História Coração Masoquista - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Hoseok, Yoongi
Visualizações 52
Palavras 2.671
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus amores!

Espero que você gostem bastante desse capítulo!
Coração masoquista está entrando na reta final!

Correção: @Smaxyjjk

Capítulo 14 - XIV


Fanfic / Fanfiction Coração Masoquista - Capítulo 14 - XIV

4 meses de gestação

Eu já estava 4 meses de gestação, e até agora não havia descoberto o sexo do meu bebê. Eu estava super ansiosa. Meus hormônios estão à flor da pele. Qualquer palavrinha já me deixa completamente irritada ou triste, ou tudo ao contrário.

Minha relação com os meus pais estava completamente diferente, eu estava passando mais tempo com eles, e é lógico que eles estavam sendo completamente cuidadosos, e estavam me mimando muito. Eles perguntavam como que estava a minha convivência e relação com o Hoseok, a qual não estava nada agradável, e nem mesmo confortável, eu só quero ir embora daquele lugar. Em falar nisso, eu já havia começado a pesquisar alguns apartamentos, já havia pedido ajuda ao Yoongi, e ele já estava me ajudando.

Termino de por o short, e vou até a minha penteadeira me maquiar, logo depois termino e espirro um pouco de perfume em meu pescoço, e volto para frente do espelho novamente vendo como eu estava.

Logo saio do quarto e vou descendo pelo o corredor extenso de casa, e logo desço a escada, e vou caminhando pela a sala indo em direção a porta de entrada, mas sinto uma mão completamente fria, que me puxa pelo o braço e me virando para ficar de frente para ele.

— Onde você vai? — Hoseok me pergunta com a expressão neutra.

Se eu estava em choque? Não, imagina, é só um pouco provável que eu estava até tremendo, pois eu não estava acreditando em tal acho que Hoseok estava tendo comigo. Isso era para me abalar? Porque se for, está bem nítido que ele já conseguiu até demais. Hoseok não podia estar bem da cabeça, certeza.

— Sim... — Digo olhando nos seus olhos enquanto tento me soltar. — Me solta! — Digo calma.

Fito aqueles olhos escuros, os quais me levavam a completa perdição, e logo desvio o meu olhar para um ponto a sua trás. Eu ainda me sentia afetada sobre a sua presença, pois ainda não havia o superado completamente, mas pelo menos, eu não morro de amores e faço todos os seus caprichos, como antigamente.

— Você vai para o ultrassom? — Ele pergunta meio desconcertado e afirmo. — Posso ir com você? — Ele sorri minimamente e logo solta o meu braço.

É, agora realmente as coisas estavam completamente estranhas, porque nesses 4 meses, Hoseok nunca quis ir comigo para o ultrassom, e isto de certa forma aqueceu meu coração, pois eu tanto não esperava por tal pedido. Suspiro fundo e sorrio minimamente, e sinto meus olhos lacrimejando, mas logo limpo.

— Claro. — Sorrio. — Isso seria uma boa, principalmente hoje, estou indo descobrir o sexo do meu bebê. — olho para minha barriga saliente e passo a mão por cima.

Sorrio e logo sou puxada para fora de casa. Entro dentro do carro após ele desativar o alarme, e vamos a caminho da clínica. O caminho silencioso nenhum de nós dois tivemos coragem para falar alguma coisa.

Assim que chegamos na clínica, vou até a recepção e logo informo sobre a minha consulta com o obstetra, e ela me informa que era para ficar esperando na sala de espera. Após me sentar em uma das cadeiras, a recepcionista logo vem a minha direção.

— Você prefere chocolate branco ou preto?

— Preto.

Ela pede licença e logo vai buscar, o chocolate. Escuto um pingarro, e logo olho para Hoseok o qual estava completamente confuso, e solto um riso após entender do que se tratava.

— O chocolate é pra que o bebê fique agitado, e com isso vai facilitar com que o obstetra descubra qual é o sexo do bebê. — Sorrio.

Logo o meu chocolate quente chega, e sorrio para a recepcionista logo agradecendo, mas uma coisa que estava me deixando logo confusa, é entender o porque Hoseok estava ali, pois já que o mesmo não acredita que esses bebê seja dele.

— Senhora Jung Anny.

Logo levanto, e termino de tomar o meu chocolate quente e a recepcionista vai até mim pegar a caneca. Sigo o obstetra até a sua sala, acompanhada por Hoseok. Adentro o escritório, que havia cores neutras, e logo me sento em uma cadeira a frente do obstetra e Hoseok vai o mesmo.

— Então Senhora Jung, tem sentido alguma coisa?

— Não, graças a Deus!

— Tem se alimentado de acordo com a dieta que o nutricionista havia lhe passado?

— Sim, estou me alimentando de acordo com a dieta que o nutricionista havia me passado.

Sorrio, e passo a minhas mãos no short limpando os resíduos de suor, e continuamos com as perguntas de rotinas das consultas. Eu me sentia nervosa mais ainda pois a hora de saber qual é o sexo do meu bebê já estava chegando.

— Então, vamos fazer o ultrassom, para sabermos qual é o sexo do seu filho? — Ele pergunta

— Sim... vamos...

Me deito na cama, e suspiro pela a décima vez, e o médico espalha o gel na minha barriga, e olho para Hoseok, o qual estava focado a cada passo do doutor. Ele logo começa a passar o transdutor, espalhando o gel pela a minha barriga. Suspiro pesadamente olhando para a tela a qual estava mostrando a imagem do meu bebê. Eu já sentia meus olhos lacrimejando de puro nervosismo e ansiedade.

— Papai e mamãe, vocês vai ter uma menininha! — O obstetra diz sorrindo.

Eu sinto meus olhos lacrimejando e sorrio. Olho para Hoseok, e o mesmo estava completamente estático, e apavorado, pois seus olhos estavam arregalados. Logo depois o obstetra passa um pedaço de papel higiênico, para tirar os resíduos de gel, e sorrio.

— Vou deixar vocês a sós!

Depois disso, ele sai, deixando só eu e o Hoseok na sala. O mesmo desvia o olhar para mim, e sorrio e vai se aproximando de mim, e pega as minhas mãos, e beija o dorso delas. Tal ato me deixou completamente surpresa e estática, pois não esperava tal ato, como sempre ele estava me surpreendendo por tais atos tão inesperados. Isso poderia significar algo bom, mas ao mesmo tempo, algo ruim.

— Vamos ter uma princesa, amor! — Ele diz em lágrimas.

Espera...

Jung Hoseok estava chorando? Como assim? Isso é algum tipo de brincadeira? Porque se for, espero que nunca acabe.

Eu não me importo que Hoseok não goste de mim, digo, eu não importo agora, mas eu espero que ele se importe com a filha dele como ele está fazendo agora! Ele poderia me maltratar, mas eu só não quero que ele maltrata a filha dele, eu só espero isso!

Eu sei que eu estou sendo bastante idiota acreditando nas suas tais palavras? Estou sendo idiota, e trouxa principalmente! Mas eu quero acreditar que ele não irá maltratar a sua filha igual ele fazia comigo, eu só quero isso! Antigamente era só eu, mas agora sou e a minha princesinha, que ainda não nasceu, mas mesmo assim eu irei amar com todas as minhas forças!

— Sim... vamos ter uma princesinha! — Sorrio chorando também.

Eu estou disposta a dar mais uma chance para ele. Mas não é uma chance de que ele vai mudar para ficar comigo e largar sua amante, mas é uma chance para que ele se redimida com sua filha que ainda nem nasceu.

Estou dando uma chance para que ele ame ela como ele nunca amou ninguém!

Estou dando uma chance para que ele se mostra prestativo, e que esteja realmente mudando. Porque vamos combinar, Hoseok não é mais aquele bruto que era antes, ele havia mudado muito! Muito mesmo! Por mais que nós não nos falávamos muito, mas isso já dava para perceber. Não havia mais os gritos e maus tratos dentro daquela casa, não havia mais xingamentos, e nem mesmo discussões desnecessárias. Mas mesmo com tudo aquilo, eu não posso falar que está só em rosas, porque não está. Eu me sinto muito desconfortável naquela casa, mas permaneço lá, pois não tenho nenhum lugar para ir!

(...)

7 meses depois

7 meses de puro amor e paixão. Eu estou apaixonadíssima na minha barriga. Ela está bastante pesada, e as minhas consultas com o obstetra, estava sendo quinzenais, até porque, a minha bebê, está completamente saudável.

Os problemas que eu tinha no início da gravidez, não interferiram em nada. Seguia dieta tudo direitinho. Minha bebê estava completamente saudável. Agora que eu já estou no terceiro trimestre de gravidez. Minha última consulta no obstetra, a minha pequenina estava pesando 1,700 kg, e descobri que ela tem tamanho de repolho, dar para acreditar nisso? Não posso negar que eu chorei demais na última ultrassom, até porque eu estou completamente sensível.

Agora que o crescimento dela será mais lento, eu tenho que ganhar mais peso. O obstetra me informou que isso será mais fácil na hora do parto. Mas também eu não posso exagerar na minha alimentação, porque não é só a minha saúde que está em jogo, e sim da minha bebê. Minhas roupas estão extremamente apertadas, uma coisa que já era de se esperar. Eu deveria ter que fazer compras de roupas, ou melhor eu iria, renovar o meu guarda roupa.

Sobre a minha convivência com o Hoseok, mudou bastante. Ele sempre quando pode ir nas consultas, ele vai sem ao menos se importar, pois dizendo ele, que precisa ver como a sua "princesa" está. Mas mesmo com a minha convivência totalmente boa com a dele, eu precisava sair das costas dele, eu e ele não iríamos dar mais certo novamente, então é melhor eu ir embora.

Eu já tinha onde ficar e com quem iria cuidar de mim e da minha bebê. Hoseok com certeza irá pensar que eu já tenho uma pessoa, o que é extremamente errado. Eu não tenho ninguém. Porém quero ir embora, a questão do meu divórcio com ele estava quase totalmente resolvida. Acho que ele está levando em conta o divórcio. Eu sei que eu e ele não temos mais nenhuma chance, e muito menos eu quero voltar para ele novamente. Eu quero ficar na minha, eu quero ficar em paz com a minha filha. Isso é um dos motivos para eu estar me mudando para o meu cantinho.

Desço as escadas com pura frustração, as minhas costas estavam doendo. Meus pés estavam completamente inchados, e sem falar que a fome predominava. Me sento no sofá e peço para a empregada fazer alguma coisa para me comer.

Pego as almofadas e arrumo elas no braço do sofá, e deito para descansar minhas costas. Olho para a janela que ficava rente ao sofá e vejo aquele que um dia foi um homem completamente amoroso, o qual eu realmente amei, saindo do seu conversível e andando em direção da porta.

Suspiro e paro de olhá-lo. Volto a fitar a televisão desligada em minha frente. Ouço a porta se abrir, e ouço passos virem a minha direção. Fico esperando apreensiva, até o barulho dos passos se cessarem ao meu lado.

Olho para cima e vejo o Hoseok parado em minha frente, com cara de tacho, segurando um envelope. O mesmo suspira, e estende o envelope em minha direção.

Pego o envelope e sorrio fraco. Abro o mesmo e puxo os papéis que estavam em minhas mãos. Estremeço após ler do que se tratava, e ergo o meu olhar para o homem que estava na minha frente.

Sério, isso estava completamente surreal. Eu sinceramente, às vezes, tento entender o que se passa na cabeça de Hoseok. Ele não sabe o que faz da vida. Primeiro fala que não vai assinar papel nenhum, e depois de um tempo, assina. Não estou reclamando e nem nada, mas isso está completamente estranho. Eu quero me separar dele, mas às vezes a dúvida bate. Porque, sinceramente, eu não sei se é a coisa certa a se fazer. Mas isso é completamente coisa da minha cabeça. Isso é definitivamente a coisa certa a se fazer.

— Então... Eu assinei o divórcio, porque eu sei que não tem mais jeito pra nós dois. — Ele suspira. Eu continuo tentando entender tudo aquilo. — Tenho muita coisa à te agradecer e à te pedir perdão. Sei que eu fui um filho da puta completo contigo, e que essa não era a visão que você tinha de mim antes. — Ele sorri fraco. — Mas eu espero intensamente de todo o meu coração, que você seja completamente feliz, e que ache alguém que te ame de verdade. Que possa te fazer aquilo que eu não tive a coragem, que eu fui completamente tolo e covarde para deixar isso para trás. Me perdoa por ter te agredido e te tocado quando na realidade, você não queria nem olhar para a minha cara.

Eu estava completamente em êxtase, eu sei que isso não era algo de se acontecer. Mas ver ele com aquela simples cara de tacho, com o envelope na mão, e depois ver como a expressão facial dele mudou depois que ele começou a me pedir perdão, e falar tudo aquilo que ele realmente sente, partiu o meu coração.

Sim, eu sou tola, e isso não é novidade. Normalmente se eu não estivesse com os hormônios à flor da pele, eu iria desejar tudo o que é de ruim para ele. Mas isso não é algo que eu realmente queira.

Acho que a gravidez me fez perceber e ver como Hoseok é exatamente.

Me fez perceber que tudo o que eu estava desejando para ele de ruim, estava voltando para mim.

Me fez perceber que eu não tenho que sentir nojo de alguém que realmente não goste de mim e que só entrou em um matrimônio comigo por causa do dinheiro que eu tenho.

Me fez perceber que talvez, só talvez... Que uma boa parte do que eu vive com ele, não era só mentira.

E depois de todas essas palavras dele, me fez perceber, que todo nós seres humanos temos falhas. E esta é a falha dele. Isto só mostra o tanto que ele está evoluindo, que ele está querendo realmente ser alguém melhor. Talvez eu esteja me enganando? Sim, mas só talvez.

Saio do meu mundinho de conforto e suspiro pesadamente pensando em algumas palavras para falar pra ele.

— Olha, eu não sei nem o que te dizer... – Sorrio fraco. – Mas... Eu sei que tudo o que você fez, não foi de propósito... você teve um bom motivo para isso... E talvez, só talvez... eu entenda quais são esses motivos. – Me levanto e ergo a minha mão até a face dele. – Eu também espero realmente que você seja feliz com a pessoa que você realmente ama! Eu espero que você se torne uma pessoa melhor... Não só para essa pessoa que você ama, mas sim pela a sua filha. – Sorrio. – Eu realmente espero que você dê toda a assistência para a sua filha.

Essa é a verdade, eu realmente espero que ele continue dando extremamente assistência para a sua filha. Não quero que ele abandone pela a pessoa que ele ama. Isso seria egoísmo da parte dele, e sem falar que ele estaria magoando a sua própria primogênita.

— Pode ter certeza que eu vou dar toda a assistência para ela! Ela é a minha vida, minha princesa que ainda nem nasceu. E é por isso que eu apoio extremamente sua vontade de ir para longe de mim! – Sorri e ele segura as minhas duas mãos. – Você pode ir morar sozinha. Você pode se mudar para a sua casa nova, que eu não vou falar nada. Você tem todos os motivos para mudar de casa e ir morar sozinha.– Leva as minhas mãos até seus lábios e dar beijo em ambas. – Eu confio em você! E sei que você vai tomar conta da nossa princesinha.

Fico emocionada com tais palavras e solto as minhas mãos das suas e o abraço. Eu mal estava acreditando que ele realmente tinha deixado eu ir, e que estava pedindo perdão para mim. Não posso negar que isso tudo me pegou de surpresa... agora é só terminar de arrumar as minhas coisas e as coisas da minha neném, e me mudar para uma nova casa... um novo lar...

Eu espero que tudo ocorre bem!


Notas Finais


Então, o que você acharam dessa mudança repentina de Hoseok?

Anny está quase dando a luz!

Comentem o que vocês acharam!

Tenham uma boa semana! Comem bastante viu. Não quero ninguém doente!

Até o próximo capítulo!

Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...