História Crazy in Love - Jeon Jungkook - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Crazy In Love, Jungkook, Orgulho
Visualizações 57
Palavras 1.649
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drabs, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, LGBT, Literatura Feminina, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi beberes. Estava bem humorada, então decidi postar logo o segundo. Não terá mordomia assim, porque a escola tá bem pesado. Mas estou adiantando bastante capítulos, para ter pelo menos um cada semana.

Boa leitura♥

Capítulo 2 - Amigo de trabalho.


Fanfic / Fanfiction Crazy in Love - Jeon Jungkook - Capítulo 2 - Amigo de trabalho.

02:46

Até que enfim esse cabaré acabou. 

Minhas pálpebras pesam, meus poros estão eriçados pelo frio, meus cabelos embaraçados, e meus travesseiros, brutalmente jogados pela cama. Duas horas de tortura. Quem demora duas horas para gozar? Mas que porra, esta ficando pior a cada dia.

Eu agradeço imensamente pela Lily ter me abrigado em sua casa, dividir sua comida, sua água,  sua TV, mas caralho, esse castigo ninguém merece. Posso até ter matado alguém na outra vida, mas eu juro que nunca neguei um orgasmo a ninguém, de verdade. 

Sei que Lily não faz por mal, ela apenas quer "curtir" seu marido, afinal, são jovens e casados. Quem não amaria transar com um cara que só ao retirar a gravata, nos faz ter um orgasmo mental? Imagina esse homem na prática.

Não me levem a mal, não sou aquela amiga fura olho, eu apenas sou aquele tipo de amiga que, isso aí mana, aceita ser a comida, cliente assim nem toda garçonete encontra. 

Lily sabe a admiração que tenho pelo Jeon, e não passa disso. 

Ele é um homem incrível. O cara só tem 20 anos e já carrega consigo responsabilidades grandes, uma casa grande, um futuro grande. Admiro com todas as minhas forças esse casal. Lily é a melhor pessoa para o Jeon; mulher forte, decidida, aquele tipo de mulher que consegue tudo só com o sorriso. Eles são aquele tipo de casal que temos o prazer de fazer shipp. Jely.

Mas dias como hoje são os piores, quem dera que eles fosses velhos que não aguentassem deitar um no outro. 

Jeon, já virou rotina sempre em dias de reuniões, ter aquela noite com Lily. E Lily, sempre está a disposição de ter essa noite ao Jeon. 

Por mais que seja uma história de amor linda e maravilhosa, tem seus lados ruins. Para mim por exemplo, sempre vou  está segurando vela quando vamos ao cinema, num restaurante, num domingo de almoço. Sempre estarei olhando o casal trocar olhares apaixonados, e a noite barulhos de cachorrinhos morrendo.

Um dia eu desencalho.

Paro todos os meus movimentos e grito aos seus por ter acabado a cerimônia de espermas no quarto ao lado, ajusto meus cabelos bagunçados e pego o pote de bolo, que acabou na metade do filme porno ao vivo, sem cores, apenas som.

Abro a porta lentamente e desço as escadas novamente, ligando todas as luzes. Sou nem atriz de filme de terror, que deixa tudo desligado, se o Satanás vier, que eu possa ver para me defender.

Já na cozinha, deixo o pote no lavador e abro a geladeira novamente. Ultimamente estou comendo muito. Encontro uma mini pizza em uma embalagem e a pego. Coloco em um prato de vidro, deixando 1 minuto no microondas. Vejo o que há de líquido para beber, encontrando apenas leite gelado.

- Eca. - Despejo o leite gelado em meu copo, buscando pelos armários pacotes de suco para fazer uma pasta. Escolho o sache de uva e o misturo com o leite até formar uma testura gostosa. - Sou uma Mister Chef

- Vai ficar gorda isso sim. 

Viro meu corpo rapidamente, vendo Jeon sentado num dos bancos altos do balcão de mármore. Seus cabelos estão bagunçados, e seus olhos estão mais leve que mais cedo. Ele veste apenas uma calça preta Taktel, exibindo seu tronco todo marcado de arranhões. 

- E você será homem morto se me assustar novamente. - Reviro os olhos indo em direção ao microondas.

- Mais cedo era um bolo, agora pizza. Tá grávida? - Ele ri.

- Ha há. Nesse ritmo Lily que estará. - Como um pedaço me sentando em cima do balcão com certa dificuldade.

- Não seria má idéia. - Sorri dando um peteleco em minha testa - Folgada.

- Aish me deixa... Vocês me torturam então deixa eu comer em paz. - Digo manhosa.

- A gente te tortura é? - Pergunta cínico. - Ouvir como eu fodo é uma tortura?

Seu sorriso não passa de um leve espremer de labios e isso tenta me intimidar, coitado, melhor tentar mais.

- Não. Me tortura saber que posso ter outra pessoa me fazendo gemer daquele jeito, mas tenho que me contentar ao ouvir vocês. - Rebato piscando os olhos.

- Se não soubesse, diria que você é minha irmã. - Ele gargalha.

- Idiota. - Digo de boca cheia. - Melhor passar uma pomada nisso aí. - Aponto para os arranhões. 

- Me ajuda? Tem bastante nas costas.

Pulo do balcão indo direto a gaveta onde guardavamos todo tipo de pomada. Escolho a Neocetheo  e fico atrás de Jeon, espalhando por seus músculos.

- Sorte sua que ela não te chupa onde podem ver. - Sorrio.

- Eu a domo bem pra isso. - Diz firme e eu estremeço. 

- Tá chamando sua mulher de animal? 

- Você não entenderia. - Ele pega a pomada de minha mão e guarda. - Melhor ir dormir, amanhã vice começa a trabalhar na empresa.

- Por que me lembrou... - Choramingo.

- Porque você esquece. - Da outro peteleco em minha testa e se retira da cozinha. 

- Idiota....

Bebo todo o líquido doce que preparei, jogando metade no ralo da pia, coloco meu corpo fora da cozinha e minha mão no interruptor. Desligo de uma vez e saio correndo até meu quarto. Me chame do que for, mas morta por oportunidade eu não morro, não. 

[...]


- Eun? Eun? Levanta, já são 7:30. 

Abro os olhos lentamente e sorrio ao ver Lily me acordando com seu tom calmo de costume.

- Bom dia cachorrinha no cio. - Digo sorridente e ela cora.

- Bom dia sua chata. Levanta, Jungkook já está tomando café. 

- Esse madruga na empresa. Por que ele não chega uns minutos atrasado? - Coço os olhos e me levanto da cama voltando pra trás um pouco tonta. - Que merda, não sei porque levanto de uma vez.

- Açúcar de mais - Lily ri - Jungkook não pode perder a confiança e seus funcionários. Depois que a família da mãe dele desfez  todo o contrato depois da separação do pai, aquela empresa está um inferno.

- E eu vou trabalhar lá? Sério? - Abro a gaveta da minha cômoda de produtos e pego meus cremes para cabelo, caminhando até o banheiro. 

- Vai, e se não banhar logo nem vai ter primeiro dia. - Ela me apressa. - Vou separar sua roupa. 

Entro no banheiro, retirando meu moletom da noite passada o jogando no metal preso à parede. 

Ligo a água gelada e molho meus pés, na tentativa de acordar levemente. Regulo com água quente, para enfim tomar meu banho decentemente, lavando meu cabelo, já que a chuva destruiu ontem. Sorrio ao sentir o cheiro de fruta dos meus cabelos e saio do banho com uma toalha pequena no corpo, caminhando descalça pelo quarto. 

Lily já não estava no quarto, e em cima da cama havia as roupas separadas por ela. Era uma saia secretaria preta, aparentemente chega aos joelhos, uma camisa social branca e um blaser também preto, uma fita preta para o pescoço e um salto também preto. Ótimo! Amo preto, mas essa roupa não faz meu estilo, tá ligado?

Sento em frente minha penteadeira, despejando por minha pele, uma loção hidratante. Abro uma das gavetas e escolho uma meia calça bege. Se vou usar essa roupa, que tenha algo que eu goste.

Após ter vestido minha roupa de presidiária, ter secado meu cabelo meio roxo o deixando solto, e ter passado um leve pó no rosto para esconder as olheiras, saio de meu quarto o trancando. 

Como Lily disse, Jeon já estava comendo, e como vejo, havia terminado. Ele pega sua pasta, ajusta sua gravata e me olha. Seus olhos me analisam de cima até baixo, seu maxila trava e ele sobe em direção aos meus olhos.

- Se eu fosse você só andaria assim. - Ele diz por fim. - Mas mudaria a cor desse cabelo.

- Já vi que elogiar não é sua praia. - Vou até a mesa e bebo o suco que Lily havia colocado para ela. 

- É minha praia sim, a Lily por exemplo está linda todos os dias. 

- Tudo bem. - Suspiro - Vamos logo porque ontem eu comi muito doce, acordar com o açúcar de vocês ninguém merece.

Caminho até a porta, vendo Jeon da um beijo na esposa, antes de me acompanhar até a garagem.

- Vamos no da Lily, quero deixa - lo no lava - jato. - Ele destrava as portas da Hilux.

- Vamos voltar com que carro?

- Com esse mesmo, acredite, você terá muito trabalho. Tempo suficiente para uma lavagem de carro. 

- Aish... - Suspiro e me encosto no banco. 

Durante todo o caminho não trocamos muitas palavras, apenas para ele me contar alguns setores e normas da empresa. Saber que a empresa da sua família tem filiais por todo o mundo me deixou de cabelos em pé. Parcerias com universidades federais, mais de 40 lojas, tem setores de humanas como orfanatos. Sua empresa banca as outras, se falir, acaba com as outras.

Saber disso me fez ter medo. Como um jovem de 20 anos vai conseguir administrar tudo isso? E agora com a separação dos pais...

Chegamos em uma enorme estrutura, com paredes de vidro. Um frio na barriga me arrepia ao entrarmos no estacionamento subterrâneo. Logo após ele estacionar, caminhamos até a escada rolante e precisei de sua ajuda para não cair com esses saltos. Merda.

Depois de tanto caminhar pela empresa, conhecendo muitos dos setores, tanto de meio ambiente, à tecnologias avançadas, Jungkook me leva até meu setor. De humanas, com diretos humanos. 

- Como você está terminando de cursar psicologia, achei esse o melhor ramo. Você terá que conhecer todos os órgãos públicos, ver no que podemos ajudar, e depois mande os pedidos para o setor financeiro que ele analisará se será necessário. - Ele me explica paciente.

- Entendo. - Caminho feito uma boba de boca aberta.

- E esse será o seu chefe. - Ele para frente a uma pessoa e meus olhos se cruzam aos dela.

- Sehun?


Notas Finais


Aí... bem cansada... Olha o horário Kookita HAHAHAHAH
me digam se gostaram
Beijos da Kookita.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...