1. Spirit Fanfics >
  2. Crime da noite (park jimin) >
  3. Rendo-me a você

História Crime da noite (park jimin) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpem qualquer erro,ok? É que não mandei pra beta ainda.

Capítulo 5 - Rendo-me a você


Fanfic / Fanfiction Crime da noite (park jimin) - Capítulo 5 - Rendo-me a você

        [Quebra de tempo 23:00]

[Park jimin POV]

S/n— já lhe disse que não jimin!— digo Prestes a trancar a porta do quarto.

J/m— ok,ok!— se afasta desistindo de por seu estilo galanteador em ação novamente— você é muito profissional e isso de fato não é bom para mim.— senta na beirada da cama um tanto cabisbaixo.


S/n— se eu não fosse uma psicóloga,bem provável que agora eu estivesse lhe consolando, entretanto você é espeto,mas não o bastante para me passar a perna,com essa sua face falsa e sua lábia bem desenvolvida.—fito o moreno que sorri soprado logo negando com a cabeça.


J/m— você é muito esperta,mas….— dá uma pequena pausa— mas,você ainda cairá em minhas armadilhas, apenas com seu próprio psicológico que mesmo negando me deseja mais do que possa imaginar.— riu se estendendo na cama.


S/n— hum!— murmuro incrédula— Boa noite,park jimin.— ironizo logo lacrando a pronta, assim sendo o trancando no ambiente.


J/m— boa noite, bobinha!— riu enquanto retirava seu casaco— se envolver com uma médica? Serio park jimin?— fala a si mesmo— o que eu não faço para sair desse inferno.— retira seus sapatos, então se acomodando na extensa cama— primeiro eu conquisto a garota e depois, é só por o resto de meus planos em prática.

Meu plano é objetivo e de total encenação, entretanto a inteligência e profissionalismo dessa médica me deixa em maus lençóis, todavia nada que eu bom galanteio não resolva. O ponto final de meu plano é basicamente terminar com os dias de glória de meus pais,que por ventura deven estar nesse exato momento a comer lagosta ao molho pardo com minha grana.

Daqui dois meses é a seleção olímpica de seul e,eu é claro não participarei por conta de estar basicamente preso nesse local,no entanto o único modo que tenho de sair e pegar tudo que é meu de volta é com a ajuda daquela garota. Sei que usufruir de alguém inocente não é o mais certo,mas na situação que me encontro, creio que é cada um por sí.

J/m— a pensar de tudo acho que eu realmente desejo sentir o gosto de seus lábios novamente,sei que é muita loucura,no entanto eu realmente gostei do que aconteceu a alguns minutos atrás.— diz a si mesmo— park jimin,park jimin— riu enquanto falava em um Tom baixo— você não poderia estar a relembrar esse tipo de coisa.— leva suas mãos aos seus fios de cabelos, logo os puxando para trás— s/n é apenas mais uma peça pregada por você, em um jogo que está prestes a ser ganho.—diz duas vezes seguidas a mesma frase para que ficasse bem claro a sua pessoa— eu jogo com as peças que me favorecem, e não com o que meu coração diz ser o certo! Eu sou park jimin,eu nunca perco.— levanta começando um exercício de extensão muscular.

O que será de mim se eu porventura viver por definitivo nesse lugar? Minha vida, minha carreira estaria a ir pelo ralo,anos e anos de treino e estudos para nada? Hum! Isso não combina com quem sou,essa frase não se encaixa em meus pensamentos.para mim é ganhar ou ganhar!


      [Dia seguinte 07:00]

[S/n POV]

Acordamos todos cedo por aqui, então antes mesmo do despertador tocar estamos de pé,por conta de diversos paciente idosos que precisam dos medicamentos logo cedo. Kamilly hoje estava completamente histérica por causa do passeio que tem todas as terças feiras,para mim não passava de mais um dia qualquer, entretanto para ela,era como um dia sagrado.

Talvez eu não estivesse nem um pouco empolgada, por ter a obrigação de levar aquele abusado de park jimin junto comigo, pois as regras já dizem:"todos os pacientes deverão sair acompanhados de seus médicos, por conta da vigilância".

S/n— vigilância?—digo incrédula após ver a orientadora dizer diversas baboseiras— Hum,Até parece!— ironizo—com uma rasteira daquele cara eu já Caio dura no chão, com o direito a uma semana de cama.— paro de reclamar quando vejo Kemilly me repreender com o,olhar— que foi? é verdade.


Kemilly— tá,mas não precisa escancarar! Você sabe que é responsável por ele, então tem que arcar com seus deveres.— gesticular.


S/n— olha,estou começando a me arrepender de cuidar daquele… crianção!— cruzo os braços por pensar no que havia acontecido na noite passada.


Kemilly— aliás,por que demorou tanto lá em cima,no terraço?—a questionou ingenuamente.


S/n— EIM?— finjo não entender— olha!— aponto para frente— já está na hora de irmos ao passeio. 


Kemilly— ah,sim, verdade!— fala indo rapidamente a porta prestes a sair.— pera! Você não vai buscar seu paciente?— pergunta ao ver a mesma ao seu lado.


S/n— não, claro que não! Esqueceu? Ele não pode sair.—digo simplista tentando disfarçar minha falta de interesse.


Kemilly— mas... não é isso que a direção da clínica disse.— a repreende— sei que não o suporta,mas você deve o buscar ou arrumará problemas com nossos superiores.— diz enquanto ajudava a senhora de meia idade a passar pela porta.


S/n— Ain!— suspiro sem paciência—superiores, paciente e blá blá blá!— zombei— paciência zero para isso tudo! Que palhaçada.— respiro junto dando meia volta e indo até o extenso corredor onde se encontrava o quarto 304,o que por ventura era de park jimin.

Fito a porta por alguns segundos antes de abri-la,o porque de tal ato? Simples, a vergonha e esse maldito nervosismo, que até mesmo surgiu hoje quando acordei após sonhar com esse, garoto abusado.Não sei o por que de ter logo ele em meu sonho,mas ele estava lá, até lá ele estava para me perturbar. 

S/n— vamos!— sou breve após abrir a porta, entretanto quando presto bem atenção no moreno vejo que se encontrava sem sua camisa,o que por ventura me fez ficar um tanto estranha— bota sua camisa por favor e venha.— retiro meus olhares do mesmo.


J/m— ah,ok! Mas pode olhar meu belo corpo de quiser.— riu.

Não respondo absolutamente nada para que não desse motivos para que a conversa se alongasse.

Encaro jimin por uma segunda vez, após ver que já estava a demorar bastante e assim me dando a visão de seu abdômen ainda descoberto, e lá vendo na região de suas costelas uma grande tatuagem, disfarço novamente após ver que o mesmo estava a me olhar com um sorriso ladinho nos lábios.


S/n— Jimin, vamos!— faço sinal para que viesse.


J/m— eu nem me arrumei direito!— olha seu reflexo no espelho de teto— parece que um trator passou por cima de mim.

S/n— você está lindo, agora vamos.


J/m— sério?— a questionou se aproximando, logo passando pela porta.


S/n— não!— sou breve— olhe bem park jimin, não faça nada de errado,ok? Se comporte, pois a obrigada a cuidar e correr atrás de você sou eu,e o que não quero, é ficar correndo atrás de um homem adulto com mentalidade de criança!— digo seriamente o encarando atentamente.


J/m— está certo doutora!— faz cara feia—mas pensando bem aqui,eu bem que gostaria de ver você correndo a atrás de mim, talvez assim eu estivesse um tempinho a sós com você.—riu— quero lhe mostrar até que ponto vai minha infantilidade.— morde os lábios após fitar o corpo da mesma de cima abaixo— você ainda será minha,nem que seja por uma noite apenas.— leva sua mão até a coxa da menor que se encontrava descoberta— sei que me deseja! Seu corpo lhe faz fracassar quando diz não me desejar,... dentro de você.— diz sua última frase lentamente antes de prensar a mesma contra a parede, fazendo com que seus corpos ficassem extremamente colados.


S/n— você está muito perto. Estou ficando sem ar.—digo com minha respiração descompensada.


J/m— hum! Essa é a intenção.— roça seus lábios aos da mesma ameaçando os beijar— disse a você que seu corpo lhe faz fracassar.—riu ainda frente a frente com a menor— se não recua a meus lábios, é porque os deseja também.— leva sua mão direita até o bumbum da mesma o que a fez arfar— deixe de teatro!—morde os lábios inferiores da mesma— me permita lhe dar o que realmente quer.

O modo que Jimin falava, agia e se movimentava contra meu corpo era como se estivesse a, atiçar meu subconsciente a se render a seus charmes,e o mais frustrante era que eu de fato estava a cair mais uma vez em sua lábia, pois não há como negar...park JIMIN realmente é o homem que me faz querer fraquejar. Seus lábios eram tão atraentes,sua voz soava roupa em meus ouvidos o que me fazia estremecer, seu corpo era desejado pelo meu como nem um outro,seus toques eram inigualáveis...como que eu poderia sequer mentir para mim mesma ao dizer um "eu não quero você, park jimin!" Era de fato algo que eu não diria de modo algum, pois estaria a cometer uma demanda mentira.

S/n— rendição é o que deseja ouvir?— o questiono— ok! Rendo-me a você.

J/m—hm, perfeito!—sorriu ladinho—Mas eu desejo que se rende lá dentro para mim,entre quatro paredes…. doutora.


Notas Finais


Sai ou não sai o hot? Vocês verão como o Jimin pensa? O maluco é tramposo kkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...