História Crazy In Their Eyes(desativada) - Capítulo 49


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Personagens Originais
Tags Camren
Visualizações 45
Palavras 3.535
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente. Demorei mais cheguei.
Capítulo maiorzinho aqui. Estou tentando finalizar a fic mais rápido pq tenho outra em mente e também tem As Voltas Que a Vida Da né.
Vou tentar no máximo dar muita emoção no final.
Bom, esse começo tá bem dramático então, pulem se quiser mas aconselho ler! E leiam até o final ok? Ok!
Desculpem pelos erros, eu terminei de escrever agora e preciso dormir.
Não desistam da fic por favorzinho.
Bom, até mais. Vou tentar voltar o mais rápido possível. Beijos...

Capítulo 49 - Reese


Izabel POV

Merda, merda, merda! Eu não acredito que estraguei tudo. Que merda! Como fui dar esse mole todo! Eu sou uma idiota. VOCÊ É UMA IDIOTA REESE! Não que eu não quisesse fazer Lauren sofrer por Camila, mas esse não era o momento.

O fato é que... Eu estou completamente doida por aquela vadia! Isso fugiu do meu controle, não era pra ser assim. Como eu vou me apaixonar pela mulher que tem que ser minha inimiga? Agora meus planos vão ter que ser todos mudados!

—Deu tudo errado Valentin! Tudo errado!

—Como assim tia?

—Lauren, me pegou beijando Camila. Agora provavelmente eu estou demitida!

—Não tia! Não é possível! E agora? Como vou ver o garoto?

—Eu não sei!-digo colocando as mãos na cabeça.

—Que droga tia! Tudo por culpa dessa sua obsessão por Camila! Nós devíamos odiar aquela puta, ela nos destruiu! Você foi muito besta e deu mole...

—Olhe lá como você fala comigo! Eu sou sua tia e até hoje sou eu quem te banco!-perco a paciência. Quem ele acha que é pra falar assim comigo?

—Ta bom, desculpa. Eu só estou preocupado de saber como vou ver Tenner agora! Eu não consigo ficar sem o garoto mais tia, você sabe...

—Eu sei meu sobrinho. Nós vamos dar um jeito.-ando até a cozinha para tomar água, preciso me acalmar para pensar melhor.—Eu não... Bom, acho que vamos ter que executar nosso plano antes...

—Tia, era pra ser uma surpresa mas depois de tudo que aconteceu. Vem aqui.-caminho até a sala novamente e quando vejo me surpreendo deixando o copo cair no chão.—Ainda bem que essas fisioterapias serviram pra algum coisa! Eu já não aguentava ficar mais sentado!

Corro para abraçar meu sobrinho. Depois de tanto tempo eu já havia até perdido as esperanças de que um dia ele fosse andar. O quê? Só porque sou uma vilã não quer dizer que não tenho sentimentos! Ele é a minha única família e agora nessa condição melhor que está vamos poder completa-la com Tenner e quem sabe até Camila. Eu só sei que estou voltando, e voltando com grande estilo...

Lauren POV

Não faz muito tempo que acordei. Aliás, não sei nem se posso dizer que dormi. Essa realmente foi a pior noite da minha vida -depois daquela decisiva da clínica claro-. Estou na cozinha preparando o que havia comprado ontem para comer com Camila e não que eu esteja com tanta fome mas hoje vai ser um dia tenso e longo, preciso de força para aguentar.

Sofi está no seu bercinho da sala. Como é divisa consigo vê-la, está com seus grandes olhos abertos e brincando com as mãos.

—É neném, parece que hoje eu não vou escapar de uma conversa com sua mãe.-sorrio um pouco triste para a garotinha quando sento perto dela.

Fico algum tempo brincando e tentando me distrair até que a campainha toca e tira os meus minutos de paz. Levanto-me e vou até a porta abrindo e dando de caro com Dinah, ela tem uma expressão como se estivesse morrendo de pena de mim. Williams está agarrado na suas pernas mas quando me vê logo vem correndo até mim pulando no meu colo. Dou vários beijos o apertando.

—Que saudades que eu estava de você meu loirinho!

—Por que você não estava lá na casa da tia Ally quando eu acordei?

—É... Bom filhotinho, é que a mamãe...

—Chega de pergunta Tenner!-a voz de Camila invade meus ouvidos.

Sinto uma palpitação a mais quando à vejo entrar pela porta e olhar fixo para mim, desvio meu olhar para um canto qualquer.

—Tenner, vai lá arrumar suas coisas pra gente ir num passeio.

—Que passeio Dinah?-olho-a confusa.

—Vou levar ele e Sofi para dar uma voltinha com Daniel no parque.

—Dinah!

—Lauren!-ela me repreende.—Acho que vocês precisam esclarecer as coisas e com as crianças aqui não vai dar! Eu trago eles à tarde, não se preocupe. Vão chegar sã e salvos. É até melhor eles não ficarem aqui nesse clima ruim...

Demorei um pouco pra concordar, na verdade acho que estou tentando o máximo adiar essa conversa, mas não tem mais jeito! Fui bem lenta vestindo Williams é isso estava deixando Camila mais nervosa ainda. Claro que ela não vai falar nada porque tudo o que não quer é outra briga.

—Mais tarde eu os trago ok? Qualquer coisa me liguem. E por favor, conversem com calma! Vocês duas tem uma história bonita de mais pra deixarem morrer assim...

Dou um beijo nos pequenos e nos despedimos todos. Vou até o banheiro e tiro a roupa para um banho, eu realmente preciso relaxar e essa é a única coisa que parece tirar minha tensão. Lembro do que vi ontem e minha raiva volta, na verdade ainda não caiu minha ficha que isso aconteceu mesmo já que Camila dizia me amar mais que tudo e todas promessas que fez... Isso não pode ser mentira, não é possível!

—Lauren?-escuto ela me chamando mas fecho os olhos e fico calada.—Lauren você está aí? Me responde. Vamos conversar.

—Eu estou tomando banho Camila, pode deixar eu fazer isso em paz?

—Lauren!-a porta se abre.

—Sai! Anda Camila, espera lá fora!

—Por que? Está com vergonha de mim? Depois de tantas vezes que te vi nua?

—Eu quero que você me deixe em paz...

—Lauren por favor, a gente precisa conversar. Eu preciso esclarecer o que houve ontem já que você não me deixou...

—EU VI O QUE ACONTECEU, VOCÊ ME TRAIU COM AQUELA PUTA. ESQUECEU DE TUDO QUE PASSAMOS. VOCÊ FOI UMA IDIOTA! EU TE ODEIO CAMILA-minha raiva é tanta que nem percebo que estou socando o peito da mulher enquanto as lágrimas se mistura a água que nos molha.—Eu te odeio Camila...

Com suas mãos ela me prensa contra a parede molhando mais ainda. Tento relutar mas obviamente ela é mais forte que eu.

—Eu não fiquei com ela Lauren! Eu não te traí, eu não quis aquele beijo. Eu te amo, te amo e você sabe disso.

—E aquilo que eu vi? Ela só caiu com a boca em cima da sua aí vocês já aproveitaram que a trouxa não estava...-uso deboche.

—Ela realmente caiu em cima de mim, mas o beijo partiu do lado de lá. Eu tentei separar...

—DUAS VEZES CAMILA?-grito na sua cara.

—Foi Laur, eu sei que é estranho, mas foi sem querer. Pô menos da minha parte, eu não quis. Eu te amo, entende isso porra! Eu não ficaria com ninguém que fosse você...

—Eu não sei o que pensar! Eu não sei se posso confiar...-minha voz já estava falhando por causa das lágrimas teimosas que caíam do meu rosto.

—Você mesma falou... Depois de tudo que passamos! Eu chorei tanto quando achei que fosse te perder. Eu chorei, pensei que ia morrer junto caso acontecesse. Lauren antes de você não existiu ninguém na minha vida que despertasse esse sentimento em mim, nem depois! Vai ser sempre você! Acredita em mim por favor.

Não sei o que dizer. Estou muda e a única coisa que faço é chorar. Caralho! Isso dói tanto! Por quê eu não consigo simplesmente perdoa-la e acreditar nas suas palavras. Eu quero isso, eu sei -por mais que eu diga que dúvido- eu sei que ela me ama. Mas se eu dizer que vai estar tudo bem vou estar mentindo pra mim mesma. Está sendo difícil, nunca passei por isso antes.

Nem percebi quando parei de relutar nos seus braços e choro no seu peito. Ela afaga meu cabelo beijando minha testa e sei que está chorando também. É estranho vê-la assim, Camila quase não chora, pelo menos não perto dos outros. É isso que me deixa confusa, eu sei a resposta, eu sei tudo mas não consigo simplesmente dizer isso a ela. Talvez por estar tão recente.

Ela se separa de mim deixando um último beijo na minha cabeça. Parece tão dramático o que estou fazendo, e até é mas realmente está doendo muito.

—Vou deixar você terminar. Irei trocar de roupa e te esperar até que fique mais calma. Mas uma vez, desculpa mesmo eu não quis...

Vai pra fora me deixando sozinha aqui dentro onde posso desabar em pensamento e choro.

Camila POV

Deixo Lauren ali pensando e vou para o quarto, eu sei que ela precisa desse tempo, até eu preciso pensar na minha vida. Realmente não sei o que fazer daqui em diante caso ela ela não acredite nas minhas palavras já que que falei toda a verdade.

Às vezes Lauren consegue ser mais burra e cabeça duro que eu!

Me troco e como alguma coisa, estou muito tempo sem colocar nada na boca e já me sinto um pouco tonta -o nervosismo ajuda basta te também-... Dinah me deu tanto sermão que minha orelha está doendo até agora. Mas não foi pela "traição" não é sim por ter dirigido com Sofi daquele jeito. Velho eu poderia ter causado um acidente e ter matado minha filha. Nunca me perdoaria se acontecesse.

Volto para o quarto e fico sentada esperando ela sair do banheiro. Logo a porta se abre e Lauren sai indo direto ao guarda-roupa, não a olho enquanto está se vestindo. Esperar está me dando nos nervos mas vou respeitar e aguentar para não estourar e causar outra briga... Sem espera por isso ela senta do meu lado.

—E então, como a gente fica?-questiono baixo.

—Eu não sei...

—A gente vai terminar?-arrisco essa pergunta morrendo de medo da resposta.

—Eu não sei Camila... Acho que podemos dar um tempo...

—Lauren mas eu já te expliquei por favor não faz isso comigo.

—É só um tempo. Só para eu poder pensar na minha vida. Digerir isso tudo...

—Dar um tempo é o mesmo que terminar!-meus olhos estão marejados novamente e os dela não estão diferentes.—Da sou mas um chance. Eu paro de trabalhar pra ficar com as crianças se for preciso e não ter mais nenhuma babá... E as crianças? Pense da nelas.

—Você vai poder pegar Tenner quando quiser e espero que deixe eu pegar Sofi também... Camila isso não é uma despedida. A gente não vai se separar. Eu só quero pensar um pouco sozinha, é só um até logo. Eu te prometo! Eu vou pra casa da Ally, pode ficar aqui com a nossa pequena...

—Ok, se é isso que você quer!-digo fria.

Não vou insistir mais, eu nunca fiz isso, nunca! Estou realmente me rebaixando a um nível por uma coisa que não está adiantado. Depois de um tempo parada olhando para ela pedi um abraço e ao contrário do que achei que faria ela não negou. Ela se aproxima lentamente e eu sem paciência a pouco para os meus braços apertando-a contra mim. Algum tempo nessa posição sinto meus ombros molhados. Levanto minha cabeça e faço ela me olhar diretamente nos olhos, verde no castanho. Vagarosamente chego meu rosto perto do seu até estarmos coladas. Encosto minha boca na sua e vendo que não vai contestar me movimento lentamente mas com puro sentimento. Esse parece o primeiro beijo que damos mas ao mesmo tempo o último pois há uma explosão de sentimentos...

Hoje mesmo vou na casa de Izabel esclarecer tudo com ela! Vai me escutar mesmo talvez não tendo culpa de nada...

Após algum tempo de tudo isso a mulher ligou para Dinah que chegou com as crianças. Tentei mais uma vez convencer Lauren de todo jeito pra não ir mas não adiantou então me conformei. Tenner custou entender o que estava acontecendo, ele ficou tão confuso de estar indo para outra casa sem mim...

—É isso mesmo que quer Lauren?-Dinah pergunta.

—Dinah, é...

—Ok, vai indo para o carro que já estou indo...

Ela vai me olhando. Dou um beijo no rosto do Tenner e ele vai atrás da mãe.

—Pode deixar que cuidamos dela. Daqui a pouco tá aqui de novo você vai ver...

—Eu tentei de todas as formas, mas...

—Calma, tá recente. Ela precisa desse tempo. Ela engravidou muito cedo, vocês se "casaram" muito cedo. Ela esta confusa.

—Então quer dizer que ela não me ama?

—Claro que não Camila. Você também é muito nova. Isso tudo é confusão me entende? Vocês nunca namoraram sério assim antes. Ela acha que você quer ficar com outras pessoas, conhecer mais gente...

—Ta eu entendo... Conversa com ela e tenta convence-la...

—Deixa comigo amor...-ganho um beijo na bochecha...

Elas vão embora me deixando sozinha com Sofi...

Izabel POV


Estou aqui pensando o que fazer da vida até que ligo pra Camila para começar executar meu plano.

—Camila, eu acho que a gente precisa conversar...

—Eu sei Izabel, eu também já estou indo pra ir de qualquer jeito pra gente fazer isso. Já estou chegando.

Ela desliga. Arrumo um pouco as coisas já que a casa está uma bagunça, isso que dá ter um homem em casa.

—Ela está vindo. Se esconda no quarto pra não te ver...

—Mas você acha que pode me reconhecer?

—Não sei, porém é melhor não arriscar.

A campainha toca, é ela. Só pode ser, olho no espelho rapidamente e sou uma arrumadinha no visual. Mando Valentin para para o quarto novamente, é melhor não arriscar mesmo vai que por um descuido ela o reconhece. Ele também é burro e ainda tem raiva dela, não ia saber disfarçar.... Abro a porta e dou literalmente de cara com ela, está segurando Sofi no colo.

—Entra, é... Só não repara na bagunça.

—Não vou, vamos direto ao ponto!

Porra, acho que é isso que me fez gostar dela. Essa pode de durona, de quem gosta de mandar em tudo e sempre consegue o que quer.

—Claro, é Camila... Primeiramente desculpa...

—Ta bom Izabel, eu sei. Eu só quero acertar com você o que te devemos pelos dias trabalhados lá em casa e...

—Camila, você sabe que eu não queria fazer aquilo não é? Estragar sua vida com sua mulher. É só que o coração da gente não escolhe quem gostar. E eu realmente gosto de você, como nunca gostei de ninguém.-quando percebo que estou colocando palavras verdadeiras paro.

—Eu sei que não escolhe Izabel, mas você está ciente de que eu não vou largar da minha mulher pra ficar com você não é?-uma raiva sobe em mim mesmo sabendo que isso não iria acontecer de qualquer forma.—Você é uma pessoa ótima, vai encontrar alguém que goste de você também. É que agora minha única preocupação é conseguir conquistar minha mulher novamente.

Eu vou te dar mais um preocupação Camila!

—Eu sei, e me admira muito isso. Parabéns por gostar tanto assim da sua mulher, ela tem sorte de ter alguém como você. Eu posso te pedir somente duas coisas?

—É... pode.

—Primeiro, deixe eu ver Tenner de vez enquanto, Sofi também. É que eu realmente me apeguei a eles. Por favor...

—Olha, vai ser um pouco difícil, não por minha parte mas pela da Lauren. Eu posso tentar...

—Obrigada. Sério, muito obrigada mesmo. Agora a segunda. Você pode me dar um abraço?-ela me olha um pouco torto.—É só um abraço, nada mais, como duas amigas...

Parece pensar um pouquinho mas chega lentamente e de vagar pra não machucar a filha me abraçando. Aperto-a um pouco e tento senti-la o máximo que posso. Que merda! Como eu pude gostar da minha inimiga? Bem que eles falam que o amor e ódio andam juntos... O seu celular começa vibrar e ela se separa de mim pegando-o e levando ao ouvido.

—Lauren? Alô, que foi?-sua voz carrega um pouco de preocupação.—Como assim Reese? Lauren fica calma. Eu já estou indo, não demoro. Só fica calma...-guarda o celular.

—Está tudo bem? Posso ajudar em algo?

—Não... Eu tenho que ir. Estamos resolvidas não é? Aqui.-ela me entrega dinheiro.—O acerto das contas.

Vai embora me deixando ali sozinha. Então quer dizer que Lauren já recebeu minha surpresinha? É agora que as coisas ficam melhores... Pra mim claro.

Lauren POV

Preparo as coisas para tomar um banho. Já está de noite e estou muito cansada. Ally arrumou um quarto para eu dormir com Tenner, é grande, tem uma cama de casal e é perfeito para nós dois. Não sei se vou ficar por muito tempo aqui mas de qualquer jeito quero deixar meu filho acomodado. Ele saiu com todo mundo aqui da casa pra comer fora, insistiram tanto que eu fosse mas não estou pra sair, quero um momento sozinha...

Entro no banheiro já tirando a roupa e ligando o chuveiro. Enfio a cabeça de baixo d'água e recebo arrepios no meu corpo mas começo a relaxar. Nem me preocupo em me esfregar só deixar a água cair mesmo. De repente sinto algo ruim, como se alguém estivesse me observando de perto. Não me preocupo muito de princípio até escutar um ruído no quarto. Será que eles já chegaram e Tenner está ali? Bom, se for ele pode esperar um pouco... Mas não espera, ele teria me chamado com certeza.

Desligo o chuveiro e vejo que não trouxe toalha, vou abrindo a porta lentamente olhando para os lados e observando se não há ninguém ali para que eu possa correr do corredor até o quarto. São só alguns centímetros, eu consigo.

Mas que droga, esse sentimento fica mais forte a cada vez que me aproximo desse quarto. Ouço outro ruído dentro dele e sinto medo pois a casa está totalmente vazia, será que estou ouvindo coisas? De qualquer jeito, pego um enfeite qualquer que seja pesado e entro rapidamente para assustar o que estiver lá dentro. Está vazia, não tem ninguém, tudo normal apenas por um papel que está em cima da cama que não estava ali antes. O pego e abro lendo...

"Oi Lauren, saudades de mim? Antônio está enorme e Sofi é linda, dê os parabéns à Camila por isso. Só pra avisar, estou voltando e aposto que vai gostar da minha chegada triunfal. Ele não tinha culpa, era apenas um cara que queria morrer sem deixar a família desamparada. Beijos, Reese..."

O que é isso? Uma brincadeira de mal gosto? Só pode ser! Mas quem faria uma coisa dessas? Não estou acreditando. Ando na casa toda caçando alguém que possa estar fazendo isso e não encontro ninguém. Eu realmente estou com ficando medo. Será que ela está voltando mesmo pra nos atormentar. Não, não pode ser, essa mulher devia estar morta! Morta! Mas que papo é esse de "ele só queria morrer sem deixar a família desamparada..."?

Escuto um grande furdunço lá fora e me coloco uma roupa correndo para ver o que é mas a passagem está difícil pois todo mundo também faz isso. Quando saio há várias pessoas fora do prédio em volta de algo, chego perto para ver o que é e a cena é deplorável. Um homem caído todo estraçalhado no chão, "ele pulou do prédio" é o que todos dizem. Seu pescoço está virado para trás e sinto como se olhasse diretamente pra mim. O olhar opaco, frio sem emitir sentimento algum. Eu não aguento mais ver pessoas mortas assim. Por um momento lembro de Bárbara levando aquele tiro na cabeça na minha frente, meus olhos enchem de lágrimas mas balanço a cabeça para não deixa-las cair e tirar isso da minha cabeça.

Nem percebi que ainda estou com aquela carta na mão. A leio de novo falando cada palavra em voz baixa. "Ele não tinha culpa, era apenas um cara que queria morrer..."

Fico parada pensando nisso quando o síndico do prédio chega perto de mim falando com a polícia que também estava perto.

—Senhorita Lauren?-um dos policiais fala comigo.

—Sim, sou eu.-tento ao máximo esconder minha angústia.

—O síndico disse que esse homem antes de pular havia pedido para subir ao apartamento de sua irmã. Ele telefonou para a senhora e como não atendeu e o homem pareceu ter desistido ele saiu da recepção por alguns segundos e quando voltou o homem já não estava mais lá. Você conversou com ele?

Estou paralisada. Reese está realmente de volta. Nossa vida vai virar um inferno novamente, eu não estou conseguindo pensar direito...

Não queria fazer isso mas vão ser minha única opção. Depois de conversar com os policiais e explicar mil vezes que não sabia quem era o homem que pulou eles me liberaram pois perceberam que eu estava totalmente abalada. Saco meu celular e disco o número da última pessoa que queria estar falando agora, mas não tenho outra alternativa.

—Lauren? Alô, o que foi?-ela parece preocupada, talvez por saber que também não ligaria atoa.

—Camila. Vem pra cá agora. A gente precisa conversar. Camila, Resse...

Não demora muito para a mulher chegar. Ela está com Sofi obviamente e quando me vê me abraça. Eu até ia me afastar mas realmente preciso disso, aquele homem me olhando já morto não sai da minha cabeça.

—Me conta como foi...

—Eu estava tomando banho e senti alguém me observando, quando fui no quarto só tinha essa carta, depois percebi o barulho lá fora e fui ver. Foi aí que vi aquele homem... Ele estava todo machucado, me olhando...-algumas lágrimas descem no meu rosto.

Dinah pega um copo de água com açúcar e me entrega. Tomo tudo até a última gota.

A carta está com Camila e ela a lê.

—Mas que filha da puta. Eu não acredito que essa mulher voltou pra atormentar nossa vida! Que porra, se eu a ver na minha frente eu vou bater tanto que...

—Ta bom Camila, nós entendemos. Não grite se não Tenner vai ouvir e se assustar e ele é o mais prejudicado disso...-Dinah fala.

—Ta bom, tá bom. Agora só precisamos saber de uma coisa. Como Reese sabia que Lauren estava aqui sozinha?-Normani pergunta.

—Essa mulher é calculista, com certeza pensou em tudo e nos seguiu pra fazer isso...-Louis diz.

—Mas pra isso ela tinha que saber de todos nossos passos. Não dá pra estar em dois lugar ao mesmo tempo...-agora Lucy.

—Eiii...-chamo a atenção de todos que me olham curiosos principalmente Camila. Um único nome vem na minha mente agora.—Izabel....


Notas Finais


Enquete
( )Camila vai acreditar na Lauren
( )Camila vai dizer que Lauren está paranóica só pelo que aconteceu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...