1. Spirit Fanfics >
  2. Cosmopolitan - Juntos Pelo Acaso >
  3. The Unknown

História Cosmopolitan - Juntos Pelo Acaso - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oi,como vocês estão?
Estão se cuidando? Estão em casa? Espero que sim.

Mais um capítulo pra vocês.Espero que gostem.

Capítulo 5 - The Unknown


Fanfic / Fanfiction Cosmopolitan - Juntos Pelo Acaso - Capítulo 5 - The Unknown

Ela não se sentia preparada para uma entrevista de emprego.Na verdade,sentia que aquele dia não era um bom dia para ter uma entrevista de emprego.Mas mesmo assim,escolhia com rapidez um sapato que combinasse com seu vestido tubinho azul marinho.Optou por um sapato preto de salto quadrado,que com certeza faria um calo em seus pés.Já vestida,correu para o banheiro e espalhou sobre a pia algumas maquiagens.Cobriu o rosto com uma base suave e disfarçou as olheiras com corretivo,no lábios,colocou um batom vermelho que, apesar de deixar sua boca duas vezes maior,era o seu favorito.Voltou correndo para o quarto,buscou sua bolsa e sua carteira e se olhou no espelho pela última vez.Pegou um sobretudo cinza claro e o vestiu.O clima de Chicago mudava várias vezes durante o dia e Regina não gostaria de ser surpreendida por um vento frio.Enquanto o elevador se movimentava para o térreo,Regina confirmava o Uber que havia solicitado.

Aguardou na calçada do prédio apenas por 2 minutos antes que um carro preto parasse.Após checar a placa,entrou no táxi.Não sabia exatamente para qual entrevista estava indo.Tinha enviado seu currículo para mais de 5 empresas e não lembrava se "Empire",era o nome da clínica de estética,se era a loja de carros ou o escritório de advocacia.Bem,saberia quando chegasse ao local.

A empresa era longe de sua casa,a julgar pelo valor acima da média que teria que pagar pela corrida de táxi,e isso já tinha desagrado Regina.Se o salário não valesse a pena,provavelmente optaria por continuar no Granny's até que uma proposta de um emprego mais próximo de sua residência aparecesse,afinal,suas condições não permitam que ela se desse ao luxo de andar de táxi todos os dias.

Buscou um pequeno espelho redondo dentro de sua bolsa e observou seu reflexo,percebendo que alguns fios de cabelo estavam mal cortados.Minutos antes de decidir fazer sua famosa torta de maçã,Regina tinha entrado no banheiro com seu cabelo cumprido amarrado com um elástico e com uma tesoura em mãos.Logo em seguida,saiu do banheiro com o cabelo acima dos ombros e segurando 25 cm de cabelo cortado.Pegou uma tesoura de unha dentro de sua bolsa e aparou os fios de cabelo rebeldes.Passou as duas mãos no cabelo,agora curto,fazendo os dedos de pente.

Cerca de 20 minutos depois,o táxi estacionou em frente a um dos maiores prédios da avenida.Concluiu que não estava na clínica de estética e muito menos na loja de carros.Pagou o motorista e andou em passos lentos até a grande e pesada porta giratória de vidro.E em poucos segundos estava na hall.Olhou em volta e percebeu que se tratava da cede da Empire,a marca de joias mais famosa de Chicago.O chão era forrado por um carpete preto,no centro do espaço estava uma mesa grande e redonda de vidro com detalhes em cor de ouro,onde duas recepcionistas trabalhavam.Um grande lustre enfeitava o teto e nas paredes,várias molduras guardavam imitações de colares,brincos,pulseiras e tiaras,que pareciam verdadeiros.

Um leve sorriso sarcástico se formou no rosto de Regina,quando ela recordou que,se o universo não a odiasse tanto,ela seria dona de uma empresa como aquela.Riu mais ainda ao pensar na coincidência de estar tentando uma vaga de assistente em uma empresa na qual ela tinha capacidade para ser uma executiva.

Parou de admirar a decoração do espaço e andou até o elevador,recordando-se de que,segundo a moça ao telefone,deveria se destinar ao 10° andar.E Regina o fez.Checou sua aparência pelo reflexo do celular pela última vez antes do elevador para no último andar.

Deu alguns passos,andando para fora do elevador e antes mesmo que pudesse olhar em volta,escutou alguém chamar seu nome.

-Regina Mills?

Uma mulher alta,com o cabelo preso em uma trança sorriu para Regina.

-Sim.- Assentiu,reparando no sotaque diferente da moça.

-Eu sou a Elsa.- Estendeu a mão,a qual Regina apertou logo em seguida.- Sr.Jones já está lhe esperando.- Ela sorriu sem mostrar os dentes e fez sinal para que Regina a acompanhasse.

Mesmo sendo menor que o térreo, o andar onde estava era tão luxuoso quanto.Por mais deslocada que ela parecesse,as pessoas que andavam pelo espaço sequer notavam Regina.Pareciam bastante ocupadas.Andaram até o outro lado do ambiente,até uma das salas de vidro.Elsa empurrou a porta,ampliando o campo de visão de Regina,que logo avistou um homem sentado atrás da mesa.Ele fez sinal para que ela entrasse,e ela o fez em passos lentos.

-Bom dia! - Ele abriu um sorriso simpático,se aproximando rapidamente de Regina.- Prazer em conhecê-la.

O cumprimentou,tentando não mostrar o quão despreparada e nervosa estava.O homem pediu para que ela se sentasse em uma das cadeiras e voltou a se sentar à sua mesa.

-Desculpe pela urgência.Eu sei que marcamos pra daqui há dois dias,mas é que estou precisando de ajuda.- Ele se explicou,ganhando de volta a atenção da mulher a sua frente,que observava o escritório.

-Tudo bem.- Respondeu,exalando uma simpatia que não lhe era natural.

Na verdade,não estava tudo bem.Regina não estava preparada para uma entrevista de emprego,sequer estava preparada pra pisar naquele lugar.E sinceramente,não sabia se conseguiria,caso precisasse,convencer o executivo de contrata-la.Além disso,tentava não expor o seu estranhamento,já que apenas ela estava ali.Tinha certeza que outras pessoas tinha enviado currículos para o cargo,mas somente ela estava presente.

-Então...-Regina concertou a postura quando o viu pegar,de baixo de outros papéis,o que parecia ser seu currículo.- Você,aparentemente,já está acostumada com empresas de grande porte.- Ele disse,enquanto observava a folha.

Regina apenas assentiu com a cabeça,e deixou que ele continuasse.

-Seu currículo foi o melhor que a apareceu.Sem dúvidas.

Ela se limitou a apenas esboçar um sorriso no rosto.Sabia que seu currículo era excepcional,mas não precisava demonstrar naquele momento.

-Você fala todas esses idiomas mesmo? - Questionou,tentando esconder o ar desconfiado e falhou miseravelmente.

-Sim.

-Fluentemente?

-Sim.- Riu com a insistia do homem.

-Desculpe-me.É que eu nunca vi ninguém falar alemão e português fluentemente.- Explicou.

-É,eu também não.- O observou guardar seu currículo ao lado de uma pilha de pastas.

-Você me parece bem organizada.Imagino que vá me ajudar muito.Está contratada.- Ele sorriu,aconchegando-se na cadeira.

-Como? 

-Está contratada.- Demonstrou animação.

Regina não sabia exatamente o que dizer,e por isso optou por apenas sorrir agradecida.Foi quando percebeu que o homem a sua frente a encarava com mais atenção,como se analisasse.

-Posso te fazer uma pergunta? - Disse,com certa timidez no tom de voz.

-Claro,Sr.Jones.

-Ah,não.Apenas Killian.Me chame de Killian.

-Pode perguntar,Killian.

-Ótimo.- Apoiou os cotovelos na mesa.-Desde já,peço-me desculpas pela pergunta.- Acariciou a barba por fazer.

-Você é um homem de muitas desculpas,não? - O encarou com mais seriedade.- Estou aqui há dez minutos e você já me pediu desculpas três vezes.

-Na verdade eu sou um homem de muitas palavras, o que as vezes me coloca em situações desagradáveis.Não quero que saia daqui pensando que eu sou um idiota que só fala asneiras.- Explicou fazendo Regina rir.

-Qual era a pergunta?

Killian voltou sua atenção para ela,expressando,gradativamente,seriedade em seu rosto.

-Você é a Regina que eu estou pensando? 

Se não fosse falta de educação,ela reviraria os olhos ali mesmo.Sabia exatamente onde Killian queria chegar,e isso a deixava levemente desconfortável.Então apenas respondeu com outra pergunta.

-Em qual Regina está pensando? 

Ele não se incomodou em esboçar um sorriso divertido.Não achava graça em Regina ou na situação,apenas gostou de saber que ela era uma pessoa perspicaz.Regina sabia onde ele queria chegar,e se ele não perguntasse o que de fato queria saber,ela nunca iria responder.

-A Regina Nolan Mills.- Disse,enfatizando o segundo nome.

Ela apenas afirmou com a cabeça.Constantemente,se incomodava com aquele tipo de conversa,mas no fundo,se divertia com esse título que as pessoas atribuíam a ela."A Regina Nolan Mills".Não era mais um nome.Era um título,que ela gostaria de carregar em circunstâncias diferentes.

-Como você veio parar aqui...?

-Como? - Franziu as sobrancelhas.

-Perdoe-me.Pensei alto.- Sorriu nervoso.- Então é isso.Você pode começar amanhã.- Se levantou e Regina fez o mesmo.- Às 7:00.Quando chegar,Elsa lhe ajudará no que precisar.- Entregou uma folha a Regina.

Os dois se despediram simpaticamente.Enquanto andava até o elevador,Regina lia as informações contidas na folha que segurava.Ela tinha conseguido um emprego.Onde ganharia bem e num local o qual já estava acostumada.Sorriu ao lembrar que,na sua constante luta contra o universo,ela tinha ganhado aquele round.

Regina 1 X Universo 0 

Esperava que o placar permanecesse assim por mais um bom tempo.

Ao chegar no térreo,admirou a recepção mais um vez e saiu do edifício,sendo atingida por uma forte lufada de vento frio do rosto.Percebeu que o Granny's ficava a cerca de 10 minutos dali.E por mais que soubesse que seus sapatos baratos machucariam seus pés,iria até lá andando.

—————————

Após voltar do hospital,Robin seguiu sua rotina normal e agradável de trabalho.Killian ainda não o atrapalhara em nada e nenhum familiar aparecera de surpresa.Acompanhado por Elsa,saia da segunda reunião do dia e seguia para seu escritório enquanto escutava alguns resmungos da assistente.

-Cara você precisa limpar essa estante de livros.- Elsa analisou,adentrando o escritório do executivo e lançando-se em uma das poltronas.

Depois de prometer que pagaria seu almoço,Robin pediu que Elsa ficasse em sua sala pra ajudá-lo com algumas planilhas.Mas logo desistiria da ideia se ela continuasse a apontar a limpeza - ou a falta dela - da sua sala.

-Adivinhe só quem esteve aqui hoje.- Sentou na sua cadeira e ligou o computador.

-Quem?

-Nenhum palpite?

-Eu deveria ter? - Desdenhou.

-Bell esteve aqui.

Robin observou o rosto de Elsa esboçar uma expressão totalmente diferente.Ela parecia muito interessada no que Robin tinha a dizer.

-O que ela veio fazer aqui? - Expôs uma postura mais rígida.

-Me ver.Ainda sou irmão dela.- Respondeu e observou as pupilas dilatadas de Elsa.- Você não a viu?

Ela apenas negou com a cabeça e fixou o olhar na janela atrás de Robin.Na sua mente,construía a cena a qual ela esbarraria com a ex.O suposto encontro ia deixar seu dia muito melhor ou iria acabar com ele.

-Vocês deviam conversar de novo.Bell sente sua falta.- Pontuou,sendo,como sempre,o maior apoiador do relacionamento das duas.

-Não o suficiente.

-Não queria lhe deixar chateada.

-Não deixou.Não se preocupe,não estou pensando em ir pra casa e chorar embaixo do choveiro em posição fetal.

Se entreolharam por alguns segundos,para que logo depois caíssem na gargalhada.O momento foi rapidamente interrompido pela entrada nada discreta de Killian no ambiente.

-Adivinhem o que eu fiz há algumas horas atrás.- Disse,em tom orgulhoso.

-Estão tão misteriosos hoje! - Elsa resmungou.

-Contratei uma assistente!- Respondeu,mesmo depois de perceber que nem Elsa nem Robin estavam plenamente interessados na história na sua gosto.- E você,Elsa! Você perdeu a aposta.- Se aproximou em passos pesados e encarou a loira.

-Que aposta? - Robin entrou finalmente na conversa.

-Eu disse que a mulher que eu contrataria era quem eu estava pensando que era.Mas Elsa disse que não.Mas é! - Explicou empolgado.

-E quem é ela? - Robin nunca tinha visto ninguém tão animado por contratar uma assistente.Muito menos Killian.

Ele se aproximou do centro da sala,na intenção de ter,para si,toda a atenção de Elsa e Robin.

-Regina Nolan Mills.- Disse, compassadamente,como se recitasse um poema lírico.

Elsa o encarou com a mesma despreocupação de sempre,mas rendeu-se ao riso.Robin,por sua vez,continuou com um semblante confuso,frustrado por não entender a revelação do amigo.

-Esse nome deveria me lembrar alguém? - Questionou.

Killian o encarou como se tivesse acabado de ser terrivelmente insultado.

-É claro que sim! 

-É a herdeira da Nolan.- Elsa adiantou e assistiu a expressão confusa permanecer na face de Robin.- A marca que faliu.Do Canadá.

Ele deixou seu cérebro trabalhar e só depois entendeu o motivo da extrema animação de Killian.

-Por que essa mulher trabalharia aqui? 

-Foi isso o que eu disse! - Elsa exclamou,recebendo um olhar irritado de Killian.

-Eu ainda não sei quem ela é,mas...

-Nossa,como você é burro! 

Killian resmungou,andando até a mesa de Robin e o afastando do computador.

-Ela é filha do Henry Nolan.A única que iria comandar a empresa.-Contou,enquanto digitava no teclado.- A família entrou na Forbes em 2009! Na Forbes! - Gesticulou.- E a Regina tem uma página só dela na revista! 

Killian virou a tela do computador para Robin.E ela estava lá.Com um rosto bem mais jovial,com um sorriso elegante nos lábios.O cabelo preto comprido caia como uma bela cascata escura pelo ombro esquerdo.Ela vestia um terno feminino preto e um sapato de salto fino da mesma cor.Estava em uma poltrona branca e toda sua postura lhe concedia um ar profissional,que a fazia parecer ter bem mais idade.

E Robin estava lá,olhando para tela com o rosto repleto de um misto de surpresa e confusão.

-Eu conheço essa mulher.- Disse mais para si mesmo do que para os amigos.

-Claro que conhece! - Killian respondeu.

Ele não tinha entendido exatamente o que Robin quis dizer.E Robin nem sequer se atentou em explicar.

No final de tudo,a mulher do bar em Las Vegas com brincos de 19 mil dólares não era uma total desconhecida.E Robin sequer sabia o que achar daquilo tudo.Eram coincidências demais e ele ainda não sabia se gostava de tantas surpresas.

Mas olhou pelo lado bom,pelo menos ele havia descoberto o nome dela.Então,ela não era mais a mulher do bar em Las Vegas com brincos de 19 mil dólares.Era Regina.



Notas Finais


Gostariam de fazer umas perguntinhas pra vocês.
1 - Vocês gostam de capítulos mais curtos ou mais longos?
2 - Se eu fizesse um Twitter dedicado à fic vocês seguiriam?

Espero as respostas de vocês aí nós comentários! E não esqueçam de deixar suas opiniões! Quero saber se estão gostando da história.
Até breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...