História Creek- Please Love Me - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - Viagem?



On Pov Tweek

Puta merda! E-eu estou fudido.

Craig está me olhando com raiva.

— Podem se sentar.- o professor falou. Eu me sento lá no fundo e Craig resolveu setar ao meu lado.

— Posso saber o por que caralho você está aqui vestido de garota?!- Craig perguntou irritado e baixo.

— D-Desculpa mas eu não posso perder os assuntos! E tinha a-acabado o cafe- falei no mesmo tom baixo de voz.

— Okay. Okay. A merda já foi feita, agora só temos que rezar para ninguém te reconhecer - ele falou ainda irritado.—aliás em casa você será punido por desobedecer seu Daddy e acredite não será uma punição leve.- ele completou sorrindo malicioso para mim. Engulo a saliva, sinto meu rosto esquentar e viro meu rosto para olhar o professor. 

Quebra do tempo

Estava em casa, já estava escuro e Craig já tinha ido pra sua casa. 

Aqui eu estou com Butters e Pip. Estamos conversando sobre algum assunto aleatório.

— Damien sabe que seu aniversário é próxima semana?- Perguntou Butters para Pip.

— N-não.- respondeu meio contrangido.

— deveria contar. Vai que ele te dá um "presente especial".- comentei malicioso o que fez o britânico corar.

— você sabe que não gosto do meu aniversário- Pip disse. Ah quase me esquecia que os pais de família Pip morreram no seu aniversário.

— Então o que vão fazer amanhã?- Butters Perguntou quebrando o clima tenso. 

— Realmente não sei- eu e Pip respondemos juntos.

Ficamos conversando por horas até que Kenny veio buscar Butters e Damien veio buscar Pip já que estava escuro e bem tarde.

Apagei as velas que estavam iluminando o local, vesti meu pijama e resolvi tentar dormir um pouco. Mas escutei passos por perto. Acendi uma vela e fui ver se era Craig. Andei até a varanda, e não era Craig, eram dois homens desconhecidos.

 Apagei a vela rápido, por sorte a casa da árvore é alta então eles nem pensaram em olhar para cima, entrei, me escondi do lado da cama, peguei meu celular, e tentei mandar uma mensagem pra Craig, por sorte o sinal pega aqui.

Amor, tem homens aqui perto, estou com medo.- Mandei a mensagem tremendo de medo.

— Aqueles nekos deve está por aqui por perto. Eles não iriam sobreviver muito longe- Ouvi uma voz dizer. Meu corpo estremeceu todo.

Daddy: O que houve?

Fique escondido.

Estou indovisualizei a mensagem e pensei em responder mas ele já havia ficado offline.

Se passou alguns minutos até que.

— Olha uma casa na árvore!- falou a outra voz. Olhei e vi que a cesta ainda estava na varanda, suspirei aliviado, não ia ter como eles subirem. Mas então ouvi barulhos, pensei que Craig tinha chegado, então fui dar uma olhada, na verdade eles estavam subindo usando facas. Eles cravaram as facas na árvore fazendo um tipo de apoio para subirem.

Por sorte não me viram, corri para o banheiro e fechei a porta, como não tinha tranca fiquei segurando a porta.

Eles subiram. Estou tremendo todo.

— Saia de onde estiver- falou uma voz.

Por favor Craig, chegue logo. 

— ele deve está ali!- Falou a outra voz, logo ouvi passos se aproximando. Eles tentaram abrir a porta, mas eu estava segurando, então quando iam abrir a porta com mais agressividade ouvi barulhos de tiro.

— Honey?- Ouvi Craig me chamar, sai do banheiro, e vi Craig, com uma pistola e seu casaco estava melada de sangue. Ele se aproximou sem se importar com os dois corpos no chão, e me abraçou.         — Você está bem, Honey? Eles te machucaram? - ele perguntou preocupado.

— E-Eu e-estou bem...- ele pareceu relaxar um pouco — E-Eles estão mesmo mortos? - Perguntei.

— Sim. Se eu não os matasse e deixasse eles saírem daqui iam contar para os outros que você está aqui, e não podemos arriscar- Falou. — Vou dormir hoje aqui, pra garantir sua segurança.- completou. Assenti com a cabeça e me sentei na cama olhando os corpos.

Ele se aproximou de um dos corpos e pegou sua carteira. 

— William Jeine...- ele disse.              — Trabalha para o centro de híbridos.- Completou.

— O-Oque vamos fazer com esses corpos?- Perguntei.

— Vou jogar em algum lugar, não se preocupe.- falou pegando o dinheiro que os homens tinham na carteira. — Vou ligar para o Butters, pra ele mandar o Kenny vim cuidar desses corpos.-  comentou. Apenas assenti com a cabeça. Ele pegou o celular e ligou.

Me deitei na cama tentando não achar o fato que tem dois corpos mortos na minha sala estranho e assustador.

Off Pov Tweek

On Pov Craig

Tweek já dormiu. Estou falando com Clyde pelo celular. Ele está no centro de híbridos. Lá está em total agitação. Cylde parou de falar um pouco, e logo gritou:

— CRAIG PEGUE TWEEK! SAIA DAI! AGORA!- Falou, ouvi barulhos de carros.

Olho o celular dos mortos e vejo que eles tiram um rastreador.

— MERDA!- Desliguei, tentei acordar Tweek, mas ele não acordava, parecia está em um sono muito profundo. Balanço ele mais forte e então ele acorda.

— O-Oque houve?- ele perguntou assustado.

— Nos acharam, vamos logo, temos que sair daqui! Agora!- Falei.

— Não tem pra onde fugir! - gritou Dandara do lado de fora.

Puxei Tweek. Abri a janela, olhei para baixo, não tinham cercado a casa, afinal é muito alto e não tem pra onde fugir. Olhei para uma árvore próxima e tive uma ideia

 

— Pule naquela árvore. Vou logo atrás de você- Disse.

— E-Eu não consigo, e-eu vou cair! GAH!- ele falou, dei um beijo na testa dele.

— Você consegue. Você é mais capaz do que imagina - ele sorriu determinado, e pulou na árvore próxima, peguei minha pistola e pulei logo em seguida. — Toma.- Falei dando uma pistola com silenciador pra ele.

— Eu não quero matar ninguém Craig- falou. 

— Sei que não quer. Conversamos depois. Agora temos que sair daqui- falei, pulei em outra árvore, e ele veio atrás de mim, por sorte ninguém estava nos seguindo.

Quando achei que estava longe o suficiente, desci da árvore, e Tweek pulou no meu colo. 

— O-Onde vamos dormir?- perguntou.

— Não sei.- falei baixo. Tweek estava só de pijama. Parecia está com frio, peguei meu casaco e dei para ele. Nos sentamos de baixo de uma árvore, ele estava no meu colo, e o casaco estava em cima de nós dois. — Durma um pouco, eu vou ficar olhando as coisas.- 

Ele deitou a cabeça no meu peitoral, fiz carinho na cabeça dele com uma de minhas mãos. Até ele dormir.

— Vai ficar tudo bem Honey, eu vou te proteger. Não importa o que eu tenha que fazer. Vou sempre te proteger- falei mesmo sabendo que ele não me escutaria.

________

No momento estou com Tweek, Kenny, Butters, Damien, Pip, Cylde, Token, Thomas, Jimmy, Cartman, Stan, e Kyle. Estamos na casa abandonada que Kenny achou para Butters. Até que eles arrumaram bem essa casa.

— O outro grupo se juntou ao grupo de Dandara, reforçaram os vigias, botaram rastreadores em todos do membro do grupo, Se eles pararem enquanto estão procurando, pode significar que os híbridos foram achados, e por esse motivo que acharam vocês- Cylde disse.

— Aliás o que você fez com os caras?- perguntou Token.

— Matei- Respondi frio.

— As coisas vão piorar muito por aqui.- falou Cartman.

— Concordo. Por isso essa semana vou viajar com Pip para a Inglaterra.- Falou Damien olhando para o britânico que dormia — Acho melhor vocês irem conosco, meu pai tem um jatinho particular, e ele vai me levar, então vamos está sob a supervisão de um adulto. Será melhor ir pra outro país descontrair a cabeça um pouco. - Completou.

— Não sei. E como fica a escola?- Perguntei.

— Não vai ter aula por uma semana lá- respondeu o anticristo.

— O que acha disso Tweek?- perguntei me virando pra ele.

— A-Acho legal. - Respondeu bebendo café.

— Então arrumem suas coisas, vamos ficar uma semana fora do país, qualquer coisa que rolar Cylde pode nos avisar pelo celular, amanhã bem sedo é o vôo, vou vim buscar vocês de carro.- Falou Damien.

— Certo, vou arrumar as coisas de Tweek- falei.

— E eu vou arrumar as coisas de Butters- Falou Kenny. 

— Até amanhã- falou Damien pegando Pip no colo e saiu.

Off Pov Craig

On Pov Damien

Levei Pip no colo até o carro. O botei lá dentro, entrei e ligei o carro.

— D-Dami.. - ele me chamou.

— Sim angel?- 

— Nos somos casados né?- ele perguntou corado.

— Somos noivos, Angel. Mas prometo que vamos nos casar rápido.- Respondi.

— Podemos nos casar agora?- ele perguntou.

— Claro. Eu nos declaro marido e esposo- Falei e beijei sua testa.

— E-Eu realmente te amo Damien.- falou. comecei a dirigir — A-Agora nos podemos ter filhos? - perguntou. 

— QUE?!- gritei, isso pareceu assustar ele — Angel, ainda somos muito jovens, eu só tenho 17, e você só tem 15.- falei.

— M-Mas para os híbridos é normal te filhos sedo -

— Não vamos ter um filho- isso pareceu o entristecer.

— V-Voce não quer ter filhos comigo?- perguntou.

— Não é isso Angel! Eu não estou pronto para ser pai agora! Use a cabeça! Somos muito jovens para termos filhos- Falei.

— Certo.- Falou meio triste.

Não estou pronto para ser pai, tenho somente 17 anos! Eu não quero que ter que dividir meu Pip para ninguém. 

Além do mais esse filho só iria atrapalhar as coisas agora. Estamos em meio de guerra e Pip quer ter filhos?! 

Eu o amo com toda certeza, mas filhos agora só vão atrapalhar nossas vidas. 

Chegando em casa, Pip saiu do carro e foi direto pro quarto sem falar nenhuma palavra.

— O que deu nele?- meu pai perguntou.

— Sendo sinsero.. não sei- respondi.

— Bem o almoço está quase pronto, vá chamar ele.- falou. Fui até o quarto e bati na porta.

— Angel? O almoço está quase pronto. Vamos comer- chamei.

— Estou sem fome, vou comer depois.- ele disse com a voz meio falha. Resolvi não o obrigar a vim comer e desci.

— Cadê ele?- meu pai perguntou.

— Está no quarto, não quer comer- respondi sem delongas.

— O que você fez para ele Damien Thorn?!- Perguntou agora irritado.

— Eu não fiz nada! Ele estava meio estranho falando algo sobre querer filhos, mas somos muito novos! Filhos agora só nos causaria problemas- falei.

— Entendi. Mas você pretende ter filhos certo?-

— Não. Não quero filhos.-

— E quem vai herdar o inferno?!- 

— Sei lá, quando eu querer um filho eu vou fazer um. Mas no momento eu não quero filhos. E não estou pronto para dividir o Pip com outro alguém- 

— Deixe de ser idiota filho! Se algum dia algum acidente acontecer e Pip acabar engravidando, não importara se você vai está do lado dele ou não, o filho de vocês seria fruto do amor de vocês. Pense que seria um pedacinho de você e um pedacinho do Pip juntos.- falou.         — Filhos não são algo tão ruim- 

— Você que sabe.- falei sem me importar muito.

— Aliás acho que você deveria saber que híbridos ficam mais difícil de ter filhos quando passam dos 20 anos. Talvez seja por isso que Pip quer ter filhos logo. Exemplo a mãe do Pip era híbrida e ela engravidou da primeira filha aos 14, e teve Pip com muita dificuldade, ela tinha 28 anos, e Pip ia morrer antes do parto. Só não morreu porque eu não deixei. Afinal ele seria o futuro esposo do meu filho. E antes dele teve mais dois fetos que foram abortados espontaneamente e Pip seria também- falou e foi pra cozinha.

Eu não estou pronto para dividir o Pip.  Não estou pronto para ser pai. Só de pensar que Pip poderia ter morrido me dá uma dor no coração.

O britânico logo apareceu.

— Dami, desculpa ficar te perguntando aquelas coisas. Eu pensei melhor, e você tem razão. Somos muito novos- ele falou com sorriso falso no rosto. — É que essa sexta é meu aniversário.- 

— Que bom Pip!- beijei sua testa.

— Eu não costumo comemorar meu aniversário- falou.

— Porque não?-

— Meu aniversário também é o aniversário de morte dos meus pais, meu tio me dizia que era uma falta de respeito eu comemorar aniversário no mesmo dia da morte dos meus pais- falou. Ah.. meu pai tinha me dito que os pais dele foram mortos na frente dele.

— Seus pais foram mortos na sua frente né?- Perguntei.

— Sim. - falou e olhou para o chão, ele logo começou a chorar — F-Foi minha culpa! F-Foi tudo minha culpa- Ele falou tentando limpar as lágrimas que dessiam, aquela cena é de quebrar o coração.

Fui até ele e o abracei.

— Não foi culpa sua.- falei, ele agora chorava em meu peitoral.

— F-Foi! Nós tínhamos i-ido comemorar meu aniversário, q-quando um "demônio" nos atacou. Ele contou até três para eu escolher entre poupar a vida do meu pai ou minha mãe, e-eu não consegui responder! E-eu estava tão assustado- chorou. — O-O "demônio" matou os dois, ele pisou na cabeça da minha mãe até a cabeça está totalmente amassada, e-ela i-implorava por ajuda! M-mas eu não po-podia ajudar! N-não conseguia me mexer- 

— Calma Angel, passou. Está tudo bem agora- falei fazendo carinho em seus cabelos e logo limpando suas lágrimas.

— D-Damien..  meus pais... Estão no inferno? - perguntou.

— E-Eu não sei, amor.- Menti, mas eles fizeram pacto com o diabo, então certamente eles estão no inferno.

— Eles es-estão sofrendo muito lá?- perguntou novamente.

— Não sei, Amor. Provavelmente não, afinal eles são os pais de meu esposo. Mas não sabemos se eles estão no inferno- beijei sua testa. Eu realmente não sei se estão sofrendo lá, mas vou ver isso depois, não posso deixar meus sogrinhos sofrerem.

— Obrigado Dami. Minha mãe tinha o sonho de ser avó, me desculpa por ficar te enchendo com minhas ideias  - 

— Está tudo bem, Angel- falei — Va ajeitar sua mala, amanhã nós vamos viajar.- 

— Oh Certo! - ele disse já animado, e foi para o quarto. 

Amanhã vai ser bem interessante.






Continua?



Notas Finais


:3 até o próximo
Perdão pelos erros de ortografia.
B-Y-E.. bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...