de Kira ela grita fazendo o demônio se jogado para longe.

Willow corre tirando Kira da cadeira

Lydia grita outra vez para afastar o demônio mas ele resiste e um dos vértices a pega pelo pescoço a sufocando

Willow arrasta Kira mas se assusta ao olhar Lydia sendo sufocada.

Ele respira fundo e deixa seus instintos lhe guiarem encostando Kira na parede.

Ele ergue as mãos e nada.

Ele bufa e vê a faca ritualística presa no chão ele corre até ela mas uma força o prensa na parede.

Demônio – Crianças vocês teriam sua vez e será muito especial. Mas primeiro tenho que cuidar da amiguinha de vocês.

Diz se aproximando de Kira e a puxando pelos cabelos.

Willow se desespera vendo Lydia cada vez mais vermelha e Kira sendo arrastada

Uma raiva...a mesma raiva durante a manhã retorna, a mesma sensação.

Willow ergue a mão em direção a faca ritualística torcendo para funcionar. A faca treme e ele sorri e a faca cravada se liberta do chão

Mesmo impressão na parede por uma mão invisível, Willow ergue os dedos e aponta o máximo possível para Deaton. Afinal ele não morreria em um lugar como esse principalmente para um maldito demônio.

Ele concentrou toda a energia que pode reunir fazendo a faca disparar como uma bala.

O demônio se vira surpreso e se defende com o Vértice. A faca gira no ar e antes que seu vértice pudesse segura-la a faca acerta a vértice que segurava Lydia a congelando e quebrando.

Lydia cai de joelho tossindo em busca de ar.

Demônio – Maldito órfão!

Com um aceno Willow e jogado no chão de joelhos

Willow toca o vértice que o segurava e o congela o despedaçando.

O demônio irado ataca com os outros vértices.

Por instinto Willow ergue as mãos e dispara cristais minúsculos de gelo. Mas tão rápidos que cortavam tudo na sua frente. Destruindo e congelando os vértices.

Willow sem saber drenava todo o calor do ambiente mais seu poder ia além enfraquecendo as habilidades psíquicas do demônio o deixando mais lento e com mais dificuldade em se concentrar. Porém o mesmo estava to distraído que não notou.

Willow não era penas descendente de uma bruxa das trevas ele também era um Psyvamp, um vampiro psíquico que se alimenta de energia vital mesmo sem treinamento ou conhecimento ele era naturalmente um pregador.

O demônio bufa tentando usar Kira com escudo mais Lydia é mais rápida e grita o jogando longe outra vez o fazendo soltar Kira.

Lydia suspira ajoelhada e sem fôlego.

Lydia – Congela ...ele...

Willow ergue as mãos e rajadas de cristais acertam o demônio. Rasgando sua pele ele começa a andar resistindo ao ataque

Willow suspira fechando os olhos e os abre liberando uma rajada ainda mais intensa.

Uma geada mortal acerta o demônio o prendendo a parede. Ele luta para sair.

Mais Willow ergue a mão direita empurrando e a energia era tão intensa e mesmo sendo mais fraca que a do demônio se tornava translúcida ondulado no ar.

Ele empurra com mais força e uma energia telecinetica esmaga o demônio na parede causando rachaduras e o afundando na parede.

Da mão esquerda a geada se torna uma rajada de energia gélida e lascas de gelo se cravando em seu rosto e peito.

Willow cai ofegante sem perceber que havia tornado todo o ar a sua volta gélido.

Ele ergue as mãos em frente ao corpo como uma prece seus olhos se tornam cinzentos quase brancos.

Lascas de gelo e pedaço de gelo quebrado se formam no ar levitando a sua volta. Como vidros quebrados

Lydia vendo o demônio se mexer tentando sair de dentro da parede sabendo que precisava tomar uma atitude mesmo que arriscasse sua vida.

Ela se levanta respirando fundo e usando todas as suas forças solta um grito estridente, um berro de ódio e raiva que como um canhão acerta o demônio destruindo as paredes e o teto de vidro do loft de Derek.

Ela cai de joelhos sem fôlego esperando o som dos vidros caindo sobre eles. Mas os vidros levitavam ao redor de Willow.

Willow coloca as mãos para baixo e todos os vidros de viram em direção ao demônio.

O demônio sai do buraco na parede gargalhando.

Demônio – Garotinho acha que isso vai me parar?

Os olhos de Willow brilham.

Willow – Eu sei que não. Mas vai doer muito!

Willow ergue as palmas em direcao ao demônio e todos os vidros e cristais de gelo  que flutuavam disparam cortaram o ar acertando o corpo do demônio sem misericórdia.

O demônio ofega e cambaleia ainda sorrindo.

Demônio – Que crueldade garoto...

Lydia se levanta fraca vendo Willow ensanguentado. Sangue escorria dos seus olhos nariz e boca.

Lydia – Willow! Pará!

Willow abre e fecha a mão soltando um floco de neve que voa pela sala sem ninguém perceber e cai no corpo de Kira.

Willow cai no chão fraco e sem enxergar direto.

O demônio sorri divertido criando dois vértices que vão em direção aos dois jovens estúpidos.

Demônio – Tolos!

Por reflexo o demônio pula para trás desviando de um gancho


Kira o encarava com irá. Mas não era Kira. Aquela era a Kitsune, dos trovões. E ela queria vingança.

Demônio – Patético! Quer brincar mais um pouco garotinha?!

A Kitsune acena para a katana presa ao chão, pequenos relâmpagos unem a mão da raposa a katana. A katana se desprende do chão e levita para suas mãos

De suas mãos escorria sangue de todos os ferimentos e das unhas arrancadas.

Seus olhos brilharam em castanho vivo e a aura da raposa brilhava descontrolada a sua volta.

O demônio sorri tenso

Demônio – Pode vim Kitsune!

A raposa corre enfurecida o demônio ergue as mãos e o piso rachado e quebrado do loft, levita e vai em direção a Raposa. Que com a habilidade pula e gira no ar e gira a katana em um corte vertical.

O demônio consegue segurar a espada com a palma das mãos.

A Kitsune grita e sua aura expande.

Demônio – Você não passa de um inseto! Eu sou Um deus! E você serve a mim besta inferior!

Os olhos da Raposa brilham ainda mais intensos e a disputa do mais forte continua.

Chamas negras saem das mãos do demônio e relâmpagos das mãos da raposa.

A raposa chuta a perna do demônio e enfia a lâmina no ombro do demônio que grita.

Ela puxa a espada cortando as palmas das mãos do demônio. E gira cortando seu peito e em um giro rápido chuta seu rosto.

O demônio cambaleia recuando e a raposa avança mirando sem piedade o demônio.

Eles lutavam trocando golpes com habilidade mas era diferente dessa vez o demônio sofria para desviar dos ataques implacáveis da Kitsune.

O demônio soca o rosto da raposa a fazendo cambalear para trás mas com habilidade ela se apoia na perna direita e gira o corpo cortando o estômago do demônio que grita pulando para trás evitando um corte fatal.

A raposa gira a katana atacando sem piedade enquanto o demônio desvia, para não ter um de seus membros amputados.

A Kitsune ataca de cima para baixo mas o demônio pula para o lado e acerta um soco nas costelas causando uma queimadura. Ela grita

E gira enfiando suas unhas no rosto do demônio que pula para trás para poupar seu olho.

Ela gira tentando corta seu pescoço mas ele joga seu corpo para trás e se desequilibra

A raposa desliza no chão chutando sua perna o desequilibrando

Ela ergue a espada para cravar em seu estômago mas ele a chuta para trás.

Ela recua enfiando as garras em suas pernas rasgando do joelho aos pés o fazendo gritar.

Com o braço livre ela abraça a perna e enfia a Katana na altura do calcanhar. O fazendo berra.

Ela se levanta e chuta seu rosto.

O fazendo cospir um dente.

Demônio – Está gostando não está raposa! Eu sei que gosta! Afinal é tão demônio como eu! Isso é você Kira! Isso é o que a dentro de você!

Ele gargalha cuspindo sangue.

A raposa puxa a katana e enfia na coxa perfurando profundamente.



Lydia mesmo fraca havia afastado Willow do combate selvagem. O levando até o lado de fora do loft.

Ela respira fundo e olha dentro do loft a batalha estava no fim e Kira havia dominado o demônio mas agora era ela que o estava torturando. Enfiando sua Katana no estômago.

Lydia – Kira ! Acabou chega!

Porém quando Kira olhou para ela, a compreensão a atinge era a Kitsune.

Lydia se afastando sabendo que não havia o que fazer

E logo passos são ouvidos.


A kitsune está pronta para corta a cabeça do demônio.

Isso tinha que acabar! E iria acabar agora.

Porém vocês e gritos fazem a raposa olhar para trás

Scott – Kira! Por favor é o Deaton! Acabou! Você não é a Raposa! Você é mais forte! Doce e boa. Essa é você.

Melissa examinava Willow e Lydia, tensa vendo Kira transtornada coberta de sangue. E descontrolada

Argent segurava sua pistola mirando o demônio aos pés da Kitsune.

Já o Xerife não sabia em quem mira após por Scott escorado na parede.

Scott se aproxima devagar se arrastando fraco.

Scott – Ele também precisa de ajuda Kira. Lembra....

Os olhos de Kira vão voltando ao normal.

E em um segundo o demônio toca a coxa de Kira a queimando e a puxando pronto para rasgar seu pescoço.

Porém Argent atira em seu pescoço o jogando para tras.

O demônio gira e pula pela janela. Fugindo dos disparos do xerife e do caçador.

Xerife – Mas que merda foi isso! Os olhos dele...estavam vermelhos.

Scott caminha rápido e cai próximo a Kira a puxando para ele.

E suspira ao notar que ela está viva.

Scott – Você vai ficar bem! *Diz passando a mão por seus cabelos* ouviu...minha mãe vai cuidar de você.

Diz a segurando em seus braços olhando para ela

Enquanto o caçador e o xerife olhavam o que restou do loft. E vão até a sacada olhar para baixo mas não havia corpo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado
Da pequena maratona

By
Lu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...