1. Spirit Fanfics >
  2. Coração Pilantra (Jeon Jungkook - BTS) >
  3. Eu, você e um gatinho

História Coração Pilantra (Jeon Jungkook - BTS) - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Oioi boiolas

Atualizei, gostaram?😳

Capítulo fresquinho para começar o mês, aproveitem que eu estou animada para escrever ultimamente.

Boa leitura💜

Capítulo 14 - Eu, você e um gatinho


Fanfic / Fanfiction Coração Pilantra (Jeon Jungkook - BTS) - Capítulo 14 - Eu, você e um gatinho

Jungkook ainda ficou parado por alguns segundos olhando a garota em sua frente, não esperava que ela tomasse alguma atitude depois daquela semana inteira em que ficaram tão distantes, tanto fisicamente quanto emocionalmente. O coreano se virou para o balcão, na direção da porta pela qual Mina passou antes para os deixar a sós.

— Mina, eu posso ir com a moto hoje? Trago de volta amanhã. — Perguntou alto já que a japonesa estava distante.

— Claro, pode sim. — Ela confirmou de volta, gritando de longe. — Tchau Luna. — Gritou se despedimento e Luna fez o mesmo.

Jeon tirou do bolso uma maquininha de cartão, deixou em cima do balcão e deu as costas para Luna voltando em direção a porta. A loira se sentiu quebrada ao ver o garoto lhe ignorando daquele forma, quando ele nunca tinha o feito. Ficou parada, olhando ele se distanciar de si, ele deve estar mais magoado do que imaginava.

Ao invés de ir até a porta de saída Jungkook virou para a esquerda onde Cooper percebeu ter um armário, ele tirou sua mochila de dentro e colocou nas costas. Luna o observava, desejando voltar ao sábado passado para concertar tudo, desejando nunca ter o magoado como o fez. O garoto abriu a porta e então olhou para trás, vendo a garota lhe observar com os olhos tristes.

— Você não vêm? — Perguntou desviando o olhar. Um centelho de esperança se ascendeu de novo no peito da loira, que andou o mais rápido que pôde até a porta, até Jungkook. Ela o seguiu até onde a moto estava estacionada, esperando ele achar a chave no bolso da jaqueta. Prontos para subir na moto ele bateu na própria testa como repreensão e entregou o capacete que segurava para Luna. — Vou pegar o reserva. — Avisou voltando para dentro do restaurante. Sem demora ele saiu com mais um capacete em mãos, subiu na moto e fez sinal para a garota subir também.

— A... mochila. — Ela disse, ainda envergonhada ao lado dele. — Eu vou ter que levar, porque se não, não tem como eu sentar. — Luna avisou. Jungkook se tocou e tirou sua mochila das costas vendo que iria atrapalhar e entregou a garota. Luna colocou em suas costas e subiu na moto, Jeon ligou o motor e a loira procurou lugar para se apoiar atrás, mas era onde ficava a caixa do delivery. Sem opções envolveu a cintura do garoto com seus braços, nervosa por um simples toque. Mas não é como se fosse ruim poder abraça-lo depois de dias, mesmo que seja indiretamente.

— Você quer ir para onde? — Ele perguntou antes de dar partida.

— Alguma cafeteria. — Luna sugeriu, nada melhor que café nesse frio.

Jungkook aquiesceu e encaixou melhor seu capacete, acelerando a moto em seguida. A loira não sabia que Jeon dirigia, mas achou esse fato bem interessante, ainda mais o fato dele ficar extremamente atraente conduzindo o automóvel. Cooper tentava não apertar tanto a cintura alheia para não causar desconforto, queria que o coreano ficasse totalmente a vontade consigo.

Ela percebeu que o garoto se afastou um pouco do bairro, mas o caminho foi curto já que estavam de moto. Ambos desceram do veículo, Luna se pegou hipnotizada pela cena do moreno tirando o capacete e tentando arrumar o cabelo, o que só deixou mais bagunçado ainda e mesmo assim lindo. Pega o olhando ela desviou o olhar e seguiu para dentro da cafeteria com Jungkook ao seu lado.

Ele escolheu bem, sabia que precisavam de um pouco de privacidade e essa cafeteria era bem espaçosa, com os poucos clientes bem espalhados pelo local. Escolheram a mesa mais afastada e deixaram os capacetes de lado, assim como a mochila do garoto foi deixada por Luna na cadeira ao seu lado.

— O que vai pedir. — Ele questionou sem a olhar, pegando o pequeno menu de cafés, doces e salgados em cima da mesa.

— Ah, eu não quero nada... pode pegar algo para você. — A loira coçou a nuca sem graça, esqueceu do fato de que estava sem dinheiro nenhum. Ideia idiota de ir a uma cafeteria sem grana. Jeon assentiu, analisou bem as opções e chamou um garçom.

— Me vê um capuccino e um pedaço de torta de amora. — Pediu esperando o garoto anotar tudo no bloquinho em suas mãos.

— Algo mais? — Questionou.

— Um americano e uma pedaço de torta de chocolate, a cor kinder em cima. — Pediu fazendo Luna o olhar surpresa.

— Jungkook, não...

— É só isso, obrigado. — Jeon a cortou, sorriu para o garçom e ele se foi.

— Jungkook, não precisava comprar nada para mim. — Ela o repreendeu.

Ele deu de ombros, como quem diz que não foi nada. Jungkook se sentia rendido na frente da garota, mesmo depois de ser rejeitado não conseguiria agir como um idiota e a ignorar totalmente. O silêncio que se iniciou depois disso durou alguns minutos, Luna não sabia como começar e Jungkook sabia que não deveria dizer nada até ela o fazer. Os pedidos chegaram cortando um pouco do clima tenso, fazendo assim ambos se concentrarem em comer.

Cooper comeu pela primeira vez na semana com gosto, além de ser uma torta com seu chocolate preferido estava prestes a se retratar com Jungkook, assim esperava. Só de olhar para o rosto do garoto vê que ele está magoado, mas ele é uma pessoa tão boa que a deu a chance de se explicar e está ali, esperando paciente por ela. Depois de comerem e tomarem seus cafés, Luna viu que precisava quebrar o silêncio e começar sua explicação.

— Eu posso sentar ao seu lado? — A garota perguntou, queria ficar mais perto. Jungkook assentiu e então Cooper sentou do lado do garoto. — Sabe, eu resolvi te procurar só hoje de última hora, então eu não tenho planejado o que preciso dizer. — Sorriu coçando a nuca sem jeito. — Enfim, acho que preciso começar te explicando que eu neguei seu pedido por um motivo maior. — Disse suspirando, pronta para expor suas razões.

O coreano olhava fixamente para a mesa a sua frente, mas totalmente atento ao que a garota falava. Queria saber porque ela lhe deu tanta esperança e depois as tirou, precisava entender seus motivos para talvez poder fazer a dor da rejeição diminuir.

— O meu motivo principal foi minha mãe, eu nunca falei sobre isso com você mas ela é totalmente contra relacionamentos, ainda mais agora que estou focada nos estudos para entrar em uma boa faculdade. Ela desenvolveu essa antipatia a namoros depois que meu pai nos deixou como um covarde para ir viver com outra mulher, e é por isso que eu neguei oficializar com você, eu não queria a decepcionar depois de toda dor que ela passou por conta do meu pai. — Jeon a ouvia atentamente, enquanto ela achava palavras para continuar explicando. — Meu segundo motivo é que... antes de você chegar eu era alguém que não via graça nenhuma em ter relacionamentos. Eu sempre me vi como uma pessoa que só se preocupa comigo mesma, achei que nunca poderia lidar com isso e que não seria uma boa namorada.

Jungkook finalmente a olhou nos olhos, e acenou com a cabeça a encorajando a continuar, queria ouvir tudo.

— Mas, a Vittoria me aconselhou muito e eu também pensei bastante sobre isso e... de qualquer forma alguém iria se magoar nessa história. Eu passei todos esses dias pensando e repensando, tentando arrumar uma solução. E no final não a encontrei, mas decidi que eu quero fazer o que acho certo e o que vai me deixar feliz. — Cooper levou sua mão até o rosto macio do garoto, pousou na bochecha corada pelo frio e então não desviou os olhos daquelas orbes negras e brilhantes que Jeon carregava. — Pode ter parecido que eu só brinquei com você, ou que eu só me aproveitei da situação, mas Jungkook... eu amei cada segundo que passamos juntos, eu amei cada vez que eu te abracei ou beijei você. — Confessou, sentindo os olhos ardendo com vontade de deixar as lágrimas caírem ali mesmo. — Eu não te falei sobr isso antes mas, eu gosto de verdade de você. Você conseguiu, me fez se apaixonar por você, eu não consigo passar mais nem um dia sem sentir saudades de estar ao seu lado, Jungkook. — Inevitavelmente uma lágrima solitária escorreu por sua bochecha.

Não ligou se tivesse alguém olhando, não se importava em estar tão vulnerável como nunca esteve antes. Só queria que o garoto lhe perdoasse e dissesse que ainda a queria. Cooper continuou segurando o rosto do coreano, que a olhava com os olhinhos surpresos.

— Luna... — Sussurrou o nome solto, sem conseguir dizer mais nada.

— Eu posso te pedir algo? — Ela questionou.

— Pode. — Ele confirmou sem pensar duas vezes.

— Me leva até sua casa.

— Minha casa? — Arregalou os olhos surpreso pelo pedido inesperado.

— Eu quero falar com os seus pais, eu posso? — Perguntou nervosa achando que foi invasiva demais.

— Não, tudo bem. Podemos ir. — Ele confirmou e se levantou da mesa. — Eu vou pagar a conta me espera lá fora. — Avisou indo afobado até o caixa. Luna pegou os dois capacetes e sua mochila, levando até a saída para o esperar.

Minutos depois ele saiu e os dois subiram na moto, Luna dessa vez não poupou força ao abraçar a cintura do moreno. Pouco tempo depois já estavam em frente a casa dele, Jeon estacionou a moto no quintal, ao lado do carro e então os dois desceram. Luna o seguiu até a porta, ele a abriu e fez sinal para ela entrar também. Ela deixou o capacete e a mochila de Jungkook onde ele indicou, e foi até a sala junto dele. Observou tudo em volta, já tinha ido uma vez ali para fazer um trabalho, achava a casa linda.

— Mãe! Pai! — Ele gritou por eles.

— Estamos indo, filho! — Uma voz masculina gritou de volta. Pouco depois ela viu o homem e a mulher descendo as escadas, estava bem arrumados, pareciam prontos para sair. Quando os dois perceberam Luna ali se surpreenderam, não esperavam uma garota em sua casa, ainda mais sem aviso prévio.

— Oi senhor e senhora Jeon. — Cooper os saudou primeiro, envergonhada. — Eu sou Luna, estudo com o Jungkook. — Explicou nervosa.

— Oh, Luna. — O homem sorriu. — Ouvimos muito sobre você, muito mesmo. — Disse se aproximando. — É um prazer, eu sou Hyun-Sik, essa é a Anne. — A loira apertou as mãos dos dois.

— Venha querida, se sente por favor. — A mãe de Jungkook os guiou até os sofás, onde todos se sentaram, ela e Jeon lado a lado e os pais dele a sua frente. Luna não esperava ser tão bem tratada, sem dúvidas eles já sabem que ela rejeitou o filho deles inúmeras vezes, a última vez uma semana atrás. Mas agradeceu por ser bem recebida, se sentia mais confiante e certa de que Jeon herdou toda sua ótima educação dos seus pais.

— Me desculpem vir aqui essas horas, e sem avisar. Eu pedi para Jungkook me trazer porque precisava pedir algo. — Explicou.

— Não tem problema, se é convidada do meu filho é bem vinda a qualquer momento. — O senhor Jeon disse sorridente. Jungkook se parecia muito com ele, tanto o jeito quanto o físico. — Então nos diga, o que quer pedir? — A questionou.

A loira apertou uma mão contra a outra, nervosa e com vergonha do que iria pedir, nunca imaginou sendo a pessoa que faria isso.

— Eu peço a permissão de vocês para namorar com o Jungkook. — Soltou de uma vez. — Eu sei que o rejeitei e o fiz sofrer, mas eu tive meus motivos e não foi porque eu quis ver ele triste. Eu quero muito estar com ele, mesmo que tenham obstáculos no nosso caminho. — Explicou olhando para o chão, sem coragem de os encarar.

— Por nós é claro que está tudo bem, você parece ser uma ótima garota vindo até aqui só para perguntar isso. Se você teve seus motivos nós entendemos, por mais que tenha sido dolorido para nós ver nosso filho sofrendo, você parece disposta a vê-lo feliz de novo. — Hyun-Sik se pronunciou sorridente, Anne concordou consigo. — Agora acho que tem que resolver isso com Jungkook, porque ele parece estar surpreso com isso. — Disse risonho, Luna olhou para o lado encontrando o menino de olhos arregalados a encarando. O senhor Jeon olhou para seu relógio e se levantou. — Sinto muito não poder ficar para conversarmos mais, temos um jantar e não pode ser cancelado de novo. — A loira se levantou para se despedir. — Tchau Luna, ou melhor, minha nova nora. — O mais velho apertou sua mão e ela riu envergonhada.

— Tchau, espero te ver em breve. Podemos marcar algo aqui em casa. — Anne disse ao se despedir. — Fique a vontade, e não façam nada que eu não faria. — Os olhou ameaçadora, mas riu em seguida.

— Tchau, senhor e senhora Jeon. — Luna sorriu totalmente confortável com eles, eram pessoas ótimas. Ambos saíram e quando a porta se fechou Cooper olhou para Jungkook, que ainda estava desacreditado. — E então... — A garota sorriu tímida, se aproximando.

— V-Você pediu permissão aos... meus pais para namorar comigo? — Perguntou sem acreditar, piscando os olhos ansioso.

— Sim, se você ainda quiser é claro. — Ela confirmou risonha. — Você quer, Jun? Porque eu estou disposta a passar por qualquer coisa por você. — O coreano estava a ponto de desmaiar de felicidade, ela o pediu em namoro e voltou a chama-lo de Jun! O coração do menino queria sair para fora pelas batidas tão fortes contra o peito. — Eu sei que eu não sou a pessoa mais carinhosa do mundo, nem alguém com experiência em relacionamentos, mas quero estar do seu lado para aprender sobre isso, quero poder cuidar de você como tem cuidado de mim por todo esse tempo. — Cooper disse sincera, o olhando com os olhos mais apaixonados que já havia visto. O moreno ainda estava em silêncio, a olhando como se aquilo fosse algum tipo se sonho utópico, e esse silêncio fez Luna pensar que ele não queria aceitar. — Mas tudo bem se você não quiser mais, eu acho que eu já te machuquei muito, você tem o direito de se sentir magoado... — A loira baixou a cabeça e suspirou, os próximos segundos não teve resposta nenhuma, ela voltou a olha-lo e ainda o viu paralisado. — Eu te vejo no colégio então, espero que não fique um clima ruim entre nós. — Luna sorriu triste e se virou caminhando em direção a porta, sentindo seu coração doer pela falta de resposta do Jeon, mas entendeu seu lado já que ele já foi tantas vezes rejeitado por si. Sentiu na pele o que o garoto passou desde o começo.

— Luna, como você é boba. — Os braços alheios lhe envolveram em um abraço pelas costas, a assustando. — Droga, você é muito ingênua. — Jungkook a apertou. — Você acha mesmo que depois de tanto lutar por você eu vou deixar você escapar assim? É claro que eu quero namorar com você. — O coreano encaixou seu rosto no ombro da garota. — Eu entendo os seus motivos Lu, e se você está disposta a ficar comigo mesmo indo contra sua mãe, eu vou estar do seu lado a cada segundo, até ela nos aceitar. — Ele disse sorridente.

— Obrigada, Jun. — A loira se soltou dos seus braços só para o abraçar de frente, se aninhando nos braços do maior como um bebê. — Obrigada por ser tão bom para mim. — Agradeceu de coração. — Me desculpa por todas as vezes que eu te deixei triste, eu não fazia ideia que você iria se tornar a pessoa mais importante para mim. Me perdoa por ter te rejeitado tantas vezes sem te dar uma chance.

— Não me peça desculpa por isso, não era sua obrigação me corresponder por isso você me afastava. Mas estou infinitamente feliz por ser recíproco agora. — Ele beijou a testa da garota e a olhou com carinho. — Valeu a pena insistir no que eu sinto por você.

— Você não existe, JK. — Ela sorriu. — Você é bom demais para esse mundo. — Cooper ficou na ponta dos pés e lhe deu um selinho. — Ai, eu estou muito apaixonada por você, sabia?

— De hoje não passa. — Ele colocou a mão no peito. — Você não cansa de fazer meu coração querer explodir, né? — Perguntou se fingindo de bravo. Feliz por tirar algumas risadas da garota ele a pegou pela mão. — Vem comigo. — Luna só o seguiu, subiram as escadas e ele a levou até seu quarto. A loira observou o cômodo, continuava tudo a mesma coisa desde quanto ela veio fazer o trabalho aqui com ele. — Senta aqui. — Ele a guiou até sua cama, ela fez como pedido e o viu se afastar indo procurar algo nas gavetas do seu guarda-roupa. — Aqui. — Sorriu e tirou da segunda gaveta a caixinha que ele queria lhe dar se presente naquele dia. — É o meu presente, aquele que eu queria te dar.

— Obrigada Jun, eu queria poder ter algo para te dar também. — Ela disse arrependida em não poder fazer o mesmo que ele, mas Jeon só negou com a cabeça querendo dizer que está tudo bem. Luna abriu a caixinha e dentro dela, em cima de uma almofadinha branca estava um colar lindo com um pingente em forma de lua. Com um sorriso enorme nos lábios ela o tirou da caixinha a deixando de lado e então analisou o colar. — É lindo Jun, muito lindo. — Seus olhos brilhavam. Parecia ser feito de ouro e no meio do pingente de lua tinha uma pequena pedrinha rosa cravada.

— Quando eu resolvi te dar um presente queria que tivesse algum significado. O seu nome significa lua e toda vez que eu olho para o céu e vejo ela lembro de você. — Explicou sorridente. — Essa pedrinha no meio é de quartzo rosa, ela também tem um significado, ajuda a manter o equilíbrio e a paz. Esse cristal ajuda a lidar com o seus sentimentos e os sentimentos de outras de pessoas. O quartzo expressa resumidamente o amor, faz com que o portador se torne mais capaz de se abrir com outras pessoas, aceitar mudanças e lidar com as situações da vida. — Cooper prestou a atenção boba em cada detalhe das palavras dele. — Eu li sobre isso e achei legal, por isso pedi para colocar essa pedra em específico quando mandei fazer e decorei o significado para te falar aquela dia. Não deu certo antes, mas pude dizer agora. — Explicou.

— Você não comprou de alguma loja, mas mandou fazer? — Ela perguntou totalmente surpresa.

— Eu queria que fosse único, algo só seu. — Ele respondeu feliz.

— Jungkook, eu nem sei o que te dizer. — A garota sentiu vontade de o abraçar e nunca mais soltar. — Obrigada, essa é a coisa mais linda que eu já ganhei. — Disse sincera. Cooper se levantou e se jogou nos braços dele de novo, agradecendo mais uma vez.

— Posso colocar para você? — Ele questionou, ela assentiu e lhe entregou, com cuidado o coreano colocou em volta do pescoço e fechou o feixe. Ela se virou para si e ele sorriu todo bobo ao vê-la com o seu presente. — Ficou perfeito. — Afirmou tirando um sorriso envergonhado dela.

— Como eu posso te recompensar por isso, Jun? — Ela questionou.

— Hm, não sei. O que você sugere? — Devolveu a pergunta. Luna se aproximou dele e segurou o rosto alheio na palma da mão com carinho.

— Que tal assim. — Ela levou seus lábios até os do garoto, matando a saudade de dias sem toca-lo. As bocas se arrastaram uma contra a outra com calma, transmitindo tudo que sentiam naquele toque. Luna queria explodir de alegria, tinha certeza que havia feito a escolha certa, todas suas inseguranças evaporaram estando nos braços do garoto, sabia que ele era a cura para toda dor que ela sentia.

Jungkook sorria em meio ao beijo, mordia carinhosamente o lábios da garota e fazia um carinho gostoso na cintura dela. Nunca se sentiu tão bem, estar com ela ali agora o fez esquecer da semana horrível que teve longe dela. Jeon sabia que seus sentimentos tomaram uma proporção gigante pela loira, já era mais do que só gostar, porém ainda era cedo para confessar isso, deixaria tudo acontecer devagar e naturalmente. Quando o beijo acabou colaram as testas e ficaram sorrindo um para o outro, mas Luna logo se afastou ouvindo um miado ao seu lado.

— Sirius! — Ela exclamou e foi até o bichano.

— Poxa Sirius, eu aqui no maior clima e você aparece. — Jeon olhou para o gato todo triste.

Cooper o pegou no colo, ele estava mais pesado, os pelos negros brilhando e parecia muito bem cuidado. O bichano lambeu o rosto da garota e se encolheu no colo dela, como se já estivesse acostumado consigo.

— Mas esse gato é muito folgado. — Jeon reclamou. — Já roubou a atenção da minha namorada e agora até o colo. Seu traidor, até lambeu o rosto dela. — O moreno falava com o animal como se ele fosse entender.

— Uh, é legal ouvir você me chamando assim. — A loira riu.

— Você gosta é? Minha namorada! — Ele reforçou olhando para Sirius, tirando risos gostosos da menina. — Mas veja bem Sirius, agora eu não sou mais um pai solteiro, você tem uma mãe viu só. — De uma hora para outra ele voltou a ficar de bem com o gato, que miou o olhando como se entendesse o que ele dizia, mas provavelmente só estava incomodado com Jeon atrapalhando seu momento no colo da garota.

— Nunca pensei em ser mãe tão cedo. — Luna disse risonha.

— Pois se acostume então, você tem responsabilidades com seu filho agora. — Jeon disse cruzando os braços. — Tem que vir visitar sempre, tem que dar carinho e o alimentar. E o mais importante, mimar o pai dele. — Pontuou sério, fazendo a garota gargalhar.

— Pode deixar, vou cumprir com as minhas responsabilidades. — Cooper se aproximou dando um beijo no rosto do coreano, que se derreteu todo.

Enquanto mimava o bichano o celular de Luna começou a tocar, deixou o gato na cama de Jungkook e tirou o aparelho do bolso. O nome de sua mãe estava na tela, esqueceu completamente de tudo enquanto estava na casa do garoto.

— Oi, mãe. — Atendeu.

Oi Luna, onde você está? Fiquei preocupada, você nunca saí, ainda mais no final de semana. — Sua mãe parecia realmente preocupada.

— Desculpa, eu esqueci de avisar. Vim ver a Vittoria, ela brigou com o namorado de novo e vim a ajudar. — Mentiu, colocando a amiga no meio. Vetra que aguente, quis tanto que ela ficasse com Jeon que vai ser usada como desculpa para tudo agora.

Isso que dá ficar de namoro por aí, nunca da certo. — Ela comentou. — Tudo bem então, me avise quando estiver vindo.

— Está bem, tchau mãe. — A garota desligou a chamada desanimada, teria que ir embora.

— Ela brigou? — Jungkook perguntou.

— Não, mas eu tenho que ir logo. — Suspirou e se sentou na cama. — Queria ficar mais um pouquinho. — Fez bico. — Amanhã é domingo, não vamos poder nos ver já que ela não trabalha.

— Podemos ficar conversando por mensagem então, e se ela não estiver por perto eu te ligo, pode ser? — O garoto sentou ao lado dela.

— Tudo bem. — Luna deitou a cabeça no ombro dele. — E segunda nós vamos juntos para o colégio, decidi.

— Seu pedido é uma ordem. — O moreno respondeu encostando sua cabeça com a dela.

Sirius mais uma vez se aninhou no colo da loira, e o silêncio tomou conta do quarto. Dessa vez era confortável, podiam morar nesse silêncio sem se importar.

— É muito bom ficar assim com você, não faz ideia de quantas vezes eu já imaginei a gente assim. — Ele sussurrou.

— Vou fazer virar realidade tudo que você já imaginou, basta me dizer. — Ela respondeu continuando a acariciar os pelos brilhosos de Sirius.

— Já tenho nossa vida planejada até ficarmos idosos, vai ter muita coisa para fazer. — Os dois riram e ficaram brincando com o gato por um tempo.

— Acho melhor eu ir, se eu demorar minha mãe já liga de novo. — Suspirou triste.

— Eu te levo então. — Jungkook levantou contra vontade, desejando trancar seu quarto e viver para sempre com ela ali.

— Não precisa, você deve estar cansado. — Luna negou. — Minha casa é perto, lembra.

— Mesmo assim é perigoso, está tarde. Não vai me fazer mudar de ideia. — Ele realmente não iria desistir.

— Tudo bem, você venceu. Mas vamos lembrar que eu quem já te protegi de um assalto e quebrei o nariz do ladrão. — Luna disse se achando.

— Então nada mais justo que eu proteger você agora. — Como sempre o garoto tinha uma resposta na ponta da língua.

Cooper se despediu do gatinho – agora seu filho, segundo Jungkook – e o seguiu para a sala, pegaram os capacetes e então saíram da casa. Jeon subiu na moto e a loira em seguida, ambos com os capacetes já colocados.

— A propósito eu não sabia que você dirigia. — Ela comentou segurando a cintura dele enquanto o mesmo ligava a moto.

— Eu tirei a carteira assim que cheguei em NY, posso dirigir carro também. — Explicou. — Vou pegar o carro do meu pai algum dia para te levar passear. — Jungkook ligou o motor e deu partida na moto.

O caminho foi extremamente curto, o garoto estacionou na esquina da casa para a mãe de Luna não a ver com ele. A loira tirou o capacete e entregou a Jeon assim que ele tirou o seu.

— Aliás, você fica lindo parecendo um badboy motoqueiro. — Ela disse risonha. — Nem parece ser um amorzinho de pessoa.

— Eu posso ser mau também. — O coreano fechou a cara, fingindo ser bravo e Luna só conseguiu achar mais atraente.

— Lindo. — Ela o abraçou pela cintura e lhe deu um selinho.

— Ai como eu adoro isso. — Luna o desarmou, tirando um sorriso gigante dele. — Minha coisa linda. — Apertou a bochecha da menina.

— Eu tenho que ir. — Com um suspiro a loira se soltou dele. — Tchau.

— Tudo bem. — Concordou triste. — Boa noite, Lu.

— Boa noite, Jun. — Ela se aproximou para um último selinho mais longo e então teve que o deixar para trás. Enquanto abria o portão de casa olhou para a esquina, ele já estava sentado na moto e esperava ela entrar para ir embora. Cooper acenou sorrindo e entrou.

Amy lhe fez algumas perguntas e Luna improvisou uma história que parecia ter a enganado. Sua mãe lhe ofereceu o jantar mas ela negou e subiu para seu quarto, se jogou na cama e ficou olhando para o teto boba.

É, a Luna de meses atrás iria rir se soubesse que seu futuro seria namorar com Jungkook, o garoto mais chato, insistente e... apaixonante que já conheceu.


Notas Finais


Enfim nosso casal oficializou, quem amou?
Comentem bastante que isso me deixa feliz demais, deixe a sua #lukookreal aí, até vocês fastasmas, ok?

Me sigam que tem duas fics novas chegando: @wishful

Fanfic gostosinha com o Tae: https://www.spiritfanfiction.com/historia/tentador-imagine-taehyung--bts-19984777


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...