História Cravo e Canela - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 0
Palavras 432
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


O reencontro

Capítulo 3 - Capítulo 3


Narrado por ela

-Bom Dna Deborah, ja estou dispensada? tenho compromissos daqui a pouco. Me levantei e peguei minha bolsa.

-Pode sim querida! Todos vocês estão liberados. Obrigada viu?

-Imagina. Respondemos todos juntos e saimos.

Estava chegando perto de Manu, quando fui puxada pela braço

-Que susto. Coloquei a mão no peito, e controlei a respiração

-Precisamos conversar, você sumiu, nunca mais me ligou, não deu mais aulas de tarde...

-Você está louco, Rodrigo? Eu lhe disse que não era pra me procurar mais. Soltei sua mão de meu braço

-Mas isso faz tanto tempo, por que não me perdoa? Podemos começar de onde paramos, eu ainda amo você.

-Haha, vá catar coquinho, me esqueça, passaram-se tantos anos e você ainda lembra disso? Haha, lindinho siga tua vida. Minha ironia foi tanta que apenas dei as costas para ele.

-Vamos Manu?

Andei apressada, precisava sair dali, eu não estava acreditando que ele foi capaz de dirigir a palavra a mim. Como ele pode lembrar de mim ainda? Será que ele realmente me ama? Ele esqueceu que me fez de brinquedo sexual? Será que ele sabe que eu realmente o amei? Fiquei me fazendo perguntas até a casa de Manu.

-Ele pediu pra mim te entregar isso ja faz uns dias, me desculpa.

-Uma carta? Você leu?

-Não, mas aconteceu alguma coisa? Ele disse que amava a senhora, que hoje em dia ele faria tudo para tê-la outra vez.

-Aí Manu... mal terminei de responder, somente meu choro era audível.

-Por favor, pare!. Manu me abraçou, e foi nesse pequeno gesto que me acalme.

-Ja passou, vamos temos um dia cheio. Me acalmei e fui falar com a mãe dela.

Foi tudo como planejei, almoçamos em meu apartamento e passamos a tarde toda conversando. É muito bom passar as horas ao lado de quem você gosta, Manuela é uma menina muito especial para mim, a tenho como uma filha, faço de tudo para que ela se sinta bem, que se sinta da Família.

Anoiteceu e eu e Manu estávamos deitadas, ela dormia, ja eu fiquei ali remoendo meu passado.

Apesar de tudo que Rodrigo me fez passar, ainda existe uma chama em mim, é como ele mesmo disse a anos atrás, nossa conexão não foi apenas carnal, foi de alma. Eu me joguei de corpo e alma naquela relação, não esperava que acabasse assim, depois desse meu primeiro amor eu tive mais alguns "namoricos", mas sempre tive insegurança.

Agora posso escolher uma pessoa que faça bem... e é oque eu quero: Uma pessoa que me ame, que me de carinho, que me proporcione os mesmos sentimentos que senti a anos atrás...


Notas Finais


Desculpe a falta de coesão


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...