História Corpos Trocados - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys, Bts, Fluffy, Jikook, Jimin, Jimin É Um Furacão, Jungkook, Jungkook É Certinho, Kookmin, Menção Vhope, Namjin, Tentativa De Comedia
Visualizações 193
Palavras 3.366
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Yoooo
Olá meus amores, dessa vez eu sei que demorei... mas vocês não imaginam a loucura que é um fim de período, eu estava prestes a me descabelar KKK mas de todo modo me perdoem sim? Amo vocês!!

Obs.: Esse é o penúltimo capítulo eu estou muito triste!! Playlist nas notas finais.
Obs. 2: Tem uma parte que estão todos os sete reunidos o nome dos dois estão em itálico para que vocês entendam que eles ainda estão trocados e que Jm é o JK e vice versa, mas acho que está compreensível.

Capítulo 4 - Talvez um pouco compreensivos


Fanfic / Fanfiction Corpos Trocados - Capítulo 4 - Talvez um pouco compreensivos

 

A ilusória materialidade do ser. Jungkook sempre pensava nos vazios. Pensava que todos nós somos feitos de vazios, todas as coisas, e que sem nossos vazios provavelmente seríamos bolas de sinuca. Blavatsky nunca havia feito tanto sentido para si, sempre andava com uma edição de A doutrina secreta por aí e ela defendia a ideia de que as coisas estavam sempre em movimento e esse movimento rápido criava uma falsa sensação de materialidade que na verdade não passava de uma quimera. Na situação atual em que se encontrava, na qual os dias com seu corpo trocado com o de Jimin passavam lentos e cheios de algumas descobertas, essa ideia fazia todo sentido, pois como duas almas ou melhor as formas de energia relacionadas às massas dos nossos corpos, poderiam “vazar” para corpos diferentes?

Ele era um jovem de racionalidade e de lógica, provavelmente se aquilo não estivesse acontecendo consigo mesmo, não teria sequer acreditado, mas tinha feito algumas buscas e encontrou uma experimento antigo de 1901 feito por um médico americano Duncan Macdougall, que colocou alguns de seus pacientes moribundos, algo que achou um pouco assustador, com cama e tudo, sobre uma balança gigante “Quando a vida cessou, a balança mexeu de forma repentina – como se algo tivesse deixado o corpo” ele disse na época em que o teste foi feito. A balança diminuiu em 21 gramas, e ele chegou a conclusão de que esse era o peso da alma, isso tinha até mesmo inspirado um filme e Jungkook achou aquilo pertinente mesmo que naquele tempo as balanças fossem muito imprecisas e que tivessem muitos outros fatores envolvidos, somente a possibilidade já deveria ser estudada, viu que alguns tentaram posteriormente, mas por várias questões de ética entre outras não foi possível fazer uma comprovação.

Mas apesar de ser tão ligado a razão sabia que algumas coisas não poderiam ser explicadas de maneira simples e imanente a subjetividade que existe em cada um, por isso um Guru alguém que tenha um conhecimento amplo em teosofia e espiritualidade de maneira mais sistematizada é que lhe parecia a melhor escolha para ajudar ele e Jimin.

Depois daquela noite no telhado Jimin tinha ficado estranho e mais arisco como se estivesse fugindo de si. Jungkook queria entender mas não fazia a menor ideia do motivo ou o que ele poderia ter ouvido.

Ah Jimin, esse sim era um grande quebra cabeça, Jungkook pensava demais o tempo todo e quando estava com aquele loiro teimoso era como se sua cabeça silenciasse mesmo que minimamente, já que os milhares de pensamentos voltados para cada pequena ação do ex melhor amigo, não indicavam exatamente um silêncio, mas ainda sim, tudo que era externo sumia. E isso o assustava, sempre assustou. Estava tão acostumado a ser bombardeado pelas coisas e ideias até mesmo inoportunas que estar com Jimin era como se pudesse finalmente descansar e mesmo depois de tanto tempo afastados ainda sentia isso. Por esse motivo tinha a necessidade constante de afirmar para si mesmo que o odiava, quando sabia que não era verdade, saber que tinha perdido completamente o seu anestésico por não ter sabido se calar, doía demais. Assim, inconscientemente ainda mantinha pequenos costumes ligados a Jimin como manter sua escova de dentes no seu armário do banheiro, quando era claro que ele não voltaria a dormir na sua casa, ou mesmo mandar recadinhos para os pais do garoto falando o quanto ele era incrível no que fazia, ou mesmo algumas gravações dos pequenos shows dele em que ia escondido, tentando mostrar que ele era alguém realmente talentoso.

 

[...]

 

Jungkookie não seja idiota é só uma festa ok?

Jimin não entendia e talvez nunca fosse entender que não era só uma festa, não era só um passeio, não era só ir ver algumas pessoas. Por mais que Jungkook explicasse, que não gostava de sair, que não queria conhecer mais ninguém e que somente a amizade dele importava Jimin insistia em fazê-lo ir a lugares cheios de pessoas esbarrando umas nas outras, com milhares de cheiros e milhares de cores e que aquilo simplesmente incomodava Jungkook num nível extremo, seu cérebro queria captar tudo queria focalizar tudo e era tão cansativo. Muito cansativo e mesmo se concentrando em Jimin, em sua voz saindo pela boca carnuda que se movia com uma leveza paradoxal, sabia que era errado ficar usando o melhor amigo assim como uma escapatória.

Eu não quero ir. ditou direto e seco, já cansado daquela discussão que perdurava já fazia uma semana, desde que Jimin tinha decidido fazer uma festa em sua casa.

Por que? Jimin olhou para ele sentindo um princípio de raiva, diante do controle do amigo sobre aquela situação.

Por que não. Não preciso de um motivo. falou se virando em direção ao seu computador, estavam no seu quarto e anteriormente Jungkook estava estudando algumas coisas até Jimin invadir o seu quarto e se jogar na sua cama, costumeiramente, e começar aquele embate.

Precisa sim, estou cansado de ir aos lugares sem você Jungkook! falou passando a mão pelos seus fios furiosa e desajeitadamente Até hoje você não conheceu os meninos da banda que estou montando, você sequer liga não é? Jimin disparou e não era uma mentira, havia conhecido Jackson e Jiyong há alguns meses e estavam a procura de mais alguém, um baterista. E queria muito, muito mesmo que Jungkook os conhecesse também e que participasse da sua vida mais ativamente. Estava tudo uma bagunça, brigava com seus pais mais constantemente e Jungkook parecia se retrair para o mundo cada vez mais, só queria que ele estivesse ali não só em carne e osso, se preocupava muito.

Mas Jimin estava errado. Jungkook ligava. Ligava muito. Só que o medo parecia estar entranhado em si, será que não poderiam ser só ele e Jimin para sempre?

Sabe ás vezes tenho a impressão de que sempre andei com um fantasma, um amigo imaginário. diante do silêncio Jimin continuou falando.

Jungkook olhou para ele com a dor de ouvir aquelas palavras estampada no rosto. Jimin sabia que tinha ido longe demais, mas era um crime querer que seu melhor amigo fosse a uma festa consigo? Caramba! Era seu aniversário! Ele só tinha que estar lá!

Tudo bem Jimin. Jungkook respondeu finalmente.

Sério? Jimin se levantou da cama onde estava deitado rapidamente com os olhos castanhos três vezes maiores que o normal Você tá falando sério Kookie? se dirigiu até a mesa do computador onde o outro estava sentado, desconfiado, como se qualquer movimento brusco fosse fazer Jungkook mudar de ideia.

Estou idiota. falou rindo da reação de Jimin.

Obrigado! pulou em cima dele com tudo, quase derrubando ambos da cadeira Eu te amo Jungkookie! falou sentindo o amigo rodear os braços em volta de si enquanto ainda ria de sua reação exagerada, mas ele não imaginava como aquilo deixou Jimin esperançoso de que talvez as coisas voltassem ao normal em sua vida.

Eu também te amo Minnie.

E ver o outro feliz daquela forma, fez com que Jungkook pensasse que valia a pena o sacrifício. Para ver aquele baixinho sorridente ele faria qualquer coisa. Sempre. Porque Jimin era sua calmaria e faria de tudo para ser a dele também.

 

[...]

 

— Vai se foder imbecil! Quem te deu esse direito? — Jimin ria tanto que Jungkook sentiu vontade de quebrar a cara dele em pedacinhos, depois pegar esses pedacinhos e quebrar eles também. Ao mesmo tempo em que sentia vontade de rir junto, a risada de Jimin mesmo no seu corpo ainda era contagiante.

— Jungkook, você é sempre tão careta — Jimin respondeu tranquilamente como se o que tivesse feito não fosse nada demais — Vai me dizer que não gostou? — completou com um sorrisinho de canto extremamente presunçoso.

Jungkook respirou fundo. Contou até dez várias vezes, enquanto sentia a própria respiração, assim como a psicóloga havia lhe ensinado a fazer em momentos de estresse extremo ou que achava que estava principiando a ter uma crise de pânico. Jimin observava aquilo sem entender, mas sem tirar o sorriso do rosto, tinha feito o que desejou durante anos.

— Rosa. Por que rosa Jimin? — Jungkook disse mais controlado e manso desta vez.

Jimin riu de novo, mais alto ainda.

— Combina com você. — ditou simplesmente contorcendo os lábios em indiferença.

— Okay, são várias cores que você poderia ter escolhido e você escolheu justamente a mais chamativa — Jungkook falou suspirando derrotado e olhando diretamente para Jimin, sentia raiva por não ter sido questionado sobre aquilo e por não ter controle nenhum, mas também queria rir. Estava confuso — Mas é óbvio o que eu esperava? — continuou — Que você fosse agir com maturidade? Isso nunca vai acontecer.

— Cala a boca, você não me conhece. — Aquilo havia atingido Jimin, que falou também o olhando nos olhos — Não mais.

— Você continua o mesmo, só que maior e mais irresponsável — Jungkook queria discutir, mas Jimin já havia se cansado daquela guerra de quem encarava mais e de brigar com ele também. Sinceramente, ainda estava satisfeito com o que havia feito, mesmo que a reação de Jungkook tivesse sido tão ofensiva, sabia que ele apenas tinha que se acostumar com a ideia, mas que no fundo ele não tinha achado tão ruim, ele sabia, fazia esse tipo de coisa quando eram crianças. Era só uma pequena travessura que fez, para desviar o foco daqueles dias de espera pelo guia espiritual, que estavam o deixando louco e ansioso.   

— É só cabelo Jungkook! — falou desviando o olhar e se acomodando no sofá da sala da casa de Jungkook de maneira relaxada — Porque está sendo tão babaca? — Não fazia ideia do motivo do ex melhor amigo estar tão alterado.

Jungkook respirou fundo mais uma vez, tentando tomar mais consciência do seu corpo, que na verdade não era o seu, mas tentou não pensar naquilo agora, poderia ser pior. Tinha tanto tempo que não se descontrolava assim, aquilo era o efeito Jimin. Esse que estava jogado no sofá da sala, olhando para si sorridente e vitorioso, pois finalmente tinha conseguido o que implorou para Jeon durante anos, quando ainda eram amigos: pintar o seu cabelo. Era uma coisa tão simples para ele, mas como sempre ele não entendia. Nunca iria entender o que coisas simples assim, causavam em si. Mesmo que sempre tivesse se esforçado para explicar.

Ver ele passando pela sala com seu cabelo pintado, com aquela cor tão gritante, tinha feito Jungkook ter três mini infartos de uma vez só. Tinha sido um susto enorme. Mas mesmo tendo se assustado tanto, tinha que admitir: realmente não tinha ficado tão ruim. Jimin era impulsivo, irresponsável e talvez até um pouco doido, mas ele tinha razão, era só cabelo. E talvez as batidas aceleradas do seu coração o lembrando de que estava vivo, não fossem tão ruins. Jimin o fazia sentir que não precisava sentir tanto medo de coisas novas ou de coisas fora do padrão, mas não diria isso a ele não ia cometer o mesmo erro de alguns anos atrás.

 

[...]

 

O final de semana estava próximo, tão próximo que seria no dia seguinte Jimin e Jungkook estavam mais que ansiosos, estavam borbulhando, apenas mais um dia e tudo estaria resolvido. O dia seguinte já era sábado, iriam até o estabelecimento do Guru e voltariam para seus próprios corpos. Jimin tocaria no seu show a noite e Jungkook, bem… Jungkook estaria livre novamente. A semana tinha sido complicada, cheia de imprevistos e algumas surpresas, mas incrivelmente, como se nunca tivessem perdido aquilo, haviam entrado em sintonia de novo, estavam se ajudando muito e se entendendo e nenhum dos dois admitiria mas estavam imaginando como seria ter a antiga amizade de volta.

Estava tudo relativamente bem. Relativamente.

Pois os amigos decidiram se reunir mais uma vez. Todos os sete. Naquela mesma noite, era algum anúncio importante que Jin faria, então decidiram se encontrar todos no apartamento do mesmo. Os dois não estavam com medo da possibilidade de serem descobertos, pois no mínimo os amigos achariam estranha as suas ações. Estavam incomodados mesmo, com os eventuais assuntos que  poderia trazer à tona. Cada um por seus próprios motivos, pois estava tudo tão estranho, tinham se acostumado a se repudiar e estar tão próximos novamente ainda era incomum. Não se ofendiam mais, não tentavam se irritar mais e não tinham sequer parado para conversar sobre aquilo.

A conversa que tanto evitavam parecia estar se cada vez mais próxima de acontecer. Falar sobre o passado ainda era difícil para Jimin, pois ele mesmo não entendia o que o tinha levado a agir daquela forma, admitir que tinha estragado tudo porque tinha uma cabeça fodida era algo que preferia evitar.

— Taehyung pare de comer a comida toda sozinho —- Yoongi falou exasperado, vendo Tae engolir o décimo salgadinho da última hora. E outro apenas se virou e lhe lançou a língua, jogando para o ar qualquer resquício de maturidade que ainda existia entre os amigos — Sério Jin, dê um jeito nesse garoto! — gritou da sala, para que Jin que estava na cozinha com Namjoon e Jimin pudesse ouvir.

Hoseok apenas ria da discussão infantil entre os dois amigos, era o mais quietinho entre os sete e o mais observador também, mas naquele dia quem estava quieto era Jungkook. Estava sentado entre Taehyung e Yoongi no chão de frente a mesinha de centro da sala que estava cheia de petiscos, para que os dois não se matassem, enquanto Jeon repousava em uma poltrona próxima aos três mas estava extremamente calado, o que não seria tão estranho se ele não fizesse uma cara de pânico sempre que alguém dirigia a palavra a si.

Todos tinham elogiado a mudança de cor no seu cabelo e ele agradecia normalmente, o que realmente havia chamado a atenção de Hoseok era o fato de que ao ouvir os elogios ele olhava para Jimin vitorioso. Na verdade, os dois estavam muito estranhos naquele dia, mais do que o normal, não se insultaram nenhuma vez ou soltaram qualquer comentário venenoso, o que por si só já era bastante incomum, na verdade eles mal conseguiam se encarar sem desviar os olhos, pareciam estar escondendo algo dos amigos.

Já tinha achado esquisito que naquela mesma semana Yoongi tinha lhe mandado uma mensagem dizendo que havia visto os dois juntos e sinceramente não acreditou, mas agora vendo como ambos estavam furtivos, se sentiu intrigado, o que estariam aprontando?

— Certo crianças fiquem quietos — Jin chegou a sala já cansado das discussões entre Yoongi e Tae que sempre giravam em torno de comida. — Preciso contar algo para vocês… Na verdade precisamos.

Ei não somos crianças! A única criança aqui é o embuste do Yoongi que não me deixa comer em paz. — disse acertando um salgadinho na cabeça do amigo, que rapidamente se lançou em sua direção para atacá-lo consequentemente levando Hoseok junto.

— Yah! Você tava comendo tudo sozinho! — ditou tentando acertar Tae que usava Hoseok como um escudo e obstáculo para escapar das mãos frias de Yoongi.

— Fiquem quietos! Vocês estão parecendo o Jimin e o Jungkook — Hoseok falou finalmente conseguindo afastar os dois, e olhando para os dois citados que se olharam e sorriram levemente. Hoseok não poderia estar mais chocado.

Jimin que estava escorado no batente da porta adentrou a sala se sentou no sofá atrás dos três amigos sentados no chão sendo seguido por Namjoon que foi prontamente puxado para o lado de Jin. Todos se voltaram para os dois, quando Jin pigarreou chamando a atenção de volta para si.

— Bom, voltando, como vocês bem sabem, eu e Namjoon somos o melhor casal dessa cidade, ele me ama eu amo ele e todas essas coisas — falou como se não fosse nada demais, ter feito Namjoon correr atrás de si por meses, sempre flertando mas nunca lhe dando uma chance realmente, tinha sido uma época engraçada. —  Por isso a gente decidiu morar junto, até porque ele praticamente já mora aqui mesmo, então a única coisa que ele vai ter que trazer de casa são as porras das cuecas dele e parar de usar as minhas, não é amor? — finalizou rindo e deixando Namjoon sem graça.

— Me desculpa por isso amor — falou coçando a nuca e fazendo todos rirem. Eles eram sem dúvidas um casal engraçado.

Aquele anúncio não havia sido surpresa para nenhum dos sete, mas como eram realmente muito amigos, achavam importante fazer esse tipo de aviso quando tomavam decisões importantes em suas vidas. Todos ficaram felizes pelos dois e realmente esperavam que tudo desse certo para ambos. Passaram mais algum tempo conversando, com Tae e Yoongi rolando no chão por discussões bobas, enquanto riam parecendo duas crianças travessas. Quando Hoseok se pronunciou no meio da conversa.

— Acho que não é só o Jin e o Nam que tem algo a falar hoje. — Hoseok falou, já não conseguindo mais guardar toda curiosidade que sentia pelo comportamento instigante dos dois inimigos.

— Ué quem mais tem? — Jin olhou para Hoseok parando o cafuné que fazia em Namjoon o qual tinha a cabeça repousada em seu colo. — Hoje eu sou o centro das atenções que absurdo! — finalizou com uma falsa indignação.

— O Jimin e o Jungkook.

— O quê? — ambos reagiram ao mesmo tempo.

— Isso mesmo o que vocês andam aprontando? — Hoseok continuou estava determinado a descobrir o que estava acontecendo — Estão muito estranhos.

— É verdade! — Yoongi falou se esquecendo momentaneamente que estava simulando enforcar Taehyung. — Esses dias eu até vi os dois andando juntos e incrivelmente eles estavam sóbrios.

Todos os amigos os olharam aguardando uma resposta.

— Não estamos aprontando nada Hoseok e não estamos estranhos é só impressão sua. — Jimin respondeu.

— Ah que vocês estão estranhos eu concordo sim, até agora não se ofenderam nenhuma vez. — Jin acrescentou finalmente se dando conta de como os dois estavam esquisitos. — Não que eu esteja reclamando só não é comum. Podem começar a falar.

 

[...]

 

Os números sempre tinham sido seus melhores amigos. Eles nunca mentiam, nunca o enganavam e sempre foram muito reais. Mas Jimin mudava isso tudo, parecia que tudo que ele tocava se tornava um vendaval de coisas irracionais  e Jungkook naquela semana antes da festa de aniversário, mais que tudo, se sentiu hipnotizado. Sabia que o que ele sentia por Jimin há muito tempo havia passado de amizade, principalmente depois que entraram na adolescência, todas as coisas que sentia por ele pareciam se tornar mais intensas e deslizar por suas veias.

E naquela semana sendo obrigado a passar mais tempo, se é que isso era possível, grudado ao melhor amigo, foi que se sentiu que estava prestes a sufocar. Era como se estivesse se afundando num mar desconhecido e todo seu oxigênio estivesse se perdendo lentamente deixando que a água invadisse o seu pulmão fazendo com que cada mínima ação demandasse um esforço extremo, pois sentia a sensação de perfuração cada vez mais presente.

Estava com medo.

Mas tinha decidido na noite anterior que aquela era a hora, amanhã seria a festa de Jimin e ele não teria tempo algum para dedicar a si e a sua declaração, mas já não aguentava mais aquele aperto doloroso que sentia o corroendo. Precisava falar logo. Precisava falar antes que se afogasse.

Ensaiou diversas vezes o que falaria, mas assim que chegou a casa de Jimin, naquela noite. Todas as palavras sumiram. Ele estava lindo como sempre, estava sorridente e animado porque o dia seguinte era o seu grande dia. Não conseguia parar de rir um segundo sequer e Jungkook tinha certeza que não existia nenhum sorriso mais bonito no mundo que o de Park Jimin seu melhor amigo, pelo qual era apaixonado. Muito apaixonado. Deixou que Jimin contasse o seu dia e que o agradecesse pela milésima vez por ter aceitado ir.

Disse que tinha algo a falar e o melhor amigo o olhou atento.

Respirou fundo e soltou todas as palavras presas na garganta não reparando a feição assustada de Jimin que o ouvia sem proferir nada.

Falou de como o amava e se frustrou por não haver nenhuma propriedade linguística que pudesse expressar verdadeiramente o que sentia por Jimin, mas finalizou com os olhos marejados. Não esperava que ele fosse corresponder na verdade não havia pensado muito sobre como seria a reação de Jimin.

Mas em toda sua vida, Jungkook nunca tinha pensado que o silêncio pudesse ser tão ensurdecedor.


Notas Finais


playlist>>>https://open.spotify.com/user/paulaqueijo44/playlist/2TrYW2U1Ax6EhkSpfEPKt4

Primeiro algumas explicações:

Blavatsky: foi uma das figuras mais notáveis do mundo no último quartel do século XIX. Ela abalou e desafiou de tal modo as correntes ortodoxas da Religião, da Ciência, da Filosofia e da Psicologia, que é impossível ficar ignorada. Foi uma verdadeira iconoclasta - ao rasgar e fazer em pedaços os véus que encobriam a Realidade. Mas, porque estivesse a maioria presa às exterioridades convencionais, tornou-se o alvo de ataques e injúrias, pela coragem e ousadia de trazer à luz do dia aquilo que era blasfêmia revelar (PROCUREM SOBRE ESSE ÍCONE QUE ESTAVA MUITO A FRENTE DO SEU TEMPO)>>https://www.levir.com.br/teosofia71.php

Sobre almas por JJK: https://super.abril.com.br/ciencia/alma-existe/

Leiam https://www.spiritfanfiction.com/historia/cumplices-13471724 é Jikook engraçadíssima KKK quase morro.
Eu postei uma OS esses dias também se quiserem dar uma olhada: https://www.spiritfanfiction.com/historia/cinematography-13494297

Agora vamos a minha falação, pessoal sério, me falem o que acharam desse capítulo eu tô realmente insegura com ele, trouxe um pouco mais do JK e me dói no coração dizer, mas o próximo já é o último e para felicidade de quem gosta da história ele já está terminado só falta adicionar mais algumas coisinhas... mas enfim estou com MUITO MEDO de ter ficado confuso!! ENTÃO PLEASE ME FALEEEEEEM ANTES QUE EU SURTE HAHAHAHA

KISS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...