História Crazy Love - Capítulo 8


Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Aventura, Emoção, Romance
Visualizações 34
Palavras 1.565
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores como vão?, esperamos que gostem!

Capítulo 8 - Escapadinha, segunda parte


Narrado por Anne

Eu o acompanhava de cabeça enquanto a vergonha possuía meu corpo, ainda conseguia sentir sua respiração quente bater em meu pescoço e o nódulo de minha orelha ainda sentia seus dentes afiados a morderem com carinho. "Como pude deixar ele chegar tão perto? Meu Deus ele quase me beijou!!". Senti meu rosto se esquentar novamente e respirei fundo tentando espantar aqueles pensamentos.

Vi que ele virou o corredor e o acompanhei sem o olhar. "Será que ele sentia o que eu sentia? Será que ele gostava de mim?", iludida como sempre me perguntei, no fundo eu sabia que se deixasse aquele sentimento entrar não haveria escapatória, então decidi que esqueceria o ocorrido e que apagaria qualquer requisito de sentimento além da amizade, eu não poderia amar, eu não nasci para ser amada!.

Justin começou a subir algumas escadas que estavam no final do corredor e abriu uma porta fazendo com que um vento forte passasse pela mesma, fechei os olhos assim que o frescor bateu em meu rosto fazendo com que meus cabelos voassem.

-Você vem?- perguntou animado passando pela porta e saindo de minha visão, sorri alegre e subi os degraus de dois em dois apressada, sei que era errado e que se fossemos pegos estaríamos fritos, mas algo em mim queria isso, eu queria me sentir livre e quebrar as regras ao menos uma vez.

Assim que passei pela porta senti o vento bater mais forte em meu corpo me dando uma das melhores sensações que já experimentei, sorri largo e olhei para o céu encontrando as estrelas brilhantes, a lua minguante tornava tudo mais incrível. Assustei assim que senti braços fortes rodarem minha cintura, meus pés saíram do chão quando Justin começou a me girar no ar.

-Justin você é louco!?- rosnei baixo perguntando, mas o que eu queria mesmo era gritar, ele gargalhou e não me contive gargalhando junto a ele. "Como um simples gesto dele me fazia me sentir tão feliz? Como um sentimento tão bom podia no final acabar com você?", me perguntei, aos poucos ele foi parando e assim que me colocou no chão me virei dando vários tapas em seu peito e ele riu debochado, acho que nem fez cocegas.

-Você é tão fraca- falou divertido segurando meus pulsos, revirei os olhos bufando derrotada, claro que ele era mais forte.Tão frágil- sussurrou enquanto olhava em meus olhos, sua expressão antes divertida agora estava séria. Engoli a seco e ele sorriu de lado soltando meu pulso direito colocando minha mão sobre seu peito, minha respiração falhou e meus batimentos aceleraram. "Como em um olhar eu encontrava meu recanto? Como um toque seu me tranquilizava?". Me deixa te proteger, me deixa... Me deixa entrar no seu coração, Anne- suplicou levando sua mão esquerda fazendo um leve carinho em minha bochecha, seus olhos intensos não se desgrudaram dos meus em nenhum momento.

-Não posso, só posso lhe dar minha amizade- seu maxilar travou e sua postura se tornou rígida. Eu sabia que no final alguém se machucaria, e tenho certeza de que seria eu.

-E se eu quiser mais que isso?- perguntou em um sussurro, sua respiração bateu em meu rosto me dando arrepios por todo o corpo. "Será que esse sentimento dele era amor? Será que ele me amava mesmo? Nos conhecemos a uma semana!"

-Vou ter que me afastar de você- falei me soltando de seus braços, respirei fundo e desviei dele indo até um pequeno banco que havia lá, me sentei no mesmo e olhei o céu acima de minha cabeça enquanto tentava ajeitar minhas emoções.

-É lindo, não?- ouvi sua voz enquanto ele se sentava ao meu lado, o olhei brevemente vendo ele perdido em pensamentos enquanto olhava as estralas, sorri fraco ao constar que ele estava tentando mudar de assunto.

-Sim, de uma beleza incondicional- sorri largo ao lembrar que quando era pequena minha avó me levava para um parque, fazíamos um "piquenique noturno" digamos assim, ela me mostrava as estrelas e contava histórias de princesas me fazendo voar pela imaginação.

-Amo esse sorriso- um sorriso largo nasceu em seus lábios enquanto ele encarava minha boca, engoli a seco sentindo meu rosto esquentar.

-É o único que tenho- desconversei divertida batendo meu ombro no seu o fazendo balançar pro lado esquerdo.

-Não, você tem o sorriso da tristeza, tem o sorriso de "está tudo bem", tem o sorriso de deboche...- falou enquanto contava nos dedos.

-Tá!, chega. Eu tenho muitos sorrisos- falei rindo o interrompendo e ele me acompanhou, percebi que ele reparava muito em mim.

-Mas... O sorriso que você dá as estrelas é diferente- afirmou olhando para cima novamente. Confesso que dês de criança a minha relação com as estrelas era única, eu conversava com elas e por muitos momentos elas viram minhas lágrimas rolarem, elas não me julgavam.

-São minhas grandes amigas, confesso que amo uma- falei e olhei para a mais brilhante, quando pequena minha vó pediu para que eu escolhesse uma, das milhares, estrelas que tinham no céu, eu escolhi aquela, no mesmo dia ela me disse que quando partisse para o céu ela seria aquela estrela.

-Nossa! Não sabia que me amava!- sai de minhas lembranças o confusa, ele riu e se ajeitou sobre o banco fazendo uma pose séria. –Prazer, sol- estendeu sua mão me fazendo gargalhar, ele e suas piadas sem graça.

-O sol mais convencido- falei entre o riso, ele gargalhou e deu uma piscadela tentando fazer um charme. Olhei para o céu novamente e me lembrei de uma música que sempre ouvia quando estava em dias de tristeza. –Sabe? Essa noite me faz lembrar de uma música- pensei alto o fazendo me olhar avaliador.

-Qual? Fiquei curioso- disse se aproximando mais, senti meu corpo entrar em alerta mas parou assim que sua mão segurou a minha as entrelaçando, engoli a seco e olhei em seus olhos sentindo novamente o rubor preencher minhas bochechas.

-Stars, é de uma banda de rock, mas é leve- ele fez uma careta e aposto que não gostava do gênero da música, confesso que quando era mais nova eu não ouvia muito rock, mas com o tempo passei a apreciar aquele estilo musical.

-Canta ela pra mim- disse sugestivo e se aproximou encostando nossos joelhos, na mesma hora me arrependi de ter tocado nesse assunto. 

-Mas eu sou péssima cantando. Minha mãe e meu pai vivem dizendo que eu pareço mais uma hiena do que uma cantora- falei rindo fraco tentando fazê-lo mudar de ideia.

-Vamos fazer assim, eu prometo que se achar a sua voz ruim não vou rir de você- disse sério enquanto levantava a mão prometendo, bufei e revirei os olhos, ele era tão persistente.

-Tá bom, mas se você rir vou te encher de tapas- ameacei enquanto o olhava com os olhos cerrados, ele assentiu com um sorriso debochado e eu repirei fundo tentando espantar o nervosismo que me tomou.

Stars

You spoke a word and life began

Told oceans where to start and where to end

You set in motion time and space

But still you come and you call to me by name

But still you come and you call to me by name

(Estrelas

Você falou uma palavra e a vida começou

Disse aos oceanos onde começar e onde terminar

Você pôs em ação o tempo e o espaço

Mas ainda assim você vem e me chama pelo nome

Mas ainda assim você vem e me chama pelo nome)

Seu olhar estava vidrado em mim enquanto as primeiras frases saiam, fechei os olhos na intenção de espantar a vergonha e soltei minha voz sentindo minhas barreiras se partirem ao meio.

If you can hold the stars in place

You can hold my heart the same

Whenever I fall away

Whenever I start to break

So here I am, lifting up my heart

To the one who holds the stars

(Se você pode segurar as estrelas no lugar

Você pode segurar meu coração do mesmo jeito

Sempre que eu decair

Sempre que eu começar a quebrar

Então aqui estou eu, levantando meu coração

Para aquele que segura as estrelas)

Senti meu coração acelerar enquanto Justin apertava minha mão com carinho, as lembranças de minha avó vieram como um tsunami me invadindo, sorri sentindo as lágrimas começarem a se formar em meus olhos fechados.

If you can hold the stars in place

You can hold my heart the same

Whenever I fall away

Whenever I start to break

So here I am, lifting up my heart

(lifting up my heart)

If you can calm the raging sea

You can calm the storm in me

You're never too far away

You never show up too late

So here I am, lifting up my heart

To the one who holds the stars

(You're the one who holds the stars)

(Se você pode segurar as estrelas no lugar

Você pode segurar meu coração do mesmo jeito

Sempre que eu decair

Sempre que eu começar a quebrar

Então aqui estou eu, levantando meu coração

(levantando meu coração)

Se você pode acalmar o mar revolto

Você pode acalmar a tempestade em mim

Você nunca está muito longe

Você nunca aparece tarde demais

Então aqui estou eu, levantando meu coração

Para aquele que segura as estrelas)

(Você é o único que segura as estrelas)

Respirei fundo e receosa abri os olhos temendo que ele risse, mas ele sorria. Minhas lágrimas que ficaram presas rolaram por meu rosto, a mão livre ele as secou uma por uma enquanto olhava fixamente em meus olhos.

-Como me sai?- perguntei envergonha o fazendo rir, meu coração acelerou ao vê-lo assim. "Como ele podia mexer tanto comigo?".

-Você deu um show- respondeu me fazendo sorrir largo, ele se aproximou lentamente e selou minha bochecha me fazendo dar um leve suspiro. Eu não percebi, mas naquele momento eu havia me apaixonado.


Notas Finais


Agradecemos imensamente por lerem está história, bjs da Ana e da Mari! (づ ̄ ³ ̄)づ|( ̄3 ̄)|


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...