História Criminal - Yoonseok or Sope - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias (G)I-DLE, 4Minute, Bangtan Boys (BTS), Pentagon (PTG), Seventeen
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Min Yoongi (Suga)
Tags Namjin, Romance, Sope, Taekookmin, Yaoi, Yoonseok
Visualizações 68
Palavras 1.757
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiramente, dESCULPA, ESSE CAPÍTULO FICOU ENORME (eu disse que iria fazer um menor, porém, é impossível KK) e aproveitem à leitura, obrigada <3.

Capítulo 6 - Repúdio


Aquele lugar ficou um total silêncio, podia-se ouvir o canto dos pássaros e barulhos estridentes, como copos de vidro batendo um ao outro e sussurros involuntários que eram ditos pelos inúmeros alfas que alí estavam. 

— Jovem mestre, você não vai atrás dele, vai? — proferiu o beta. 

— E eu tenho escolha? — Hoseok esbravejou já saíndo daquele lugar que parecia estar mais podre depois da saída do alfa. 

Jung Hoseok sempre fora um garoto astuto e lépido, ele teria tudo para ser o predileto, o perfeitinho de sua família. Mas, o alfa arruinou tudo quando decidiu seguir seus sonhos e não cumprir o que havia prometido à seus pais. O sonho da família Jung era que o caçula lúpus pudesse realizar tudo que fosse dado à ele. 

O Jung tinha apenas uma tarefa, travar um vínculo forte com uma ômega e assim começar uma nova vida em outro país. Porém, o rapaz queria apenas seguir seu sonho... 

— Yoongi! Santo Deus... Yoongi não vá! — o mais novo proferiu em meio aquela neblina observando o ômega adentrar um de seus inúmeros automóveis. 

O pálido passou seus dentes caninos por toda extensão de seu lábio inferior demonstrando seu comportamento vulnerável diante aquela situação. 

— Oh meu Deus, eu vou morrer. — o menor falou em um tom de voz baixa e em seguida respirou fundo. — H-hoseok, pelo amor, não me mata. 

O baixinho levantou-se do banco aconchegante do automóvel e ficou em pé ao lado do carro. 

— Matar? Eu nunca faria algo assim. Ainda mais com alguém que espera um filho meu. — o alfa disse simplista causando um desconforto ao ômega. 

— Os alfas que estavam naquele estabelecimento me disseram o contrário.

— Não importa o que eles disseram. Você tem maturidade suficiente para saber que não devemos acreditar em estranhos. 

Yoongi içou sua sobrancelha direita "julgando" O lúpus com o olhar. 

— Isso foi ironia? Porque se não foi, puta merda Hoseok, deixa de ser hipócrita. 

— Ironia? Por que algo assim seria ironia? — ele perguntou confuso com à frase do ômega. 

— "Não devemos acreditar em estranhos" Você acreditou que eu não era à porra de um ômega no mísero dia que nós nos conhecemos, sendo que estáva visível que eu era um homem com útero. E mesmo sabendo disso, você entrou dentro de mim! 

Hoseok se sentiu afetado com aquelas palavras. Boa parte era verdade, Yoongi estáva certo. Porque até cego pode ver que o pálido bochechudo não era um beta. 

— M-mas, eu não tive culpa, eu caí nos seus encantos, poxa. E também, o seu rabinho e suas orelhinhas não estavam à mostra... E queria o que? Eu sou um animal, cacete. — o mais novo proferiu tentando fazer com que o seu hyung saísse culpado. 

— Ah, não venha com esses argumentos inválidos para cima de mim. Eu posso ser à porra de um ômega indefeso, mas, eu não sou imbecíl. — Yoongi aproximou-se de Hoseok e o olhou diretamente nos olhos. 

— Vamos ser francos, estamos parecendo dois adolescentes sem maturidade alguma. 

O pálido aflou as bochechas e sentiu como se seu coração tivesse parado por alguns segundos. Ele não queria discordar mas também não queria concordar. 

— Eu concordo; e também, eu admito, minha mente estáva sóbria quando eu estáva contigo naquela noite. Mas, não totalmente. Eu tentei me segurar, todavia, nada funcionava... 

Yoongi proferiu com á maior serenidade existente em seu corpo. O ômega não estava arrependido de nada que havia feito com aquele paspalho à sua frente, ele só está confuso com o que irá acontecer daqui pra frente. 

— Eu lhe entendo. — aquela voz de Hoseok era totalmente diferente do seu tom de voz normal. Aquela voz, aquele tom de voz, aquilo tudo está sendo confortante demais. 

— Hã? Você entende? 

— Claro, você é diferente... — o pálido estáva esperando algo do tipo "você é diferente dos outros" Mas acabou sendo o oposto. — O meu alfa adora o cheiro de hortelã que seu ômega produz. — o baixinho ficou com as bochechas rubras após o mais novo terminar de proferir à frase. 

— A-adora? 

— Ele também adora sua bundinha. — o Jung disse em um tom brincalhão. 

— Ei! — o mais velho surrou o peito de Hoseok. — Não é necessário citar a minha bunda nessa conversa. 

— É claro que é... Enfim, desculpa por tudo que eu fiz, desculpa por colocar um espermatozóide em você. 

— Não precisa se desculpar por nada, alfa idiota... — o baixinho sorriu ladino. 

— A-ha! J-jovem... Mestre! — acabará de proferir um beta de fios escuros que havia chegado alí. Jeongguk apoiou-se no teto do automóvel e tentou respirar normalmente. — Eaí pirralho safado, já contou pra ele? 

— Contou o quê? — Hoseok questionou o tal Jeon. — Yoongi, você tinha algo para me falar... Não tinha? 

— A-ah, sabe? Vamos embora, eu falo depois. — Yoongi deu as costas para Hoseok tentando adentrar o automóvel, mas, para impedir, o lúpus puxou o braço esquerdo do garoto para si, e trouxe junto o menor para si. 

Os dois ficaram com os corpos grudados um ao outro causando desconforto ao Jeongguk, que estáva parado ali. 

— Bem, eu vou ficar no carro, caso ALGUÉM precise de mim. — Jeongguk falou dando ênfase em "alguém" E em seguida deu um jeito de desaparecer. 

— Yoongi... Eu sei que nós nos conhecemos à pouco tempo, mas, confie em mim, o que aconteceu? Você só veio aqui para me falar algo, certo? 

— É que... Eu não sei se irá ser preciso. — o pálido engoliu seco sentindo sua garganta arder. — Tudo bem, isso não tem nada haver contigo, então... É, meu pai praticamente me vendeu para um alfa bem sucedido... 

— Hum. — o maior abriu um sorriso mas logo o desfez quando percebeu à gravidade da situação. — Espera, isso não é brincadeira? 

— Não. Por um acaso eu seria louco de inventar algo assim? — o pálido proferiu enquanto cruzava os braços. — Não responda, pelo amor... 

— Então quer dizer que o seu pai lhe vendeu para um alfa velho e milionário? Ah. 

— Sim, meu pai certamente me vê como um animalzinho criado para reproduzir. Eu sou um ômega raro, e até hoje eu não entendo o motivo de ser assim... Meu papaizinho querido certamente esqueceu que à merda do filho dele não é a porra de um objeto sexual. 

— Eu tenho permissão para assassinar seu pai? 

— O que? Não! Claro que não, você está doente ou algo assim?! 

— Mas... É à única opção. 

— E o pior de tudo é que o alfa que me "comprou" Quer que eu esteja com ele até o final desse ano, caso contrário, meu pai será preso injustamente. — Yoongi mordeu à pele de seu lábio inferior e ficou inquieto. 

— Não... Puta que pariu, Yoongi, você não vai com ele né? Nós, sim, nós iremos ter um filho, Yoongi... Eu não quero que essa criança cresça sem o auxílio do verdadeiro pai dele. E, você tem dó do seu pai? Yoongi? O seu pai é um lixo. 

— E-eu... Que papo é esse? Agora você quer cuidar dessa criança, você foi praticamente obrigado à me aceitar na sua casa. E você poderia muito bem ter dito um simples não quando eu me ofereci para morar contigo. 

— Você me chantageou, e aliás, eu não iria deixar um ômega grávido por aí com todos os meus segredos em sua mente. 

— Ah, então quer dizer que você só não me expulsou porque eu sei todos os seus podres? Você tem medo de ser exposto na mídia, ser exposto na Ásia inteira? — o ômega berrou na bela face do lúpus. 

— Exatamente. Yoongi, você acertou. 

— Tá, tá. Nós nunca iríamos dar certo mesmo, nem se nós dois quiséssemos. 

— Concordo plenamente, você é um ômega muito mal e idiota para o meu gosto, sem nenhum instinto maternal. 

— Maternal o caralho, eu sou homem porra, não mulher. Hoseok... E-eu, eu quero sumir da sua vida. Mas... 

— Mas o quê? 

— Eu não posso, eu não quero que o MEU filho fique longe do pai dele... Os ômegas precisam do pai dos filhotes perto de si, esse é um dos motivos mais idiotas e clichês existentes, porém, eu não tenho culpa. Você não serve para ser alfa, J-hope. 

Por algum motivo aquela última frase afetou o psicológico de Jung. O lúpus não conseguia mais sentir onde estáva. Sua mente foi automáticamente direcionada para lembranças horríveis de seu passado. 

O sentimento de melancolia invadia o corpo do alfa, tudo ao seu redor parecia desaparecer em instantes. 

[...]

Flashback

"Hoseok estáva no auge de seus quinze anos, sua adolescência não estáva sendo normal igual à de outros alfas. O lúpus só pensava em se afundar nos estudos e dançar, simplesmente dançar... 

— Oh, céus, hope, seu sonho é incrível... Eu adoraria lhe ajudar à abrir uma academia focada apenas na arte da dança. — à garota de fios escuros proferiu abrindo um sorriso de orelha à orelha em seguida. — Seu comportamento é diferente. Você não é igual aos outros... Você é realmente um alfa. — após terminar de falar á morena se jogou nos braços do garoto. 

O mais novo enrubesceu ao ouvir o comentário da mais velha. 

O Jung achava que à mais velha era sua alma gêmea. Os dois sempre andavam juntos, mas, se o Hoseok soubesse à verdadeira intensão maléfica da ômega, ele nunca iria deixar que à garota entrasse em sua vida. 

[...]

— Ele fez o quê?! — gritou o senhor Jung – vulgo o pai de Hoseok.

— E-ele me forçou à fazer um vínculo com ele. — à jovem de cabelos negros proferiu em um tom falho enquanto suas lágrimas de crocodilo caíam por toda extensão de suas bochechas.

— Eu não acredito nisso, Jung Hoseok. — o mais velho virou-se na direção de seu filho. Ele o encarou com menosprezo causando sensações estranhas ao coração do mais novo. — Você foi mesmo capaz disto? Que podridão é está que habita seu cérebro? Você nem deveria ser considerado meu filho... Você não serve para ser alfa, Jung Hoseok. — o homem proferiu alto e claro para seu filho enquanto negava com a cabeça. E logo atrás de si estáva ela, à ômega que se dizia estar apaixonada por Hoseok, ela estáva rindo e humilhando o garoto sem sequer falar nada."





Notas Finais


Ok, eu não sei o porquê de eu não ter gostado desse capítulo... Minha mente não aceita, KK. Esse capítulo não é necessário para história, porém, também não é desnecessário. 'GrRrR; espero que alguém tenha gostado dessa coisa, bem é isso – capítulo não revisado – aAAAA desculpe os erros ortográficos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...