História Cordelia Sakamaki, a história nunca contada. - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Beatrix, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Richter, Tougo Sakamaki "Karlheinz"
Tags Cordelia Sakamaki, Diabolik Lovers, Drama, Revelaçoes, Vampiro
Visualizações 89
Palavras 897
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Harem, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


“Ainda amo você. É esse o meu tormento.”

Capítulo 12 - Vampira desaparecida


Fanfic / Fanfiction Cordelia Sakamaki, a história nunca contada. - Capítulo 12 - Vampira desaparecida

O tempo parava ao meu redor. A flecha era destruída em segundos. Jack apareceu em minha frente, levitando o caçador,  fazendo-o  sufocar. Como seus olhos, a cabeça do humano explode, espalhando  sangue e miolos para todos os lados.
            Minhas pernas continuavam a doer. Jack carregou-me em seus braços, indo para uma cabana no meio da floresta. Nela, haviam móveis simples. Ele cuidava de meus ferimentos enquanto eu estava deitada na cama. 

 

--Obrigada por ter me salvado, nem sabia que isso fazia parte do nosso pacto.—Falei, sentindo minhas pernas melhorando. 

 

--Talvez eu tenha feito isso por outro motivo. Não percebe que sinto algo por você?—Diz Jack, acabando de cuidar de meus ferimentos. 

 

--Claro que percebo... mas não sabia que era algo tão forte. 

 

--Gostaria de pode te dar o que Karl não conseguiu dar pra você. 

 

--Nunca tive o amor de ninguém, por isso não faço a menor ideia do que isso significa.--Falei tendo algumas leves lembranças. 

 

--Nesse caso, permita-me demonstrar amor de outra forma. 

           

            No momento que ele fala isso, o mesmo beija-me de maneira intensa e carinhosa. Eu tirava suas roupas, enquanto o beijava. Ele tira meu vestido deixando-me apenas de lingerie. Dava beijos calmos e suaves em seu pescoço, acompanhados de chupões. Delicadamente, ele tira meu sutiã começando a chupar o bico de meus seios que já estavam duros. Gemi seu nome com todo o meu desejo.  Ele retira minha calcinha, a jogando para o lado da cama, em seguida ele penetra-me com seu membro grande e grosso, em minha intimidade. Rebolo meu quadril, de forma bem prazerosa e gostosa. Ele penetrava-me cada vez mais rápido, e, com mais paixão, mais desejo. Beijava-o novamente, com minha língua entrelaçando com a dele. Passa algumas horas de muito sexo e luxúria, Jack já sentia-se em seu ápice. 

 

--Cordelia, eu vou... 

 

Ele tem um enorme orgasmo dentro de meu interior, suspiro ofegante deitando ao seu lado na cama.Deitei em seu peitoral,ainda recuperando meu fôlego. 

 

--Você gostou, Cordelia? 

 

--Sim... – suspiro- queria pode fica mais um dia com você nessa cabana. 

 

--Digo o mesmo. Ruim que você ainda tenha que volta pra aquele lugar. 

 

--Nunca irei esquecer dessa noite, sei que ainda teremos muitas noites juntos. 

 

            Bocejei, já cansada, havia esgotado toda minha energia na cama com Jack. Acabamos dormindo juntos. No outro dia acordei abraçada com ele, sentia-me mais em casa naquele lugar simples e rústico do que naquele castelo enorme e deprimente. Jack ainda estava adormecido acariciei seu rosto, um sorriso de leve forma-se em meus lábios. 

 

--Bom dia, Jack! 

 

--Bom dia, Cordelia. ...Infelizmente você  precisa voltar, não é? 

 

--Sim – disse com a voz manhosa - , vou só  vestir minhas roupas. 

 

            Vestíamos nossas roupas. Logo ele teleporta-nos para a frente do castelo. Entrei no lugar e já estava acontecendo uma briga feia entre Richter e Karlheinz. Richter tinha apanhando aparentemente muito de Karl, por isso estava ajoelhados no chão bem cansado. 

 

--Foi você que sequestrou a Katherine! Fala de uma vez, seu mentiroso.--Dizia Richter voltando atacar Karl. 

 

--Não fiz nada. Com certeza ela deve estar na cama com alguém que saiba como satisfaze-la sexualmente.--Falava Karl empurrando Richter contra a parede com força. 

 

            Ajudei Richter a levantar. Ele se encontrava assustado e surpreso ao mesmo tempo em me ver novamente. 

 

--Cordelia, pensei que tinha perdido você também.--Dizia Richter abraçando-me com força.  

 

--Estou de volta. Deixe que resolvo com  Karl.--Falei isso olhando com seriedade para Karl. 

 

--Juro que isso não vai fica assim, está me ouvindo Karl? - Richter retira-se da sala falando seu último aviso para Karlheinz.
           

Cheguei perto dele, não temia enfrenta-lo. 

 

--Olha quem decidiu voltar, seu amante a dispensou por hoje?--Karl fala isso no desejo de quere me provocar. 

 

--Parece que você decidiu virar sequestrador de mulheres? Nada é  mais vergonhoso do que a atitude que teve.--Falei querendo ir direto ao assunto.  

 

--Tenho de admitir que a Katherine é muito bonita, mas por quê perderia meu tempo com ela? 

 

--Talvez seja porque você quer mais uma esposa, pra sua coleção particular de trouxas? 

 

--Você  faz parte dessa coleção de trouxas, minha querida Cordelia. 

 

--Por pouco tempo, um dia farei com que todos vejam que você  não é  esse rei que pensam que é. Não passa de um idiota escondido atrás de um título. 

 

            Ele avançava em minha direção  levantando a mão para me bater. Antes de isso acontecer uma força o joga contra a parede, as espadas em cima da laleira  saíam do lugar avançando na direção dele o perfurando nos ombros. Já sabia quem tinha feito isso, dei as costas já saindo da sala. 

 

--Que tipo de demônio é você?--Karl gritar pra mim, antes de retirar-me da sala. 

 

--Não deveria fazer essa pergunta à mim, e se eu fosse um demônio seria um dos piores comparado às coisas que gostaria de fazer com você. 

 

            Seguir até  meu quarto. Ao chegar lá, tomei um banho. Quando o terminei, fui a me vestir. Os sintomas  de enjoos e náuseas aumentaram novamente e isso já  estava me irritando. Sentia esses sintomas desde que havia me deitada com Karl daquela vez. Lembrei que tinha uma despensa de remédios quase como uma farmácia particular já que tinha de tudo. Fui até o local encontrei o que queria, um teste de gravidez, fui até o banheiro e fiz o teste. Estava nervosa e com medo do resultado. Olhei-o e não  era o que eu estava esperando ver. 

 

--Não acredito...

 


Notas Finais


Ola gente,decide fazer um capítulo com hot rsrs.Bjs espero que gostem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...