História Corte de sonhos e escolhas - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Olá querido leitor,

Eu estou tentando postar um capítulo por dia, mas eu não sabia que era tão difícil. De qualquer forma, eles continuam até eu esgotar de ideias.

A Autora.

Capítulo 8 - Mais decisões virão pela frente


Rhysand

Depois de concluírem algumas vistorias no acampamento, Rhys, Cassian e Azriel foram até a casa da família para conversar alguns assuntos em particular. Ele tinha prometido a Feyre que levaria Irynna para casa hoje, mas tinha certeza de que ela tentaria se recusar a ir. Se fosse em qualquer outra situação, Rhys não insistiria, mas estava chegando um tempo em que todos precisariam uns dos outros, e ele temia que sua filha estivesse se afastando demais da família.

Ele entendia a situação da menina, quando Rhys era jovem também só pensava em treinar, era o que mais amava fazer, a sensação de adrenalina no corpo quando derrotava um adversário era quase viciante. Com o tempo essa sensação passou, provavelmente porque ele começou a perder companheiros e amigos na mesma proporção em que matava inimigos. Mas para Irynna essa fase ainda não tinha chegado.

Rhys não podia negar que ficava orgulhoso de sua filha seguir seus passos, seus outros filhos eram tão diferentes dele que às vezes o Grão-Senhor sentia que não podia ensinar nada para eles. Mas com Irynna era diferente, ela era sua pequena guerreira, ele tinha que admitir que vê-la crescer tão depressa o assustava. 

Quando os três guerreiros entraram pela porta, encontraram Irynna e Alex na cozinha comendo um ensopado e rindo. Eram em momentos como este que Rhys percebia que o caldeirão realmente cuidava de seus filhos. Ele ainda se lembrava de como era ruim não ter alguém ali para dividir os fardos, antes de Cass e Az aparecerem nem as vitórias tinham o mesmo gosto. Então saber que Irynna tinha o primo ali para ajudá-la quando as coisas ficassem difíceis ou quando precisasse de um amigo, deixava o Grão-Senhor em paz.

Pelo visto, eles já tinham acabado a refeição e agora colocavam o papo em dia.

- Como você está? - Perguntou ele se aproximando da filha e colocando sua mão no rosto dela para analisar os ferimentos.

- Estou bem pai - Respondeu ela se afastando de sua mão suavemente, enquanto respondia com um sorriso convencido do sucesso - Eu me curei, essas marcas são apenas superficiais.

Rhys sabia que Amren tinha ensinado algumas coisas a menina, mas não fazia ideia que ela era capaz de controlar seu poder de cura daquela forma. Ele não tentou evitar a sensação de orgulho quando sorriu para a filha acenando para dizer que entendia. Ela provavelmente não queria parecer invulnerável perto dos illyrianos, isso os fariam odiar sua herança ainda mais.

- Mesmo que você tenha se curado, ele não deveria ser capaz de fazer tanto estrago, você está sendo descuidada na defesa Irynna - Repreendeu Cass com um pouco de diversão.

O comandante também vinha ajudando Irynna em seu treinamento, em troca, ela organizava e administrava o batalhão feminino quando ele não estava presente. Com o direcionamento dele, a princesa tinha se tornado uma guerreira muito mais precisa nos últimos anos.

- Bom, se você não mandasse Alex em missões tão estúpidas o tempo todo eu teria com quem treinar e não seria tão descuidada. Então na verdade, a culpa é sua - Finalizou ela dramaticamente.

Essa lógica incoerente arrancou uma gargalhada baixa de Az que bebia a água na cozinha. Se algum deles tivesse falado com um comandante assim na época deles, teriam suas línguas cortadas.

- Muito engraçadinha, mas nossa família precisa estar presente nos acampamentos, as visitas de Alexander fazem isso quando nós não podemos - Explicou Cass pela milésima vez, colocando a mão no ombro do filho para enfatizar a declaração e agradecer. Virando-se novamente para Irynna completou - Além do mais, você poderia treinar com Malachai.

O tiro foi certeiro, Alex até riu da cara que a prima fez de dor. Rhys já tinha ouvido falar do illyriano mais de uma vez, mas nunca tinha visto nenhuma reação da filha em relação a ele até então. Até onde sabia, ele era apenas um residente do acampamento, com a mesma idade de Elijah, sem família e que tinha caído ali na última divisão de órfãos. Mas ao que parecia, havia mais nessa história. 

- De qualquer forma, acho que você não vai ter muito tempo para o ringue no próximo mês, estamos intensificando o treinamento e preciso de você no batalhão - Irynna olhou de Cass para o pai pedindo uma explicação.

- Eu decidi que está na hora de retomar a tradição do Ritual, em um mês vamos ter a primeira edição desde a guerra - Irynna e Alex imediatamente olharam um para o outro com animação - Quero que os participantes estejam melhor preparados para evitar perdas.

Rhys quase podia ver o cérebro da filha e do primo pensando na possibilidade de participar, nas provações que enfrentariam, na sensação de tocar a pedra no topo da montanha ao final. Ele sabia que os dois consideravam uma grande honra participar da prova, mas não tinha certeza se deixaria Irynna envolver-se. Era muito arriscado colocar um herdeiro ao trono em um perigo como aquele, simplesmente para agradar um bando de illyrianos. 

Rhys não teve coragem de dizer isso a filha no entanto, deixaria para outro momento. Com isso, se lembrou de outra conversa que precisava ter com a menina, uma mais urgente. Colocando as mão do bolso, Rhys se dirigiu os outros na sala.

- Poderiam nos dar licença? - Sem contestar ou reprovar, todos saíram da sala.

Azriel deixou o copo na mesa e depois de dar um tapinha no ombro de Irynna com as mãos cheias de cicatrizes, se foi pela porta. Cassian e o filho subiram as escadas em seguida para discutir os relatórios recolhidos, deixando os dois sozinhos.

- Estava pensando em ir amanhã na exposição da sua mãe? - Rhys tentou começar devagar, sem pressioná-la, sabia que isso apenas teria o efeito oposto do pretendido.

- Bem, a mamãe faz uma dessas todos os anos, não achei que seria grande coisa se eu não fosse em uma. Além disso, eu preciso treinar mais - Disse ela apontando para o rosto machucado para justificar a decisão.

Rhys sentou-se perto da filha, exalando ao prever como aquela conversa seria.

- Eu sei que você quer treinar, mas um dia não fará diferença.

- Não foi isso que você disse mais cedo, se todo mundo vai intensificar o treinamento para a prova, eu também vou.

Era exatamente esse o rumo da conversa que ele temia.

-  Não vamos falar sobre isso agora, apenas, se lembre como sua mãe fica feliz quando todos estão juntos, eu prometo que um dia apenas não fará diferença.

Irynna estava prestes a protestar, mas pareceu mudar de ideia e ponderar por um minuto.

- Tudo bem, eu vou - Rhys agradeceu ao caldeirão pela vitória. Talvez cedo demais - Mas, em troca disso, quero que você considere, e considere de verdade, a minha participação na prova. Eu não sou uma criança tola, sei que você não quer que eu vá.

Rhys se surpreendeu com a resposta, não sabia que a filha estava ciente de suas dúvidas quando sua participação. Mas pensando bem, ele e a parceira sempre tomaram precauções com a segurança dos filhos, eles nunca tinham estado na Corte dos Pesadelos por exemplo. Não era exatamente novidade que ficassem receosos com algo assim.

Rhys entendeu que aquele era o melhor acordo que receberia.

- Certo, eu vou considerar se você for amanhã.

Ele mal conseguiu terminar a frase antes que Irynna soltasse um barulho de felicidade e o abraçasse rapidamente antes de sair pela porta.

Que o caldeirão o ajudasse.


Notas Finais


Byeeeeeee


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...