História Criminal - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Karin, Madara Uchiha, Menma Uzumaki, Naruto Uzumaki, Obito Uchiha (Tobi), Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shisui Uchiha, Temari
Visualizações 110
Palavras 2.232
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Literatura Feminina, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei amores

Capítulo 24 - Traição


Fanfic / Fanfiction Criminal - Capítulo 24 - Traição

Capitulo 24 - traição 

 

 


Por Sakura Haruno 

 

 


Acordei mais cedo limpei a casa, lavei as roupas, fiz a lista que precisava comprar no mercado e sai antes do almoço. 

Depois de tudo feito geladeira e armários cheios me arrumei pro trabalho, hoje ficaria até mais tarde. Infelizmente o céu estava trovejando, provavelmente vai cair uma tempestade.

Estava com saudades do meu moreno sinto tão sozinha sem ele. Falamos pouco por telefone, o mesmo se encontrava na maior parte do tempo ocupado, trocávamos mensagens de manhã e à noite ligava contando do seu dia. A conexão que temos é... não sei explicar, coisa de outro mundo. 

 

 


[...]

 

 


Preparava os equipamentos para a última aula do dia. Enchia a garrafa quando meu chefe me abordou com aquele sorriso presunçoso, não supor ele.

— Ocorreu um imprevisto com a minha esposa, fecha a academia - estende a chave - só tem você e o último aluno. 
— Tá - digo sem ânimo e pego a chave da mão dele. 

Coloco no bolso traseiro e fecho a garrafa. Entrei na sala vendo o ruivo colocar a faixa nas mãos. 

— Pronto ? - questiono.
— Sempre professora - sorri de canto. 

Começamos com defesas de faca depois arma. Sasori estava se saindo quase perfeito nas aulas, interagia bem e parecia levar tudo na "esportiva", não sei ele aparenta conhecer tudo. Pode ser apenas coisa da minha cabeça...

— Levanta esse braço pra proteger - corrijo - quando eu atacar assim - demonstro - você pega no meu pulso e gira colocando nas minhas costas. 
— Ok.

O ataco e ele defende rapidamente, passou meu braço pra trás apertando meu pulso, colou nossos corpos. Podia sentir sua respiração no meu pescoço provocando arrepios. 

Do nada escutamos um trovão e tudo apagar. 

— Merda - reclamo. 

Ele me solta. Não consigo ver nada, estico o braço pra frente tocando no seu peito.

— Vamos pegar meu celular pra usar a lanterna - fala. 
— Tudo bem. 

A sensação de não ver nada era horrível, por sorte Sasori era mais esperto e agiu. Pegou na minha mão e me puxou até não sei aonde já que não tenho noção de espaço. 

Fez alguns barulhos mexendo na bolsa e do nada acende a tela do aparelho. Fomos até a minha pegando o meu celular. 

— Vou ver se consigo abrir a porta. 

Fomos até a entrada da academia e mesmo com a chave não conseguia abrir. 

— Merda - bato no vidro - e agora ? 
— Será que tem gerador ? 
— Boa ideia, deve ter lá trás onde fica os equipamentos quebrados.

No corredor do primeiro andar tinha a sala dos instrutores e a do dono, aonde fica a caixa de luz. O ruivo me acompanhou até o escritório, a porta estava trancada e as chaves que o idiota do meu chefe deu abria ela. 

O quadro de energia que tinha não mostrava nada de um gerador.

— E agora ? 
— Vai lá pros fundo enquanto eu tento pedir ajuda - diz preocupado.
— Tudo bem - me preparo pra ir mas ele me segura.
— Leva o meu celular o seu tá com trinta porcento de bateria - estende o seu aparelho. 
— Tem razão - pego da sua mão e dou o meu pra ele. 

Fui pra sala dos fundos estava tudo sujo e bagunçado seria difícil achar alguma coisa ali. Demoraria um tempo considerável.

 

 

Por Sasuke Uchiha 

 

 

A semana aqui foi divertida fazia tempo que não viajava pra outro estado e esse não é qualquer outro estado, simplesmente o melhor Las Vegas fica na Califórnia aonde passei uma boa parte da minha adolescência já que meu pai tinha negócios aqui. 

Consegui fechar com o vendedor do cassino, nada que alguns quilos de cocaina e heroína não mude ideias. Bom ainda tinha a reformar e uns negócios pendentes. 

 

 

[...]

 

 

Cheguei no hotel cansado depois de um dia dando sorrisos falsos pra conseguir alguns velhos como amigos. Ainda tinha um jogo de pôquer marcado pra mais tarde e quem sabe novos negociantes. 

Tomei banho, fiz a barba e ponho black tie smoking com camisa branca e gravata borboleta. Passei perfume e coloquei meu relógio dei uma rápida arrumada no cabelo e fui embora. 

O jogo ia ser no cassino do hotel que estava hospedado, era até mais fácil pra eles. Fui revistado na entrada e sem nada pude entrar.

— Boa noite senhores - dou um sorriso casual e sou correspondido com um aceno de cabeça. 

Por reflexo olho rápido pro bar vejo uma mulher de costas pra mim, fico analisando por alguns minutos e pareço conhecer. Caminhei até ela fiz um sinal pro barista pedindo meu whisky. 

— Sasuke ? - reconheço na mesma hora. 
— Shion - fico surpreso. 

Ela pulou no meu pescoço e eu a abracei com força, seu perfume era o mesmo da última vez. 

— Quanto tempo - a solto analisando dos a cabeça - sempre linda. 
— Digo o mesmo - toca no meu rosto - prefiro com barba - ri fraco - tô com saudade - desvia o olhar.
— É bom te ver loirinha - ponho seu cabelo pra trás - parece anos...
— Pois é. - fica tímida - Bom o jogo já vai começar e sabe que sou ótima no pôquer - passa a mão no meu peito e sobe pra gravata ajeitando.
— Digo o mesmo - tiro suas mãos pegando elas. 

Minha bebida chegou junto com a dela, se afastou indo pra mesa e eu logo atras. 

Tenho uma história com essa mulher não é a das melhores porém foi algo único. Shion e eu namoramos por 4 anos e durante esse tempo tivemos muitas idas e vindas, quando achávamos que iria acabar de vez aparecia alguma festa e ficávamos mais uma vez, ela esteve do meu lado quando mais precisei e eu a deixei ir. Depois da morte da minha mãe entrei em luto de uma forma que não conseguia sair de jeito nenhum, Shion esteve lá todos os dias me ajudando mesmo sendo um filha da puta. Via ela entrar no mesmo buraco que eu e pra afastá-lá de mim a trai com sua irmã depois nunca mais nos vimos. 

Eu assumo que o que fiz foi errado mas era melhor do que vê-la igual a mim. Foi a única namorada que minha mãe aprovou e gostava mais do que as outras noras, eu e meu bom gosto na hora de escolher namoradas. 

Voltando ao pôquer estava perdendo feio, Shion ganhava todas e suas comemorações agradava os velhos nojentos. Estava contado os minutos pra acabar logo. 

— Royal Flush - abaixo as cartas. 
— Joga tão bem quanto seu pai - o senhor Torres gargalha tossindo rouco.
— Obrigado - viro o restante da bebida. 

O jogo foi indo deixando eles ganharem conseguia elevar o ego deles. Já se passava das sete horas e tinha que ligar pra Sakura antes que fosse dormir.

— Por hoje é só - levanto fechando os botões - tenho que fazer uma ligação pessoal.
— Tudo bem, nos vemos amanhã pra assinar o contrato.

Dei um sorriso de canto pra ela e recebi um maior. 

Acenei com a cabeça e sai da sala de jogos. Peguei o elevador pensando em como ela tinha mudado ficou mais madura, não sei tem algo diferente nela. 

 Cheguei no quarto desfiz a gravata e abri dois botões podendo respirar aliviado. Fiz as contas e lá deveria ser umas dez da noite pelo fuso horário de três horas. 

 

 


LIGAÇÃO ON:

 


_ Amor, tudo bem ?
_ Quem fala ? - era uma voz masculina.
_ Eu que pergunto, quem tá com o celular da minha namorada ? - questiono irritado.
_ A Sakura tá no banho e parabéns pela namorada ela é gostosa pra caralho - da uma risada carregada de malícia.
_ Como é ? 
_ Quer que eu passe pra ela ? 

 

 

LIGAÇÃO OF:

 

 


Não podia ser verdade ela jamais faria isso comigo, eu a conheço. Ou faria ? Tudo está tão confuso...

Andava de um lado pro outro irritado pisando forte e louco pra descarregar a arma na cabeça daquele filha da puta que ousou por a mão no que é meu. 

Peguei o vaso da cômoda arremesso na parede fazendo se partir em pedaço, gritei pondo toda a raiva pra fora. Sentei na cama respirando ofegante quando escuto alguém bater na porta. 

Abro e vejo quem pensaria não ver tão cedo.

— Deixou sua carteira cair - levanta e balança - tá tudo bem ? 
— Não - a olho e vejo uma oportunidade de esquecer o que acabou de acontecer - quer entrar ? 

Não respondeu passou por mim e viu o que tinha acontecido no chão.

— Sasu... - não a deixei terminar avancei em seus lábios. 

Precionei seu corpo contra a parede, passei a mão da sua coxa subindo até suas costas. Shion apertava minha nuca aprofundando mais o beijo deixando mais selvagem. Apertei seu seio sentindo um plástico.

— O que é ? - questiono me afastando um pouco.
— Quer um pouco ? - sorri mordendo o lábio. 
— Quero - tudo que eu mais preciso é ficar chapado.

A loira tirou o saquinho e tinha dois já prontos, tirei do bolso o isqueiro e acendi. Deu uma longa tragada depois pois na minha boca. 

Fazia tempo que não sentia essa sensação, a leveza e o sentimento de relaxamento era ótimo. 

Peguei da sua mão o beck dando mais dois puxes fortes, conseguia sentir fazer efeito.

— Essa é das boas - ri baixo - tira a roupa. 

Sentei no sofá com as pernas separadas assistindo-a tirar o vestido e soltar o cabelo. Sentou sobre mim e me deu um beijo calmo mordendo meu lábio. 

— Hoje você é só meu - sussurra sensual.

Apertei sua bunda arrancando um suspiro seu, coloco o beck entre seus lábios e ela puxa forte. Deixei a erva de lado e dei atenção a seus seios enormes. 

 

 

 

Por Sakura Haruno 

 

 


Depois de tanto procurar não achei nenhum gerador passaríamos a noite ali ou até a luz voltar. 

Sasori batia na porta e pedia socorro mas não tinha nenhuma alma perdida naquele lugar. 

Deitamos no chão usando nossos moletons como travesseiros. Olhei pro relógio do celular dele e vendo o horário Sasuke provavelmente tinha me ligado. 

— Alguém me ligou ? - pergunto pra ele.
— Não, já desligou o aparelho - estende pra mim.
— Que merda - reclamo - meu dia não poderia estar pior. 
— Estar comigo é tão ruim assim ? - se mostra ofendido.
— Não, as circunstâncias sim - viro a cabeça olhando melhor.
— Tem razão. 

Ficamos nos encarando por breves segundos até eu virar a cabeça pra cima quebrando o contato visual. 

— Então Sakura, qual é seu maior sonho ? - puxa assunto. 
— São muitos, no momento é me casar - digo sincera. 

Como disse são muitos, o principal é subir de patente mas isso não posso contar e sobre me casar é um sonho desde pequena, cresci vendo meus pais apaixonados e sempre quis ser amada daquele jeito. 

— Tem pretendentes ? 

Fico em silêncio. Sasuke não é a opção mais viável no momento, porém se não fosse a missão eu acredito que sim, ele seria um ótimo pretende nos entendemos bem e fico confortável ao seu lado. 

— Não tem então ? - supõem.
— Eu até tenho, mas não sei se ele pensa em casamento também - ri fraco.
— Acho que estar com você não tem como não pensar em casar - pareceu dizer a verdade. 
— Obrigada - sorrio. 

Espero que Sasuke pense o mesmo. Mesmo estando fazendo tudo pela missão eu realmente estou me apaixonando por ele e vou ficar abalada quando tudo acabar. 

Esses últimos meses com os Uchiha foram incríveis mesmo quando ele levou o tiro ou quando descobrimos quem é a verdadeira família da Temari, tudo valeu a pena isso eu garanto. 

Ficamos conversando sobre coisas aleatórias, contando sobre nossas experiências com viagens e passeios. Sasori me fazia rir até dar aquela dorzinha na barriga, ele era um cara ótimo pra conversar nem percebi o tempo passar estando ali deitada no chão da academia. 

— Eu amo pizza de brócolis com queijo branco.
— Eca - dou um soco fraco no seu braço.
— Cala boca primeiro tem que comer - fico deitada de lado olhando ele melhor - vou te levar um dia pra comer.
— Combinado - sorri de canto.

De repente a luz voltou. 

— Ai meu Deus obrigada - levanto animada - estou morta de fome. 
— Quer ir comer em algum lugar ?
— Preciso ir pra casa, mas agradeço o convite - sorrio gentil.

Peguei minhas coisas e ele as dele fomos cada um pra sua casa. 

— Obrigado por ter ficado comigo. 
— Eu que agradeço, foi até que legal ficar presa com você - dou uma risada fraca e ele me acompanha. 
— Concordo - me dá um beijo na bochecha e sai dando alguns passos pra trás. 

Era tarde provavelmente Sasuke deveria estar jantando com algum velho mafioso. 

Cheguei em casa tomei um bom banho quente e fui preparar a janta. Depois de alimentada e com o celular carregado liguei pra ele. 

 

 


LIGAÇÃO ON: 

 

 

_ Amor, desculpa por não ter ligado antes fiquei presa na academia...
_ Quem tá falando ? - era a voz de uma mulher. 
_ Eu que pergunto, cadê o Sasuke ? 
_ Ele entrou no banho agora, você é quem ? 

 

 


LIGAÇÃO OF: 

 


O celular escorrega da minha orelha, cai sentada no chão sem acreditar no que estava acontecendo. Ele me traiu ? 

 


Notas Finais


Comentem por favor e favoritem ❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...