História Coração no limite - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Bad Boy, Comedia, Destino, Drama, Luta, Moto, Musical, Perfect, Revelaçoes, Romance, Superação
Visualizações 90
Palavras 866
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - O rapaz


Fanfic / Fanfiction Coração no limite - Capítulo 3 - O rapaz

-Pai, você prometeu que ia me deixar dar uma volta-retruco com os braços cruzados. 

Meu pai está arrumando uma moto amarela e me ignora por completo.

 Passei a tarde toda ajudando ele na oficina.Já são quase 21:00.Já eramos para estar em casa, mas meu pai insistiu em arrumar essa moto.Em troca eu faria companhia e ele ia me deixar dar uma volta na pista da arena. 

-Even, me dar um tempo. 

Bufo.

-pai, você prometeu!Você sabe que isso é importante pra mim-cruzo os braços. 

Meu pai para de arrumar a moto e me encara.

-Even walls Belshoff

Quando ele fala meu nome completo é sinal que estar bravo.

-Owen walls-rebato.

Meu pai é um coroa bonito.Mesmo me olhando com a testa franzida tem seu charme.Digamos que o seu tamanho e suas diversas tatuagens pelo corpo amedronta.

 -é um sonho pai e não um dos meus caprichos-Digo calma e segurando as lágrimas.

 Esse é meu sonho.É o que eu quero pra mim.Eu quero correr.Quero ser uma motociclista profissional, mas para o meu pai não passa de um dos meus hobby.

Ele parece pensar por um momento.

 -toma cuidado-joga a chave na minha mão. 

-obrigado, obrigado pai!-Digo mega feliz em ter a chave em minha mão. 

Vou em direção a grande porta de entrada e saída. 

-Even?

 Me viro para o meu pai. 

-não se esqueça de colocar os protetores.

 Sorrio e então saio correndo pela porta.visto a roupa, os protetores, luvas, botas e capacete.

sorrio animada assim que me aproximo da Ninja H2R.Ela pode atingir a velocidade de 400 km/.300 cavalos, é exclusiva para as pistas. Sua versão para as ruas, a H2, tem “apenas” 210.

O meu pai demorou para me deixar pilotar essa belezinha.Hoje em dia ele deixa só de vez em quando.

-Even, não corre muito!-me pai grita de dentro da  oficina.

Assim que subo na moto e a ligo acelero e dou partida.No começo eu maneiro na velocidade, pois preciso pegar o embalo.Esse tipo de moto pode atingir altas velocidade e meu pai me mata se eu fazer um arranhão nela ou cair.Sorrio conforme vou aumentando a velocidade e tudo a minha volta vira borrões.Meu coração se enche com o ronco da moto.

Me sinto feliz e realizada quando estou na pista pilotando.É como se eu me encontrasse todas as vezes que subo em uma moto.Eu consigo imaginar muitos me aplaudindo.

Pisco algumas vezes para ter certeza quando uma moto vermelha preta passa rasgando ao meu lado.O piloto olha para trás por um segundo e então acelera como se estivesse me desafiando.Tudo bem...talvez ele não esteja me desafiando, porém como não levo desaforo pra casa eu vou alcança-lo.

Acelero a moto e passo pelo velocimetro feito um raio.Alcanço o piloto debochado e quando passo por ele faço questão de virar para trás para ele perceber que não vou deixar barato.Então tudo virá uma competição.O piloto tem técnicas e corre como um profissional.Na verdade ele é o profissional.Dar para perceber só pela forma que ele se comporta e pilota a moto na pista.Ele ganha a corrida com facilidade, porém digamos que dei um pouco de trabalho.

Ele para a moto fora da pista e então desce.Acelero e então curiosa para saber quem me fez comer poeira para a moto ao seu lado e então desço.

-Devo confessar que o rapaz corre muito bem-Uma voz rouca com sotaque britânico. 

Rapaz?

Aberto os lábios para não rir, mas acabo falhando e me curvo rindo.

O rapaz parece confuso.

-eu disse algo errado?

-desculpa, não resistir-Rio e então tiro o capacete.

Ele tira o capacete preto com vermelho.

Paro de rir assim que o vejo.Abro a boca impressionada com a beleza do dono da moto. Ele assim que me olha desiste de falar. Se não é um dos caras mais gatos que já vi na vida, é o mais gato. Eu fico imóvel sem reação.Eu não sei o que falar ou como agir.

 Bom, se eu me achava baixa acabei de saber que sou totalmente baixa perto desse cara. Ele tem cabelos pretos como carvão.chego a pensar que ele pinta dos cabelos para ser tão pretos. lindos e intrigantes olhos verdes que em alguns ângulos parece castanho claro.Até seus lábios são lindos.Seu maxilar bem marcado me chama atenção.É alto e forte.Tem músculos definidos. e sua pele é bronzeada como de alguns surfista.A calça do seu uniforme de corrida especial abraça as suas coxas musculosas e no pé   botas preta. Claramente está escrito na sua testa "problema" .Ele é charmoso.

 Ele coça a cabeça e abre um sorriso encantador que combina com os olhos sedutores e com as covinhas.

 -você é uma garota. 

Eu automaticamente abro um sorriso bobo quando o vejo sorrir.

-uau, eu sou uma garota.

Nos dois sorrimos feito dois idiotas.Eu não sei, mas o meu coração dar mortais em meus peito.Sinto as minhas pernas bambas e uma leve falta de ar.

 -Even-a voz do meu pai me arrasta de volta para realidade.

 Me viro e então vejo o meu pai parado com uma das mãos no bolso e a outra segurando a chave.

 -hora de ir para casa 

Olho para o rapaz que ainda mantém um sorriso encantador só que agora olha para o meu pai.

Coloco o capacete de volto e subo na moto.

-tchau Even-ele pisca.

Ligo a moto e acelero voltando para a oficina.

Quem é esse rapaz?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...