1. Spirit Fanfics >
  2. Coraline- o Poço >
  3. De volta ao "lar"

História Coraline- o Poço - Capítulo 1


Escrita por: marianalouis32

Notas do Autor


Primeiro capítulo , espero que gostem❤️

Capítulo 1 - De volta ao "lar"


Fanfic / Fanfiction Coraline- o Poço - Capítulo 1 - De volta ao "lar"

Estava tendo um sono maravilhoso mas como sempre fui despertada pelos meus 2 despertadores. 1 , o relógio e 2 o gato que ao ouvir o auto som que ecoou do aparelho soltou um rosnado que não parecia desse mundo antes de pular da cama sem antes bater suas patas no meu rosto deixando meus cabelos num ninho e caindo no chão com os pelos arrepiados e olhar assustado .(quanta coragem... pensei)

-Que droga Jack eu também não gosto de acordar as 8 da manhã mas nem por isso arranco os cabelos dos outros- disse com a voz grogue de sono desativando o alarme enquanto Jack me lançava  seu olhar de desapontamento.

Estiquei os braços me espreguiçando olhando ao redor para as milhares de caixas acumuladas em meu quarto sem o menor pingo de animação , tinha de ajudar a colocar tudo  no caminhão pois 2 semanas antes durante o jantar ,meu pai sempre muito preocupado com as opiniões dos membros da família ....(sintam a  ironia) nos pediu uma opinião sobre uma idéia.

14 dias antes....

-De jeito nenhum- disse mais alto com a expressão incrédula enquanto o olhava com certa raiva.

-Coraline Jones respeite seu pai , ele apenas quer o melhor pra nós e isso vai ser bom para a carreira dele.- disse minha mãe me repreendendo enquanto bebia mais um gole do suco de manga que tinha perdido toda a vontade de beber.

-Eu não quero voltar pra aquele lugar , é horrível e a gente ficou lá por 7 meses e só de lembrar já me dá arrepio- disse tentando fazer ele repensar mesmo sabendo que ele já havia tomado uma decisão....

-Coraline você não é mais uma criança , suas histórias sobre monstros de mundos paralelos não são justificativa pra você não querer ir, isso já passou , agora eu preciso focar no meu trabalho , o investidor reconheceu meu trabalho e assim vou poder dar uma qualidade de vida melhor pra nós do que a que temos aqui.-disse e eu já cai sentada na cadeira novamente sabendo que a conversa já estava se encerrando.

- Mas e tudo que nós temos aqui? Minha escola , o trabalho da minha mãe? Como tudo isso fica?- disse minha última esperança pra tentar evitar a pior coisa que poderia acontecer pra mim.

- Eu vou conseguir um trabalho lá , entregarei meu currículo numa agência de qualificação e poderei trabalhar na coluna do jornal local , e creio que você não se importe com minha área profissional então se esse era seu receio está tudo resolvido , e você vai estudar lá , não quero que vire uma desempregada.-disse minha mãe acabando com toda a minha esperança.

-Mas mãe...-disse derrotada antes dela me interromper alterada-.

-Ja chega Coraline , temos 2 semanas para empacotar tudo e você vai colaborar , o assunto está encerrado.- disse e eu com raiva me levantei da mesa indo para o meu quarto me deitando de cara no travesseiro enquanto Jack sentado na janela me olhava curioso . nem terminei de comer minha refeição ,aquela conversa realmente tirou toda minha fome e então decepcionada adormeci pensando que essa é a pior merda que aconteceu nesse ano....

Depois da cena do jantar se passando em minha mente levantei da cama e fui tomar um banho pra ver se passava aquela sensação de desgosto mas infelizmente a água não lava emoções.

Me despi e liguei o chuveiro, a água quente descendo pelo meu corpo quase me fazia esquecer o quão ruim estava agora , fechei meus olhos suspirando profundamente enquanto tentava por a idéia em minha mente  de que tudo ficaria bem , gostaria de ficar naquele cubículo de falsa paz mas precisava ajudar a colocar as caixas no caminhão , bufei enquanto desligava o chuveiro e me secava , coloquei a roupa com certa raiva enquanto abria a porta do banheiro e fazia a pior cara de desgosto possível enquanto minha mãe gritava me chamando na porta. Caminhei pelo quarto e mal abri a porta enquanto ela já começava seu discurso de arrumação.

-Finalmente ein- disse 

-Bom dia pra você também mãe- disse sarcástica enquanto ela me encarava com reprovação.

-Nao começa Coraline- disse pegando uma das caixas nos braços.

-Eu ainda nem tomei café- disse tentando justificar minha falta de vontade de começar o trabalho.

-Na estrada você come Coraline, eu fiz café 1 hora atrás te chamei várias vezes e você não veio.(ela deve ter chamado mesmo mas eu durmo que nem uma pedra e ela deve ser um gênio achando q lá de baixo da cozinha eu iria conseguir ouvir)...

-Vamos  pegue logo as caixas que sobraram porque estamos atrasadas e temos que pegar o vôo logo , você fica demorando no chuveiro e é eu que pago a droga da conta da água , não demore.- disse descendo as escadas com uma disposição que eu até consideraria exagerada pra idade dela , mas em comparação os sermões parecem de uma mãe de uma menina de 10 anos e de uma velha de 70 ao mesmo tempo.

Revirei os olhos e fui pegar as caixas , se quer tinha reparado que tinham apenas 3 sobrando , estava ocupada pensando no quanto não queria estar contando caixas por não querer sair dessa fuckin casa , mas aqui vamos nós ....

Assim que o caminhão foi embora , entrei no carro e coloquei meus fones olhando pela última vez a imagem da nossa casa a qual tanto adorava e a grama úmida da chuva fraca que caia me vinha a imagem da minha infância , da água se espalhando para todo lado enquanto o amarelo das galochas se misturava com o verde brilhoso pulando de uma poça para a outra rindo enquanto meus cabelos encharcavam com a água fria.... Sorri com esse pensamento enquanto fechava os olhos e encostava a cabeça na janela enquanto meu pai dava partida no carro dando Adeus a nossa vida em Michigan.

Tinha me despedido dos meus amigos 3 dias antes , não queria q fosse em cima da hora pois sabia que acabaria chorando então queria tempo pra tentar recuperar minha sanidade mental que já nem sabia o significado dela nesse momento. Parecia que a cena de 6 anos atrás estava se repetindo , e no fundo eu sabia que tinha um motivo para tanta resistência da minha parte , eu era uma criança boba , uma história maluca a qual ninguém se quer acreditou , mas tudo parecia tão real... Com o passar dos anos eu me esqueci completamente de tudo , porém sempre havia um sonho.... Que se repetia , noites e noites , e nunca descobrio o que era aquilo ou o porquê..

Uma noite calma ,as flores de cerejeira balançavam com o vento gelado da noite e a lua iluminava o gramado até o mais longínquo terreno , enquanto se ouvia os sons dos animais noturnos , eu caminhava , não tinha controle pra onde ia , minhas pernas seguiam frenéticas enquanto eu olhava para a paisagem , o som das folhas e galhos sendo esmagados pelos meus pés faziam o maior ruído naquela calmaria , e minha respiração pesada como se tivesse corrido por horas deixava tudo cada vez mais confuso.

Caminhei pela mata até que chego a um poço  , sinto uma sensação ruim no peito e um susto quando ouço uma voz baixa , sem força , ecoar de dentro do lugar:

-Me salve......- repetia inúmeras vezes cada vez mais baixo parecendo estar perdendo a força.

Meu corpo me levava até lá , eu não conseguia controlar, me aproximei do poço cor de marfim , que parecia muito antigo enquanto minha cabeça se inclinava para olhar dentro do lugar que não parecia ter fim , apenas escuridão ao seu fim.

Havia um líquido vermelho que escorria pelas paredes ,indo para o fundo , uma cena macabra que me trazia uma sensação horrível.

-socorro- disse outra voz mais alto , me fazendo me desequilibrar e acabei caindo dentro do poço , segurando minhas mãos na beirada tentando subir enquanto gritos começaram a surgir , não conseguia subir , uma força me puxava para dentro , e cada vez ficava mais desesperada.

-ALGUÉM ME AJUDE!- Gritei tentando de todas as formas conseguir força para subir na beirada , em vão , senti que meu braço não ia aguentar mais ,de repente uma mão de ferro surgiu do fundo  puxando minha perna para baixo , gritei de pavor  enquanto tentava me livrar de seu aperto em vão e por fim cai nas profundezas escuras enquanto olhava para a imagem da lua cada vez mais distante de mim,  ao sentir o forte impacto de meu corpo com a água escura , afundando cada vez mais , fechei meus olhos sentindo minha vida se esvair com a falta de ar , quando em minha mente vinha a imagem de um jardim iluminado ,uma mulher sem expressão , seus olhos eram feitos de botões pálida e de longos cabelos escuros regava flores cor de rosa enquanto um menino loiro brincava de pular sobre as flores que o jogavam de volta uma para a outra rindo feliz com sua brincadeira , e ela olhou em minha direção e sorriu , os lábios retraidos roboticamente enquanto sua mão fazia um sinal de silêncio.....

Acordei assustada com a buzina do carro alta e meu pai chingando um motorista que havia passado em sua frente sem dar sinal .

Estava suando frio e com o rosto pálido enquanto tentava entender oque estava acontecendo em minha volta.

-Imbecil ... - disse por fim meu pai enquanto minha mãe o acalmava.

Eu suspirei no banco de trás , olhando as horas no meu celular , vendo que faltava cerca de meia hora pra chegarmos ao palácio cor de rosa.











Notas Finais


Próxima semana já posto o próximo , espero que tenha ficado bom♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...