1. Spirit Fanfics >
  2. Cores em um Coração de Gelo >
  3. Sentimentos opostos

História Cores em um Coração de Gelo - Capítulo 41


Escrita por:


Notas do Autor


Muito obrigada por gastar um pouco de seu tempo lendo essa história!

A foto de capa não tem relação com o capítulo, é só para ilustrar como John, Daniel e Mike (nessa ordem) seriam se tivessem praticamente o mesmo tamanho e descolorissem o cabelo.

Capítulo 41 - Sentimentos opostos


Fanfic / Fanfiction Cores em um Coração de Gelo - Capítulo 41 - Sentimentos opostos

O resto do dia ocorreu tranquilamente para os novos amigos. Lisa fora elogiada por todos que tivera contato àquele dia por seu jeito amistoso e alegre e Mike por sua desenvoltura e novo visual.

Já em casa, Lisa decidiu ficar em seu apartamento, porém convidou Mike para passar à noite ali. Este aceitou de bom grado o convite e, enquanto ela preparava o jantar para eles, ele foi até seu apartamento e pegou uma peça de roupa para dormir e outra para o trabalho no dia seguinte.

Mais uma vez, os dois chegaram bem cedo no prédio da Moura. Para Lisa foi bom por poder ter mais algum tempo sozinha com Daniel, que já considerava um amigo. Para Mike, foi ótimo para poder se preparar melhor para a reunião que abriria aquele seu dia de trabalho.

O almoço foi tão animado quanto o do primeiro dia e a injeção de energia que John e Mike precisavam para aguentar o resto das horas de trabalho. Foi também aí que Mike lembrou Lisa do jantar que teriam com a família deles àquela noite.

Lisa não queria ir, não se sentia bem para encarar sua família, entretanto tinha a consciência de que sua falta seria um motivo maior de preocupação do que seu estado emocional. Mike lhe garantiu que estaria ali por ela e daria todo o suporte necessário, o que lhe acalmava um pouco.

Como combinado, Mike esperou por Lisa nas imediações da creche até que esta fora liberada por Daniel e foram direto para a casa de dona Joana, a avó de Mike e a anfitriã da noite.

Foram os primeiros a chegar, o que permitiu Lisa se blindar um pouco para o que sentia que estava por vir. O comportamento de Lisa fez Joana pensar que algo estava acontecendo, porém, como era delicada, apenas comentou sobre a aproximação evidente entre ela e seu neto mais velho.

_Você acha vó? – Mike perguntou em tom de brincadeira ao ouvir o comentário sobre ele e Lisa.

_Tenho certeza. Olha só como você a está abraçando? – A senhora entrou na brincadeira.

Mike apertou ainda mais Lisa em seu corpo, colando as costas dela em seu peito ao mesmo tempo em que beijava carinhosamente a bochecha dela. Lisa riu tímida da atitude de seu companheiro, ampliando ainda mais o sorriso dos outros dois.

_Como abraço qualquer outra pessoa. – Mentiu descaradamente.

_Você não abraça pessoas. – Sua avó o repreendeu por mentir.

_Não? – Lisa olhou intrigada para ele.

_Isso é intriga. Eu abraço sim as pessoas, só não com tanta frequência quanto eu abraço você. – Piscou travesso para ela.

_Bobo! – Ela agitou a cabeça em negativa ampliando ainda mais o seu sorriso.

_Pensei que nunca ia te ver assim. – Dona Joana provocou um pouco mais.

_Ela merece. – Ignorou a provocação e ainda deu mais motivo ao beijar novamente a bochecha de Lisa.

_Grrr... – A senhora fingiu estar com raiva. – Quanta melação!

Luan e sua nova família entraram na sala de dona Joana nesse momento. Querendo entender o que estava acontecendo, Luan perguntou à sua avó:

_O que está acontecendo aqui para a senhora ficar com tanta raiva?

_Seu irmão. Está tão meloso que está me matando de diabetes. – Exagerou um pouco em seu ato.

Mike novamente não se ofendeu, pelo contrário, gostou tanto do comportamento da avó que soltou uma risada ruidosa e gostosa, contagiando a todos que estavam ali.

_Ainda bem que vou me livrar dele ou eu também morreria como a senhora. – Luan entrou na brincadeira.

_Até parece! Eu é que estou feliz por finalmente ter minha glicose controlada já que não vejo vocês dois mais. – Lisa defendeu seu parceiro.

Este riu ainda mais da cara de falso atingido de seu irmão. Realmente havia encontrado a mulher certa e não pouparia esforço para mantê-la ao seu lado. Tanto que nem ligou ao apertá-la em seus braços enquanto a beijava na nuca.

_Chega de tanto doce! – Dona Joana repreendeu seu neto falsamente. Ela estava muito feliz por ele finalmente ter encontrado alguém que o faria feliz.

_Concordo. Eu quero poder experimentar a sobremesa essa noite. – Luan complementou a avó.

_E a gente já pode comer, pai? – Jim perguntou não escondendo o seu cansaço.

_Ainda não, meu anjo. Ainda faltam os vovôs chegarem. – Agnes respondeu carinhosamente a criança ao seu lado.

_E enquanto isso... – Lisa chamou a atenção das duas crianças. – Por que não sentamos aqui e vocês me contam como foi o dia de vocês?

_Foi muito bom tia! – Vitor disse com a alegria sobressaindo ao seu cansaço.

_E o que vocês fizeram? – Perguntou já livre dos braços de Mike e se sentando no sofá mais próximo.

_Muita coisa legal! – Jim se sentou ao lado da tia.

Vitor também não perdeu tempo, se sentou do outro lado e ajudou o quase irmão a narrar as aventuras que tiveram naquele dia. Enquanto Lisa distraía as crianças e, de quebra, a si mesma, o resto dos adultos conversavam sobre seus trabalhos e os preparativos para o casamento que estava por vir. Essa mesma conversa foi levada para a mesa depois que os outros convidados chegaram.

Lisa mal conseguiu prestar a atenção no que estava acontecendo ao seu redor. Ver sua família tão alegre com aquele momento não a estava deixando bem, mas ela suportaria quieta por não querer ser a estraga prazeres de nenhum deles ali. Sua tristeza não seria propagada.

O único que realmente compreendia o comportamento de Lisa era Mike e, respeitando o sentimento dela, não fez questão de incluí-la na conversa. Ele tinha consciência de que ela preferia estar sozinha, mas medo do que ela poderia fazer caso assim estivesse.

Os outros sete também perceberam o comportamento retraído de Lisa, mas como não se sentiam à vontade para questionar o motivo, preferiram ignorar e deixar a conversa entre eles o mais leve e animada possível. E a noite teria sido maravilhosa se um pequeno comunicado por parte dos noivos tivesse sido deixado para outro dia.

_Bem, acho que não podemos enrolar mais. – Luan mudou o assunto da conversa assim que a sobremesa fora servida.

_Nós temos algo para contar à vocês. – Agnes olhou com um sorriso maravilhoso no rosto para Luan.

Lisa, sem entender o motivo, sentiu-se ainda mais deprimida. Foi imediato seus olhos caírem e encararem suas mãos em seu colo. Por estar assim, ela nem percebeu o sorriso ainda mais encantador que Luan deu para sua irmã antes de os dois se voltarem para os outros.

_Eu vou ser pai de novo! – Luan deu a noticia não se cabendo em alegria.

Mike, assim que ouviu seu irmão, sentiu seu corpo inteiro se contrair. Lisa ficou estática enquanto o resto da mesa controlava seus ânimos.

_Eu estou grávida! – Agnes quase gritou sua notícia.

Por estar ao lado dela, Mike percebeu o corpo de Lisa se contrair por inteiro ao mesmo tempo em que ela abaixava ainda mais seu rosto. Mesmo os cabelos grandes dela cobrindo seu rosto por estarem soltos, ele ainda pôde perceber a força que ela fazia para controlar o choro. Os outros, contaminados pela alegria do casal, não deram muita atenção a Lisa e continuaram a conversa:

_Meu Deus! Isso é incrível! – A senhora Stark foi a primeira a se manifestar.

_Parabéns meu filho. Espero que esta criança cresça feliz. – O senhor Kose congratulou sinceramente ao filho.

_Eu também! Nem acredito que terei mais um neto. – A senhora Kose não deixou de se manifestar.

_Bem, parabéns ao casal. Fico feliz por vocês. As crianças já sabem? – O senhor Stark foi o menos animado, mas estava tão feliz quanto.

_Sim, contamos ontem à noite para elas e elas reagiram bem. Até o pequeno Jim adorou a notícia. – Agnes explicou.

_E quanto tempo mais vou ter que esperar para ver o meu bisneto, ou bisneta?

_Sete meses. Estou grávida de aproximadamente nove semanas.

_Ah! Tão recente.

_Sim, mas já pudemos ouvir o coração do bebê. Vocês querem ouvir? – Luan ofereceu ainda mais radiante.

E Lisa não suportou mais. Assustando a todos ali à mesa, ela levantou-se em um movimento rápido e, ainda escondendo o rosto, conseguiu disser:

_Desculpa, eu... – Mais nenhuma palavra saiu e, deixando os outros ainda mais atordoados, ela correu dali para que não vissem seu choro.

_Lisa? – A senhora Stark se levantou junto de Mike.

_Deixe. Eu falo com ela. – Mike se prontificou ao tentar acalmar a senhora.

_Você sabe o por quê de ela estar assim? – Os olhos de Luan foram duros nele.

_Sei e prometo contar tudo o que está acontecendo, mas eu preciso ver como ela está. – Conseguiu controlar seu próprio desespero.

Os três que mais lhe importavam naquele instante lhe deram permissão, dos outros ele não se importou com o que pensaram quando saiu afobado da sala de jantar.

À medida que ele percorria os cômodos do apartamento de sua avó e não a encontrava, seu desespero aumentou ainda mais. Tentando raciocinar, voltou para o hall, foi quando viu que a porta da varanda da sala de estar estava aberta. Com o coração na mão, correu até lá e sentiu seu corpo se desmanchar em alívio ao ver Lisa encolhida entre as grades de proteção.

Ele nem precisou dizer que estava ali, Lisa sentiu sua presença e pulou na direção dele, buscando consolo no corpo alheio. Mike não negou o que ela queria e ainda intensificou sua proteção ao abraçar forte o corpo de Lisa.

_Eu estou aqui. – Ele disse mal conseguindo controlar seu próprio choro ao passo que acariciava a cabeça dela.

Ela só conseguiu chorar ainda mais enquanto pedia desculpas a ele. Desculpa por não ter sido capaz de segurar um filho dele. Desculpas por ter estragado a noite dele. Desculpa por ser uma inútil.

_Você não tem que me pedir desculpas. Essas coisas acontecem quando têm que acontecer. – A confortou assim que a sentiu mais calma.

_Mas você não merecia isso. – Ela tentou o fazer se sentir melhor.

_Muito menos você. – Respirando fundo, ele a puxou para que se sentassem em um dos bancos daquele lugar. – Você tem um coração tão puro que nem aquele acidente merecia ter sofrido.

_Mas aconteceu e mesmo com meu amuleto eu continuo sem sorte. – Reclamou em prantos.

_Não vejo assim. Aquela vez você teve que passar por algo bem pior sozinha, o cara que estava ao seu lado te abandonou e teve que encontrar apoio em estranhos. Desta vez eu estou com você. Vou te dar todo o apoio que for necessário para que supere todos os seus momentos ruins e, só então, poderemos ter a nossa família. – Ele foi firme e convicto, mesmo que sua voz fosse extremamente carinhosa.

_Você fala tanto de mim, mas e você? Quem vai cuidar de você? – Não se sentia digna de todo aquele carinho.

_Você já cuida de mim mesmo que não perceba. Mesmo que esteja quebrada. Mas para eu superar isso, preciso que supere comigo. – Ele foi ainda mais carinhoso.

_Eu não mereço isso.

_Não. Merece algo melhor que vou fazer de tudo para conseguir dar a você.

_Não. Você merece alguém menos quebrado. – Tentou se esquivar novamente.

Sério, ele afastou o corpo dela do seu até que seus olhos se encontraram. Ele segurou firme aquele olhar e deixou à mostra sua alma quando disse:

_Pode não parecer, mas sou tão quebrado quanto você. Nesse pouco tempo que estamos juntos, você já me remendou o bastante para me fazer alguém melhor. Eu quero muito que continue juntando os meus pedaços e quero muito te ajudar a juntar o seus. – Carinhoso, ele segurou o rosto dela com suas duas mãos.

Lisa, com o choro já controlado, não conseguiu segurar as lágrimas que insistiram em voltar a cair. Mike as limpou delicadamente com seus polegares antes de continuar:

_Por pior que tenha sido esse momento, ele veio para nos deixar mais fortes e abrir nossos olhos. – Ele respirou fundo mais uma vez. – Só depois do que nos aconteceu eu parei para pensar em nós e cheguei a conclusão que eu quero o “nós” com você para algo que eu já havia desistido. Eu quero uma família contigo, mas eu preciso que esteja disposta a isso também.

_Eu não pensei nisso ainda. – Ela foi sincera em sua decepção.

_Eu sei que não. Eu é que sou muito apressado. – Ele sorriu meigo para ela. – Mas preciso saber se você quer começar a construir o nosso “nós”.

_Nós já começamos há um mês atrás. Podemos continuar tentando. – Lisa decidiu se agarrar àquela oportunidade.

_E vai me deixar te ajudar a superar isso? – Ela fez que sim. – Vai me deixar cuidar de você? – Outro sim dela. – Vai me deixar ficar ao seu lado?

Ela fez que sim mais uma vez antes de completar:

_Se você me deixar cuidar de você e retribuir tudo o que me der.

_Eu aceito isso. – Ele sorriu doce para ela antes de ficar sério. – Agora vamos entrar, está muito frio aqui fora.

_Eu não quero. Não sei como vou contar a eles o motivo de eu ficar assim. – Ela se escondeu nele realmente assustada.

_Eu sei. Por isso vou te deixar em um dos quartos enquanto eu converso com eles. – Mike foi carinhoso.

_Não quero ficar sozinha. – Ela fez manha.

_Posso te deixar com as crianças que estão dormindo na sala. – Ele riu de sua criança.

_Não estou com sono. – Reclamou infantil.

_Eu te faço ficar. – Sussurrou travesso ao mesmo tempo em que acariciava as costas dela.

Lisa não protestou. Amou aquele carinho que parecia derreter seus músculos aos poucos. Quando se deu conta do que estava acontecendo, foi só o tempo de fechar os olhos para apagar nos braços de Mike.

Rindo feito um pai babão, Mike levou Lisa até um dos quartos de hóspedes de sua avó e a acomodou nas cobertas sobre o colchão. Ele se permitiu fazer um pouco mais de carinho nela antes de voltar para a sala de jantar.

_E aí, como ela está? – Luan já foi direto, sem nem esperar seu irmão entrar no ambiente.

_Melhor agora. – Foi sincero ao voltar a se sentar na cadeira em que ocupava.

_Você pode nos dizer o que aconteceu com ela? – A senhora Stark deixou sair sua preocupação.

_Posso, mas antes eu preciso esclarecer algo. – Ele a respondeu receoso.

_Sinta-se à vontade para contar a sua maneira. – O senhor Stark foi compreensivo com o rapaz.

_Bem, eu e Lisa estamos saindo desde que o ano começou. – Ele admitiu com medo da reação dos Starks.

_Vocês estão namorando? – A mãe de Lisa o encorajou.

_Não. Mas decidimos nos conhecermos melhor e saímos algumas noites.

_E nessas noites vocês acabaram dormindo juntos. – O pai de Lisa o complementou compreensivo ao ver o cuidado que ele estava tendo para contar o que já imaginavam.

_Sim e por um descuido meu ela acabou engravidando. – Sentiu o peso do que estava por vir.

_Sabia! – Luan explodiu assustando a todos.

Mike ficou ainda mais encolhido em sua cadeira.

_E a criança, está bem? – O senhor Stark continuou a pressionar Mike de forma delicada.

Deixando-se abater mais uma vez pelo ocorrido, disse tristemente:

_Não. Ela perdeu a criança dois dias atrás.

E sentir os olhares de espanto e culpa só o fez se sentir ainda pior. Por mais que ele já tivesse superado o primeiro momento, ainda estava sensível quanto aquilo.

_Que horrível! – Agnes deixou seu espanto sair.

Surpreendendo a todos, Luan levantou de seu lugar, foi até seu irmão e o levantou da cadeira para apertá-lo em um abraço.

_Sinto muito, Min. – Sussurrou em pesar.

Mike só apertou seu irmão antes de deixar as lágrimas caírem. Ele tinha razão, podia contar com seu irmão para superar aquilo.

_Você está bem? – Luan soltou seu irmão de seu aperto para analisar suas feições.

_Já estive pior. – Não mentiu.

_E ela, como está? – Joana perguntou temendo algo.

_Mal. Mas melhor do que poderia imaginar.

_Ela não tentou nada drástico, não é? – Agnes estava preocupada com sua irmã.

_Não tenho deixado que fique sozinha por muito tempo. – Mostrou seu cuidado.

_Nem quando está trabalhando? – Luan não escondeu sua desconfiança.

_Bem, pelo menos algo bom tinha que acontecer. Ela tem ido para o trabalho comigo.

_O que ela tem feito lá? – A senhora Stark estava desconfiada.

_O coordenador da creche de lá é meu amigo e, por isso, fiquei sabendo do desespero dele em encontrar alguém para substituir uma das professoras que saíra.

_Você a indicou? – Sua mãe não escondeu sua curiosidade.

_Melhor, eu a levei para lá. Daniel gostou tanto que já está pensando em cancelar o contrato provisório e fazê-la assinar um definitivo. – Mike não escondeu seu orgulho.

Estava feliz por ela ter chamado a atenção positivamente em seu novo trabalho em tão pouco tempo.

_Isso é ótimo, mas e durante os finais de semana? – Joana pontuou bem.

_Bem... – Mike não conseguiu esconder seu receio. – Eu pensei em passar com ela, se vocês não se importarem. – Ele olhou para seus futuros sogros.

_Não. Desde que tenha juízo e não machuque minha menina. – O senhor Stark ameaçou um pouco seu futuro genro.

_Não. Eu não quero fazer isso. – O respondeu em desespero. – Só quero o melhor para ela.

_Bom. Acho que agora podemos tomar um café para reanimar os nossos ânimos. – Joana tentou trazer de volta o clima leve de antes.

_Acho uma boa ideia. – O senhor Stark concordou.

_Eu faço então. – Mike se prontificou.

Claro que foi um plano maligno para fazer média com seus futuros sogros. Nem tanto, mas o café de Mike foi muito elogiado pelos Starks e o rendeu um convite para jantar com toda a família qualquer dia desses. O final perfeito para uma noite conturbada.


Notas Finais


Esse também é um dos meus capítulos preferidos, confesso. Amo esse Mike atencioso.

No mais, obrigada por chegar até aqui, pelos favoritos e comentários e até a próxima quarta! (Que gostaria de saber se só eu que acho que elas demoram muito para chegar. Elas demoram para vocês também?)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...