1. Spirit Fanfics >
  2. Coração Selvagem >
  3. CAPÍTULO 01

História Coração Selvagem - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii tudo bom!?

Então meus lindos, essa é minha primeira história e quero pedir ajuda a vocês para me dizerem se estou indo no caminho certo!
Bjinhos de luz, espero que gostem...

Capítulo 1 - CAPÍTULO 01


Fanfic / Fanfiction Coração Selvagem - Capítulo 1 - CAPÍTULO 01

Se em algum momento de sua vida, você deparar com alguém que diz ter tido uma adolescência perfeita, desconfiem! Com certeza essa pessoa não é deste mundo...

Aos treze anos de idade meu rosto foi tomado por espinhas, como se já não bastassem meus óculos fundo de garrafa, meu aparelho sinistro e ser mais parecida com a vovozona do que o próprio ator Martin Lawrence. Os idiotas eram criativos o suficiente para criarem músicas, uma delas era uma paródia retirada do desenho pica-pau:
"Soda limonada gostosa e geladinha, Mellanie é gorda, baleia assassina."
Eu era o alvo de piadas até que chegou a Alexis, ela era negra, usava seu cabelo sempre escovado e era a menina mais linda que eu já tinha visto. Porém, os outros não a enxergavam assim, e tudo piorou quando ela assumiu seu cabelo afro, tentei me aproximar dela, mas foi impossível conquistar sua confiança, ainda mais quando ela começou a se auto-mutilar. Chegou um dia que ela parou de frequentar a escola, houve o dia que ela desapareceu e também houve o dia em que ela reapareceu. Encontraram seu corpo em começo de putrefação pendurado numa árvore perto do rio, ela se enforcou.
Sua morte não parou quem um dia a agrediu com palavras, ao contrário, mesmo depois de morta ainda existiam chacotas relacionadas a ela.

Aos 15 anos minha vida se resumia em terapia, quase ser internada por crises de nervo, mais terapia, reabilitação e adivinhem !? Mais terapia!!
Em minha festa de aniversário, um grupo de meninas rasparam meu cabelo que chegava a bater em minha cintura, era o que eu tinha de mais bonito. Inconformada minha mãe me mudou de escola, comprou perucas e me levava na melhor psicóloga da cidade, entrei em depressão.

Quase um ano depois, foi recomendado que eu começasse na equoterapia, e por Deus, so de estar montada em um cavalo me fazia bem! Comecei a praticar esportes como academia, luta, equitaçao e dança, tudo para evitar minhas crises...

Com 17 anos e com muito tratamento, minha pele estava melhor, ainda usava aparelho dentário, porém o fixo, óculos mais fino e medicamentos, e quando digo que era medicação suficiente para derrubar um elefante não estou brincando.
Era perceptível a mudança em meu físico, meu cabelo estava quase do mesmo tamanho e eu poderia arriscar dizer que estava ficando feliz por não estar sendo o alvo de agressões desta vez.

Estávamos quase chegando na reta final do período letivo, a correria para organizar a festa mais bombástica de todos os tempos e encontrar o vestido perfeito ou o terno mais irado estava enlouquecendo todo mundo, tanto que esqueciam de fazer trabalhos ou atividades avaliativas.
Para mim não mudou muita coisa, eu só queria que tudo acabasse, portanto antes que fizesse os exames finais já estava aprovada com as maiores notas da classe.
Me ter como exemplo para todos não foi bom, voltei a ser alvo de bullying, passei a sofrer ameaças constantes, inclusive de morte.

No dia da festa, não fui a salão de beleza, meu vestido era presente de minha avó e não usava salto alto, tudo para passar despercebida. Era importante para minha família, portanto eu iria mesmo contra minha vontade. No meio da celebração, fui convocada a fazer um discurso, ganhei uma medalha por bom comportamento e outra pelo desempenho, também um buquê de flores dado pela diretora, em parte por conhecer minha história, ela disse que eu era um anjo, e que tinha potencial para mudar o mundo.
Não houve aplausos, apenas desprezo, eu era ninguém para eles, mas ao mesmo tempo eu era alguém que os ofendia muito, nunca soube o por quê.

Em algum momento me distrai, me afastei de minha família, quando tudo aconteceu...
Fui arrastada para o ginásio poliesportivo, amarrada e torturada, depois de ser estuprada levei a maior surra da minha vida, não pude me defender por estar amarrada, até aí tudo bem. Mas uma das alunas, filha de um advogado bem rico veio com uma faca, cortou o meu vestido deixando minhas costas nuas e fez dois cortes horizontais de quase 30 cm cada, ironicamente, poderia dizer que arrancaram minhas asas.

Horas depois me encontraram praticamente morta, com lesões internas, traumatismo craniano e hemorragia, quase sufocando no meu próprio sangue.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...