História Creek- Please Love Me - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Volte





____________



Pip... Quando foi a última vez que eu o vi sorrir?

Ah... A um ano e meio. ( um ano e 4 meses)

Antes de tudo acontecer... 

Eu me lembro o exato dia em que eu me apaixonei por ele.

Flashback On

Eu tinha acabado de chegar em casa, e contei meu dia para meu pai.

— O que fez hoje filho?-

— Eu fiz vários amigo, e usei um britânico como fogos de artifício.- falei.

— Britânico?-

— Sim. O Pip, todos os meninos são maus com ele. Mas ele nem parece ligar. -

— Pip? Que nome estranho.- falou meu pai.

— Esse é o apelido que deram a ele. O nome dele é Phillip- falei. 

— PERA QUE?! F-Filho ... Você estar arrependido de ter feito ele de fogos de artifício?- 

— Na verdade sim... Ele era bem mais legal que aqueles garotos... A aura dele era tão pura- falei.

— Bem... Se está arrependido vá pedir desculpas a ele-

— Que?! M-Mas nós não vamos voltar pra casa?-

— Só amanhã bem cedo.-

— Tá eu vou ver se consigo achar ele- falei saindo de casa. Já estava a noite. Então fiquei voando pela floresta, não estava procurando o loiro, mas se eu o achar vou pedir desculpas... Logicamente só pra me livrar da culpa..

Naquela época eu nem imaginava que o sentimento estranho que eu estava sentindo era atração e não pena.

— Oi mamãe... Oi papai... Como estão as coisas aí?- ouvi uma voz familiar falar. Fui até ela e vi Pip olhando para as estrelas, sentado no gramado perto de um lago.

— Espero que esteja tudo bem aí em cima...- eu apenas o observava calado.      — Hoje eu entrei na festa do Cartman com meu amigo Damien, doeu ser um fogos de artifício, mas foi legal ver todos se divertindo por minha causa- falou sorridente — Quanto a Damien eu não sei se devo o chamar de amigo... As pessoas daqui não gostam que eu os chame assim...- completou agora um pouco triste. Resolvi fingir uma tosse enquanto parava de voar.

O britânico virar a cabeça para me ver. Os olhos dele me encantavam, e me faziam entrar em trase.

— O-Ola cavalheiro Damien- ele disse. Odeio essa mania dele de me chamar de cavalheiro.

— Pare de me chamar de cavalheiro. Me chame só de Damien- falei grosso me sentando ao seu lado — Com quem estava falando?- perguntei.

— Meus pais. Eles morreram.-

— Porque estava falando com as estrelas?- 

— Minha mãe uma vez tinha me dito, que quando as pessoas morrem elas viram estrelas, e quanto mais gentis elas fossem na terra mais elas brilhariam no céu escuro da noite.- ele falou olhando para as estrelas. Fiquei com pena dele por ele não saber a verdade.. mas ao invés de estragar as expectativas dele. Somente disse:

— Sua mãe era muito sabia...- falei. E ele deu uma risadinha fofa, o que me fez corar. —  Aliás... Me perdoe por ter te usado como fogos de artifício para entrar na festa do Cartman.-

— Ah... Tudo bem... Foi divertido.- falou.

— Você... Não tem raiva deles? Não está com raiva de mim?-  perguntei.

— Não, eu não posso julgar você por querer ter mais amigos, Stan, Kenny, Kyle e Cartman estão sempre em aventuras legais- falou. — E eu não tenho o porque ter raiva deles, afinal... Eu sei que um dia eles vão precisar de mim, e irão ser meus amigos.- completou sorridente.

— Ah... Entendo... Mas aqueles caras são bem chatos...- 

— Han? - 

— Você é bem mais interessante que eles- virei a cara para não o olhar, não quero que ele me veja corado.

— Sério?!- falou aparentando estar surpreso — Vo-Voce é a primeira pessoa me que diz isso- gagejou. Olhei para ele, e ele me desviou o olhar, botando o cabelo para atrás da orelha. Suas bochechas estavam meio coradas.

Tão adorável... Pera que?! 

I-isso é tão gay...

— B-Bem... Eu também quero me despedir de você.- falei.

— Você vai embora?!- ele perguntou assustado e meio triste.

— Sim...- falei. — Eu gostaria de... Poder ficar um pouco mais aqui... Ficar com você- pensei alto, e só notei que falei quando vi Pip "explodir" se vergonha.. ele estava tão corado. Meu coração está quase explodindo. Derepente vejo o loiro começar a chorar. — E-Ei!.. porque está chorando?- perguntei desesperado para o acalmar.

— É... Que... V-Você foi tão legal comigo... E agora você vai embora- ele falou tentando enchugar as lágrimas. — Eu estava tão feliz pensando que finalmete teria alguém que gostasse de mim...- tentava parar de chorar mas não consiguia.

Como demônio. Filho do príncipe das trevas, eu deveria gostar de ver tristeza, ódio, e negatividade.

Mas aquilo não me fazia feliz... Ver Phillip chorar desse jeito fazia meu coração doer.

— Ei... Calma- me aproximei de seu rosto e limpei com cuidado suas lágrimas. Assim que o olhei vi suas bochechas um pouco coradas novamente — Não se preocupe. Eu vou voltar pra te ver- falei.

— V-Vai voltar logo?- ele perguntou. 

— Vou.- sorri para ele, que retribuiu o sorriso, me abraçando em seguida.

— Promete?- ele estava tão fofo que não consegui dizer não.

— Prometo. - falei. Ele separou nosso abraço. Deitamos na grama gelada. Olhei para o céu — Qual dessas estrelas você acha que são seus pais?- 

— Aquela é a mamãe- apontou para a estrela que mais brilhava.— Aquele é o papai- apontou para uma estrela que estava próxima a "sua mãe" — e aquele é o Pocket- Completou apontando para uma estrela mais destante do "seus pais".

Por algum motivo estranho senti raiva desse tal Pocket.

— Quem é Pocket?- perguntei tentando não mostrar raiva.

— Ele era um amigo meu. Estudamos em uma escola para sermos cavalheiros. Ele foi a única pessoa legal comigo depois de Joe- falou. — ele morreu com hepatite B. Foi um irmão pra mim.- completou sorrindo tristemente.

— Ele está em um lugar bom agora- falei me sentindo culpado por ter sentido raiva de alguém que foi como um irmão pra Pip. — Aliás quem é Joe?-

— Ele é o marido da minha irmã- falou. Um vento forte soprou e levou a boina de Pip para o lago. Ele se levantou e andou até o lago. Me sentei e observei tentando entender o que ele ia fazer. Então o mesmo começou a tirar as meias e o sapato. tirou sua jaqueta vermelha. E pulou no lago.

— E-Ei! O que vai fazer?!- perguntei.

— Não deve ser tão fundo.-  ele continuou e voltou pegando a boina e voltando, tremendo de frio. Levantei e fui até ele. 

— Meu pai... Você vai morrer de hipotermia! Vem! Temos que te aquecer.- puxei ele até o gramado de volta e fiz fogo aparecer e passarem por perto dele sem o queimar, só para o esquentar.

— Hum.. O-Obrigado- 


A noite continuou cheia de risadas até que cansamos e dormimos alí mesmo.

Eu acordei com meu pai de malas já pronta me chamando. Ele jogou um casaco em mim, mesmo eu não sentindo frio.

Eu me levantei e vi Pip dormindo. Pedi um papel e uma caneta ao meu pai. E escrevi uma pequena carta: 

"Eu prometo que vou voltar logo. Desculpe-me não estar com você quando você acordar. Se cuide. E não seja tão bondoso com os garotos. Eles não merecem sua bondade e gentileza. 

Não morra tá legal?

Nós veremos em breve.

Ass: Damien Thorn." 

Terminei de escrever. Como o sol já estava brilhando forte. Levei Pip pra de baixo de uma árvore. Ele parecia ainda estar com frio então botei o casaco em cima dele o cobrindo. 

Olhei para os dois lados para ver se meu pai estava me olhando. E por sorte não estava. Me aproximei do loiro e beijei sua testa. 

— Durma bem, Phillip-  Falei me afastando. Dei uma última olhada para o britânico e vi ele se remexer um pouco virando de lado. Não sei se foi minha imaginação mas pude ve-lo com um pequeno sorriso no rosto.

Tão adorável...

Parecia um verdadeiro pequeno anjo.

Flashback Off

Depois desse dia eu o observava de longe e depois parei quando virei assasino por diversão. Mas nunca cumpri a promessa de voltaria logo. Depois de um tempo. Descobri o motivo de não o tirar de meus pensamentos mesmo depois de tantos anos: eu tinha me apaixonado por um "humano". Na época eu era muito novo para reconhecer cheiros.

Eu lembro de tudo que passamos juntos.

Quando ele me chamava de Dami. Mesmo não gostando de ser chamado assim por ninguém. Pip era uma exceção.

Nossos momentos felizes.

Flashback On

Eu e Pip tínhamos acabado de voltar da hidromassagem do hotel que estávamos na Inglaterra. 

2 Meses antes de tudo acontecer

Nós vestimos. E ouvimos uma música tocar. Então me aproximei dele e disse:

— Aceita dançar, meu soberano?- perguntei chamando-o para uma dança.

— Claro, meu rei- aceitou.

Botei minha mão em sua cintura. E a outra segurando sua mão. Ele segurou meus ombros. E assim começamos a rodopiar e dançar pelo quarto.

Ele girou algumas vezes.

E voltamos a dançar até o fim da música. Nós abraçamos e trocamos carícias durante a noite.

Flashback Off

Eu o amo tanto...

E agora aqui estou eu. Observando seu corpo. Ele não estava em decomposição. Afinal igual as fadas os hibridos quando morrem o corpo não entra na decomposição.

Sim.. Pip está morto. Meu pai disse que ele foi para o céu.

Eu não consegui enterrar ele.

No dia da tragédia estávamos todos na casa abandonada. Dandara nós achou e cercou a casa, mas saímos pelos túneis.

Craig mandou Tweek se esconder, e todos nós fomos para a guerra.

Durante ela, Clyde e Butters se feriram mas saíram bem. E Kenny morreu (porém voltou. por que ele é imortal). E Pip tinha levado três tiros nas costas e continuou a lutar. Ele não tinha me contado. E eu estava ocupado de mais pra prestar atenção.

Em um momento nós fomos cercados e certamente morreriamos. Porém Eric Cartman que tinha virado o braço direito do chefe do outro grupo apareceu com muitas pessoas, e matou a maioria. Dandara estava fugindo em helicóptero.

E então eu olhei para Pip e o vi caído e sangrando.

Flashback On

— Pip! C-Calma vai ficar tudo bem!-  falei chorando com ele em meus braços.

— N-não c-chore amor... N-não quero que minhas últimas lembranças sejam de você chorando- tossiu um pouco, peguei um caco de vidro e cotei meu pulso. Dando meu sangue pra ele beber. Sim isso o transformaria em um demônio mas tudo que importa é que ele fique bem.

— I-Isso vai te regenerar.- falei.

— Dami? Eu estou curado! Obrigado meu amor. Eu te amo. E sempre vou te amar- ele sorriu.

 — Também te amo, Angel- Sorri de volta aliviado por ter o salvado. O abracei e senti sangue. Arregalei os olhos. E vi que Pip tinha morrido em meus braços.

Minhas lágrimas voltaram. Tentei achar sua alma mas ela não estava mas lá. Meus amigos já tinham saído. Então gritei alto queimando tudo que estava por perto. Menos o corpo do meu amado e Craig que estava do meu lado e não tinha ido embora. Incediei tudo. Inclusive o helicóptero de Dandara. E quando me acalmei um pouco. Parei de queimar.

— Ele queria você sorrindo e não chorando- Craig falou apertando seu braço machucado.

Flashback Off

Depois disso tentei pedi para meu pai o ressucitar. Porém ele não podia. A alma de Pip estava sob os cuidados de jesus.

Olhei para as estrelas.

— Pip.. por favor.. volte pra mim- falei chorando e abraçando seu corpo gelado — Pip volta. Prometo que vou te deixar comer vários doces e beber todos os tipos de chá. Pip... Eu prometo que vou te dar todas as películas que você gostar. Mas volta.. por favor.

Volte.




Off Pov Damien

On Pov Craig



Tweek está sumido faz 1 ano e meio. Quando eu mandei ele se esconder,  mas descobri que ele tinha fugido. 

Seus pais não sabem onde ele esta mas ele tinha mandado uma mensagem dizendo que estava bem para eles.. mas essa mensagem foi mandada a um dia depois dele sumir.

Estou no meu quarto e resolvo ir dormir.

Sonho On



Estávamos na fortaleza de Kenny. Kenny estava treinando Butters e Clyde. Pip estava falando de estratégias com Damien e Kyle _Pip tinha uma ótima mente para fazer estratégia_ Token estava conversando com Stan, Thomas e seu novo namorado David Rodriguez. Jimmy estava batendo uma das muletas em um saco de pancada. E Tweek esses dias tem diminuído o café. Está tomando bem menos.

— Craig... Ah... Eu t-tenho que te contar uma coisa importante- Tweek disse receoso.

— Conte-

— E-Eu..- ele foi interrompido pelo alarme da casa abandonada de Kenny.

Ele olhou as câmeras.

—TODOS PRO TÚNEL! AGORA! CERCARAM A CASA- ele gritou e fomos pro túnel apressados.

Quando saímos em um lugar distante. 

— Vamos. A guerra começou- Token disse.

— Certo. Tweek.. vá se esconder.- Mandei.

— E-Espera Craig, e-eu tenho que te contar algo importante.-

— Me conte depois. Agora você vai se esconder! Agora!- Ordenei. Logo tudo ficou preto. E só vi Tweek sumindo na escuridão e indo pra longe. Tentei correr atrás dele porém era tarde.

Sonho Off

— TWEEK!- acordei gritando. Esse sonho de novo. Tweek de onde você estiver. Volte.

Eu sinto tanta saudade de você.

Dos seus tics nervosos. Dos seus gritos. Do cheiro de café que tinha em você

Dos seus toques. Gemidos. E beijos.

Sinto saudades de tudo em você. Sinto sua falta.


Volte.


Escutei batidas na minha porta.

— Fale.- disse.

— Filho.. os Tweak querem te avisar algo. Parece importante.- minha mãe falou e saiu..

O que eles querem falar?



Continua





Notas Finais


Está um pouco curto e triste. Porém o próximo será mais alegre.
Perdão pelos erros de ortografia. 
Amo vocês <3
Beijos
E até o próximo. B-Y-E.. bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...