1. Spirit Fanfics >
  2. Criação biológica pokemon >
  3. Conflito marítimo naval biobelico

História Criação biológica pokemon - Capítulo 17


Escrita por: e Black_Charizard


Notas do Autor


este capitulo esta sendo patrocinado por world of warships, um jogo de batalha naval altamente realista, aonde você controla navios usados na primeira e segunda guerra mundial, crie a conta e coloque o código fanfic battle 2020 para ganhar 250 dobroes, 3 dias de Premium, e o navio Premium tier 3 valinther. E bora ler












Brincadeira kkkkk, os anúncios desse jogo em vários vídeos do YouTube me irritaram, então, decidi fazer uma Paródia na fanfic 

estou aqui para mais um capitulo dessa ferrenha historia

existe um server no meu discord destinado aos meus leitores fieis, link:https://discord.gg/j48zQGQ

Só quero dizer que meus coautores pararam de me ajudar, faltou a ajuda do @black_charizard, menos o @Sircaos que me ajudou em líder da Matilha

Foi difícil fazer esse capítulo, deu trabalho, se preparem que esse é longo, do jeito que vocês gostam

Lider e capitão são os mesmo

Capítulo 17 - Conflito marítimo naval biobelico


Fanfic / Fanfiction Criação biológica pokemon - Capítulo 17 - Conflito marítimo naval biobelico

Narrador pov's on

O plano foi feito, iriam pegar os alienígenas no oceano com navios de guerra, levá-los a uma apresentação reservada, e então doar os pokemons para um sorteio, tudo bonitinho na prática, porém, ocorre um imprevisto

– tudo pronto, enviar– diz o alien comandante da operação, e então as cápsulas são jogadas

contendo dois alienígenas, masculino e feminina, carregando as Pokebolas  em um disparador , sendo dirigidos as coordenadas designadas 

Ramon: está preocupada com algo– pergunta a fêmea por video-chamada

Jeklenia: estou preocupada com a interação humana no brasil, os humanos se comportam diferente em cada cultura, na nova zelandia foi uma boa interação, mas no restante do mundo pode haver elementos conceituais anti-alienigenas– diz virando a cabeça e ficando mais cinza

Ramon: no brasil, acho é que vão apenas fazer meme, la as lendas de alien sao engraçadas, como por exemplo, o chupa cu e o et de vagina

Jeklenia: oque? – diz avermelhando

Ramon: varginha, errei a pronuncia– diz colocando seu rabo no cotovelo 

Jeklenia: é, mais uma das vezes que visitamos outros mundos, e se surpreendendo mais–diz refletindo 

Ambos não sabiam como se inserirem naquele meio antropológico, a preocupaçao social permeava suas psique, mesmo tendo contatos com astronautas

– agora é uma situação critica, controle o ângulo – fala ao se surpreender com o superaquecimento, encerrando a chamada 

ambos desligam a call e controlam a cápsula para dar o menor aquecimento possível pela entrada atmosferica 

caindo de uma velocidade super alta, parecendo meteoros que irão colidir com a terra, mas devido aos seus treinos, conseguem suportar

estando a 10 quilometros da superficie, pela camera conseguem ver os navios passando

– agora faça as manobras de pouso– avisa a companheira retornando a chamada

inclinam as cápsulas de queda para 90 graus, ficando assim em uma posição deitada, e abrem o paraquedas aos 300 metros de altitude

– espero que o processo de sair daqui e entrar no navio não seja problemático 

ao caírem, uma onda forte é emergida e são pegos pelos navios que estavam a espera, os militares disparam um anzol que pega nas alças das cápsulas e assim puxam para dentro

são 3 navios militares no total, 2 cruzadores e um enconraçado, sendo capturados por esse

o comandante milton ordena do convés–agora abram as cápsulas digitando a senha [email protected]&493%÷res

Os funcionários digitam a senha com muita cautela, esperando não serem atacados 

Ramon: chegamos? –fala com rispidez no olhar

Militar 1: sim, estão na terra– diz um funcionário 

Ramon: estou indo– diz a alienígena dentro da cápsula 

Militar 2: uma coisa que me impressionou foi o fato de vocês falarem vários idiomas como se fossem nativos– diz com ums orriso no rosto, estando feliz pela comunicação facilitada 

Ramon: explicaremos o processo neural disso depois 

Jeklefa: estou com fome, alguma comida

–sim senhor, temos peixe dentro do navio–diz o líder da Embarcação 

Jeklefa: ótimo, vamos– (errou meu gênero, mas tudo bem) 

Ambos entram no barco sendo assediados visualmente pelos militares, eles nunca viram de perto aquela espécie alienígena 

O líder os leva ao refeitório, de onde pega os peixes que estavam fritando 

Ramon: nos também fazemos isso no nosso planeta, mas os peixes são difíceis de matar

Ele entrega o alimento nos pratos e os 2 seres iniciam a refeição 

Jeklefa: nossa, esse peixe é uma delícia 

Lider: que bom que você gostou, é salmão 

O líder estava assustado com o contato de alienígenas, mesmo eles não tendo uma aparência tão intimidadora, se sente em perigo potencial, então tentou agradar os alienígenas, ao perceber que foram satisfeitos, aproveitou para tirar mais intimidade 

Lider: querem descansar no navio? 

Jeklefa: sim, assim a gente fica mais calmo depois 

Lider: humanos sentem enjoo ao andar de navio, vocês não sentem né? 

Ramon: não, não sentimos isso

Lider: seria ótimo se vocês nos passassem várias informações sobre a espécie de você

Ramon: pensaremos depois nisso, agora vou descansar


30 minutos depois.. 


Militares entram no dormitório correndo e acordam os aliens

Militar 3: acordem, alerta vermelho, alerta vermelho

–oque foi, oque foi?!! –dizem com estresse corporal, acordar bruscamente um linolio faz seu corpo passar por um processo chamado alertamento brusco, passando rapidamente de dormindo para em estado de perigo, seu corpos estavam amarelos e quentes, sendo esse um efeito colateral temporário, a conversa sobre ficar mais calmo depois foi falso

Militar 2: estamos sendo interceptados por estrangeiros, podem ajudar? –diz mostrando claro desespero agarrando o alien

–GGIIIIIIRRRRRRR–rosna o alien macho e derruba o humano com o braço 

Militar 1: calma, calma, eles podem não atacar, pediram para vocês comparecerem na cabine–diz o segurando por tras

Jeklenia tenta estabilizar seu emocional e bolar um plano 

Jeklenia: vou chamar reforços do meu planeta–ela pega seu celular e liga para a nave, e fala enquanto anda pelo navio 


Chamada on


–alô, poderiam enviar unidades militares para a água? Estamos sendo interceptados mas o ataque ainda não ocorreu

–claro, comunicarei a Nave militar para isso, exigo confirmação 

–ok, se der ruim eu confirmo o ataque, mas envie como escolta um grupo de pokemons aquáticos e aéreos 

–entendido

Ela encerra a chamada e chegam a cabine 

Lider: querem falar com a gente, inicie a chamada

Ao iniciar, se percebe que é a marinha estadunidense, bem poderosa

Ethan: alô brasileiros, então foram selecionados para se apresentarem, vocês alien, linolios, ficaram observando a gente através de uma lua de júpiter, captando nossos sinais de rádio e enviado por entrelaçamento quântico ao planeta de vocês, para equilibrar as contas, nos devem informações sobre vocês e esses animais, chamados pokemons, suas tecnologias, tudo, temos 10 navios apontando em vocês–diz tendo um claro tom americano

–pensei que vocês nos chamariam de macaco e pediriam para falar seu idioma– diz o líder em tom de deboche 

Ethan: é porque não adiantava, e então linolios, vão passar? 

Jeklenia: poderiam nos dar um tempo para reunir essas informações 

Ethan (capitão inimigo): claro, damos até 1 dia, mas aceitamos se forem enviados aos poucos, não podendo sair da nossa supervisão 

Lider: tudo bem, thau 

A chamada se encerra

Militar 1:ainda bem que não é a marinha toda

Lider: vocês poderiam enviar né? 

Ramon: isso é decisão dos nossos superiores, não temos essa hierarquia 

Jeklenia recebe a ligação pedindo aonde devem atacar, então o líder indica quais navios são os inimigos pela imagem de satélite 

Jeklenia: ótimo, agora que está marcado eu mando –pega o celular e envia a informação 

Lider: qual é essa arma que vai ser usada? 

Jeklenia: é um missil que enviará as Pokebolas para aqui e então os pokémons sairão de lá e atacarão 

O celular liga de novo e ela atende

–enviaremos as informações, porém, contendo um vírus brabo para ferrar com os computadores deles, e então mísseis com meteoros do espaço 

Jeklenia: ótimo, primeiro o diálogo para evitar o conflito

Ramon: vamos pegar nossos disparadores de Pokebolas para acertar no navio 

Os aliens vão para a cama pegar essas armas

Logo depois, o capitão inicia chamada com o capitao estrangeiro

Ethan: que bom, decidiram passar as informações, agora, entraremos em supervisao militar a esses aliens, não façam nenhuma gracinha, mas porque essas informações estão com outro código? 

Lider: acho que é porque como são de outra tecnologia está em outro código, tentem decodificar 

Ethan: ok, tentaremos fazer isso 

Os inimigos tentavam decifrar o sinal alienígena, enquanto os navios iam indo, todos estavam bem focados na operação 

Inimigo 1: use a informação do idioma caso consigam descriptografar digitalmente 

Devido ao superfoco, eles abaixaram a guarda militar 

No espaço, as naves alienígenas preparavam o ataque militar

Líder alien: alguma ideia de como fazer o ataque? –pergunta a todos daquela reunião 

–eu, mandaremos as Pokebolas em um míssil que chegará em velocidades extremas aos navios, quando estiver perto, dispara as Pokebolas de forma que a velocidade faça ficarem sincronizadas com o chão, então as Pokebolas serão ativadas os liberando, também sugiro envio de mísseis de ataque como reforço

–ok, o envio das tropas foi definido, e como será o plano de ataque? 

–senhor, obtivemos informações referentes aos navios daquele local, posso definir? 

O alien explica o plano de ataque e é aprovado, então ele explica aos pokemons que foram mandados através do portal a mudança de planos apresentando as informações pelo seu computador da nave

–é o seguinte pokeal, vocês devem atacar esses navios–indica os navios ao exército –lembrando que esse navio principal tem uma cápsula de fuga, eles vão sair por essa cápsula, a proteja, abram os furos por esses locais com poderes penetrar os e enviem pokemons pequenos por essas entradas, estes são os pontos fracos dos navios–aponta os locais de cada um–tentem primeiro incapacitar as armas, depois, incapacitem os militares, tentem não os matar, mas de jeito nenhum, matem este capitão –indica ele na apresentação–levem ele até uma ilha e utilizem uma câmera para obter a confissão de que ele planejava destruir os alienígenas, nossos aliens da nova Zelândia foram sequestrados após a apresentação, usem pokemons elétricos para causar curto circuito nos cumputadores deles que ficam aqui, basicamente muitas coisas precisam desses computadores para funcionar, abram o buraco na afiação–mostra aonde fica o circuito elétrico–mandem um pokemon elétrico lá, vocês serão Atacados por projéteis perfurantes ou explosivos, usem movimentos de escudo ou evasiva, agora sobre os tipo fogo, vocês devem superaquecer o motor, ataquem na parte de cima, aonde pouca água é lançada, os tipo noturno podem escurecer o ambiente para camuflar o pessoal, esse é o mapa de dentro do navio, podem dizer mais técnicas pensadas

Então a galera se comunica entre si para formar técnicas para a batalha naval

Quebra de tempo, envio das tropas, 1 hora depois 

As Pokebolas são colocadas em um míssil supersônico, formando um cinturão, cada pokebola foi colocada em um disparador com amortecimento, e então foi disparado para a terra

O míssil ao chegar perto da água seguiu a trajetória pelo satélite, passando a 1 metro do nível do mar

Ao chegar perto, o satélite detecta algo vindo, as armas autônomas tentam disparar, porém estavam viradas para o navio que estava sendo perseguidos o míssil consegue chegar no meio da formação e dispara as Pokebolas, liberando o exército de 12 gyarados, 3 pikachus 7 raichus, 5 espeon, 2 flareon, 8 charizards, 2 umbreon, 4 shynter, 8 dragonites, 2 lucarios, 9 lapras, 11 floatzel, 9 golbats, 9

Scythers, 7 wartortles, 4 inteleons

–exército mobilizado– diz o alien vendo a operação 

–vamos ter provas concretas daqui para casos criminais pela gravação do satélite –comenta uma alie

Charizard 1: ataquem os inimigos–diz no idioma pokemon

Os pokemons entram em formação, e assim atacam os 3 primeiros navios inimigos, estando na vantagem de que os inimigos estavam dentro do navio e não fora controlando as armas, os pokémons aquáticos entram na água e imobilizam os inimigos disparando contra as hélices dos navios, os navios foram feitos para lutarem contra outros navios e aviões, não contra pokemons, tendo assim as armas de alto calibre uma desvantagem devido à rapidez dos pokemons, os inimigos parar de decifrar a mensagem e passaram a pegar as mãos em armas, dentro dos navios operando pelos computadores 

Lider: hora da fuga– aproveitem esse momento para fugir, e não esqueçam de disparar 

Jeklenia: capitão, primeiro precisamos disparar nossos pokemons aos navios inimigos

Lider: tudo bem, faça 

Jeklenia e Ramon pegam suas armas e disparam os pokémons aos dois navios inimigos que estavam camperando nos pokemons, para assim combater o fogo

Os pokemons em questão, são, 2 delphox, 4 lucarios, 2 mienshao e 2 zeraoras que iriam utilizar nas apresentações por serem semelhantes aos humanos em formato físico, antropomorficos, 

Ao bater no metal do navio, os pokémons saem das Pokebolas e destroem a porta, matando todos que veem pelo caminho, zeraora fazia seu trabalho incapacitado computadores com sua eletricidade 

Quando os navios começaram a correr, imediatamente os 2 navios não imobilizados começaram a perseguir, separando a batalha em duas com o afastamentos das zonas de fogo

Na primeira zona, ao leste, os pokemons tinham a vantagem da sua maleabilidade, os torpedos foram feitos para atingirem submarinos, que não conseguem contorcer o corpo, além dos psiqcos que criavam campos de força, aquáticos criavam ondas que atrapalhavam a mira dos navios

A cada navio destruído, usavam seus destroços como escudos

Alternativos

As armas automáticas não estavam programadas para atirarem em pokemons, rapidamente, um militar inimigo que se acha esperto colocou imagens de pokemons da Internet na inteligência artificial das armas e pediu para ligarem assim, ao ligar, descobriram que alguns pokemons eram ilusões, as balas atravessavam a imagem, quando os pokémons percebem isso, criam mais imagens com seus poderes de distorção de ondas eletromagnéticas, seu funcionamento é criar um campo magnético que distorça a luz ao redor para formar uma imagem, estas imagens não ter poder bélico, apenas distrativos 

Lucario : humanos de merda, somos superiores, vou vinga-lo –diz com raiva encima de um cadáver de um delphox fazendo o gesto de supremacista, a mão fechada com o dedo polegar entre os outros com o braço erguido 

Zeraora: não leve seus sentimentos para o campo de batalha, vamos tomar esse navio–diz deserguendo a mão 

Lucario: agora que você fudeu os circuitos com seu choque?, já era– diz raivoso com o acontecimento 

Zeraora: usa o raciocínio seu irritado o eu serei o fuzivel, uso meus poderes elétricos para controlar a carga da bateria e vocês controlam o navio 

Mienshao: isso, ao ataque

Zeraora pega dois fios de energia, ligados nos seus ouvidos segurados pelas mãos, mienshao liga a carga e então ele inicia o processo, os pokémons iniciam o controle daquele navio, ao ligar os computadores, vão no programa de controle da Embarcação, e então iniciam a ida, 

Usando as câmeras, iniciam a navegação

Lucario: vamos mostrar quem é que manda– diz arregalando os olhos e presscionando visivelmente a mandíbula 

Mienshao no controle das armas, alinha com os navios inimigos e inicia os disparos em movimento, tentando acertar os navios inimigos que estavam atacando os pokémons ao leste

Na batalha ao leste, os pokémons estavam tendo muitas baixas, finalmente conseguiram se adaptar ao estilo de luta

O capitão inimigo estava em um convés, desesperado

Ethan: algum plano de fuga, socorro–diz apertando seus militares no desespero quase chorando 

Inimigo 5: temos um submarino, vamos

Quando ele iria começar a descer, um destroço é arremessado por telecinese no vidro, quase acertando os militares, mas esse destroço trancou a porta pela detormaçao, os militares em meio aos destroços do vidro, são atingidos por gás sonífero de uma bomba e desmaiam, um pidgeot tranca a respiração ao entrar o agarra e leva até a ilha voltando a respirar

Pidgeot: pegamos o capitão, vou levá-lo a ilha 

Charizard: vocês manjam

Dentro de um navio navio da zona leste, foi descoberto um armazém repleto de armas

Floatzel 1: olha oque temos aqui, armas, alguma ideia 

Espeon: vou usar essas armas com os meus poderes de telecinese, vou flutua-las e dispara-las

No armazém, havia 8 metralhadoras, 4 bazucas, uma caixa de munição, 6 pistolas e 3 fuzis 

Floatzel: corre que vamos ser afundados–disse ao sentir o som e tremor dos disparos


Enquanto isso no campo oeste, os navios inimigos focam nos navios leves e os destroem, isso enquanto o navio principal está com suas armas divididas nos dois navios

Ramon: vamos fugir de cápsula aquática para o Brasil 

Capitão: sim, me acompanhem

Os capitão leva os aliens até a cápsula passando pelo corredor que estremecia com os disparos

Capitão: tem espaço para 3, vamos

O capitão os leva em uma sala

Ele liga a cápsula com a senha e ambos entram, com o capitão no controle, a porta subaquática é aberta e eles saem pelos fundos aquáticos indo na direção 

Ramon: espero que eles não tenham algum submarino

Infelizmente havia, um militar escapou da destruição do navio e foi

Perseguir o pessoal

Inimigo 20: fogo neles– diz do submarino, oque não faz sentido, fogo dentro da água

Um projétil perfurante propulsionado é disparado, porém, um gyarados come o projétil na dentada e ainda imobilizada o submarino com sua calda

–venham atacar esse verme–fala na sua língua dentro da água 

Outros pokemons disparam raios que enfraquecem a blindagem inimiga até se tornar penetravel e assim causar enchente dentro do submarino 

Eles ficam sem saber de nada e continuam o percurso como se nada tivesse acontecido

A batalha ainda está continuando, os navios inimigos destroem o navio principal aliado a custa de ficar com pouco HP

Inimigo 40: inimigo destruído, e agora? 

Inimigo 41: senhor, um navio aliado nosso foi tomado e está vindo na nossa direção 

O navio inimigo da outra leva de pokemons foi tomado em mais tempo e decidiram atacar os inimigos do leste

Inimigo 40: fogo em caso de fogo

O navio dispara, levando aquele a afundar e o próximo dispara

Já preparado, os canhões de trás também disparam naquele o afundando 

Mienshao: inimigos destruídos 

No leste, o navio avançava disparando nos inimigos, distraindo assim dos poucos pokemons externos que restaram vivos

Mienshao : que tal colidir neles

Lucario: ótima ideia–ajusta a direção para colidir de frente

Os inimigos dividem o fogo, dando brecha para o avanço direto dos pokemons nos 2 navios restantes, que são neutralizados e a colisão é cancelada

–os mísseis estão prontos para serem disparados, disparar? –pergunta o alien a outra no espaço 

–não precisa, os inimigos foram quase todos destruídos–diz com base nas suas observações 

Voltando a terra, no leste, um navio inimigo foi alvo de um ataque concentrado, o navio capturado concentrou seu disparo neste, enquanto espeon fazia as armas dispararem a munição flutuando ao redor da Embarcação e disparando, quando os tripulantes do último navio restante viram aquele massacre viram aquilo, eles se renderam mostrando uma bandeira branca e saindo com as mãos para cima

Dragonite: o inimigo se rendeu, não disparem

Espeon entrega as armas aos pokemons com sua telecinese, e então sobem no casco daquele navio 

Lucario 1: ótimo que se renderam, os capturem

Os outros pokemons prendem os inimigos com seus corpos, os agarrando pelas costas e colocando fuzil na cabeça 

O navio capturado chega ao lado do ex navio inimigo, e então os pokémons daquele navio pulam de uma Embarcação para outra 

Lucario: somos um exército biobelico–diz mostrando sua ak47– uma arma biológica, somos os super heróis fictícios em forma de animal, e agora, pertencemos ao Brasil–faz uma gestação subjetiva com as mãos–sabe porque pertencemos ao Brasil? –pergunta retóricamente

Inimigo: não senhor

–porque o Brasil foi o único país que aceitou a nossa entrada, e vocês quiseram atrapalhar tudo, filhos da puta, existiu um cara alemão apelidado de bigodudo–diz encostando suas garras da mão esquerdaumas nas outras– ele defendia ser de um raça superior, sabe qual foi o problema, ser uma alegação falsa, contemplem a raça superior de animais, pokemons, os animais comuns não conseguiram eliminar os humanos porque não tem força o suficiente para isso–pega um fuzil e quebra no meio com a força de seus braços, assustando todos os humanos do convés com seu olhar intimidador

Inteleon: quieto seu pedaço de bosta viva–diz o contorcendo ainda mais 

Um vaporeon entrega uma bandeira do Brasil que achou na água e que havia tirado a água com seus poderes 

Lucario: agora vamos cantar o hino do Brasil enquanto queimamos sua bandeira, delphox, fogo– diz segurando a bandeira brasileira 

Ela queima a bandeira dos EUA encontrada no navio enquanto os pokémons cantam com a bandeira do Brasil erguida pelo lucario 


–Ouviram do Ipiranga às margens plácidas

De um povo heróico o brado retumbante,

E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,

Brilhou no céu da Pátria nesse instante,

Se o penhor dessa igualdade

Conseguimos conquistar com braço forte,

Em teu seio, ó, Liberdade,

Desafia o nosso peito a própria morte!

Ó Pátria amada, Idolatrada, Salve! Salve!

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido,

De amor e de esperança à terra desce,

Se em teu formoso céu, risonho e límpido,

A imagem do Cruzeiro resplandece.

Gigante pela própria natureza,

És belo, és forte, impávido colosso,

E o teu futuro espelha essa grandeza.

Terra adorada, Entre outras mil,

És tu, Brasil, Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil,

Pátria amada, Brasil!

Deitado eternamente em berço esplêndido,

Ao som do mar e à luz do céu profundo,

Fulguras, ó Brasil, florão da América,

Iluminado ao sol do novo mundo!

Do que a terra mais garrida

Teus risonhos lindos campos tem mais flores,

"Nossos bosques tem mais vida"

"Nossa vida" no teu seio "mais amores".

Ó Pátria amada, Idolatrada, Salve! Salve!

Brasil, de amor eterno seja símbolo

O lábaro que ostentas estrelado,

E diga o verde-louro dessa flâmula

"Paz no futuro e glória no passado."

Mas se ergues da justiça a clava forte,

Verás que um filho teu não foge à luta,

Nem teme, quem te adora, a própria morte

BRASIL

Deram ênfase às partes relacionadas com a batalha: vida, glória, ao som do mar e a luz do seu profundo, paz no futuro e glória no passado, És belo, és forte, impávido colosso,Se em teu formoso céu, risonho e límpido, sol 

Isso foi uma humilhação trágica aos oficiais estadunidenses, basicamente uma declaração de guerra

Charizard pousa e sugere– vamos fazer churrasco com os cadáveres humanos

Lucario: ótimo, essa batalha me deu fome

Os pokemons comemoram gritando 

–vamos comer gente–diz a maioria do pokeal, com uma parte achando que o gosto não será bom e evitando a comemoração 

Lucario: oque faremos com esses inimigos? 

Lucario: prisioneiros de guerra, isso 

O pokeal com o pessoal rendido entra e os amarra usando as cordas dos botes salva vidas na cozinha

Os corpos são pegos do mar pelos aquáticos e levados por arremesso 

Lá dentro, se cortava as partes, colocava-se sal e ia pro forno 

Floatzel: porque não usa o fogo do teu rabo para cozinhar as pessoas? seu animal! –diz irritado ao charizard com a demora batendo os talheres na mesa

Charizard: esse fogo é fraco, utiliza a mesma energia química que uma vela, inteligência 

Charizard continuava cozinhando, ao preparar a primeira comida, parte da perna, pegou outra perna e disse–vocês disseram bastante fogo nos pokemons nos navios, agora diremos, fogo nos humanos–fala a última frase ligando o fogo

Delphox ao pegar sua parte, se lembra que o lucario não aprendeu o sabre de osso, então ela entrega o fêmur ao lucario e diz–aqui está seu sabre de osso

Dragonite: indo a assuntos sérios, oque faremos com os corpos vivos boiando? 

Floatzel: depois a gente pensa, vamos aproveitar o alimento 

Lucario corta o pênis do humano e coloca no prato da delphox

Lucario: o molho vem dentro 

Zoroark: esses dois não veem a hora de comer sexualmente as pessoas 

Após a pratada, zeraora pega a cabeça crua de um soldado e vai até os computadores, lá ele liga e inicia a chamada com o capitão superior, colocando a cabeça para apenas aparecer na transmissão 

Capitão: conseguiu as informações? 

Zeraora leva a cabeça ao lado, erguida pela sua mão, se revelando, e diz– não– gestuando a mão como se a cabeça fosse ventriluco, e então encerra a chamada

Quebra de tempo: passado 

Aquela batalha naval não iria ficar em segredo por pouco tempo, um avião de passageiros passou na hora que a batalha estava ocorrendo perto do local, quando um muleke avisou, o pessoal começou a gravar, foi pedido para os pilotos continuarem por aquela zona para obterem mais gravações 

–Negado, podemos ser atingidos–diz o piloto e aumenta a velocidade

Continua… 


Notas Finais


Finalmente chegam os pokémons, mas violentamente

A maioria dos autores colocam características humanas em excesso em personagens não humanos, como pokemons por exemplo, eu faço uma diferenciação de humanos e aliens bem definida durante a história

Alguns pokemons dessa história não tem as caracteristas exatamente iguais a franquia original pelo fato de serem uma engenharia biológica reversa, os pokémons ainda se comunicam falando o próprio nome, porém, passam a informação pela frequência sonora

Eu agenolho, fiz todo a capítulo sozinho, infelizmente

Nas séries em geral existe um quadro que se mostra os erros de gravação, não sei como farei aqui nos erros de escrita

Gesto supremacista (não é nazista): https://photos.app.goo.gl/u6Rv7aAHM4hjeuoN7


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...