História Could Walls Talk? - Portukof (Edukof e PortugaPC) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Aruan Felix, Eduardo "Edukof" Fernando (AM3NlC), Maycon Lorenz
Personagens Aruan Felix, Eduardo "Edukof" Fernando, Maycon Lorenz, Personagens Originais
Tags Am3nic, Amenic, Edukof, Juaum, Mayconlorenz, Oscaryoungblood, Portuga, Portugapc, Portukof, Projetoyoungblood, Romance
Visualizações 10
Palavras 1.151
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Slash
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Pansexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olááá
Serase tem alguem lendo isso ? É minha primeira fic na plataforma então desculpa qualquer erro :3 aproveitem o capítulo ❤

Capítulo 2 - I'm giving it


Fanfic / Fanfiction Could Walls Talk? - Portukof (Edukof e PortugaPC) - Capítulo 2 - I'm giving it

Luiz (Portuga) Fernando's POV


As luzes da boate ardiam sob meus olhos, a batida ensurdecedora de algum pop chiclete reverberava nas paredes do lugar. Os corpos suados se movimentavam pela pista, dançando e se deixando levar pelo som. Aquilo me fazia sorrir como uma criança. As coisas que aconteciam ali, ficavam ali, pois algumas coisas foram feitas para se manter em segredo.

Me dirigi ao bar do local, pedindo uma batida de frutas. Apesar do lugar sugestivo, eu não conseguia e nem podia me embriagar, afinal, eu teria que viajar meio-dia para SP e gravar para a Copa Desimpedidos, e convenhamos, era muito melhor aproveitar a noite sóbrio e rir dos micos deles depois.

- Não vai pegar ninguém de novo, Portuga? - Matheus era quem me perguntava. Ri baixo e dei de ombros. - Tá desperdiçando a chance.

- Nem tudo é primitivo, Matheus! - Agradeço ao bartender e dou um gole na bebida.

- Mas nada melhor que sair e pegar algumas meninas, não acha? - Me seguro para não fazer uma careta o que ele diz a frase. Bom, ele não precisava saber que eu não gostava da fruta, né?

- Não, é mais engraçado rir de você e do Danilo dando PT! - rio alto e ele fecha a cara. - Vamos pra pista, eu tô quase cedendo aos seus apelos desesperados!

Ele ri e vamos para a pista. Observo ao redor e vejo que Edu também veio. Ele estava tirando foto com algumas inscritas, que davam em cima dele descaradamente, deixando evidente que elas queriam algo com ele. Edu é meu melhor amigo desde meus 17 anos, quando eu ainda dançava, e foi ele que me apresentou esse mundo do Youtube.

Ele sempre foi um cara educado, mas reservado, não tinha como saber se ele estava gostando dos flertes ou não, mas eu sei que eu não estava gostando nenhum pouco. Caminhei entre as pessoas até chegar nele. Coloquei meu melhor sorriso, afinal, eu não ia maltratar nenhuma inscrita.

- Hey Edu! - Gritei por cima da musica alta e ele me olhou. Acenei para as inscritas que deram gritinhos por eu estar ali. Era gratificante receber esse carinho todo, mas no momento eu só pensava em tirar o Edu do meio delas. 

- Portuga, tira uma foto com a gente? - uma morena mais à esquerda disse e eu sorri, pegando o celular da mão dela. Me posicionei com o rosto colado ao dela, sorrindo, e fiz a foto, repetindo o processo com mais 4 meninas. 

- Obrigada, Portuga. - a mesma morena fala e pisca um olho. Sorrio e agradeço mais uma vez pelo carinho. As meninas saem para dançar, deixando Edu e eu relativamente sozinhos.

- o que você quer, Luiz Fernando? - Edu fala e eu rio baixo.

- você sabe, senhor Eduardo Fernando. - ele ri e balança a cabeça.

Sempre tivemos essas provocações e tensão sexual mas nunca passava disso, e a situação piorava porque morávamos juntos. Talvez me faltasse coragem para avançar mais uma base.

Assim que tentamos ir para outro lugar, Danilo brota do inferno na nossa frente, wue faz com que ele se afaste um pouco de mim.

- Estava procurando vocês, o Renato quer ir pra casa porque tá com fome, acreditam?

- Ué, vamos, eu também! - Edu fala e eu nego com a cabeça. 

- Mas quando que você não tá com fome né! - Ele me dá um tapa e eu rio

- Pelo menos não sou eu que fico fazendo vídeo de milkshake, com risco de pegar uma diabete de tanto doce! - Danilo até o momento apenas ria das nossas alfinetadas.

- Bom, vantagens: eu queimo tudo no futebol, diferente de uns e outros. - Ele me dá um tapa mais uma vez. - Ow, vamos logo alimentar a criança aqui porque ela tá agressiva!

Saio do meio dos dois até onde estava o pessoal da Breakmen reunido. Sim, a maior parte dela veio curtir a noite na boate, o que era um milagre, considerando que metade de nós quase não saía de casa.

-... então a gente pode comprar algumas coisas no posto e ir pra casa do Edu. - Afreim disse assim que chegamos. - Você concorda, Edu?

- Por mim tudo bem! - Ele dá de ombros e eu apenas fico esperando pelas respostas positivas.

- Então certo, todo mundo para a casa do Edu! - Afreim fala e começamos a nos dirigir para a saída, claro, pagando nossas comendas antes.

(...)

- Só espero que nenhum deles acabe no hospital com coma alcoólico. - Edu estaciona a Panamera em uma das vagas e logo o Audi do Maiki estaciona ao nosso lado. 

- Relaxa, eles sabem beber, eu vou ficar só no refri mesmo. - tiro o cinto de segurança e coloco meu inseparável boné.

- Ah, você vai viajar amanhã, não é? - ele sao do carro logo após a pergunta e espera eu fazer o mesmo para trancar. 

- Eu não, vamos, ou esqueceu que você vai comigo? - Ele bate a mão na testa e eu rio. 

- Porra, verdade, eu tinha esquecido que iria com você.  Vamos logo comprar essas coisas que eu ainda nem arrumei minha mala.

Vamos rumo à conveniência, onde Afreim, Leticia e Maiki estavam. Os três conversavam algo aleatório quando ouvimos o ronco da XJ6 do Renato. Matheus chegou um pouco depois acompanhado de Maycon e João. 

- Catei esses moradores de rua pelo caminho, espero que vocês não se importem. - Matheus leva um tapa de João, enquanto os outros riem.

- Ah, esses aí são de casa já, tem problema não, só quero que arrumem o que vocês bagunçarem porque amanhã eu e o Portuga estamos indo à SP. - Edu olha pra mim como se confirmasse o que estava dizendo.

A galera começa a pegar as coisas que levariam e eu sigo com Edu para pegar chips, salgadinhos e petiscos. Sabia que Matheus pegaria as bebidas então não nos preocupamos. Peguei um chocolate que Edu gostava e botei no meio das compras sem ele perceber, como dividiríamos a nossa parte, é como se eu tivesse comprando.

Passamos as compras no caixa, que já nos conhecia por sempre irmos lá às madrugadas que a fome batia. Dei um jeito de distraí-lo com algum assunto e quando o resto do pessoal pagou o que havia pego, cacei o chocolate na sacola.

- Toma, pra você. - estendo o chocolate para ele, que ri sem graça. Por sorte, ninguém tinha visto essa cena.

- Obrigado, Portuga... - ele me abraça de lado e me dá um beijo no rosto. - vamos ? Eu tô realmente com fome! 

Rimos e nos dirigimos ao carro. Fomos na frente, pois estávamos sozinhos, e não precisávamos esperar por ninguem. Meu coração batia forte, Edu no mínimo desconfiava que eu sentia algo por ele, por isso me provocava com brincadeiras de duplo sentido. Sorri lembrando de algumas situações e decidi que eu conquistaria meu melhor amigo. Eu cederia do meu medo de ser rejeitado.


Notas Finais


Eles são muito fofos, isso eu tenho que admitir ! Vocês gostaram? Deixa um comentário pra eu saber ! Até a próxima

Xx, Iana


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...