História Could you live for me? (mitw) - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias TazerCraft
Tags Mitw, Morganasecrets
Visualizações 320
Palavras 4.617
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Porra

Capítulo 9 - I say "yes" for you


Fanfic / Fanfiction Could you live for me? (mitw) - Capítulo 9 - I say "yes" for you

I say "yes" for you | Eu digo "sim" pra você  

Quem sabe o maior erro de alguém seja se apaixonar. Pelo menos era isso que Tarik pensava no momento, enquanto Linnyker o levava com um de seus carros esportivos e chamativos para a escola. Ele estava se apaixonando perdidamente por Mike, e o plano inicial sem dúvidas não era esse.

— Prontinho. — Mike sorri, abrindo a porta — Fique aí. — Pac vê o maior dar a volta no carro e abrir a porta.

— Quanto cavalheirismo. — Pac sussurrou envergonhado, afinal, todos ali olhavam para ele e Mike.

— De tudo pelo meu amor. — Mikhael sorri e fecha a porta, segurando carinhosamente o queixo de Pacanhan e depositando um beijo cuidadoso e sem a língua em seus doces lábios.

— Você é incrível. Obrigado. — falou colocando uma mão na cabeça — Aaah, ressaca de ontem…

— Esqueci de entregar à você. — Mike mexe no bolso de sua jaqueta de couro e tira uma cartela de remédios — É para dor de cabeça e essas coisas. — Tarik pega o remédio e sorri para o maior.

— Obrigado de novo. — dá um selinho no maior rapidamente e se afasta.

— Venho te buscar também. — Mike acena para Pac que retribui, guardando o remédio na mochila e indo de encontro à Cellbit.

— Wow, vocês estão juntos mesmo? — passam pelos portões.

— Estamos. Algum problema?

— Não, claro que não. — o loiro sorri levemente, ajeitando a mochila no ombro — Fico feliz por estar com uma boa pessoa, você parece melhor inclusive.

— Quem sabe eu esteja. — Tarik sorri de lado.

{[]}

— Aqui está o histórico do Pacanhan. — A diretora Carine entregava uma pasta para o moreno que tinha estacionado seu Porsche em frente aos portões da escola.

— Muito obrigado por me receber bem e ajudar. — sorriu, jogando a pasta pra dentro do carro pela janela aberta e ouviu o som do sinal batendo, em seguida, vários alunos correndo para fora — Como o Tarik é nas aulas? — fala, arrumando o buquê de rosas vermelhas em suas mãos.

— Ele é esforçado. Dificilmente tira nota abaixo da média. — a loira ajeita os óculos — Bom, eu tenho que ir, nosso horário de almoço é curto. Qualquer coisa, é só vir falar comigo. — ela sorriu e Mike assentiu, dando um leve aceno e vendo a mulher indo embora em direção ao estacionamento da escola.

— CARALHO PAC! — o loiro que supostamente era amigo de Tarik berrou enquanto saía da escola junto do moreno, apontando para Mike segurando o buquê.

Várias pessoas observavam a cena. Lange dá um leve aceno para Pacanhan e assiste o mesmo indo até Mike corado.

— Mike, o que é isso? — olha para as rosas vermelhas, e vê Link abrir um enorme sorriso.

— Um agrado pra você, amor. — Mikhael segura de forma suave a nuca de Pac, depositando um selinho longo em seus lábios — Tome. — ele entrega as rosas para Tarik que sorria sem jeito.

— Oque eu faço com você, Linnyker? Sinceramente, eu não sei.

— Aceite minha proposta. — murmurou para o mais novo — Fique comigo de verdade, Tarik. Há muito pra explorarmos juntos. — Pac fica em silêncio por um tempo — Não precisa decidir agora. Vamos pra casa, hum? — acariciou o queixo de Pacanhan e abriu a porta do passageiro para o mesmo, que entrou sorridente no carro.

Durante todo o percurso, ambos ficaram em silêncio, ouvindo Arctic Monkeys e Link não deixava de dar atenção ao sorriso bobo de Pac para as rosas. Quando chegaram finalmente, seguiram para a cobertura.

— Vai querer ir almoçar fora ou vai querer comer aqui mesmo? — Link pergunta fechando a porta, e quando se vira, vê Tarik largando o buquê sobre a mesa de centro da sala, em seguida, largando a mochila de qualquer jeito no chão.

— Estive pensando em ficar por aqui mesmo… — seu tom de voz parecia duvidoso para Link, até o mesmo se virar para Mike — Com você. — o menor morde o lábio inferior, tirando os tênis usando os calcanhares e ficando apenas de meias.

— Tudo bem… — Link anda alguns passos à frente, ouvindo Pac suspirar — O que foi?

— Fiquei pensando sobre como anda agindo comigo… — Tarik dá passos lentos ao encontro de Mike, segurando a gola de sua camisa de linho azul clara e abrindo os dois primeiros botões, e em seguida, rodeando o pescoço do mesmo com os braços, tendo sua cintura envolvida pelos do maior — Você merece um agrado em retribuição… — dá um leve selinho em Mike.

— Como assim, Tarik?

— Estou cogitando coisas… Mas pra isso, vou ter que ir no trabalho hoje…

— Não, nada daquela boate de nov… — Link é interrompido.

— E você vai comigo. Amanhã não tem aula, reunião de professores, conselho de classe. — o menor sorri, pressionando sua barriga contra o membro de Link — Podemos ficar acordados até tarde essa noite.

— Pac, oque vai fazer?

— Dar um presente pra você, e então eu prometo me demitir.

— Jura que vai se demitir hoje? Hoje à noite?

— Claro. Você merece me ter pra você. Não que eu fosse algum prêmio, de qualquer forma, você parece me querer muito e eu gostaria de ser seu.

— Oh, eu quero sim, claro que eu quero. — Linnyker sorri, mordiscando aqueles seus lábios favoritos do garoto à sua frente — O que vai aprontar hoje?

— Nada demais. Acho bom ir preparado para uma noite picante.

— Hum… Picante?

— Vou te explicar sobre as conclusões que cheguei, mas provavelmente só amanhã. Sabemos que depois que transamos, eu não aguento muito tempo acordado né.

— Então vamos transar hoje?

— Isso é um segredo. — sorriu e atacou os lábios do maior à sua frente.

{[]}

— Fique sentadinho aqui, amor. — Tarik dá um beijo suave da bochecha de Linnyker e então some de vista do mesmo.

— Olá, Mikhael. — Sasa senta ao lado dele, na poltrona de três lugares vermelha, em frente ao palco principal — Tarik me pediu pra entregar à você quando falou comigo por telefone mais cedo. — ela larga uma garrafa azul claro em frente à Link, sobre a mesa de vidro.

— Oque é isso? — ele gira a mesma, lendo em seu rótulo “Blue Bitch”, uma vodka — Ok, isso tá me assustando. — Sasa estala os dedos e um garçom deixa uma taça vazia ao lado da garrafa.

— Tarik disse que a noite seria longa e importante, e que deveria aproveitar. Beba à vontade.

— Ele também te disse que está se demitindo? — Link encara a ruiva e vê ela assentir.

— Um dos melhores daqui, Mikhael. Vou sentir falta dele. Por mais que só servisse mesa, atraía os clientes… Você entende, hã?

— Claro, prometo compensar de alguma forma. Ele tá se demitindo por minha culpa, eu pedi isso à ele.

— Não precisa compensar. Seu patrocínio já faz isso.

— Moverei meus pauzinhos e farei alguma coisa à mais. Essa boate é importante nos negócios.

— Obrigada. — a ruiva sorriu — Aproveite sua noite.

Ela levanta, indo para longe, enquanto a boate se enchia. Mikhael estava usando um terno todo preto, à pedido de Tarik. Ele não sabia onde o menor queria chegar, mas sabia que acabaria em transa, e isso era muito interessante para ele, já que Pacanhan era um rapaz e tanto.

Encarou a vodka em sua frente e bufou, abrindo a mesma e servindo sua taça.

— Que seja, Pacanhan. Que seja. — e virou a bebida.

Após tomar vários goles, Link deu atenção ao palco. Pelo que soube pelos garçons, hoje teria um show especial. Um tempo depois, Sasa aparece iluminada por um foco de luz no centro do palco, perto de um pole dance, enquanto toda a boate fica em silêncio, no escuro.

— Senhoras e senhores, muito obrigada pela presença. Vocês devem saber que hoje a boate funcionará de forma diferente. É oque acontece quando temos um show especial de strip. — todos murmuram — Sempre falamos quem será o striper ou a striper da noite, mas hoje era surpresa, já que o rapaz estará fazendo um show com identidade secreta em especial à uma única pessoa presente aqui. O palco está livre, senhor Gatinho!

Todos aplaudem e as luzes do palco vão para a cor azul, com Sasa descendo dali. Dois dançarinos empurram uma caixa enorme rodeada por papel presente verde e um laço gigante azul, enquanto toca Eyes On Fire, de Blue Foundation.

Quando as vozes melódicas começam, os dançarinos puxam a tampa da caixa para cima, fazendo as paredes da caixa caírem, deixando um rapaz de pele clara à mostra. Ele tinha orelhas de gatinho preta, usava um tipo de short curto escuro com um longo rabo de gato preto preso ao jeans e meias até os joelhos também pretas. Tinha as mãos algemadas em frente ao corpo, e estava sentado numa cadeira de madeira branca, simples. Olha para a plateia, exibindo um delineado de gatinho e um nariz falso colado no rosto, nariz de gato, com três longos fios para cada lado, além de ter o lábio superior com batom preto. Tinha um lenço fino na cor preta sobre as pernas, preso à cintura.

Linnyker encara as coxas e pescoço marcados do rapaz. Ele conhecia perfeitamente esse corpo.

— Tarik? — murmura pra si mesmo, desacreditado. O senhor Gatinho olha para Mike e pisca um olho, sorrindo abertamente.

I'll seek you out (Eu vou te perseguir)

Flay you alive (Te esfolar vivo)

One more word and you won't survive (Mais uma palavra e você não sobreviverá)

O rapaz se levanta enquanto os dançarinos saem do palco. Seus movimentos lentos e sexys o levam para o centro do palco, onde o pole dance dourado estava. Ele gira junto do seu lenço preso à cintura, no pole, e se impulsiona, ficando firme, subindo mais um pouco, se largando de cabeça pra baixo. Interessante como mesmo algemado, era habilidoso pra isso.

And I'm not scared (E eu não tenho medo)

Of your stolen power (Do seu poder roubado)

I see right through you any hour (Posso saber o que você está querendo à qualquer hora)

— Deus… — Linnyker murmura, mexendo em sua gravata, aliviando o aperto da mesma enquanto não tira os olhos do rapaz. Não era só sua gravata que estava apertada, sua calça também estava.

Todos estavam vidrados na dança sexy do senhor Gatinho. Mikhael conhecia cada traço do corpo de Pac, e sabia que ele estava nervoso fazendo aquilo, mesmo que suas emoções não demonstrem isso. Mikhael também não entendia por que ele estava fazendo, só sabia que era um agrado para Link, com certeza, ele mesmo tinha dito. E apesar de estar enciumado do garoto exibir seu corpo e movimentos para toda a boate, ninguém sabia que o rapaz era Tarik, e além disso, não faria de novo, como ele mesmo havia dito, ia se demitir essa noite. Bela despedida.

I won't soothe your pain (Eu não vou aliviar sua dor)

I won't ease your strain (Eu não vou acalmar sua tensão)

You'll be waiting in vain (Você vai ficar esperando em vão)

I got nothing for you to gain (Eu não tenho nada que você queira)

I'm taking it slow feeding my flame (Eu estou indo devagar alimentando minha chama)

Shuffling the cards of your game (Embaralhando as cartas do seu jogo)

And just in time, In the right place (E apenas no tempo, no lugar certo)

Suddenly I will play my ace (Subitamente eu jogarei meu Às)

Sexy, ele dança com seu lenço, fazendo o tecido passear pelo seu corpo, entre as algemas.

Eyes on fire (Olhos em fogo)

Your spine is ablaze (Sua espinha está em chamas)

Felling any foe with my gaze (Derrubando qualquer inimigo com meu olhar)

And just in time (E apenas no tempo)

In the right place (No lugar certo)

Steadily emerging with grace (Emergindo devagar com graça)

Então a música continua com a instrumentação, e todas as luzes se apagam, restando a breve iluminação de leds azuis no palco.

Linnyker vê o rapaz andar em sua direção, dando um passo do palco para sua mesa, já que a mesma ficava menos de um metro dali, não era problema. O senhor Gatinho agacha-se, colocando a vodka de Mike na taça e bebendo em seguida, sem tirar os olhos dos de Mikhael.

— Precisa fazer mais disso só pra mim. — Link murmura e o senhor Gatinho sorri ficando de joelhos.

— A chave está presa no short.

— É um pouco curto esse jeans, hum? — Mike murmura, colocando a mão dentro do tecido, fazendo Tarik resmungar, pegando a chave e abrindo as algemas do mais novo.

— Realça minha bunda, eu gostei. — o senhor Gatinho responde, largando a taça e envolvendo o seu lenço no pescoço de Mike, o puxando mais pra perto.

— Temos que terminar com meu plano inicial. — Tarik sussurra, subindo o lenço para os olhos de Linnyker o vendando — Confie em mim, amor. — Sussurra novamente, com todas as luzes da boate se apagando em definitivo e prendendo as mãos de Mike com suas algemas.

Então segundos depois, a música se encerra com luzes no palco se acendendo e os bailarinos dando alguns passos de encerramento. Todos aplaudem, e Sasa sorri olhando o lugar de Linnyker vazio.

— Espero que Tarik termine oque começou. — sussurra pra si mesma, contente pelos resultados do show. O público parecia ter amado, apesar de ter sido uma apresentação breve, foi misteriosa e excitante.

{[]}

— Wowowowow, mais devagar, não consigo ver nada! — Linnyker murmura e ri junto de Pacanhan.

— Ssshhh, fale baixo, ninguém pode nos ver por aqui! — Pac murmurou, puxando Mikhael pelos pulsos algemados — Confie em mim, bobinho.

Mikhael ouve uma porta sendo trancada e em seguida seus pulsos são abandonados do toque de Pac. Sente as mãos suaves do menor em seu rosto, o soltando da venda. Quando abre os olhos, nota que está em uma das suítes da boate. Sorri, vendo o senhor gatinho à sua frente.

— “Senhor Gatinho”? Era essa sua brilhante ideia pra essa noite, Tarik? — sorriu e Pac revirou os olhos gargalhando, e em seguida suas mãos desceram ao peito de Linnyker, abrindo o terno e deixando a camisa de linho e gravata preta à mostra. Segurou o tecido e fitou Mike.

— Eu sei que tem fetiche nessas fantasias, meias longas e essas coisas. — Linnyker cerra os olhos — Eu fiquei com seu celular essa manhã na escola. Você não sentiu falta dele, certo? Teria dito algo se tivesse.

— Achei que eu tivesse esquecido em casa na verdade. Tive que ir até uma cafeteria do meu pai pra acertar algumas coisas… Então estava com você o tempo todo?

— Sim… — sorriu sapeca entre os dentes, pegando a chave das algemas e libertando o maior.

Linnyker segura firme a cintura de Pac e o joga contra a cama, subindo por cima e prendendo os pulsos dele com as algemas na cabeceira.

— Ah, qual é Mike… — reclama, puxando os pulsos no intuito de se soltar — Eu queria tirar seu terno… — faz bico.

— Desculpe, você está uma tentação vestido assim… — sorriu jogando seu paletó num canto e retirando os sapatos — Me conte, o que fuçou no meu celular afinal?

— Não é interessante sua senha ser fácil? Tipo, sua data de nascimento? E mais interessante é sua galeria ser lotada de fotos desse tipo de fantasia, hum? — Tarik ergue a ponta do pé contra o membro de Link — Por que não me contou desse seu fetiche?

— E obrigar você à transar comigo usando meias longas ou usando orelhas de gatinho? Quem sabe algemado, como agora? Não. — riu — Parecia demais.

— Eu quero saber como reage como assim. Se eu tivesse descobrido antes, já saberia... — sorriu — E espero que se agrade do meu presente.

— Tudo isso por quê?

— Considere que seja eu aceitando seu pedido de namoro, oficialmente. — Linnyker abre um sorriso e deixa seu óculos de lado, no criado mudo.

— Então, você topou?

— Você é um cara incrível, e estou me apaixonando à ponto de me vestir de gatinho, fazer uma dança sexy e realizar um fetiche seu, então, sim.

— Posso te foder da forma que eu preferir?

— Pode.

— Me diga que esse rabo de gato é um plug conectado ao short.

— Como sabe? — o menor franze o cenho.

— Você está movendo os quadris em busca de mais contato. Nem sequer percebeu, hãm. — Link sorriu — Eu te amo. — agacha-se, beijando o outro intensamente.

Sente as pernas de Tarik rodearem sua cintura.

— Não é jeans, apesar de parecer muito, é um tecido sensível… — Pac é interrompido.

— Já entendi o recado. — Link segura as laterais do short e com força puxa, fazendo com que se rasgue e o outro fique exposto dando um breve gemido.

Mike olha para o plug na entrada de Tarik e sorri, envolvendo sua mão e movimentando o mesmo. Tarik fecha os olhos e abre a boca, atirando a cabeça pra trás e arfando.

— Você disse que teríamos uma longa noite, não é? — Mike comenta, tirando as pernas do outro de sua cintura e parando de movimentar o plug.

— D-disse…

— Bom, estou pensando em te soltar pra você tirar minha roupa, como você disse que queria, mas caralho, você tá muito gostoso algemado assim. — Tarik sorri — Então, quer me observar enquanto faço isso? Quem sabe usar seus pés?

— Claro. — Pacanhan abre os olhos e provoca o outro com a ponta do pé passeando pelo abdômen de Mikhael, que estava de joelhos na cama.

Mike segura o pé de Tarik quando o mesmo chega próximo de seu pescoço e puxa sua gravata, colocando o pé do outro por baixo. Pac impulsiona o pé, puxando a gravata pra cima e dessa forma, retirando do pescoço de Linnyker, jogando para longe.

— Oque quer agora? A camisa de linho ou a calça social? — Mike perguntou e Tarik mordeu o lábio inferior, pensando um pouco.

— Acho que a camisa.

— Ok.

Mike puxa as laterais da camisa, fazendo os botões estourarem e a mesma ficar aberta. Deixa seus braços soltos enquanto Tarik põe cada um do seu pé em cada ombro, por baixo da camisa, em seguida, habilidosamente faz o tecido descer pelos braços de Linnyker, saindo de seu corpo.

— Você é bom em tirar minhas roupas usando os pés, podemos fazer isso mais vezes? Sabe, você nu algemado tirando minha roupa com os pézinhos? — Mike pergunta jogando a peça para longe.

— Claro. — riu brevemente.

Mike abre seu cinto e sobe a região até o rosto de Tarik.

— Com a boca. — Mike pede e o outro abre a boca.

Usando os dentes, Pac segura uma ponta do cinto e Mike rasteja para trás, fazendo o mesmo sair de sua calça. Em seguida, ele pega o couro de Tarik e deixa de lado na cama.

— Vai se importar se eu usar depois? — Tarik treme os olhos, quase revirando.

— Pretende me castigar por ter me exposto pra boate?

— Você quer não é?

— Com força. Mas com amor.

— Prometo. — beija a testa de Pacanhan e se põe de joelhos, abrindo os botões de sua calça e ficando de quatro em cima de Tarik.

— Vou te contar um segredo. — murmura enquanto Pac puxa com os pés a calça para fora do corpo de Mike.

— Fala. — diz com dificuldade, fazendo força com os pés, começando a retirar a peça de Link.

— Não estou usando box. — Tarik gargalha.

— Notei, seu volume tá bem chamativo, disfarçaria mais se tivesse com uma box.

— Vou lembrar disso na próxima.

— Não lembre, vai dificultar meu trabalho com os pés. — Mike ri soprado ao ouvir Tarik e movimenta as pernas, ajudando o outro a retirar sua última peça de roupa.

— Agora, eu vou foder você.

Mike ataca os lábios do mais novo de forma voraz. Logo, abaixa seus beijos para o pescoço de Tarik, segurando a cintura do mesmo e traçando com o dedão um “M” na pele sensível do mesmo. Era uma mania de Linnyker traçar “ML”s, “M”s, ou apenas “L”s pelo corpo de Tarik quando transavam, geralmente ele usava a unha e deixava uma marca vermelha na pele do mesmo nesse formato, apenas para dizer que ele pertencia à Link.

— M-Mike… Por favor…

Ele gemia, movimentando os quadris por conta do plug. Mike retira o brinquedo do outro e posiciona seu membro.

— Queria brincar mais, mas você parece necessitado, hum? — acerta um tapa na nádega de Pacanhan e o mesmo se contorce — Vou cuidar de você gatinho. — retira com cuidado o falso nariz de Tarik e observa o outro suado — Mal começamos e você tá assim?

— Vai logo Mike… Quero você dentro de mim, forte.

Um arrepio percorre Mike. O mesmo avança, invadindo a intimidade de Tarik e começando suas estocadas no mesmo instante, ouvindo gemidos do outro. Sua mão alcança o cinto de couro e ergue uma das pernas de Tarik. O menor olha para Mikhael enquanto geme e mal respira. Linnyker o vê morder o lábio em excitação, ele pedia por aquilo.

— Você é mesmo uma vadia… — Link acerta o outro na coxa, pouco abaixo de sua bunda e ele responde com um gemido alto, movendo as mãos algemadas.

— Sua vadia, Linnyker… — sorriu — Me faça sua vadia… — recebe mais uma cintada, não era forte, Mikhael não tinha a intenção de machucar, apenas de causar uma pontada de provocação, e o outro respondia isso bem.

— Você é meu gatinho, hum? — beijou Tarik, largando o cinto de lado — Estou impressionado com você.

— Falamos sobre… Aaah… Depois… — mal falava, recebendo as fortes estocadas.

As mãos de Linnyker passeavam pelo corpo venerado enquanto ouvia os gemidos de Pacanhan ecoando pelo quarto além do som de seus corpos se chocando. Linnyker mordiscava e deixava marcas pelo corpo de seu garoto com vontade, tomando total posse dele.

— Mikaé-é… — murmura.

— Hum? — morde o queixo de Tarik.

— Eu preciso… Anhh… Me tocar…

Linnyker sorri e estica o braço ao criado mudo, pegando a chave e abrindo a algema de Tarik. O menor leva uma de suas mãos para a nuca de Mikhael, o puxando para um beijo enquanto a outra segue ao seu membro, onde ele faz uma masturbação lenta, sem forças.

— Gosta de se torturar, Tarik?

— Estou atencioso… Ahnn… Em sentir você dentro de mim…Que não c-consigo...

Mike desce uma de suas mãos para o membro de Tarik, tirando a mão do garoto de lá e ele mesmo começa à masturbá-lo. Pac segura os ombros de Link com força, sentindo várias formas de prazer ao mesmo tempo. Os toques de Mike eram irresistíveis, tanto quanto a maneira que o fodia. Link passa o dedão pela glande de Pac lentamente e o menor praticamente urra.

— Gosta disso? — Link morde a clavícula de Tarik.

— S-sim… — Tarik estava fora de controle, sua mente estava embaralhada e mal podia abrir os olhos.

Mike sugava suas forças, o dominava, e Pac não sentia problema algum em estar dessa forma para Mikhael. Para ele era maravilhoso.

Linnyker sente o outro se impulsionar e fazê-los trocarem de posição, e sem tirar Mike de si, Pac respira fundo, sentado sobre Mike, começando à se mover. Mikhael segura firme os quadris do outro, o ajudando nos movimentos.

— Deveria ficar mais vezes em cima… — Mike murmura.

— Mesmo? — rebola sobre o membro do outro e vê Mikhael revirar os olhos e trancar a respiração — Gosta de me ter sobre você, Mikaé? — sobe e desce rapidamente de novo e o outro geme alto.

— Gosto… Amo… Eu venero você de todas as formas. — movimenta os dedos, incentivando Tarik a continuar — Não pare, baby… — sorri e Tarik ondula sobre ele, desce, sobe, rebola, provoca.

Mike sobe uma das mãos para os cabelos de Pacanhan, puxando os fios bruscamente, fazendo o outro atirar a cabeça pra trás e morder forte o lábio.

— Tão gostoso… — Mike sussurra provocante enquanto o outro permite que Link o toque à seu gosto.

O maior se impulsiona e se senta, firmando a cintura de Tarik e o beijando.

— O Daddy quer o gatinho de quatro. — falou arrumando a tiara de orelhas de gatinho de Tarik.

— E o gatinho quer leite, igual daquela vez, você lembra? — sorriu malicioso.

— Lembro, foi uma das nossas melhores noites. Vamos recordar melhor ainda. — Mike ergue os quadris de Tarik, o fazendo sair de seu colo.

Linnyker faz sinal para Pac para que ele se vire de costas, e assim o menor faz, abaixando o rosto e as mãos, empinando a bunda para o alto. Olha por cima dos ombros e vê Mike suspirar, mordendo o lábio inferior enquanto vê sua bunda.

Link segura as nádegas de Pac com as duas mãos, apertando a carne e dando um tapa em uma delas, vendo o outro estremecer largando um leve resmungo. Então, afasta, deixando a entrada dele bem exposta e penetrando novamente, com força.

Tarik ronrona, apertando os lençóis, ouvindo o outro resmungar também. Espalma novamente.

— M-mais… D-daddy… — Mike acerta sua próstata e ele atira a cabeça para trás, murmurando palavrões.

Mike volta à estimular o membro de Pacanhan, masturbando-o, enquanto acertava a próstata do menor várias vezes.

— Você é meu… — Mikhael declara entre gemidos.

Suado, já cansado, não queria parar. Se mover em Tarik era algo que lhe trazia vida. Ter aquele corpo para ele o fazia amar ainda mais o outro. Não que sexo fosse a única ligação deles, no início sim, mas agora é apenas uma forma de demonstrar amor e necessidade um do outro. Pacanhan demonstrava isso nessa noite. Dessa forma, dizia indiretamente “eu sou seu, Mikhael”. E Linnyker sabia disso.

Mais estocadas, mais gemidos, estalos, tapas, murmúrios e respirações falhas se seguiram pelo quarto.

— Mike… — Tarik resmunga se desfazendo.

Linnyker o estoca mais algumas vezes e se retira dele, se masturbando. Vê Tarik se ajeitar na cama, sensível e corado, engatinhando até ele e deixando o rosto baixo na direção do membro de Mike.

Pac segura o membro do outro, pondo na boca enquanto Link segura firme os cabelos de Tarik.

— Fode minha boca. — murmura contra o membro de Mikhael e o maior se derrete.

Impulsiona com a mão para que Tarik movesse a cabeça para frente, afundando o seu pau na boca do outro.

Céus, esses lábios vermelho e macios ao redor de seu membro o levavam à loucura. Cada ida e vinda, afundava mais de si nos lábios do mais novo, e mais rápido.

— N-não aguento… — Mike geme, revirando os olhos — Caralho, Tarik… Sua boca… Oh… — ele sentia seu estômago revirar — Vou morrer… — murmura e sente a aspereza da língua de Pacanhan provocar sua glande quando ele volta de sua boca — Desgraçad… — entredentes, não termina a frase, se afundando novamente na garganta do outro e se desfazendo em um gemido arrastado, enquanto força os dedos na nuca de Pac.

Tarik afasta o rosto do outro e respira ofegante como Mikhael, engolindo a porra.

— C-caralho… — Link sussurra, se jogando por cima de Tarik, deitados abraçados.

— Gostou? — Pac pergunta, tirando a tiara e deixando de lado.

— Faz mais boquete em mim, hum? — Linnyker parecia estar caindo de sono enquanto recuperava o fôlego.

— Só se me prometer me tirar da casa do meu pai.

— Eu vou, com ou sem boquete. — riu — Eu te amo, você me deixa louco mas eu te amo.

— Vamos casar, morar numa casa enorme no campo e adotar três crianças, oque acha? — Pac pergunta humorado, acariciando os cabelos do amado.

— Eu moro até embaixo da ponte com você.

— Te amo muito. Não era pra ser assim mas te amo muito. — fala mais sério.

Mike sorri fofo para ele, dando um selinho longo. Quando o maior ameaça sair de cima de Pac, o mesmo interfere, segurando os ombros de Link.

— Dorme assim, em cima de mim.

— Tem certeza?

— Absoluta. Me sinto protegido. — Mike sorri.

— Puxe os lençóis por cima de mim usando os pés e eu não saio de cima de você pra isso.

— Ok. — Tarik com um pouco de dificuldade, usa os pés, puxando os lençóis por cima de ambos, e deixando as pernas entrelaçadas na cintura de Mike.

— Não me provoque deixando meu pau entre sua bunda… A noite pode ficar mais longa.

— Ná. — Tarik se ajeita entre as pernas de Mike — Mais seguro agora, mas ainda penso se vou acordar sendo fodido.

— Não dê ideias.

Ambos riram.


Notas Finais


meu cu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...