História Corações Coloridos - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Gay, Lgbt, Romance Gay
Visualizações 13
Palavras 702
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá! Boa leitura! Se gostarem, favoritem!

Capítulo 1 - Gandaia e Pizza


Pedro: Era uma noite de sexta regular. Trabalhei um pouco, fiz meu curso e fui pra casa logo. Minha mãe já estava acordada, como sempre preocupada comigo.

- Onde você estava meu jovem com esse bafo de álcool? - disse ela.

- E estava no bar uai, eu tenho 17 anos... - fui interrompido pela minha mãe. 

- ... e não 18. Você ainda não se manda mocinho. Já pro seu quarto, e espero que você acorde pra ir pra faculdade, porque que não vou te acordar. 

- Tchau então. - disse eu batendo a porta, mas não com raiva e sim cansaço. 

Eu merecia aquele perrengue, eu trabalho, faço curso e faculdade, ajudo nas contas de casa e faço tudo em casa. Deitei em minha cama com calça e tudo. Só queria sonhar aquela noite, só. Era 2 da manhã, e eu já estava deitado, pensando como foi bom a noite. Na hora que Derick, meu amigo, foi vomitar e sem querer engoliu o vômito de volta. Na hora que Demi, também minha amiga, bebeu 10 copos de cachaça de uma vez. A adolescência é muito boa. 

Duas horas depois...

Eu tinha cochilado por duas horas. Acordei  4 da manhã com uma fome. Me levantei da cama e fui até a geladeira, eu sou um assaltante da madrugada. Abri a geladeira, não tinha nem um Danone pra comer, nem uma uva(minha fruta preferida), nada, não tinha nada, nada, nothing, nadaa. Pensei em comer uma pizza , mas por isso, tinha que sair escondido de casa. Peguei meu cartão de crédito e fugir pela janela da cozinha. Eu não queria saber pra onde eu iria, eu só queria saber em comer, simples. Eu estava procurando uma pizzaria tudo em qualquer parte. Eu, com uma camisa preta e uma calça amarela, andando meio tonto procurando uma pizzaria. Felizmente achei, saí entrando, faltavam 30 minutos pra fecharem. Eles devem ter deixado eu entrar por pena, porque devem ter pensado "pobre jovem brasileiro". 

- Bom dia, desculpa, mas a gente já vai fechar. Pode ser pra viajem? - disse uma garçonete gentil. 

- Tudo ótimo! - disse eu.

Esperei por 39 minutos exatos, e o cheiro de massa já estava reinando o estabelecimento. Da cozinha, saiu um cara, musculoso, bonito, com cabelos amarelos bronze, olhos negros meio acastanhado e uma boca bem rosada. Me apaixonei na hora, ele estava indo em bora, peguei minha pizza logo pra sair junto com ele. Eu saí primeiro, depois veio ele com um capacete de moto. Pela primeira vez, ele me olhou, o tempo parou. Os meus conectavam aos deles. Eu sentia o coração dele e ele o meu, aí do nada ele falou:

- Quer uma carona? - disse ele com uma voz meio clássica.

- É, não sei, depende onde você mora, quer dizer, não aceito porque nem te conheço e talvez eu aceite. - me embolei.

- Vai aceita, por favor. Não pude notar que os nossos corações se conectaram. - disse ele meio "cute cute"

- É co-co-mo ass-im? - perguntei meio sem jeito. 

- Ué, você me olhou. - ele estava me fixando com os olhos castanhos.

- Eu olhei como todo mundo olha pra uma pessoa bonita. - eu tô achando que ele é gay, tomara.

- Obrigado, suba, eu sou gentil com pessoas. - disse ele sorrindo com os dentes mais brancos da terra.

- Okaay. - o álcool que eu consumi já tinha sumido.

Ele andava rápido com a moto. Depois de uns 3 minutos de viagem ele iniciou uma conversa. 

- Você mora onde? - ele me perguntou. 

- Ali na frente. - respondi.

- Mas já! A gente nem conversou. - disse ele meio triste.

- É pois é. 

- Então pronto. - disse ele parando na minha casa.

- Po, obrigadão! - disse eu descendo da moto. - Até mais!

- Você gosta de pizza? - perguntou ele.

- Sim. Por que?

- Então, passa lá na pizzaria mais vezes. - disse ele jogando um charme. 

- É o-o-kay! - gaguejei. - Qual é o seu nome?

- Thiago.

- Okay então! Tchau e beijos.

- Tchau bebê.

Meu Deus, não sei se é impressão minha ou ele se interessou por mim.

Thiago: Que jovem bonito, vou fisga-lo ele pra mim. Aqueles cabelos castanhos e olhos verdes vão ser meu... meu.

Continua...


Notas Finais


Obrigado pela atenção, se gostaram, favorite e comente! É muito importante pra mim.
Beijos e até a próxima! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...