1. Spirit Fanfics >
  2. Coração Selvagem (Imagine Byun Baekhyun - EXO) >
  3. Acredito em você

História Coração Selvagem (Imagine Byun Baekhyun - EXO) - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Noiteee! Olha eu aqui na madruga postando capítulo, ai ai. Fala galera tudo bom?? Espero que sim!! Bora pro cap 7...
Boa leitura🖤

Capítulo 7 - Acredito em você


Fanfic / Fanfiction Coração Selvagem (Imagine Byun Baekhyun - EXO) - Capítulo 7 - Acredito em você


– S-sua companheira? Está me dizendo que sou sua predestinada? A mulher que nasceu para você? Sua alma gêmea?

– É exatamente isso... Olha sei que não acredita em mim, mas sei que sente o mesmo que eu sinto. O estado que chegou aqui só demonstra que sentiu a minha falta assim como senti a sua.

– É impossível. A gente não se conhece, como posso sentir falta de alguém que nunca conversei? Alguém que não está próximo...

– É muito mais do que conhecer ou estar próximo. Vem de dentro de você, não tem como segurar.– falava sem desviar o olhar.– Só estou neste estado porque não te via. Preciso de você assim como precisa de mim. Pode reparar, você está menos cansada agora, está mais disposta. Preste atenção nisso.

Era a verdade, assim que o vi já me senti melhor. Eu estava voltando ao normal, passei de sonolenta a cem por cento acordada. E isso era mais uma prova que o que ele dizia não era mentira. Mas mesmo assim me neguei a aceitar, tinha que haver outra explicação.

– Como eu posso ser sua alma gêmea se não sou da mesma espécie que você? Sou humana, não shifter. 

– Os companheiros podem ser de qualquer espécie, por favor tente entender. Me deixe te mostrar que devemos ficar juntos, eu quero você. Eu preciso de você.– ele sentou mais perto de mim e pegou em minha mão.– Droga, você não entende o que eu digo. Parece que palavras não são suficientes...

Ele começou a aproximar nossos rostos e logo eu sentia sua respiração quente em minha bochecha.

– O que está fazendo?– perguntei com o coração acelerado. Meu rosto começou a esquentar.

– Só... Se permita sentir.

Antes de eu responder ele me calou, seus lábios entraram em contato com os meus gerando uma reação instantânea em meu corpo: agarrar em sua nuca e permitir que fizesse o que queria. Sua língua entrou em minha boca arrepiando-me por inteiro, sua mão direita ainda segurava a minha o que deixava o momento ainda mais perfeito. Eu estava pegando fogo, precisava me aproximar mais, já não tinha o controle do meu corpo. Sentei em seu colo e aprofundei o delicioso ósculo, que em questão de segundos se tornou selvagem, sua mão desceu para minha saia e a adentrou, e em seguida apertou minha bunda. Aquele gesto me fez perder o resto de noção que tinha. Minhas mãos foram para seus cabelos e os puxei levemente o aproximando ainda mais. Nossas línguas travavam uma batalha feroz, aquilo me excitava, me deixava louca e sedenta por ele. Ansiava pelo que viria a seguir. Infelizmente ele se afastou mordendo meu lábio e dando vários selares. Abri meus olhos vendo um grande sorriso estampado em seu rosto e sua boca inchada, fiquei extremamente envergonhada, perdi o controle de mim mesma e fiz tudo isso.

Saí do seu colo com o rosto vermelho e me distanciei dele. Pelo menos um metro para não entrar na zona de perigo novamente.

– Eu acho que não preciso dizer mais nada, não é?– disse se levantando.

– E-eu...– não fazia ideia do que falar. O que foi isso? Por que foi tão bom? E por que eu quero novamente agarrá-lo?– Preciso ir.– disse por fim.

– Não precisa se envergonhar... É um desejo seu, um instinto. E tenho certeza que está doida para repetir assim como eu.– disse virando a cabeça de lado. Ele começou a andar lentamente, chegando cada vez mais perto. E em minha cabeça o alarme de perigo novamente soou.

Dei alguns passos para trás caindo no outro sofá, ele prendeu a minha passagem com seus braços e me vi perto de seu rosto novamente, sua língua passou por entre os lábios atraindo minha atenção totalmente, quase o puxando pela blusa e repetindo tudo de novo. Peguei em seus ombros e aproximei nossos rostos, deixando nossos lábios próximos, quase se tocando. 

O que estou fazendo?

A noção bateu em mim e o afastei, me levantei e fui em direção a porta.

– _____!– chamou minha atenção.– Só diga que acredita em mim.

Depois de tudo que senti ao simples toque de seus lábios macios, depois de tudo que fiz por impulso, depois de quase o agarrar de novo sem mesmo consegui explicar... sim eu acreditava.

Acredito em você.

Saí sem dizer mais nada, desci as escadas correndo e entrei no meu carro, me permitindo relaxar, encostei a cabeça no banco e respirei fundo, meu coração ainda estava acelerado. Precisava sair dali, antes que subisse e cometesse outra loucura. Dirigi pelas ruas de Londres até chegar na casa de Malia. Sempre foi minha conselheira, eu necessitava falar com alguém sobre o que tinha acontecido e Malia era a pessoa certa.

Toquei a campainha esperando que atendesse. 

– Já vai.– a ouvi gritar. Ela abriu a porta e pareceu surpresa.– O que aconteceu? Por que está toda descabelada e fedendo a refrigerante com batata frita?

– É uma longa história.– falei a empurrando e entrando. Fui direto na cozinha pegar a garrafa de vodka escondida para emergências.

– Estou vendo, você nunca bebe vodka. O que te fez ficar doida a ponto de beber isso?

– Baekhyun.

Ela riu, em alto e bom som, gargalhava e não parava.

– Ouviu isso Chany?– gritou.

Ele desceu as escadas com uma bermuda e sem camisa, estava suado. Com cabelos desarrumados e todo vermelho de chupões. Quando fui reparar Malia está de roupão e descalça, estava ofegante e com lábios inchados. 

– É... Eu atrapalhei alguma coisa?

– Posso dizer que não veio em boa hora.– falou Chanyeol, rindo da minha cara.– Mas vou sair para não atrapalhar vocês.– ele pegou sua blusa que estava em cima do lustre da sala e saiu.

– Foi mal...

Novamente ela riu. 

– Dessa vez eu perdôo você, só porque parece que estava fazendo a mesma coisa que eu...

– Definitivamente não. 

– E então... O que você fez?

– Olha quero deixar claro que eu não fui lá para fazer nada além de ir ver como ele estava. Mas foi mais forte do que eu. Começamos a conversar e de repente nos beijamos.– falei sorrindo. Eu tinha que admitir, foi o melhor beijo da minha vida e como eu queria repetir.

– Chany tinha me dito que você ia lá para ver ele mas você fez uma alguma coisa diferente... Agora me conta, vai! Como foi? 

– Incrível! Esse beijo explicou sentimentos que eu mesma não sabia que existiam. 

– Eu entendo totalmente, o beijo entre companheiros, o simples contato. É realmente surreal.

– Epa! Eu não comentei nada sobre isso. Como sabe sobre os companheiros?– perguntei a espantanda.– Ai meu deus! O Chanyeol também é um deles?

– Não só o Chanyeol amiga...– seus olhos se tornaram laranja. Eu me afastei.

– Tá de brincadeira comigo? Como pode esconder isso por tanto tempo? Somos amigas de infância, que droga Malia. 

– Foi pra sua segurança, ninguém no campus sabe, apenas o Chanyeol, Baekhyun e agora você. É um mundo totalmente novo, eu sei. Mas precisa manter a calma e fingir que não sabe de nada, se contar a alguém você vai colocar todos em perigo. Acredite quando eu digo que não podem descobrir que estamos aqui e em quantos somos. Me promete que não vai contar pra ninguém.

– Se for para deixá-los em segurança... eu prometo.– falei sem dúvidas.

– Obrigada.– seus olhos voltaram a sua cor normal.– Mas me fala, vai ficar com ele?

– Depois de tudo isso eu realmente não consigo mais ficar longe dele, sou sempre atraída de volta... Como... Como posso dizer?

– Um imã poderoso? Ele te puxa de volta.

– Exatamente isso.– Nós rimos e então eu virei a garrafa em minha boca sentindo todo o líquido descendo pela minha garganta e o forte sabor da vodka.

Uma nova etapa da minha vida está prestes a começar, e desta vez não estou com medo porque sei que estarei ao seu lado

×∆×∆×

Fiquei dois dias sem ver Baekhyun, mas eu sentia que a todo momento que eu pensava nele ele também pensava em mim, desta vez estava diferente, eu não fiquei mal igual da primeira vez porque sabia que ia ver ele de novo. Eu ainda não tinha dito que estava dentro de tudo, que queria ficar com ele independente de tudo. Era impossível negar, sempre voltaria para ele de uma forma ou de outra. Peguei as chaves do carro e saí de casa. Entrei e liguei no motor, o caminho foi tranquilo ouvindo minha música favorita "Lucky One" a letra me tocava a cada palavra e me fazia pensar nele... Cheguei na escola e desci do carro os cochichos começaram e não entendi o por quê. Mas não liguei. Comecei a procurá-lo e o vi em sua moto rodeado de meninas, aquilo me deixou enciumada, estavam rindo e o tocando, mas isso não vai ficar assim. Fui me aproximando e assim que ele me viu sorriu e afastou todas as garotas, chegando perto de mim com um buquê de rosas lindo.

– São para você.– disse envergonhado.

Peguei o buquê sorrindo e cheirei, sentindo o delicioso odor das flores.

– Obrigada! Elas são lindas.

– Não tanto quanto você.– falou e foi a minha vez de ficar vermelha.– Então... Eu estava pensando se não quer sair comigo... Prometo que não terá tigres ou nada disso, é um encontro normal.– Ele ficou quieto esperando minha reação, olhei em seus olhos e vi que estava com medo da minha resposta.

– Claro. Quando?

Algo em seu rosto se iluminou, ele sorria de orelha a orelha, e seus olhinhos ficaram pequenininhos, deixando-o extremamente fofo.

– Hoje mesmo.– disse ansioso.– Eu vou até a sua casa.

– Vamos de moto? O que devo vestir?

– Sim, iremos de moto. Vista algo que te deixe confortável.– o sinal tocou nos atrapalhando.– Vejo você depois.– ele me deu um beijo na bochecha e saiu correndo.– Te pego as oito.– gritou por último.

×∆×∆×

– Você aceitou?– Malia perguntava.

– Claro que sim. Não tem porquê esconder que gosto dele. Não adianta nem tentar.– falei disfarçando o sorriso.

– O que vai vestir?– falava baixo para não atrair a atenção da professora.

– Sabe que ainda não sei... 

– Como assim "ainda não sei"?– falou incrédula.– Cancele todos os planos para hoje a tarde! Nós vamos as compras.



Notas Finais


Eu já morri quando ele beijou ela, tenho nem fôlego pra encontro mais!
Gente se beijaram e finalmente a cabeça dura que chamamos de prota acreditou nele! Já tava na hora. Agora é só amor e alegria. Brincadeira, ainda vou matar vocês do coração.
Lembrei de outra coisa, a cidade sempre foi Londres mas acho que eu não tinha mencionado então deixei claro nesse cap. E um conselho... Ouçam Lucky One do Prince Royce, é incrivelmente foda essa música.
É isso, esse foi o capítulo 7.
Até mais manas❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...