1. Spirit Fanfics >
  2. Corte dos Anjos >
  3. 1973 Capítulo XV

História Corte dos Anjos - Capítulo 21


Escrita por:


Notas do Autor


O cap de hj é bem pequeno, só para amarrar as pontas.


Boa leitura

Capítulo 21 - 1973 Capítulo XV


Fanfic / Fanfiction Corte dos Anjos - Capítulo 21 - 1973 Capítulo XV

       O mundo ao meu redor parecia ter se transformado em um céu de diamantes onde vozes ao longe insistiam em evocar-me e para mim elas eram apenas Lucy que me observava através de um caleidoscópio hipesensorial. Em suma, nada do que as vozem me diziam fazia sentido para mim.

Foi quando eu estava mergulhando , descontroladamente, como um trem descarrilhado, em uma "torta de Marshmellos", em um buraco negro de memórias tóxicas onde o monstro Ahiman contorcia-se ao meu lado e jurava se alimentar de mim, que o paraíso de celofane pareceu menos tangível . Meu corpo formigava quando entrei no barco, este que partia para fora da fantasia da qual me encontrava .

Gotas d'água pingavam em algum lugar distante e o som proveniente delas ecoava, o ar estava morno e meu peito resfolegava , era quase impossível respirar. Olhei na direção contrária ao fluxo do barco e a imagem do rio desaparecia lentamente pelo canto de meus olhos . Um medo me preencheu e então, tudo era completa escuridão, preenchida apenas, por sons mecânicos.

-Não o incomode , Sebastian.

-Já Não está na hora dele acordar?

-Eu realmente Nao sei... O nosso companheiro aqui, abusou muito eu não sei nem se ele vai acordar...

Finalmente pude discernir as vozes ao fundo, elas pertenciam a Platão e Sebastian. Meu cérebro processava a conversa dos dois rapidamente me fazendo relembrar do que havia ocorrido. Quis me mexer, me pronunciar, mas em vão, meu corpo não obedecia-me assim, em desespero, pus-me a lutar por minha autonomia. Eu precisava fazer-me audível.

- A gente não deveria tê-lo deixado sozinho ... Ele estava mal, estava estampado na cara dele.

- Não se culpe, Charlotte, ninguém teve culpa do que ocorreu, Alighieri é um homem adulto, ele fez a escolha dele. Um completo idiota!-rosnou o médico.

- Se ele não estivesse sozinho, não teria feito a escolha errada .

Esbravejei internamente, era desesperador estar atado ao meu corpo, este que mostrava-se inválido, e ainda assim, meu coração encontrava-se esmagado: eu havia magoado meus amigos. Eu tinha que reagir! De repente, um interruptor se ascendeu, abri os olhos e imediatamente me engasguei com o tubo enterrado em minha garganta.

-Nicholas?!- apressossou-se Platão em me socorrer.

Enquanto eu era liberto do aparelho respiratório, sentia a comoção e o alívio de meus amigos que logo me envolveram em um abraço. Eu estava vivo! Inspirar profundamente o ar perfumado pelo cheiro da pele de meus amigos e senti-o preencher meus pulmões me fez reverberar a vida como nunca antes em muitos anos, eu estava feliz em estar vivo.

-Alighieri, você é um imbecil! Onde estava com a cabeça?! Não pretendo passar minha vida inteira salvando sua vida.- suspirou o médico com lágrimas nos olhos.

Sorri fracamente como que em uma forma de resposta, resposta esta que pareceu satisfazer os três. Minhas pálpebras pesaram e abruptamente senti- me cansado, ao perceber isto, Platão pronunciou-se e, mais uma vez, sua voz parecia longínqua:

-Muito bem, meus caros, Nicholas precisa descansar... Não se preocupem, irei avisar quando ele estiver disposto para visitas, tudo bem?

     Meu corpo relaxou, adormeci sem ouvir a despedida de meus amigos, apenas senti a pequenina mão de Charlotte afagar meus cabelos negros que caíam sobre a testa, dando-me vasão para sonhar com seu belo sorriso curvando-lhe os cantos de seus lábios bem contornados.


Notas Finais


Obrigada por chegar até aqui,
Nos veremos em breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...