1. Spirit Fanfics >
  2. Crazy In Love >
  3. Caindo de Paraquedas

História Crazy In Love - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii pissoass!
Depois de anos sumida desta plataforma como escritora veio hoje trazendo uma fic que estou postando na minha comunidade do Amino faz um tempinho, e como já tenho garantido 10 capítulo resolvi postar pois conteúdo não vai faltar kkkkk
Espero que gostem, este aqui é minha fanfic que volto depois de anosss ♡
Aproveitem!

Capítulo 1 - Caindo de Paraquedas


POV Baekhyn:

ACORDE.

    Um frio sussurro de cautela. Levantei num pulo e me encontrei sozinho na cama, meus olhos passaram por todo o cômodo até parar num canto onde havia uma poltrona, estava escuro, mas eu podia ver seus olhos em mim.

— Sehun volte para cama — chamei

    A única luz que invadia o quarto era a da lua que atravessava a janela aberta, Sehun se jogou para frente e pude ver a arma em suas mãos, ele o olhava sério.

— Preciso nos proteger — disse

— Temos pessoas fazendo isso, apenas volte para a cama — implorei

— Não posso confiar ou você pode acabar morrendo! — gritou se levantando num pulo

    Me contive para ele não notar meu nervosismo, ele andava de um lado para o outro, passando as mãos nervoso no cabelo e murmurava coisas desconexas. Levantei devagar e segui até ele o fazendo parar.

— Só o que importava para mim é se você está comendo, dormindo ou se não está doente — sussurrei a sua frente

    Tirei a arma de sua mão e a coloquei em um lugar qualquer, ele me olhava nervoso, me aproximei dele e beijei seu peito nu, ele fechou os olhos com meu toque, em meio aos beijos o conduzi lentamente até que ele sentou na cama, sentei no seu colo enquanto selei nossos lábios em um beijo tranqüilo, aproveitei e coloquei minha mão por dentro de sua calça e o massageei, ele passava as mãos em minhas costas deixando rastros quentes de suas unhas.

    Quando ele ficou excitado rapidamente trocou posições, seu olhar ainda cheio de sussurros, mas seu corpo fervia sobre mim, me desejando. Ele hesitava.

— Fiquei comigo Sehun, esqueça o mundo, somos apenas nos aqui — falei o puxando para um beijo



    Desci do carro e andei até a entrada do colégio, antes de chegar lá notei Kai ao meu lado acompanhando ao meu ritmo.

—Parece cansado — disse malicioso — passou a noite com as pernas abertas?

— Siga quieto seu idiota — brinquei e ele sorriu

— Soube que tem um novato hoje —disse Jongin sério — espero que seja gato

— Deixe-o em paz, ele não mercê ser mais um chorando por você no final — comentei e ele deu de ombros

— O que posso fazer quando sou tão encantador? — perguntou malicioso e bufei

    Então ouvi um baque, meu olhar seguiu em direção ao barulho e por segundos se encontraram com os dele, meu coração palpitou e desviei o olhar.

— Sinto muito — disse ele

    Seus dedos nervosos pegaram os óculos e desajeitado começou a juntar seu material novo que havia recebido, não esperei ele levantar e sai dali evitando qualquer outro contato visual.

— Desajeitado, mas um gato — disse Jongin animado

— Deixe ele longe de seus encantos — falei impaciente e ele sorriu

— Como quiser — disse ele por fim



    Sentamos em nossos lugares de costume no pátio da escola, numa mesa próxima á árvore mais alta e velha dali. Daquele ponto podíamos ver todos como todos também podiam nos ver.

    Durante a aula quando me distraia me pegava olhando para ele que se apresentou sendo Park Chanyeol, transferido de uma escola em Busan, veio seguindo o pai que recebeu uma promoção na empresa.

— Soube que os izens pegaram o Chanyeol no intervalo entre as aulas — comentou Jongin enquanto tomava seu café instantâneo favorito — o deixaram com marcas no primeiro dia

    Fingi não demonstrar interesse, mas não tirei os olhos dele, seus cabelos ainda molhados fizeram algo se mexer em meu peito, aquilo me deixou irritado, me levantei num pulo e quando segui em direção aos izens nas mesas mais distantes o sinal tocou e todos começaram a voltar para dentro, parei a caminho e senti uma mão puxar meu braço, Kai me olhava confuso e me acordei do transe.

— Enloqueçeu? Gritei por você várias vezes, está surdo? — perguntou irritado

    Minha mente confusa fez meus olhos seguirem para onde Chanyeol estava antes, mas não o encontrei, ignorei Kai que ainda falava e quando ia seguindo para dentro como todos avistei Chanyeol ao lado do KyungSoo, seus lábios formavam um sorriso constrangido fazendo meu coração palpitar, foi então que notei que podia estar em graves problemas.


POV Chanyeol:

    Seu olhar não me saia da mente, cada lembrança fazia meu coração queimar, tudo nele ofuscava qualquer coisa que acontecerá comigo no dia.

— Os valentões te pegaram sem pena — comentou o KyungSoo e sorri constrangido

— Parece que não tem como escapar — falei triste

— Eles me deixaram em paz há um ano quando ameacei eles com um vídeo que consegui deles com gangsters — falou sério —ainda tenho cópias, se as coisas piorarem posso te dar elas

— tudo bem — falei enquanto seguíamos de volta a sala — quem é aquele que sentou-se à mesa perto da árvore no centro? — perguntei tentando conter a curiosidade e o rosto de KyungSoo ficou sério

— Mantenha distância que são encrenca — respondeu duro

— Por qual motivo? — perguntei urgente recebendo um olhar de reprovação

— São os flowers boys do colégio, garotos tão bonitos quanto flores, metade da escola gostaria de ter um deles na cama... Boa parte deve fantasiar enquanto se masturba, mas não se deixe enganar, são envolvidos até os dentes com pessoas perigosas — disse estremecendo —ninguém pode ir até eles sem ser convidado

    Tentei agrupar as informações de forma que eu não me confundisse depois, tentei evitar pensar nele novamente, mas minha mente rastejava até seus lábios e para todos momentos em que senti seus olhos em mim e ignorei tentando não ficar nervoso, me parecia que seria difícil ficar longe de problemas aqui.



    A noite se ergueu sobre o céu, poucas estrelas eram vistas em comparação a Busan, tomei um banho quente e me vesti com meu smoking para a festa de boas vindas de meu pai na empresa, ele seria promovido para vice diretor de uma das três filiais em Seul e estava animado com isso, me apressei e segui com ele e minha mãe até a limousine que nos esperava.

    O evento seria no centro da cidade, na cobertura da cede, bebidas e comidas caras, falsidade e manipulação tudo num só lugar... Respirei fundo para me forçar a atuar, não podia atrapalhar meu pai em momento algum lá.



    Assim que entramos meu olhar fez uma varredura no lugar, um pianista tocava no fundo, as bebidas eram servidas no bar e a comida ficava no lado oposto numa mesa grande, as pessoas esbanjavam elegância, grupos haviam se formado e risadas forçadas me faziam estremecer.

— Por aqui Sr.Park — disse um senhor elegante — meu senhor o aguarda

    O seguimos até o segundo andar de onde se podia ver todo movimento lá em baixo, um sofá enorme em forma de ‘L’ ficava no centro dali, o senhor que nos seguíamos correu até um homem que estava sentado ali e sussurrou algo em seu ouvido o fazendo levantar.

— Nosso convidado de honra chegou — disse ele levantando e todos que estavam ali com ele fizeram o mesmo — sou Oh Sehun o presidente e dono da Solar, fico feliz que tenha chegado em segurança com sua família —seu olhar analisava nossas atitudes a todo momento —Sentem-se vamos brindar essa nova conquista

    Minha atenção então se voltou para alguém que havia saído de uma sala mais atrás, meu coração parou quando nossos olhares se encontraram, pude ver a surpresa em seu rosto, ele lutava para continuar andando e desviou o olhar.

—O que faz aqui Baekhyun, devia descansar um pouco — disse Sehun preocupado, meu cérebro lutava para acompanhar, até ele o puxar pela cintura e sorrir — quero apresentar a vocês o meu noivo Byun Baekhyun, estes são o Sr.Park meu novo vice e sua família

— Fico feliz que tenham se juntado a nos — disse evitando meu olhar confuso —vou tomar um pouco d ar — disse a Sehun que assentiu e ele saiu

— Podem ficar a vontade, vou carregar o Sr. Park por alguns minutos para o apresentar a todos com quem ele vai lidar de agora em diante — disse Sehun se afastando com meu pai

— Isto num é desrespeitoso? Dizer assim que é gay e mostrar seu futuro marido? Isso não é papel de líder — resmungou minha mãe

— Acha melhor que ele se esconda pra sempre? —perguntei irritado e ela revirou os olhos

    Me contive para não sair correndo até o Baekhyun, as palavras ainda pairavam no ar, era difícil aceitar, eu não queria.

    Consegui enturmar minha mãe com um grupo e num momento certo me joguei na sombra mais próxima e desapareci. Cheguei rápido ao terraço e o encontrei encolhido num canto escondido.

— Muito novo para álcool — falei

    Vi a surpresa em seu olhar e ele os desviou nervoso e bebeu mais um copo de soju.

— Acabamos nos encontrando — disse ele

— Sou Park Chanyeol, transferido de Busan — falei animado

— Eu sei bem quem é você — resmungou e desfiz meu sorriso — tome cuidado com todas essas pessoas que estão aqui abaixo de nos — disse sério se levantando — eles fazem de tudo para manter o que tem, se seu pai pisar em falso e isso ameaçar qualquer um deles toda sua família pagará

    Bebeu até a última gota da garrafa e a jogou em um lugar qualquer, seguido pelo estraçalhar do vidro, ele não me olhava no rosto, mas pude sentir o desgosto em seu ser.

— Precisamos voltar —conseguiu ele dizer —devem estar me procurando

—Mas não faz muito tempo que saímos — falei

    Seus olhos seguiram para outro lugar e vi o desespero, ele me empurrou para trás de um latão e me advertiu para não mexer.

— Encontrei ele no terraço — disse um homem num rádio — estou levando ele de volta

    Assim que o som de passos cessou eu me ergui e me certifiquei de não ter ninguém antes de seguir de volta a festa, assim que entrei meus olhos percorreram urgente todo lugar, até que o encontrei o Sr.Oh puxando Baekhyun pelo braço irritado dizendo coisas que não compreendi pelo barulho, em seguida o levou para algum lugar que notei estar longe de minha jurisdição.



POV KyungSoo:

    Pedir ajuda nunca foi de meu fetio, mas era o que a situação sugeriam, me meter em problemas estava fora de cogitação, mas meu tio Xiumin quebrava todas as barreiras quando precisava de algo.

— Ande logo KyungSoo —disse impaciente — ligue para seu amigo e acabe logo com isso

— Espere aqui — falei saindo do carro — vou ligar, apenas fique quieto

    Disquei o número do Chanyeol esperando que ele ainda estivesse acordado, já se passava das 23hrs e a noite ficava cada vez mais fria.

— Alô? — disse ele e dei um pulo

— Preciso de sua ajuda, venha agora para o colégio — falei sério

— O que? —perguntou confuso

— Você entendeu, venha logo ou vou congelar — respondi impaciente e desliguei

    Corri para dentro do carro, “ele vem” falei enquanto esfregava as mãos tentando aquecer. Após quase 30min vi alguém saindo das sombras se revelando ser Chanyeol, estava todo arrumado, sai do carro num pulo e fui ao seu encontro.

— O que pensa para estar vestido assim? — perguntei surpreso

— O que esperava? — perguntou nervoso — sai as pressas da festa de promoção do meu pai, se eu ainda tivesse ido me trocar chegaria 2hrs atrasado — resmungou

— Ao menos está aqui — consegui dizer aliviado

— Yah! Quem pensa que é para fazer as pessoas esperarem por tanto tempo num frio desses? — perguntou meu tio saindo do carro

— Seu carro não tem aquecedor? — perguntou Chanyeol emburrado e meu tio deu uma tapa na cabeça dele — ai

—Isso importa? — perguntou apontando o dedo na cara do Chanyeol — esperar é esperar, agora cuidem logo disso antes que dê errado

— O que estamos fazendo aqui afinal? — perguntou Chanyeol confuso e pigarreei tentando disfarçar o nervosismo

— Preciso recuperar um pendrive com informações importantes para meu tio — falei e Chaneyol ainda me olhava confuso — preciso de algo que está na sala dos professores

— Só não entendi onde me encaixo nisso tudo? — disse ele sério e engoli em seco

— Preciso de sua ajuda para pegar, não sou bom com nada que não seja computadores, pensei apenas em você — falei desanimado

— Vou voltar agora — disse ele se virando e o segurei

— yah! —gritei — não é fácil para mim também

— E o seu tio? —perguntou curioso

— Sou investigador, tecnicamente não estou aqui e se forem pegos estarão sozinhos — disse dando de ombros

— Não vou fazer isso — falou Chanyeol se soltando

— Pense em como estará ajudando as pessoas, precisamos daquele pendrive para pegar um desgraçado assediador de adolescentes, KyungSoo conseguiu imagens suficientes, mas um professor confiscou as coisas dele antes que essas informações chegassem a mim... Não podemos deixar que descubram que o meu sobrinho está envolvido com investigações de alguma forma — disse bagunçando os cabelos irritado — aish! Apenas faça


    Chanyeol me ajudou a pular o muro e nos esgueiramos pelos corredores até chegar no andar da sala dos professores, ficamos em frente a porta.

— Abra — sussurrou Chanyeol nervoso

— Não sei como fazer isso — falei tentando controlar o nervosismo e ele me olhou surpreso

— Esperava que eu o fizesse? —perguntou incrédulo e assenti — ua! O que pensa que eu sou?

— Andei pesquisando sobre você — respondi sem jeito e ele encarou sério

— Yah! Minha vida é privada, como pode chegar e fuçar ela sem meu consentimento? Me sinto exposto — disse assustado cobrindo seu peito com as mãos

— Ande logo com isso — sussurrei e ele revisou os olhos

— Afaste — disse e o fiz


    Liguei a lanterna e seguimos para a mesa do aconselhador, abrimos algumas gavetas e encontrei meus pertencer, tirei apenas o pendrive até que ouvimos um barulho, desliguei a lanterna e nos jogamos debaixo da mesa, ficamos quietos até virmos dois pés a nossa frente, prendi a respiração, mas foi inútil, em segundos uma luz de lanterna foi jogado na nossa cara e gritamos o que assustou a pessoa que caiu.

—Ficaram loucos? — perguntou a pessoa assustado no chão — sou eu, Lay — resmungou apontando a luz para seu rosto

— Você nos assustou — disse Chanyeol se levantando com a mão no coração

— Precisamos se apressar temos cinco minutos antes que nos encontre — disse Lay sério

— O que faz aqui? — perguntei curioso

— Está me vendo fazer perguntas? — perguntou ele irritado — corram ou serão pegos



    A manhã logo chegou, segui normalmente para o colégio, entrei na sala de aula e avistei Chanyeol que parecia ter passado a noite em claro. Antes que a aula começasse o sinal de anúncio tocou e o que eu temia aconteceu.

— Senhores Zhang Yixing, Do Kyung Soo e Park Chanyeol compareçam a secretaria — disse e todos nos olharam confusos

    Lay estava entrando na sala e nos encarou sério, deu meia volta e nos levantamos sem jeito seguindo logo atrás dele, os olhares todos em nos e senti que não nos daríamos bem.


Notas Finais


O que acharam? Deem sua opinião! Vou fazer com que todas as pontas soltas sejam sendo esclarecidas com o decorrer dos capítulooss.
Postarei todos os sábados, espero que tenham aprovado ♡
~Beijos de Chocolatee


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...