1. Spirit Fanfics >
  2. Stay love, stay brother. >
  3. Mudança de vida

História Stay love, stay brother. - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Mudança de vida


Dabi.

Meu celular despertou avisando que já era horário de levantar. Queria poder dormir mais um pouco, mas eu sabia que se fechasse os olhos de novo provavelmente só acordaria lá pelo meio dia. Himiko ainda dormia ao meu lado, envolvendo seu braço na minha cintura. Fazia um tempo que ela estava "morando" comigo.
Soltei com cuidado o braço dela de mim, com certa dificuldade e com muito esforço me levantei da cama, ela soltou um pequeno gemido de descontentação, porém, não acordou. Assim com muito cuidado para não esbarrar em nada fui até a porta do quarto e saí.
A casa estava um silêncio, acho que somente eu estava acordado, pelo menos o banheiro estaria livre. Fui cuidar das minhas necessidades e tomei um banho gelado. Não demorei muito e assim que terminei fui para a cozinha preparar o café.

- Até que enfim né, pensei que tinha morrido lá dentro do banheiro. – Disse uma figura surgindo do além bem na porta da cozinha.

- Aff... não me enche. – Respondi rispidamente o Tomura enquanto pegava o pó de café.
- Não precisa ficar nervoso só porque eu faço o Takami delirar a noite toda. – Me respondeu. Eu sei o que ele estava querendo fazer, ele gosta de me provocar e aposto que está com um sorrisinho na cara nesse momento.

- Se não quiser morrer com meio kilo de pó de café preso na garganta, é melhor parar com isso. – Respondi a ele que gargalhou e seguiu em direção ao banheiro.
Não sei que tesão que ele tem de ficar me provocando! Terminei de fazer o café na base do ódio.
Assim que terminei de tomar o café voltei para o meu quarto onde me sentei na cama cabisbaixo. Estava perdido nos meus pensamentos quando senti braços me envolverem e uma boca morder meu pescoço.

- Bom dia Dabi. – Disse Himiko enquanto me arranhava.

- Bom dia... – Ela me conhecia muito bem pra saber que não estava “tudo bem”

- Porque você está bravo? Aconteceu algo?

- Você sabe... as mesmas coisas de sempre... – Disse rapidamente querendo deixar aquele assunto pra lá.

- Não fica assim, vamos fazer algo divertido hoje, como ir ao cinema! – Sugeriu vindo pra cima de mim e se sentando no meu colo me dando vários selinhos.

- Eu acho uma ótima ideia. Soube que está passando um filme muito bom e... Ah, não. Hoje não vai dar, esqueci que minha agenda está lotada hoje, tenho cliente ainda às seis.

- Tudo bem, podemos ir outro dia. Sendo assim eu vou te acompanhar no trabalho hoje, pra você não endoidar de vez. – A loira me deu um último beijo.

- Amanhã nós vamos – E ela sorriu.

Algumas horas depois.

Shoto.


Não tomei café da manhã e nem almocei, minha barriga ronca de fome, mas não vou sair do meu quarto enquanto eles estiverem ali. Olho para o relógio e ele já marca 15h30 da tarde, eu sei que meus pais tem um compromisso importante hoje às 16h, vou aproveitar esse momento para comer e ir para o estúdio. Espero voltar para casa antes deles.
Não demorou muito para ouvir o carro dos meus pais dar partida e sair. Assim que não ouvi mais, me levantei rapidamente e fui para a cozinha, eu poderia comer qualquer coisa que estivesse na minha frente. Peguei a comida do almoço, esquentei no micro-ondas e me sentei a mesa, logo as coisas que aconteceram ontem voltaram à tona na minha cabeça, por sorte esses pensamentos foram interrompidos por vozes.

- Shoto... sobre ontem... tudo bem você ser do jeito que você é. – Disse Natsuo.

- Isso Shoto. Não tem problema isso. A gente continua te amando mesmo assim. – Foi a vez de Fuyumi falar dando um sorriso.
Fiz um rápido sinal com a mão para que os dois se aproximassem e assim que eles vieram os abracei.

- Obrigado. Eu também amo vocês mesmo me irritando às vezes.

Logo após abraçá-los, termino de comer e fui me arrumar para sair. Olhei no relógio e já era 16h20.

- Tenho que me apressar se não chegarei atrasado!

Não sou muito de me arrumar, coloquei apenas uma roupa básica. Olhei no relógio e marcava 16:50 Peguei minha carteira, celular, chave e saí de casa.
Por sorte, tem um ponto de táxi a dois quarteirões de casa. Espero não me atrasar.

Acho que demorou meia hora para chegarmos em frente à loja, por sorte não pegamos trânsito. Olhei o relógio e marcava 17:45.

“Ainda bem que cheguei no horário.” – Pensei comigo mesmo enquanto pagava o táxi e saía de dentro do mesmo. Resolvi vir em um tatuador distante da minha vila, porque não queria correr riscos de alguém contar para meus pais onde estaria antes de começar a mudança no visual. Segui em direção ao estúdio e assim que abri a porta o sininho da mesma fez barulho, fazendo com que as duas pessoas virassem a atenção delas para mim, uma moça loira estava atrás de um balcão enquanto o moço estava varrendo o piso.
Logo nossos olhares se cruzaram e percebi que o mesmo era esbelto, extremamente estiloso, suas roupas meio punks combinando com o lugar. Percebi que os olhos dele também estavam vidrados em mim, corei imediatamente de vergonha e somente paramos quando a moça pigarreou.

- Hãn-hãm... – Fez ela lançando um olhar mortal para mim e para o rapaz, do tipo... "Vocês vão ficar aí se entreolhando a noite toda?"

- B-boa noite! Eu tenho um horário marcado agora para as seis horas... – Desviei o rosto um pouco nervoso.

- Ah, você deve ser o Shoto então. Meu nome é Dabi, seja muito bem-vindo. – O rapaz se aproximou de mim, minha timidez não permitiu que eu olhasse em seus olhos novamente. – Então, você já escolheu um corte?

- A-ah sim, é deixa eu pegar aqui. Está no meu celular... – Respondi enquanto pegava a foto do meu celular mostrando para Dabi.

- Uau, bem maneiro. Acho que vai combinar muito bem em você esse corte com essas cores. E o piercing? Já decidiu onde vai colocar também?

- Sim também, eu quero colocar um na língua e uns dois na orelha.

- Show! Vamos lá então? Pode se sentir em casa.

- Obrigado...

- Vamos fazer o seu cabelo primeiro e depois colocamos os piercing, okay?

- Okay. – Confirmei com ele me adentrando ainda mais no estúdio e me sentando na cadeira de barbeiro.

Assim que me sentei, Dabi colocou uma música da banda AC/DC pra tocar, admito que me animei bastante. Logo ele veio com aqueles sobretudos que usam para não cair cabelo na roupa, colocou em mim e foi pegar suas coisas para fazer o meu cabelo. Ele pegou seu borrifador e molhou meu cabelo, delineando onde cada corte seria, suas mãos e dedos passam com delicadeza nos fios do meu cabelo. Assim que terminou pegou sua tesoura e começou a cortar aos poucos mecha por mecha.

- Bom, a gente já cortou agora só falta eu preparar a tintura, eu já volto aqui. – Dabi comentou sumindo da minha visão. Fiquei prestando atenção no estúdio, a decoração era bem melhor do que imaginei. Após alguns minutos Dabi voltou com dois pincéis e potinhos que continham uma tinta platina e uma vermelha. – Então vamos começar a brincadeira, ele sorriu tão lindo.

O cheiro da tinta era um pouco forte, mas foi tudo super bem, de um lado meu cabelo estava platinado e do outro vermelho.

- Enquanto deixamos a tinta fazer efeito, vamos aproveitar para colocar os piercings?! – Indagou ele e eu apenas balancei a cabeça em concordância. As músicas eram tocadas, eu acompanhava o ritmo batendo levemente os pés no chão.

- Você parece curtir as músicas.

- É... Eu curto.

Ele veio em minha direção com uma maletinha onde continha diversos piercings de todas as cores e formatos. Escolhi um para a língua e para a orelha.
Confesso que ficar com a língua pra fora é um pouco constrangedor, ainda mais imaginando coisas que não devia com o Dabi, seu rosto estava muito perto do meu, eu podia notar como era lindo seus olhos azuis, embora com vergonha ele foi atencioso e paciente com meu nervosismo.

- Se concentre em mim Shoto

Claro, só tá faltando eu me hipnotizar–

Logo as besteiras que penso sumiram com a dor que veio. Eu queria morrer, pra furar dói muito, mas depois até que dá para aguentar. O ruim que não me acostumei ainda e acabo falando algumas coisas erradas.
Assim que coloquei os piercing Dabi passou o antisséptico e me levou para tirar a tinta do cabelo.

Pouco tempo depois.


- Prontinho, pode se olhar no espelho. – Disse ele reiterando o sobre tudo de mim. Abri os olhos encarando o espelho, não conseguia me reconhecer, mas não de uma forma ruim e sim de uma forma boa. Estava muito feliz com a minha nova aparência.

- Gostou?

- Muito

- Eu também – Quando ele elogiou eu corei de novo e abaixei a cabeça para esconder.

- Bem, vai ser no dinheiro ou no cartão? – Disse a loira me tirando dos devaneios mais uma vez. Por que ela parece sempre interromper?

- Vai ser... cartão – Disse com certa dificuldade por causa do piercing. Peguei meu cartão de dentro da carteira e entreguei para Dabi que ficou o encarando. “Será que ele não aceita esse tipo de cartão aqui?” perguntei a mim mesmo, mas logo ele foi até a maquininha enquanto a menina soltou um leve riso.

- Haha, não se preocupe tá bom? É normal no começo você falar algumas coisas erradas por causa do piercing, logo, logo você se acostuma. – Disse ela dando uma piscadela para mim e mostrando a língua com seus piercings.

- Prontinho Shoto, espero que tenha gostado do corte e do piercing, esperamos que volte mais vezes. – Disse Dabi me entregando o cartão com a nota fiscal.

- Obrigado e eu que agradeço, até a próxima... – Agradeci saindo do estúdio. Peguei meu celular para chamar o táxi e aproveitei para ver as horas.
“19:56, espero que meus pais não tenham voltado para casa ainda”.

Liguei para o táxi e depois de 15 minutos ele chegou e assim segui rumo para casa. Confesso que assim que cheguei em frente à casa, fiquei com certo receio dos meus pais estarem lá, mas ela estava muito quieta, impossível deles já terem chegado.
A porta estava aberta e meus dois irmãos apareceram correndo para ver quem era.

- Ahn? Shoto?! É você? – Indagou Natsuo muito surpreso.

- Uau, o que você fez?! Ficou muito legal! – Foi a vez de Fuyumi encarando meu cabelo.
- Bem, eu quis mudar um pouco. Espero que vocês dois tenham se comportado. Eu vou pro meu quarto descansar que eu estou morto. – Disse passando pelos dois indo para o meu quarto. “Amanhã vai ser um novo dia!”

No outro dia.


De manhã me levanto, faço minhas necessidades matinais, pego o lanche que a Fuyumi preparou para mim, beijo ela no rosto e aceno para Natsuo, não percebia se meus pais estavam em casa por não ouvi-los, sem tempo, vou encontrar a van para ir ao colégio. Durante o caminho as pessoas que me olham notam a diferença do meu visual, algumas param para conversar, inclusive perguntar onde fiz e etc, um pouco tímido dizia, conversando sobre várias coisas. Chegando na escola, encontro meus amigos surpresos com minha mudança, ai antes de bater o sinal, resolvemos tirar fotos no jardim. Foi divertido. Todos parecem ter gostado do meu novo visual, menos... Deku.

- O que você fez? – Indagou o esverdeado com curiosidade.

- Eu senti vontade de mudar

- Você... estava bem como era

- Quer dizer que agora não estou?

- Não foi isso que eu quis dizer

- Então o que?

- Ah, deixa pra lá. Não é sobre isso que precisamos conversar

Ótimo, Izuku odiou meu visual... Nem conversar sobre o assunto ele quer. Abaixo a cabeça com olhos tristes

- Pode falar – Sentia um mal pressentimento.

- Shoto, espero que me entenda...

Digo sim me aproximando para abraça-lo, entretanto Deku não permitiu, estranhei.

- Eu não posso mais continuar com você... Estou apaixonado por outro, desculpa

Fico em choque.

- Não... Entendi...

- Eu estou terminando

- Mas–

- Desculpa, t-tenho que ir. Bakugou está me esperando

Izuku se afastou rápido sem deixar eu terminar de falar, caminhou em direção ao Kacchan, então é esse fdp– mas que merda Deku, podia ter terminado comigo por mensagem se fosse pra ser assim... Esfregando outro na minha cara. Fico tão arrasado, que decido matar aula. Com raiva, sai da escola antes que fechassem o portão, seguro minhas lágrimas até a estação de trem, pego o trem sem rumo chorando pela viagem. Eu coloquei em risco tudo por ele, confessar pra minha família que sou gay, mudar o visual para impressiona-lo... Incontestado, abraço minha mochila e nem percebo que cochilei um pouco.
Depois o trem freia e acordo assustado, olho pra janela perguntando para pessoa próxima de mim onde estamos, ele me informa.
Desci do vagão entrando em um shopping, pensei em comer alguma coisa, andando pra lá e para cá, não encontro nada que me agrada. Continuo andando pra encontrar uma galeria de jogos quando inclino a cabeça pra direita notando Dabi com a mesma garota daquele dia, ela estava agarrada com o braço dele sorrindo contente, logo seus olhos se encontram com os meus, um pouco surpreso por me ver, eu também por vê-lo, porém eu corri dali, não podia deixar que me visse com esses olhos inchados. Pra disfarçar, comprei uma revista na banca e tratei de sair do shopping o mais rápido possível. De repente meu celular apita com várias mensagens dos meus colegas da escola perguntando onde estou, se estou bem, ignoro voltando pra casa, pensando em Deku, sentindo mais raiva do que tristeza, pensando que aquela garota estava se divertindo ao lado de Dabi... queria estar no lugar dela. Perai? Eu só podia estar carente pra pensar numa coisa dessas... 





Notas Finais


O próximo capítulo as coisas vão esquentar kkkk desculpa, eu não sei oq dizer, estou cansadinha, se tiver perguntas pode fazer nos comentários 🥱


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...