1. Spirit Fanfics >
  2. Coringa - Show De Horrores >
  3. 5 - A Depressão...

História Coringa - Show De Horrores - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Chega um momento em que você cansa de lutar, e se entrega à dor...

Capítulo 5 - 5 - A Depressão...


Fanfic / Fanfiction Coringa - Show De Horrores - Capítulo 5 - 5 - A Depressão...

[...]


Coringa - Acho que vou deixar "você" me tomar... só queria voltar a ser quem sou, eu só queria ser metade 'eu'... Essas "vozes" aqui dentro dizem : "Me deixe sair! Eu quero sair!" - (Falava Arthur Fleck sozinho com seus pensamentos).

        Quando você não encontra mais saída, entende o tamanho da sua fraqueza, e sabe que "tentar outra vez" só pode significar outra derrota... Tudo parece sem sentido.

Coringa - Eu não pude viver ao lado de quem amo porquê a vida não me deu essa escolha... Tive que abrir mão de tudo para correr atrás do meu sonho, e nem isso eu fui capaz de alcançar...

        Não nasci em um berço de ouro, meus pais nunca puderam investir nos meus sonhos. Tão pouco sou um galã de novela, minhas chances de amar e ser amado são quase nulas.

Coringa - Você não sabe nem a metade da dor de perder uma mãe e um pai, até mesmo de suas broncas eu sinto saudades... E pensar que eu nunca mais vou ver o meu pai...

      Escrever o que sinto em um caderninho de sentimentos é patético, é quase inútil, nem sei porquê ainda estou fazendo isso.

    Certo dia, me surpreendo ao rever alguém tão especial para mim, Harley Queen, ou Stéfani Quinzel, veio me ver na minha casa depois de tanto tempo...

Harley Queen - "Pudim!!" - (Ela me dá um abraço apertado).

Coringa - Harley Queen... Quanto tempo, pensei que nunca mais fosse te ver...

Harley Queen - Eu disse que nos veríamos de novo pudinzinho!

Coringa - Não tem sentido me chamar assim...

Harley Queen - É um apelido carinhoso! - (Ela fala se aproximando de mim com sua roupa insanamente sensual).

Coringa - Como quiser... - (Fico um pouco nervoso) - Mas você tinha razão, eu não consegui ser um ator famoso, e aqui estamos nós de novo... Eu sou um "zé ninguém".

Harley Queen - Não diga isso... Você é o meu pudinzinho!

Coringa - Você é a única coisa que me faz feliz. - (Falo olhando em seus olhos um pouco triste).

Harley Queen - Vamos assaltar um banco?! - (Ela fala animada).

Coringa - Você está falando sério?! É perigoso demais...

Harley Queen - Você é muito bonzinho pudinzinho! As garotas são sempre as mais malvadas! - (Ela fala se levantando com sua calcinha colorida apertada) - Chame os seus capangas, vamos roubar o banco da cidade! - (Ela fala de uma maneira insana).

Coringa - Não sei se eles vão querer ir... - (Falo tentando acalma-la).

Harley Queen - Pudinzinho, os donos de banco perdem tudo em um dia e no outro ganham o dobro! - (Ela fala com muita persuasão para cima de mim, tentando me convencer).

Coringa - Está bem...

Harley Queen - E se eles não quiserem ir, vamos só nós dois, e torramos a grana em Miami! - (Ela fala muito apaixonada).

     Após eles não atenderem nenhuma das minhas ligações, nós decidimos ir sozinhos ao banco da cidade. E ao chegar lá, Harley Queen quebra o vidro da frente e entra ativando os alarmes.

Harley Queen - Hahahaha! Vamos ficar ricos! - (Ela fala dançando com o som do alarme).

Coringa - Acho melhor irmos embora antes que os policiais cheguem! - (Falo preocupado).

Harley Queen - Relaxa pudinzinho! Você acha melhor em Euros ou em Dólar?

    De repente a polícia chega e nos cerca ao redor do banco da cidade.

Coringa - Ah!! - (Eu corro de um lado para o outro mas não tinha saída).

Harley Queen - Parece que temos companhia! Haha! Oi?!! - (Ela acena para eles fazendo poses sensuais).

- É uma mulher, atirem na ladra! - (Ordena o policial, e de repente, todos começam a atirar).

     Eu me joguei no chão enquanto as balas atravessavam os vidros e perfuravam as paredes, mas ela foi atingida e como uma dança que envolve a mente e acalma a alma, ela cai feito uma boneca.

Coringa - Não!! - (Corro para socorrê-la).

Harley Queen - Pudinzinho... - (Ela fala fechando os olhos e dando seu último suspiro em meus braços).

Coringa - Por que não atiraram em mim?! - (Falo desesperado).

- Hahaha! Você é só um homem doente mental, é claro que a mulher foi a culpada de tudo! - (O comandante da polícia fala debochando da minha situação e eles vão embora).

       Em meio àquele cenário de destruição, quem tanto amei estava morta em meus braços, e todo aquele dinheiro no chão agora era meu, mas do que adianta?! Não fazia por dinheiro... Então botei fogo em tudo.

Coringa - Ah-Ah-Ah-Ah... - (Ria enquanto lágrimas caiam do meu rosto no meio do fogo).

---------------------------------------------xxx-------------------------------------------


Notas Finais


VEJA ESSA HISTÓRIA TAMBÉM PELO WATTPAD! MAIS COMPLETA E ILUSTRADA!

ACESSE O LINK : https://my.w.tt/dszV2tJOR3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...