História Crazy love - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Seungcheol "S.Coups"
Tags Jeongcheol, Seunghan, Seventeen
Visualizações 195
Palavras 979
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Lie


Jeonghan ficou o resto da tarde em seu quarto, envergonhado pelo o que houve mais cedo.

A primeira vez que um garoto bonito da bola para Jeonghan e ele faz uma coisa dessas. Se bem que não era o primeiro garoto bonito que conversava.


Seungcheol era um rapaz alto e moreno com um belo sorriso.

Jeonghan tinha uma pequena atração pelo maravilhoso sorriso de Seokmin.

Seungkwan tinha olhos perfeitos e brilhantes, deixando um olhar a mais de inocência no garoto.

E Jihoon, era bem pequeno, deixando Jeonghan com vontade de aperta-lo.

Todos os seus amigos tinham pontos os quais deixavam Jeonghan bastante atraído, e isso era uma coisa que Jeonghan não gostava. Se achasse isso de seus amigos eles poderiam achar que Jeonghan queria outra coisa.

O garoto ouviu alguém bater na porta, o tirando de seus pensamentos.

Seungcheol entrou após bater e se sentou na cama do mais novo.

- Não vi você o resto da tarde toda, ficou deitado aqui? - Jeonghan assentiu - Vamos fazer alguma coisa mais saudável - Seungcheol se levantou e estendeu sua mão para Jeonghan. O garoto respirou fundo e segurou a mão do moreno.

- Tipo o que? - Jeonghan perguntou nervoso.

- Não sei - Seungcheol sorriu e puxou o garoto para fora do quarto, descendo as escadas.

Quando desceram os garotos se sentaram no sofá.

- Você vai ao psquiatra né? - Jeonghan assentiu - Acho que não precisa, só precisa de um bom amigo com você.

- Acho que sim. Aquele lugar não me ajudou em nada.

- Por que não fala comigo? - Seungcheol sorriu tirando alguns fios roxos dos olhos de Jeonghan.

- Tudo bem - Jeonghan abaixou sua cabeça e corou com o ato de Seungcheol - Por onde quer que eu comece.

- Comece a partir da sua infância...





Flashback on*




As coisas sempre foram ruins para mim. Minha mãe morreu no meu parto e tive que crescer sem ela, só a conheço por fotos e são poucas.

Meu pai fazia de tudo pra me dar o que eu queria, mas mesmo assim não me dava atenção o suficiente.

Meu tio era aquele tipo de pessoa que sempre estava apostando e perdia, e por causa disso ele perdeu até a casa e foi morar com a gente. No primeiro dia estava tudo normal, eu tinha uma companhia, alguém que eu podia brincar, mas lá pelo terceiro que os abusos começaram.

Quando brincávamos ele me agarrava sem necessidade, e isso me assustava.


- 5, 6, 7, 8, 9, 10... Vou achar você, Han...


Eu sempre me escondia atrás do carro, deixando fácil pra ele me achar. Ele chegou por trás sem que eu ouvisse, e apenas senti uma mão tapar minha boca e a outra agarrar minha cintura.

Os beijos e toques horríveis começaram e eu não entendia nada, só tentava gritar pelo meu pai.

Quando percebi eu já estava sem meu shorts com um cinto amarrado em minha boca.

Foi uma coisa tão horrível que eu não desejo a ninguém.

Engraçado que, tudo o que eu queria era ficar com alguém às tardes, mas não daquele jeito.

Isso durou longos quatro anos, até meu pai finalmente se tocar dos hematomas que ficaram mais fortes confome fui crescendo.




Flashback off*




- Mesmo que ele não esteja mais aqui eu tenho pesadelos. Acordo chorando, suando, gritando - Seungcheol ficou triste pelo mais novo, sempre achou que esse tipo de casos eram coisas de filme.

- Ele fazia outras coisas?

- Me batia, me cortava, me embebedava, me drogava... - Jeonghan levantou o cabelo mostrando a marca roxa - ...Me enforcava - Soltou seu cabelo fazendo o mesmo cair sobre os olhos e os ombros - Por isso pintei meu cabelo assim, achei que iria esconder. O pior disso é que ele me deixou com um trauma que nunca recupere.

- Sobre as pessoas te tocarem? - Jeonghan assentiu abaixando sua cabeça, e Seungcheol observou uma lágrima escorrer no rosto do mais novo - Sabe Jeonghan, é estranho você falar que tem trauma disso.

- Por que? - Seungcheol levantou a cabeça do garoto e secou as lágrimas insistentes.

- Porque estou te tocando agora e você não fez nada - Jeonghan logo percebeu a mão do moreno em seu rosto e corou.

- Talvez seja porque eu confio em você.

- Mas tão rápido assim?

- Acho que sim - Jeonghan riu sem graça e tirou o cabelo dos olhos - Você só parece bravo.

- Obrigado... Eu acho - Seungcheol riu baixo e acariciou o rosto pálido de Jeonghan.




~°~°~




Os dois garotos andavam até a escola juntos, e quando chegaram perto do portão acenaram um para o outro e se separaram.

Jeonghan encontrou Seokmin e correu até o mesmo, mas percebeu que o mesmo estava com um olhar confuso.

- O que foi? - Jeonghan perguntou ao amigo.

- Por que não me contou sobre o que houve com você?

- Como assim?

- Jeonghan, a escola toda sabe que você foi estuprado.

- O que? - Jeonghan olhou em volta e percebeu que todos os alunos o olhavam e alguns riam - Mas... Eu só contei... - Jeonghan suspirou e andou irritado até onde Seungcheol estava.

Ao se aproximar puxou o moreno até um canto qualquer.

- Que foi? - Seungcheol perguntou confuso.

- Você contou.

- O que?! Não contei nada!

- Seokmin acabou de falar que todo mundo da escola sabe, e todos estão olhando pra mim! - Os olhos do menor de encheram de lágrimas o que deixou Seungcheol assustado.

- Jeonghan, eu juro que não contei.

- Você foi a única pessoa pra quem contei!

- Eu sei, e eu não contei! - Seungcheol tentou se explicar.

- Eu não acredito em você - Jeonghan se afastou, correndo até os fundos da escola.

O garoto se sentou num canto atrás do prédio, abraçou suas pernas e começou a chorar.










Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...