História Country Boy (Imagine Taehyung - BTS) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, ONE, Red Velvet
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Joy, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), One (Jung Jaewon), Park Chan-yeol (Chanyeol), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Gabikook, Imagine, Imagine Taehyung, Junhee, Kim Taehyung, Short Fic, Taehyung, Você
Visualizações 61
Palavras 2.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~boa leitura

Capítulo 3 - Galinhas


Fanfic / Fanfiction Country Boy (Imagine Taehyung - BTS) - Capítulo 3 - Galinhas

– Como não sabe quem eu sou? – soltei uma ridada cínica vendo o Kim, franzi o cenho. – Eu sou a Princesa Jung S/N!

– Você? – apontou para mim soltando uma gargalhada. – Você princesa? Então o que estava fazendo desmaiada na cachoeira?

– Eu estava fugindo de abelhas com o meu guarda pessoal, mas nós nos separamos. – falei indignada por ele estar rindo de mim.

– Ah, está bem! Então se você é uma princesa por que não iniciaram uma busca por você? – arqueou a sobrancelha com um sorriso vencedor no rosto.

– Eles estão me procurando, eu sei disso. – ele soltou uma risada alta, pegando algumas roupas. Entrou no banheiro e saiu do cômodo já arrumado.

Eu o olhava indignada enquanto ele se ajeitava, ele estava com vestes simples e com uma bota. O analisei tentando compreender o que ele era, nunca havia visto pessoas vestidas deste jeito.

– Está bem princesinha, vamos descer. – falou irônico passando por mim, bufei o seguindo.

Eu não deveria mas não tinha escolha, precisava achar uma forma de sair daqui e voltar para o meu Palácio. Não aguento este cheiro de terra, daqui à pouco irei morrer por intoxicação.

Analisei a casa, era bonita e simples. E bem grande, pelas enormes janelas que iam do teto ao chão, podia ver grandes plantações e animais. Era só o que me faltava. Eu estou em uma fazenda.

– Mãe, olha só quem despertou. – chegamos em uma coisa, do tamanho médio. A mulher que estava cozinhando algo se virou para nós com um sorriso.

– Ah! Olá, como se sente? – disse simpática, diferente do filho dela que era um garoto extremamente irritante.

– Estou bem. – respondi informal, a vendo sorrir e assentir. Me assustei com uma risada, ao ver o Kim rindo encostado na parede com uma maçã em mãos, franzi o cenho.

– Na verdade, ela não está bem. Deve ter batido a cabeça nas pedras da cachoeira quando caiu mãe, está dizendo que é uma princesa! – gargalhou sendo repreendido pela mãe.

– Eu sou uma Princesa, seu estúpido. E quando meu pai me encontrar, irei pedir para que corte a sua cabeça! – cerrei os punhos, irritada o vendo rir mais ainda.

– Essa foi boa em mãe. Estou dizendo, ela é maluca! – riu baixo ao ser estapeado.

– Peço desculpas pelo meu filho, ele ainda é uma criança e as vezes é um pouco implicante mas é um bom garoto. – lancei um olhar mortal para o moreno.

– Está com fome, querida? Estou fazendo omelete! – franzi o cenho.

– Vai dizer que nunca comeu isto? – o mais alto alfinetou. – Mãe, quer saber? Ela só vai comer depois de me ajudar com o serviço.

– O que?! – exclamei minha indignação.

– Você só vai poder comer após me ajudar com os serviços da fazenda, até meu irmão caçula ajuda, por que você não?

– Ora, por que sou uma princesa? Princesas não fazem este tipo de coisa, eu tenho quem faça por mim! – falei convencida o fazendo dar uma risada, recebendo um olhar duro de sua mãe porém ele ignorou totalmente.

– Mas aqui todos ajudam em algo, princesinha. – falou em um tom irônico e acenou com a cabeça saindo da cozinha, logo da casa por uma porta que dava acesso para fora.

– Eu realmente preciso ir? – questionei para a mãe do Kim, ela sorriu. Bufei ajeitando a roupa que eu vestia, que sequer era minha e estava enorme em mim.

Sai pela mesma porta que o Kim, tendo que tampar meus olhos por conta da claridade do sol. Após me acostumar pude ver o quanto era linda esta fazenda. Vi Taehyung pegando algumas cestas e um pequeno garotinho o rodear enquanto pulava. Bufei mais uma vez revirando os olhos, desci a escadaria indo de encontro ao moreno.

– Oh! É a moça que estava na cachoeira, hyung? – o pequeno ajeitou o chapéu de palha em sua cabeça, ele estava fofo, já que era muito grande para o mesmo.

– Sim Yoongi, ela acordou. Mas acho que ainda está dormindo! – falou enquanto me olhava com um olhar provocativo, mordeu os lábios e então sorriu. Abri minha boca para rebater, mas não consegui dizer nada depois dos gestos do mais alto.

– Seu nome é Yoongi? – perguntei desviando o olhar de Taehyung após me sentir envergonhada, me agachei para ficar em seu tamanho. O mesmo assentiu e sorriu.

– Você é mais bonita de perto, qual é o seu nome? – perguntou-me arrancando um sorriso meu.

– Sou Jung S/N, filha de Jung Jaewon e Jung Sooyoung. – abri ainda mais meu sorriso para o pequeno Kim.

– Puxa hyung, não são os mesmos nomes que o papai sempre diz? O nome do rei e da rainha? – se virou para o irmão com os olhos brilhando.

– Maninho, ela está apenas delirando. Agora que tal você ajudá-la à alimentar as galinhas, hm? – arqueou a sobrancelha sugestivo para o irmão.

– Tudo bem, Yoongi pode fazer isso com ela. – mostrou seu polegar antes de pegar em minha mão me levando para um lugar que eu não sabia. Lancei um olhar cortante para o mais velho que apenas sorriu provocativo dando as costas.

Yoongi me levou para um cercado, dentro tinha uma casinha bem bonitinha e fora dela estavam as galinhas. Engoli em seco, ao ver o menor parar em frente à portinha e me olhar.

– Esse aqui é o galinheiro, você prefere dar comida para as galinhas ou colher os ovos? – cocei a nuca, antes de prender meu cabelo em um coque desajeitado.

– Vou arriscar dar comida. – mordi o lábio, entrando juntamente com Yoongi.

Peguei um cesto cheio de sementes – eu acho – e comecei à jogar no chão afastado de mim é claro. Observei o loiro pegar os ovos com cuidado os colocando em uma cesta, antes vazia. Acabei sorrindo com a delicadeza que o menor tinha. Senti um belisco no meu pé, franzi o cenho olhando para o chão, arregalei os olhos e dei um grito ao ver uma galinha rente à minha perna. Joguei a cesta para o alto, correndo para fora do galinheiro.

– S/N feche a porta do galinheiro! – escutei Taehyung gritar, mas eu estava um pouco desnorteada e não entendia o que ele queria dizer.

– O que aconteceu? – senti a senhora Kim segurar em meus braços, me analisando. Eu a olhava sem saber o que falar ou como agir, estava completamente envergonhada.

– Oh não! Hyung, as galinhas fugiram. – olhei para o galinheiro o vendo totalmente vazio e as galinhas andando pela fazenda tranquilamente.

Taehyung botou as mãos na cintura olhando o irmão com a cesta de ovo. O Kim mais velho passou o braço pela testa secando o suor e suspirando.

– Ya, vamos pegá-las. – falou após respirar fundo, me encolhi me sentindo ainda mais envergonhada.

– Você está bem querida? Se machucou? – alisou meus braços, olhei para a mãe dos meninos, assentindo.

– Ya, mãe! Olhe o que ela fez! Deixou as galinhas fugirem e agora teremos que capturar todas elas. – disse em um tom cansado batendo as mãos em suas coxas.

– Não foi culpa dela, ela ficou assustada com a porcaria das galinhas. Taehyung, por quê a colocou para dar comida às galinhas? – sua mãe questionou visivelmente nervosa, me soltando.

– Está me culpando por isso, mãe? – apontou para seu próprio peito.

– Claro, Taehyung. Agora vá pegar as galinhas! – Taehyung não disse nada, apenas me olhou com raiva antes de ir em direção à uma galinha. – Venha querida, vou lhe dar algo para comer! – me olhou doce segurando em minhas mãos.

– Depois eu vou, senhora Kim. Vou ajudá-lo, em parte a culpa foi minha sim. – mordi o lábio e a vi sorri, soltou minhas mãos assentindo. A acompanhei com o olhar até retornar para dentro de casa, respirei fundo já me arrependendo por ter tomado esta decisão.

Coloquei as mãos na cintura, vendo Yoongi correr atrás da galinha. Passei meus olhos pela fazendo procurando por alguma. Andei sorrateiramente para não assustar alguma que poderia estar por perto. Meu pai bem que poderia apressar as buscas por mim, se eu permanecer aqui, pode ser que eu fique maluca e acabe morrendo intoxicada por cheiro de mato. Cheguei perto de um cercado que ficava um pouco distante das plantações, eu estava no final da fazenda e não avistei nenhuma galinha pelos arredores. Observei a outra fazenda do outro lado das cercas, era menor mas também era bem bonita. Escutei um barulho e rapidamente virei meu rosto por conta do medo, uma galinha bicava o chão completamente distraída. Sorri sapeca me ajoelhando.

– Aqui galinha, galinha, galinha. – assobiei a chamando com meus dedos. Escutei um pigarreio e mirei meu olhar para trás, vendo um homem atrás de mim.

Ele era lindo, como Taehyung. Só que eu achava Taehyung mais bonito. Ele tinha sua blusa entreaberta, o mesmo chapéu de palha que Yoongi usava, estava montado em um cavalo. Engoli em seco me sentando no chão, ele riu ao perceber que eu estava tímida.

– O que está fazendo? – perguntou risonho, cocei a nuca.

– Tentando pegar essa galinha. – apontei para a ave que continuava bicando o chão e voltei meu olhar para ele.

– Oh, você deve ser a S/N. – ele olhou para o céu soltando uma risada, logo voltando seu olhar para mim. – A piseira!

– Piseira? Como sabe quem sou? – perguntei confusa, ele riu mais uma vez.

– Taehyung te apelidou assim, você quem deixou as galinhas escaparem. Piseira significa confusão! – fiz uma cara emburrada, revirando os olhos. – Eu estava o ajudando pegar as galinhas. – mostrou a rede.

– Ah, que ótimo. – murmurei desviando meu olhar para o chão. Quanta humilhação.

– Bom, eu preciso ir. Te vejo qualquer dia desses. – sorriu, seu sorriso era lindo. Acenou com seu chapéu de palha e cavalgou em direção à fazenda.

Pisquei algumas vezes antes de voltar minha atenção para a galinha. Respirei fundo várias vezes, antes de pular em cima da galinha. Cai no chão com tudo, juntamente com Taehyung, acabei soltando a galinha pelo susto que ele me deu. Bufei olhando para o moreno, quando a galinha correu para longe.

– Ya! Você não para de me atrapalhar? – se levantou batendo em sua blusa para tirar a roupa, me levantei o imitando.

– Te atrapalhar? Eu ia pegar aquela galinha se não fosse por você, você me assustou e eu a soltei! – me irritei apertando meus punhos.

– Você só veio para causar confusão mesmo né, faz minha mãe brigar comigo pela primeira vez, solta as galinhas e agora me atrapalha! Você é uma tranqueira mesmo, sai daqui! – falou irritado indo em direção ao caminho que a galinha fez.

– E você é um idiota! – gritei tacando uma pedra em sua direção.

Sai andando em direção oposta para voltar à fazenda. Estava com raiva, muita raiva. Conforme andava, me sentia ainda mais fraca por conta do sol. De vez em quando sentia meu corpo fraquejava e eu pensava que iria cair, mas eu estava com tanta raiva que não queria parar até chegar à fazenda.

– Quem ele pensa que é? Ele é um cowboyzinho de côco, isso que ele é. E ainda fica falando aquelas palavras esquesitas. Ele é um imbecil, na primeira oportunidade que tiver vou tacar ovo na cabeça dele com gosto. – murmurava sozinha andando à passos duros e rápidos. – Quando papai me encontrar, vou mandar que Chanyeol o corte em pedacinhos e dê de alimento para as galinhas. – ri irônica. – Se bem que as galinhas não merecem algo tão ruim quanto ele!

– S/N! – a voz de Yoongi interrompeu meus pensamentos. Olhei para o pequeno que estava acompanhado de uma mulher, ela era bonita.

– Oi Yoongi! – forcei um sorriso para o menor, não queria que minha raiva ficasse aparente.

– Você deve ser a S/N, sou JunHee. Yoongi estava me contando sobre você! – sorriu amorosa, esticando sua mão. Apertei acenando com a cabeça. – Soube que eles te encontraram em uma cachoeira, você está bem?

– Não estou muito bem, eu poderia estar muito melhor conhecendo aqueles animais, acompanhada de Chanyeol se eu não tivesse me afastado dos soldados reais. – bufei cruzando meus braços, vi a morena arregalar os olhos e mirar Yoongi.

– Ela realmente está delirando. – seu tom baixo e surpreso me irritou.

– Eu não estou delirando! Sou filha de Jung Jaewon e Jung Sooyoung, sou Jung S/N. Filha dos soberanos deste reino. – exclamei raivosa, sentindo minha cabeça latejar, dei um passo para não cair.

– Oh, você está bem? – JunHee se aproximou, a olhei com raiva vendo seu rosto ficar embaçado.

Franzi o cenho sentindo novamente minha cabeça latejar, meu corpo enfraqueceu e cai no chão.

– Sogra! – escutei JunHee gritar.

Espera ai, sogra?


Notas Finais


Me perdoe a demora meus amores, obrigada pelo apoio de vocês❤

➡️•Tranqueira: má pessoa, que faz tudo errado.•⬅️

Meu perfil: @GabiKook


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...