História Crime Perfeito ( Segunda Temporada ) - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Chaz Somers, Christian Beadles, Jaden Smith, Justin Bieber, Kim Kardashian, Ryan Butler
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Kim Kardashian, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Ação, Amizade, Comedia, Familia Criminal, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Kim Kardashian, Lauren, Lauren Jauregui, Luta, Romance, Violêcia
Visualizações 44
Palavras 2.895
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sumida estou, mas apareci.
O que estão achando? quero a opinião de vocês assim me dá ideia para contrui o proximo capitulo peço que me ajudem.

Quero muito a amizade de vocês. Então vamos conversar

Capítulo 15 - Grávida?


Fanfic / Fanfiction Crime Perfeito ( Segunda Temporada ) - Capítulo 15 - Grávida?

Fazia dois dias desde a explosão na lanchonete. Ontem começam a tirar o restou da minha lanchonete e hoje queria ir na minha casa, mas estou proibida. Não se sabe se aquele tal Maycon Carlson anda e eu ir para lá poderia ser uma armadilha. Ficar presa na casa do Chris eu não ficaria. Então aproveitei que ele saiu arranjei uma desculpa para os seguranças dele e sair com seu carro. Eu não iria para minha casa, mas precisava sair uma pouco.

Minha comunicação com Justin diminuiu mais ainda. Se o assunto não era as crianças eu evitar o máximo falar com ele e umas das vezes acabei sendo rude até de mais, mas não me culpe já que foi por culpa dele que explodiram minha lanchonete. Tudo por causa dessa merda de vida no crime. Droga! Quando cheguei no centro entrei em algumas lojas e comprei algumas coisas para as crianças. Se tudo desse certo logo iria ver elas. Quando sair da loja sentir uma sensação estranha olhei ao redor e não vi nada de estranho. Entrei no carro e coloquei minha bolsa no banco do carona e seguir meu caminho, mas na primeira cursa que fiz ouvir uma freada de carro em seguida acelerando e foi ai que notei uma BMW preta. Tinha gente me seguindo.

 

Dei uma acelerada e o cara da BMW fez o mesmo seja quem for sabia que já tinha notado que me seguia. Entrei em algumas ruas na tentativa de escapar, mas foi em vão e acabei entrando em ruas desconhecidas. Estou perdida. Com cuidado sem tirar o olho da pista peguei meu celular na bolsa com dificuldade, disquei o número do Chris e ele atendeu no terceiro toque.

 

– Lauren, estou ocupado…

 

– Chris estou sendo seguida.

– O que como assim? Você deveria está…

 

– Eu sair com o seu carro, Chris. Eu não sei onde estou e estão me seguindo. Me ajuda! - Falei em desespero.

 

– Droga! Lauren está sendo seguida. - Ouvi Chris falar. Nessa hora ele estava com eles. - Chaz descobri aonde ela está.

 

– O carro que peguei…

 

– Porsche/Boxster. Por favor, Lauren, cuidado com meu carro.

 

Reviro os olhos.

 

– Chaz, vincula a ligação com todos. - Ouvir Justin falar. - Vamos logo.

 

– Lauren, vira na próxima curva e depois a esquerda. Estamos indo ate você.

 

– Tá bom.

 

Me ajeitei no banco e fui olhar pelo retrovisor, mas tomei um susto ao ver a BMW bem do meu lado. Dei um grito quando o cara sacou sua ama e começou a atirar contra mim. Afundei meu pé no acelerador.

 

– Lauren, você está bem? - Ouvir o Ryan.

 

– Estou!

 

Segurei firme o volante e fiz o que Chris pediu.

 

– É o Maycon Carlson. Eu o vi no volante.

 

– Filha da puta. - Justin falou e não sei porque senti um alívio em ouvir sua voz.

 

A BMW conseguiu me alcançar e dessa vez bateu contra o meu carro. Tentei escapar contra suas investidas, mas estava difícil percebi que com instruções do Chris estava saindo da cidade. Recebi mais alguns tiros e quando seu carro bateu contra o meu mais uma vez acabei perdendo o controle. Prendi minha respiração vendo meu carro capota, eu vi toda a cena. Os gritos dos garotos perguntando por mim foi a pior dor que sentir. Eu estava sem meu cinto de segurança e nada de bom poderia acontecer por causa desses descuido meu. De cabeça pra baixo, com minha cabeça doendo e sentindo dores horríveis sentir meu corpo sendo puxado para fora do carro.

 

– Ei, sua puta! Não inventa em desmaiar agora não. - era voz do Maycon.

 

Olhei para ele. Tinha dois caras no seu lado e um do meu lado que me colocou sentada contra o carro capotado. Esse carro não vai explodir? No carro vi meu celular apenas com a tela rachada. Acabei rindo. Eu toda ferrada e o celular só ficou com a tela rachada?

 

- Bom saber que a puta está de bom humor. Agora quero que me diga sobre os próximos carregamento do seu namorado, aonde ele guarda o porte de armas…

 

– Vai se ferrar. - Tossi. Passei minha mão na boca e não fiquei surpresa por ver tanto sangue. - Não vou dizer nada!

 

– Vai morrer pra proteger?

 

– Pode me matar. Fazer o que quiser! Mas Justin vai te achar, ele vai ter matar e matar o seu chefe. - Falei com toda a raiva que eu carregava. - Você só perdeu seu tempo comigo, idiota!

 

– Sua filha da puta! - Ele gritou.

 

E do nada começaram a troca de tiro deitei no chão. Eu não tinha forças nem mesmo para proteger meu corpo. Ouvir gritos e mais tiros. Quando olhei para o lado vi o corpo de Maycon caindo meu do lado.

 

– Lauren, estamos aqui, aguenta! - Chris se ajoelhou no meu lado e me pegou no colo.

 

A última coisa que vi foi Justin me olhando depois disso tudo ficou escuro. Abrir meus olhos com dificuldade, mas logo reconheci o quarto que estou na casa do Chris. Olhei ao redor e vi Justin na janela. O que ele está fazendo aqui?

 

– Nunca mais fale daquele jeito. - Justin falou sem olhar para mim. Elem estava com os braços cruzados. - Ele podia ter te matado no momento que você pediu.

 

– Justin…

 

– Como eu ia explicar para Cris e Jacob, em? Como explicaria que a mãe deles morreram e não puder fazer nada? - Justin me olhava agora e eu via a raiva, decepção e mágoa no seu olhar. - Eu teria chagado bem antes, mas ele sabia que eu ia. Não era só um carro te seguindo e sim três, Os outros dois carros nos atrasaram. O plano do Maycon era te matar na minha frente e você quis facilitar para ele.

 

Justin bufou e não esperou minha resposta. Ele saiu do quarto batendo a porta. Fechei os olhos revivendo tudo que aconteceu. Eu estava com tanta raiva daquele cara, não vou negar, eu queria que ele me matasse. O que eu tinha na cabeça?

 

– Acho que nunca desejei tanto que você e Justin ficasse bem logo. - Abrir meus olhos vendo Chris se aproximar. - Você teve sorte. O médico disse que você poderia ter morrido por está sem o cinto de segurança. Mas o pior já passou. Agora precisa descansar.

 

– O que estou fazendo da minha vida?

 

– Oi?

 

– Me sinto sem direção. Perdida.

 

– Por que acho que Justin está n meio dessa confusão toda?

 

– Acha que deveríamos volta?

 

– Isso é você que tem que saber, Lauren. Justin te ama, ele já perdeu tantas coisas e pessoas na sua vida que a ideia de ficar sem seus filhos lhe deixa louco. Mas nada muda o fato dele te amar. - Chris sentou do meu lado e segurou minha mão. - Você quer uma vida que Justin não pode ter dar. Até se você namorasse o Chaz poderia ter uma vida fora do crime, mas foi essa vida fez o Justin voltar a viver. O Objetivo dele é cuida das pessoas que ele ama. Festas, mulheres, dinheiro é apenas a consequência disso. Ele é humano como qualquer outro e tem pessoas que conseguem ser pior que por um simples prazer. A vida de vocês não vai ser um conto de fadas. Muitas coisas ainda está para acontecer. Ambos sabem o que já obvio para todos.

 

Nos dias seguintes suas palavras se tornou um mantra para mim. Sem uma decisão, sem ver meus filhos, sem ver Justin… Preciso colocar minha vida nos eixos, mas com medo de piorar as coisas. Ainda sentia dores e curativos por algumas partes do meu corpo. Cheguei desmaiar duas vezes e vomitar.

 

– Você precisa ir no médico.

 

Reviro os olhos e me deito na cama.

 

– Chris, não enche o saco. Eu estou bem.

 

– Eu não considero uma pessoa que anda vomitando bem. - Chris falou pegando o celular. - Vou ligar agora…

 

– Não. Deve ter sido algo que comi.

 

Ele parou para me olhar.

 

– Você transou com o Joe, né?

 

– Christian!

 

– Você usou camisinha, Lauren?!

 

Eu queria rir pelo jeito que ele estava falando comigo. Christian estava todo mandão igual um pai, mas minha preocupação foi bem maior do que a vontade de rir. Sentei na cama e parei para pensar. Quando coloquei a mão no rosto ouvi o Chris bufar.

 

– Não acredito, Lauren.

 

Continuei quieta. Fazia duas semanas que não vejo o Joe, depois da perseguição e acidente de carro resolvi que precisávamos de um tempo. A situação estava fora do controle e eu não podia deixá-lo correr risco e foi uma decisão que não me arrependo. Odeio falar isso, mas não era amor, não da minha parte, era mais atração e mesmo ele sabendo que nossa relação não duraria tanto ele me ajudou muito. Ainda não sabia o que falar e quando a empregado do Chris bateu à porta e avisou que o Justin estava lá em baixo cheguei até ficar meio zonza.

 

– Não sai desse quarto.

 

– Ele não tem nada ver com a minha vida, Christian! - Falei antes que ele saísse do quarto.

 

Nessas duas semanas vi o Justin duas vezes e era melhor não temos nos vistos já que brigamos, como sempre. Chris me olhou tão profundo que abracei meu próprio corpo com medo.

 

– Você vai realmente querer falar para Justin Drew Bieber que você está grávida do Joe, Lauren?

 

– Nem sabemos se estou mesmo.

 

– Justin vai querer saber o porque de você está nesse estado e nem eu e ninguém vai conseguir impedir ele.

 

Olhei para mim mesmo. Não estou nada apresentável e está na cara que não estou bem. Chris saiu do quarto e ali fiquei na espera dele volta, mas acabei dormindo. Quando acordei estava bem melhor e fui tomar um banho. Sair do quarto na procura do Chris, mas acabei encontrando o Chaz.

 

– Oi, minha linda. - Chaz falou me abraçando.

 

– Oi, Chaz. Estava com saudades.

 

Ele sorriu.

 

– Desculpe, Lauren, mas você não é a nunca na minha vida.

 

Fingir estava brava e coloquei a mão no meu peito.

 

– Nossa que cachorro. Achei que você fosse diferente.

 

Rimos do meu pequeno teatro.

 

– Pode subindo lá em cima e colocar sua melhor roupa.

 

– Por que?

 

– Vamos para boate. Justin convocou todo mundo. Uma noite de festa, sem crianças.

 

– Você fala como se tivesse filhos.

 

– Eu crio o de vocês como se fosse os meus. - Ele fingiu esta ofendido.

 

– Chaz, você nunca passou um dia inteiro com as crianças.

 

Ele parou para pensar.

 

– É verdade.

 

Antes que eu pudesse começar o meu discurso falando que não iria. Chris apareceu junto com o Justin e na rapidez que apareci naquela sala, eu desapareci. Não estava muito animada e nem me produzir muito, mas como tinha marcas e alguns curativos optei por roupas que me tampasse mais e fiz uma boa maquiagem para melhorar minha aparência.

 

– Ficamos lá um tempo e voltamos para casa.

 

– Está tudo bem, Chris. Ninguém vai perceber nada. - Falei enquanto Chris dirigia.

 

Quando chegamos boate estava bem cheia como sempre. Fomos para área vip e a todo momento ignorei o olhar do Justin.

 

P.V. ALLY

 

– Gente, o que deu no Justin para convocar todo mundo hoje? - Perguntei.

 

– Jaden falou que ele acordou falando isso. - Ariane falou. - E deixou claro que queria todos aqui.

 

– Será que ele vai anunciar alguma coisa? - Demi peguntou.

 

– Não sei, mas isso é estranho. - Dei um gole na minha bebida e olhei para Lauren. - Amiga, você está bem?

 

Ela suspirou.

 

– Estou.

 

– Não é o que parece. - Demi falou.

 

Lauren não quis falar então não insistimos no assunto. No fim resolvemos ir para multidão dançar um pouco. Entre uma recusa e outra avistei Chaz conversando com uma mulher no bar isso acabou mexendo comigo.

 

– Por que não vai lá falar com ele. - Lauren me abraçou de lado.

 

– Acho que não sou eu que ele quer…

 

– Para com isso, Ally. Ele gosta de você, mas você ficar dificultando as coisas. - Lauren me virou e ficando frente a frente. - Por que?

 

– Eu tenho medo de acabar. - Olho para Chaz no bar.

 

– Acabar algo que você nem deu chance de começar? - Olhei para ela. - Você gosta dele, ele gosta de você e sabemos que ele quer algo sério. Vai ficar ai sofrendo sabendo que podia esta feliz com ele agora?

 

– Você e o Justin…

 

– Justin e eu somos casos diferentes. Cada história uma história e está na hora de você cria a sua.

 

Dei um abraço forte nela e respirei fundo indo em direção ao Chaz. Ele não me daria uma fora, né? Ok, andei vacilando muito com ele. Estou arrependida e quero ele, mas se for tarde de mais? Parei no meio do caminho como se fosse uma estátua. Se eu for lá vou estragar quaisquer coisas que esteja rolando entre eles. Ally, para! Você quero Chaz com VOCÊ!

 

Caminhei em passos firmes na sua direção do Chaz e sentei no espaço vazio na sua esquerda. A maranga que ele conversava animadamente estava sentada no seu lado direito. Eu já sentei colocando a mão no seu ombro.

 

– Oi, Chaz. Eu posso falar com você? - Falei sorridente.

 

Por dentro morrendo de medo dele me dá um fora.

 

– O que quer, Ally?

 

Ué, cadê aquela animação toda que ele tinha com ela?

 

– Eu… Eu quero…

 

– Se for pra rolar e você fica toda arrependida depois, não vai rolar. Cansei, Ally. - Chaz estava sério e chateado. Realmente vacilei.

 

Olhei para garota e ela não estava mais lá.

 

– Desculpa, Chaz. Eu estava com medo.

 

– De que?

 

Respirei fundo e ajeitei meu cabelo.

 

– Eu quero tentar. Se você ainda me quer, eu quero muito algo serio.

 

– Por que agora?

 

– Porque te vi com aquela garota e já fiquei imaginando vocês juntos com família e tudo. Não gostei nadinha, porque ela estaria no meu lugar e esse lugar é meu por direito.

 

Chaz deu um sorriso largo e me abraçou forte antes de me beijar.

 

– Te amo, Ally.

 

P.V. LAUREN FOX

 

Quando Demi e Ariane finalmente desistiram de dançar voltamos para área vip, mas nem cheguei a subir sentir uma tontura e me encostei na parede mais próxima. Respirei fundo e fui melhorando.

 

– Lauren, você está bem?

 

Justin apareceu na minha frente e eu acabei dando um pulinho por ter me assustado. Coloquei a mão contra a boca e xinguei baixo.

 

– Estou bem. - Comecei a me afasta, mas Justin segurou meu braço.

 

– Você está pálida…

 

– Eu estou bem, Justin.

 

Passou alguém por trás de mim e acabou me emburrando pra frente, fazendo Justin e eu fica mais perto. Ele colocou a mão na minha cintura e eu coloquei minhas mãos no seu ombro em busca de equilíbrio.

 

– Não quero ser chato e nem ficar insistindo, mas você não está bem. Me deixa ajudar?

 

Olhei em seus olhos e por mais que eu quisesse resistir desci meu olhar, olhando para sua boca. Fechei meus olhos mordendo meu lábio inferior.

 

– Estou com saudades. - Justin sussurrou no meu ouvido. Senti meu corpo esquentar. - Sinto sua falta. Lauren, eu…

 

– Não acho que você vai continuar assim comigo por muito tempo. - Me afastei dele o suficiente para poder falar olhando em seus olhos.

 

– Lauren…

 

– Talvez nunca mais me queira.

 

– Do que está falando?

 

– Eu acho que estou grávida. - As palavras saíram mais rápido do que queria.

 

Justin deu um passo para trás passando a mão pelo rosto. Ele sabia que as chances do filho ser dele era mínima. Abracei meu próprio corpo desejando ir embora dali. Não comentei nada com as meninas justamente porque não tinha certeza e fala para Justin era a última opção.

 

– Vamos para o escritório. - Ouvir ele dizer antes de começar a me puxar em direção as escadas.

 

Fechei a porta atrás de mim enquanto Justin ia ate a grande janela que dava para as pessoas la embaixo dançando. Justin evitava me olhar e falar. Esquecendo de tudo que passamos nos últimos tempos me sentir mal por ver ele assim. Quem eu quero enganar? Eu o amo.

 

– Ele sabe? - Sua voz saiu baixa.

 

– Eu não falo com Joe ha duas semanas. - Justin me olhou surpreso. - Estamos dando um tempo.

 

Ficando em silêncio por um tempo. Justin caminho pelo escritório ate parar de frente para sua mesa, ele se encostou e cruzou os braços olhando para mim.

 

– Fez o teste?

 

– Não. Eu ainda acho que comi algo que me fez mal, mas Chris acha que não.

 

– Você sabe que meu ódio por esse cara só aumentou, não é?

 

Concordei com a cabeça. Eu ainda estou impressionada em ver ele calmo desse jeito.

 

– Não vai sair quebrando as coisas? Dizer que vai matar ele.

 

Eu achei que assim que Justin soubesse da minha possível gravidez ele mataria o Joe sem pensar duas vezes. Justin sorriu.

– Eu não faço ideia de quanto tempo estamos separados. - Justin me olhou. - Lembro que te odiei tanto, mesmo eu sendo o errado na história. Não me arrendo de ter tirado eles de você, mas eles sentem a sua falta. Eu sinto sua falta. Infelizmente não posso te prometer ser o melhor homem do mundo. Se for preciso tirar eles de você de novo eu vou fazer. - Sentir as minhas lágrimas escorrer. - Eu quero minha família de volta, Lauren e está faltando você.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...