História Crepúsculo - um amor que ainda não começou - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Tags Crepusculo, Romance
Visualizações 72
Palavras 617
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoinhas!
Desculpa a demora pra postar, meu computador deu problema e agora tenho que ir para outro lugar atrás de internet (o que não acontece com muita frequência).
Espero que gostem e desculpa por qualquer erro.
Me falem se estão gostando, aceito qualquer comentário.
Boa leitura! ; )

Capítulo 6 - Hora do cinema


POV Crhistie

Andamos pela floresta até chegarmos em uma pequena casinha de madeira branca de dois andares com uma varanda na frente. Ele destrancou a porta e me guiou pela pequena sala até uma escada no final do corredor. No segundo andar havia três quartos, que ele me apontou o primeiro como o de Leah, o segundo dele e o último meu.

_Vocês são irmãos?-ele assentiu- que legal!- fiz uma pausa enquanto colocávamos minhas mala no quarto- porque não estavam com os outros hoje mais cedo?

_Minha mãe está meio doente, então ficamos cuidando dela.

_Ah.

Droga eu tinha que entrar no assunto errado!

_Vou te deixar arrumar suas coisas. Se precisar estou no meu quarto.

E saiu, levando seu calor junto.

POV Seth

Entrei no meu quarto e me joguei na cama. Minha cabeça rodava e estava muito confuso. Quando Sam me mandou atrás da vampira achei que seria algo normal, só que não foi bem assim. Ela colocou aqueles olhos brilhantes em mim e senti que não poderia mais abandoná-la. Os lobos se aproximavam para matá-la,mas não podia deixar isso acontecer. Assim que meus pensamentos se conectaram com os do grupo percebi que eles urravam de felicidade. Mas só por dentro.

"Seth,-era Sam- pode parecer estranho, mas você teve um imprinting. Com a vampira."

Meus colegas estavam rindo e zombando de mim quando pararam de repente. Precisei ler sues pensamentos para descobrir que Crhistie tinha falado com eles. Sam nos mandou voltar a ser humanos, não poderiam mais mata-la então teriam de conversar com ela.
Tive que ir em casa buscar outra roupa - a antiga tinha se destruído na transformação e quando voltei ouvi a conversa. Me voluntariei. Saímos correndo pela floresta e a vi atacar a pantera - mas apenas as costas dela. No caminho até minha casa fiquei pensando em como isso poderia dar certo. Não poderia. Decide que o melhor seria não me aproximar ou pensar muito dela, para sofrer menos depois.

Não deu muito certo já que Sam me chamou na sua casa para conversar sobre isso. Ele não gostou muito da minha ideia, achou que teria o efeito contrário. Me perguntou o que eu faria se não desse certo ou se ela se apaixonasse por mim, ou por outro. Torci o nariz para a última possibilidade. Tinha medo dela e temia que se torna-se real. Apenas respondi que daria um jeito e mudei de assunto. Ficamos jogando conversa fora e comendo os quitutes de Emily até tarde da noite. Voltei para casa e ao abrir a porta tive uma surpresa.

Crhistie estava deitada no sofá, toda enrolada em uma coberta, vendo TV. Ela me chamou para ver um filme se sentando. O cobertor se encolheu, mostrando seus ombros e pernas nuas. Eu hesitei na porta mas ela segurou meu braço, puxando-o. Caí deitado no sofá e ela levantou o cobertor para me cobrir também. Com alívio percebi que ela usava um cropped tomara-que-caia e um short roxo. Na verdade não foi alívio, foi mais "deus me livre, mas quem me dera". Ela se acomodou em meus braços, ficando de conchinha e passou a olhar a tela. Segui seu exemplo.

Em uma cena de terror ela se encolheu e seus lábios tocaram meu braço. Senti um arrepio e a abracei apertado. Ela se encolheu mais e metade de seu rosto encostava em minha pele. Eu já não conseguia mais prestar atenção no filme, só em sua pele fria encostada na minha.

-------------------------------------------------------------------------

Abri meus olhos e senti que meu travesseiro estava mais duro que o normal, mas ainda era confortável. Na minha frente havia uma faixa branca e depois uma roxa. Decidi que estava sonhando e fechei meu olhos novamente.


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...