1. Spirit Fanfics >
  2. Cores Quentes - Sendo revisado >
  3. O festival cultural da UA.

História Cores Quentes - Sendo revisado - Capítulo 46


Escrita por:


Notas do Autor


Olá jovens,
https://www.youtube.com/watch?v=LUVD2h6kcXE
chegamos ao ultimo capítulo e eu só quero agradecer a todos vocês por acompanharem essa historia pelos dois anos que eu escrevi, nada me faz me sentir mais feliz do que imaginar que minha historia trouxe um sorriso á vocês.
O link é da música do festival em português um ótimo cover aliais.
obrigado novamente.
até breve.

Capítulo 46 - O festival cultural da UA.


Fanfic / Fanfiction Cores Quentes - Sendo revisado - Capítulo 46 - O festival cultural da UA.

Izuku foi lançando no ar tão rápido que tudo que o esverdeado conseguiu fazer foi pensar na namorada que foi jogada junto com ele, Izuku pegou impulso com um Air cute e resgatou a namorada ainda no ar. Mina sorriu quando foi envolvida pelos braços do esverdeado enquanto ambos caiam um pouco distante do palco da batalha onde Gentle e La brava eram pegos pelos professores.

Mina foi a primeira a pôs os pés no chão e ajudou o namorado a descer, sorrindo a rosada lhe puxou para um beijo e depois limpou um arranhão no rosto do esverdeado. Mina sorriu novamente ao pegar a mão do namorado e correr na direção da dupla de vilões.

- Eu conheço você – Ectoplasma afirmou – é o vilão youtuber.

- Eu tropecei numa pedra e acabei aqui, gostaria de me render – Gentle afirmou.

Shigaraki levantou a sobrancelha incrédulo, estava obvio que aquele homem estava lutando com alguém, além disso havia marcas de ácido em suas roupas e Shigaraki sabia que nem Izuku nem Mina haviam haviam voltado ainda, o ex vilão agarrou o outro pela gola com cuidado.

- Eu sei que você estava lutando com dois alunos, onde eles estão? – Questionou enquanto a parceira do vilão chorava.

Ectoplasma foi o primeiro a ouvir os passos dos alunos que corriam apressados para a cena, se o professor pudesse adivinhar o que aconteceu, diria que Izuku Midoriya e Mina Ashido acabaram em confronto com aqueles vilões por alguma razão. E isso se qualificava como uma emergência.

Izuku chegou com o coração martelando no peito graças á sua adrenalina que ainda estava a mil enquanto Mina parecia mais calma, mas não bastante para convencer os dois professores que eles não lutarão com aqueles vilões perigosamente perto da UA.

- Ei Ectoplasma responda, é uma emergência? – A voz de Present Mic soou no rádio.

- Não, é apenas um youtuber – Afirmou.

- Explique – Shigaraki pediu enquanto levantava Gentle.

- Eles queriam pregar uma peça, brigamos um pouco – Izuku explicou encarando o irmão nos olhos.

Shigaraki não iria engolir aquela mentira. Izuku percebeu pelo olhar do irmão que ele não iria engolir aquela desculpa e muito menos não perguntar porque ele e Mina estavam tão arranhados e suas roupas tão sujas, além do nariz sangrando de Izuku.

- Meu maior crime foi envolver essa jovem – Gentle afirmou apontando para La brava que o segurava chorando.

Izuku achou aquela cena terrivelmente triste, foi difícil trocar socos com o vilão, não por falha na determinação do esverdeado ou de sua namorada, mas sim na falta de maldade real vinda do vilão.

- Você vai explicar isso depois – Ectoplasma afirmou á dupla de vilões. – Melhor correrem.

Izuku e Mina se tocaram que o festival estava para começar e arregalaram os olhos juntos em uma sincronia que o ex vilão achou bizarro, Shigaraki balançou os dois pelos ombros para despertar a dupla do transe.

- Vamos, vocês se apresentam em cinco minutos.

Mina arregalou os olhos e agarrou a mão do namorado correndo na direção da escola, enquanto Shigaraki corria para acompanhar o casal, Mina não podia se atrasar não agora, Eri estaria esperando por eles e por sua apresentação e a rosada não iria falhar com a pequena.

Inko esperava ver os dois filhos e sua nora dançando e aproveitando seus tempos na escola, por deus a Midoriya mais velha só queria que eles aproveitassem seus anos de colégio como jovens normais e não entrando em batalhas mortais ou se envolvendo em planos perigosos.

- Nervosa? – Hikari disse ao seu lado, a mãe dos Ashido veio junto com todos os filhos para ver sua filha e seu genro se apresentarem.

- Preocupada, Izuku deve estar levando isso muito a sério – A mãe confessou.

Hikari sorriu feliz para a amiga, seus filhos menores a acompanhavam de perto enquanto Shinji andava atrás deles observando toda a decoração da UA que era dividida em varias e varias atrações diferentes cada uma á cargo de uma turma diferente da escola do primeiro ao terceiro ano.

Mika estava de olhos arregalados observando atenta cada detalhe da escola que esperava frequentar futuramente, sua prova estava chegando e com a ajuda da irmã mais velha e do cunhado a pequena Ashido estava pronta para tentar entrar na UA, Makoto já era diferente, o pequeno não desejava entrar na UA cedo como a irmã caçula e sim experimentar outras carreiras como o irmão Shinji.

Izuku e Mina já estavam na metade do caminho quando Shigaraki chegou correndo carregando a corda que a dupla tinha ido comprar, Izuku arregalou os olhos antes de receber um cascudo do irmão.

- Não se esqueçam de se lavarem, se aparecerem assim eles vão se preocupar. – O professor explicou.

Mina concordou com um aceno de cabeça e puxou o namorado para o banheiro mais próximo, por sorte era um banheiro não muito usado, isso ajudou Izuku a não morrer do coração por estar em um banheiro feminino.

Mina usou um lenço que estava em seu bolso para limpar a sujeira do rosto e tirar o sangue do nariz do namorado que estava tão corado pela situação que não falou uma única palavra enquanto a rosada cuidava dele.

- Acha que a Eri vai sorrir? – Mina questionou enquanto pressionava o lenço contra o nariz do namorado.

Izuku sorriu e abraçou sua namorada fazendo Mina corar com o contato, Izuku beijou sua testa e a envolveu em seus braços fazendo Mina se sentir a pessoa mais segura do mundo e por um momento os dois esqueceram que estavam atrasados.

- Vamos, é nossa vez de fazer alguém sorrir – Izuku afirmou – Eu te amo Mina.

Mina respondeu com um beijo.

Era estranho para Mirio voltar para a UA sem sua individualidade, o aluno foi saudado por vários de seus amigos e pela classe 1 B que o ajudou a combater os Noumus que invadiram a UA, o aluno cumprimentou seus amigos e seus kohais até encontrar Aizawa o professor da classe A segurava Eri pela mão delicadamente enquanto amostrava as atrações para a pequena garota que acenou ao ver Mirio correndo sua direção.

Eri correu em sua direção e Mirio abriu os braços para que a menina lhe abraçasse tão forte quanto possível, por um momento Mirio esqueceu que perdeu sua individualidade e só queria que a pequena sorrisse para ele para sempre. Mas isso era tarefa de Midoriya, apenas com o sorriso da menina eles conseguiriam afastar a sombra de Overhaul.

O ex aprendiz de herói e agora um estudante comum, andou pela UA cumprimentou seus colegas de turma e desejou boa sorte a Hadou que iria participar do concurso de beleza da UA. Passou pela turma B que iria apresentar uma grande e épica peça de teatro.

Acabou no galpão onde Izuku e seus colegas combateram os Noumus, ali o loiro encontrou um bom local para ele e para Eri enquanto aguardava as cortinas da Classe 1-A se abrir e aguardar o que eles haviam preparados para o publico.

Izuku estava tremendo. Mina foi a primeira a notar, a rosada estava conversando com Jiro que preparava sua guitarra quando notou que o namorado tremia em seu terno amarelo e branco. A rosada sorriu e foi até Izuku, Mina usava um uniforme similar com detalhes brancos em um uniforme amarelo, Mina pegou na mão cheia de cicatrizes do namorado e sorriu. O melhor sorriso que pode, queria passar para Izuku toda a confiança que ela tinha nele, nunca conheceu alguém mais gentil, corajoso ou bondoso do que seu namorado e queria que ele sentisse toda a força que ele passava á ela apenas em estar próximo dela.

- Vamos conseguir – Izuku disse para a namorada.

- Vamos Izu – Sorriu.

Izuku beijou sua testa e Mina sentiu seu coração saltar no peito.

Hikari sentou-se ao lado de Inko enquanto os filhos se sentaram um ao lado do outro curiosamente perto do novo professor de Mina e Izuku, Shigaraki. O ex vilão sorriu para a mãe adotiva e para Hikari, fez um sinal de que estava trabalhando para a mãe e prometeu falar melhor com ela depois.

As cortinas se levantaram e as luzes se apagaram.

Jiro estava nervosa, a menina não queria parecer nervosa para os colegas, mas ela nunca esperava estar ali tocando musica do mesmo jeito que os pais fizeram a vida. Ela ainda se recordava do medo que sentiu ao contar aos pais que queria ser uma heroína e não uma cantora.

Seus medos eram infundados, seu pai sorriu e bagunçou seus cabelos.

- Kioka, faça o que você quiser e eu vou te apoiar. – Sorriu.

Pai – Pensou – Me ajude a fazer todos sorrirem.

- Ei UA! – Bakugo gritou – É hora de assassinar com nossa música !.

Jiro sorriu.

- Obrigado por virem, eu vou cantar uma musica muito importante para nossa turma – A morena deu o sinal.

Bakugo literalmente explodiu na bateria.

Quem eu sou, então? Qual é a missão? Não há rendição! Em frente eu vou! – Jiro decidiu não pensar em nada além de cantar seus sentimentos naquela música.

 Futuros que não vi Dependem só de mim Linhas vou traçar E sonhos seguir, yeah Sem descansar Tentei me achar Algo sempre me impediu Me segurou!

 Um herói Sou um herói também!

 Meu coração (meu coração) Não volta atrás.

Paredes de gelo erguidas por Todoroki surgiram enquanto os alunos da UA surgiram em casais separados nos cantos opostos das paredes.

Ser herói Não é mostrar só poder! Heróis reais!

 Defendem seu valor!

 Verá enfim! Verá em mim!

 Quem sou, vão perguntar Quem posso me tornar Não quero me importar Não quero saber Se eu tiver razão E satisfação Viverei então A vida feliz! yeah

Sem descansar

Tentei me achar Algo sempre me impediu Me segurou!

Uraraka saltou para o outro lado usando sua individualidade para tocar a plateia os fazendo flutuar, Izuku respirou fundo e saltou com seu Full cow levando uma fita que disparou outras dezenas de fitas que foram refletidas por raios de luz vindos de Aoyama e de Toru. A plateia gritou junto com a música.

Mirio segurava Eri bem alto quando viu a menina abrir o sorriso, foi impossível conter suas lagrimas e o veterano chorou bem ali enquanto o fantasma negro de Overhaul finalmente deixava a menina para trás.

Um herói Sou um herói também!

Meu coração (meu coração) Não volta atrás

Ser herói Não é mostrar só poder!

Heróis reais! Defendem seu valor Verá enfim!

 Vão te julgar, sem motivo algum E vão tentar Sonhos frustrar Não ligue!

 Podem me ferir E ignorar Mas fiz meu caminho!

 Podem me ferir E ignorar Mas tenho a canção Do heroísmo!

 Um herói Sou um herói também! Meu coração (meu coração) Não volta atrás

 Ser herói Não é mostrar só poder! Heróis reais! Defendem seu valor Até o fim! (grito)

A musica terminou com uma grande e poderosa onda elétrica e luminosa provocada por Kaminari e Aoyama segurados por Izuku e Mina. A plateia gritou vibrou e soou tão alta que Izuku duvidava que as pessoas nos portões da escola ouviram.

Mina encontrou sua mãe assim que saiu do palco, sua mãe a abraçou tão forte que Mina sentiu seus ossos estalando, Shinji lhe abraçou orgulhoso e Makoto afirmou que nunca viu um show assim nem na tv, Mika limitou-se a afirmar que quando fosse sua vez ali seria ainda mais brilhante.

- é isso que eu espero baixinha – Mina disse abraçando a irmã.

Inko a abraçou a seguir perguntando por Izuku, Mina sorriu e contou que o esverdeado tinha ido até Eri assim que o show acabou.

Izuku encontrou All might e Shigaraki primeiro, seus dois professores lhe deram um par de sorrisos e tapinhas nas costas, antes do grisalho lhe indicar onde Eri e Mirio estavam, Izuku correu para lá para encontrar uma Eri sorrindo.

Izuku chorou.

Mina encontrou o namorado abraçado a pequena Eri e sorrindo junto com a menina, Mina sorriu junto e apresentou Eri á sua família e a família de Izuku. Izuku visitou todas as turmas que pode levando Eri em suas costas, com Mirio ao seu lado contando piadas para Shinji e Makoto, com Mina levando Mika pela mão lhe amostrando sua escola.

Izuku queria que sua paz nunca acabasse.

Longe dali.

Dabi estava entediado, o que era comum para um preso, mas naquele dia sua mãe não viria lhe visitar, iria ver o festival da UA e ver como Shoto estava. Sua mãe foi fiel em sua palavra e o visitava todos os dias lhe contando sobre livros ou assuntos diferentes e Dabi sabia que o pai veio lhe ver pelo menos duas vezes enquanto dormia, só de pensar no pai tinha vontade de vomitar.

Continuaria no tédio não fosse um barulho de algo quebrando e sua cela se abrindo para revelar um par de meninas.

As duas usavam roupas brancas marcadas por cruzes vermelhas e usavam um chapéus iguais pareciam soldados, uma delas possuía longos cabelos negros e estranhos e fascinantes olhos amarelos enquanto a outra também possuía cabelos verdes e olhos tão brilhantes quanto esmeraldas.

- Dabi Todoroki? – A menina de olhos amarelos questionou – Venha conosco, a Frente de libertação paranormal veio ao seu resgate.

- Não estou  interessado, minha mãe ficaria brava – Dabi afirmou.

A menina o olhou diretamente enquanto Dabi conseguia ouvir outras celas sendo abertas e correria tanto dos guardas quanto dos prisioneiros recém libertados aparentemente as meninas na sua frente tinham companheiros. Sua cela continuava com o sistema frio para Inibir seus poderes, mas Dabi podia produzir duas ou até três explosões de fogo potentes o bastante para lidar com aquelas duas.

- Está recusando a liberdade? – A menina de olhos amarelos questionou.

- Estou – Deu os ombros.

Dabi agiu primeiro, disparou uma onda de fogo na direção das meninas antes que elas pudessem fazer algo mais para sua surpresa seu ataque chegou tão fraco até elas que não fez nada além de queimar as capas, sem danos a pele.

- Lembre-se que nossas portas estão sempre abertas para você – A menina de olhos afirmou antes de sair pela porta como se o ataque do vilão não fosse nada.

Naquele dia 5 prisioneiros foram resgatados pelo grupo terrorista Frente de libertação paranormal, dos outros 55 prisioneiros, 54 foram mortos e apenas um deixado na cela.

Dabi Todoroki.

Izuku e Mina terminaram o dia com Eri e os irmãos da rosada acompanhando o pôr do sol enquanto Izuku distribuía as maças doces que fez para todos, Mina apertou sua mão e Izuku sorriu para a namorada nada daquilo seria possível sem ela.

- Eu te amo – Izuku sussurrou para a namorada.

- Justo, eu te amo izu – Mina afirmou e o beijou.

Fim.


Notas Finais


PS decidi escrever a segunda temporada.
aguardem o prólogo u.u


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...