1. Spirit Fanfics >
  2. Criminal >
  3. Eu odeio esse cara.

História Criminal - Capítulo 2


Escrita por: suchamess

Notas do Autor


Olha quem voltei. Gostaria de agradecer a todo mundo que tem dado uma chance a Criminal. O começo vai parecer um tanto lento mas é de suma importância pro decorrer da história.
Deixo vocês com mais um capítulo.

Capítulo 2 - Eu odeio esse cara.


  Capítulo 2 – Eu odeio esse cara.

 

Sehun passou boa parte da manhã reclamando sobre ter acordado cedo demais. Não conseguia esconder seu desconforto pela maneira que fora acordado e pela quinta vez só àquela hora, estava reclamando pra Chanyeol sobre Junmyeon.

— Cara, não aguento mais o Junmyeon querendo dar um de minha mãe versão com bolas. Ele me deixa puto e isso é toda manhã. Eu preciso dar um jeito na minha vida antes que ele comece com aquela palhaçada de impressões com um ômega.

 

O Park riu. Sehun era o tipo de alfa que não ligava e nem acreditava em nenhuma das tradições alfa/ômega e tampouco as tradições beta. Na verdade, Sehun só queria terminar logo o ensino médio, ainda tinha aquele ano e mais um pela frente e já não aguentava mais. Depois que o pai foi embora, praticamente entregou toda a vontade que tinha, o Sr Oh era sua maior inspiração pra quando fosse um alfa mais velho.

— Você já parou pra pensar que tá igual um beta antes do período de cio? Só que isso dura desde sempre?

 

Diferente de ômega e alfas que tinham seus períodos, betas não eram afetados pelos hormônios, mas ficavam irritados sempre que precisavam passar pela rotina.

 

Chanyeol provocou sabendo que como sempre, ele morderia a isca. Pra sua maior surpresa, ele não só mordeu a isca como ficou ainda mais puto.

— Tomara que a gente não caia em times adversários senão eu vou te quebrar de porrada, Park Chanyeol bundão.

Os dois riram e a conversa só não se prolongou porque o sinal bateu, anunciando o intervalo esperado da aula.

Sehun estava pronto pra sair da sala quando o professor o chamou.

— Sehun, pode esperar um momento? Eu tenho uma palavrinha para falar com você. Prometo que não vou demorar.

Chanyeol saiu dizendo pra ele não demorar e que esperava próximo da quadra.

 

Sehun se aproximou e o professor entregou algumas apostilas e um trabalho que precisava ser entregue na próxima semana.

— Não sei o que está acontecendo, mas espero que você dê o seu melhor nesse trabalho e me entregue daqui a uma semana. Se não puder me entregar, vou precisar falar com a sua mãe, Oh Sehun.

— Não vai ser necessário, professor. Eu lhe entregarei o trabalho. Posso ir agora?

 

Sehun saiu da sala tão puto que nem conseguiu reclamar. Naquele dia tudo podia dar errado e aparentemente estava dando. Quase dobrando o corredor, seu olfato foi aguçado por um cheiro estranho. Sehun não se atentou ao cheiro que sentia, só quando se aproximou o suficiente do aroma que sentia que se deu conta do que era. O cheiro que estava sentindo era cheiro de sexo.

 

Alfas e ômegas exalavam cheiros conforme suas próprias emoções e também quando tinham relações sexuais. O cheiro no cio se tornava insuportável de tão forte, mas em outras situações os aromas também eram capturados. Se aproximou sorrateiramente, ocultando o próprio cheiro e só conseguiu arquear as sobrancelhas ao ver quem era.

A reação de Sehun foi pegar o celular e registrar o momento, não teria como perder uma chance daquela.

Com muita sorte, conseguiu sair dali sem que fosse visto. Assim que desceu as escadas e avistou Chanyeol, o mais velho entendeu que algo tinha acontecido.

O alfa maior arrastou Sehun dos olhares que pairavam sobre os dois e fez de conta que iriam pra cantina.

— Desembucha, Sehun. Que merda aconteceu lá?

Sehun riu e ajeitou os cabelos, os dentes perfeitamente alinhados à mostra.

— Primeiro você me paga um salgado que eu te conto o que aconteceu.


 

Junmyeon chegou na empresa onde estagiava, decidido a mudar o rumo da história do irmão. Não se importava com classificações. Sehun era um alfa perdido e ele como irmão mais velho, temia pelo pior. Tinha cogitado conversar com o namorado, pra descobrir se contratavam pessoas mais novas por ali. O receio de trazer o irmão pra perto e acabar perdendo a bolsa fez com que Junmyeon suspirasse alto demais.

— Eu vejo a fumacinha daqui Junmy.

Junmyeon riu mais pelo comentário do namorado, estava tão absorto nos próprios pensamentos que se deixou levar pela preocupação. Aproveitou a pausa do café e abraçou Yixing com força, encostando a testa no ombro dele. Recebeu um afago nas costas, o alfa sempre amparava o beta com muita gentileza e  cuidados.

— É o Sehun de novo, amor?

Junmyeon o encarou um pouco hesitante, mas essa conversa sempre acontecia, pelo menos uma vez por semana era certo de falarem do alfa da família Oh.

— É, pra variar. Já não bastasse eu ter que estudar e trabalhar, ainda tenho que cuidar do idiota do Sehun. Queria até conversar com a sua amiga lá do rh, mas tô com medo dele me trazer problema e eu perder meu estágio pela irresponsabilidade dele.

 

Yixing tranquilizou o namorado e prometeu que pensariam em algo juntos. Tudo o que não precisava era deixar a cabeça do beta ainda mais cheia de preocupações. Até o fim do dia, passaria onde precisava pra que pudessem ajudar Oh Sehun.

 

— Ta aí, seu salgado e agora me conta o que o professor queria. Que merda que você arrumou dessa vez?

Chanyeol estava de pé, os braços cruzados demonstrando sua impaciência. Sehun por sua vez, demorava a mastigar de propósito, só pra irritar o melhor amigo.

Chanyeol pegou o suco dele e ameaçou beber, o que só serviu pra Sehun rir um pouco mais e acabar se rendendo.

— Ok, ok. Você venceu. O professor só me passou um trabalho pra entregar na semana que vem.

Chanyeol encarou Sehun com uma indignação estampada no rosto, as sobrancelhas franzidas demonstrando que ele não acreditava que era só aquilo.

— Você demorou esse tempo todo pra me falar isso? Qual é, Sehun. Que merda você tava fazendo?

 

O Oh acabou de comer e suspirou, lembrando que teria um exercício pra fazer e entregar na próxima semana. Se levantou, encarando o Park e descansou a mão sobre o ombro dele, a diferença mesmo que pequena de altura entre os dois ficando menos evidente com a aproximação.

— Eu fiz merda né, Chanyeol. O professor me chamou pra entregar um trabalho e eu preciso fazer isso, do contrário ele vai querer falar com a minha mãe. E você sabe muito bem que a senhora Goeun Oh não vai querer conversar comigo.

 

Chanyeol o encarou direto nos olhos, a vantagem de ser um alfa possibilitava vantagens pela proximidade com alguém. E ele sabia que ainda faltava uma outra informação. Segurou o rosto de Sehun com as duas mãos e os olhos cintilaram num vermelho alfa.

— É melhor você abrir a boca antes que eu arranque o que eu quero saber daí, seu merdinha.

Sehun estava com um bico nos lábios, impossibilitado de responder. Não que precisasse usar a voz de alfa ou aquela — em suas palavras — presepada toda que o Park costumava fazer quando queria algo.

 

— Nós estamos no colégio ainda. Guardem esses hormônios pra um momento mais oportuno e um local apropriado.

A voz de Yifan interrompeu o momento dos dois. Chanyeol rosnou, soltando Sehun. Foi pra cima dele, encarando o outro alfa que rosnou de volta quando estavam a centímetros de distância um do outro. Sehun sabia que Chanyeol apesar da calma aparente não ia deixar pra lá.

Uma roda de alunos se formou em volta dos dois alfas que se encaravam como se fossem cair no soco a qualquer momento.

Foi Siwon, o professor de educação física que veio apaziguar os ânimos dos alfas.

— É muito boa a demonstração de vocês, mas eu quero todo mundo pra quadra. Chanyeol e Yifan, vocês começam com vinte voltas ao redor da quadra pra aquecimento. E se eu ouvir qualquer reclamação, o time de vocês vai ser penalizado igualmente.

 

Sob protestos, o restante dos alunos foi pra quadra acompanhar os dois líderes correr pela quadra. Os dois alfas tinham vinte corridas a mais além dos outros, por isso começaram primeiro. Sehun viu nos olhos de Chanyeol aquele brilho de competitividade que ele só via em momentos específicos. E o que quer que o professor planejasse como atividade pra aquele dia, Chanyeol não aceitava perder, não pra Yifan.

 

O exercício daquele dia seria futebol. Não que Chanyeol fosse fã do esporte, mas era bom no que fazia. Se exercitava bastante e sempre que podia, praticava algo. Era bom pra extravasar a raiva, pra manter a forma. E especialmente mirar no gol pra ganhar vantagens contra o time adversário.

Yifan não estava jogando limpo apesar do placar que o deixava em desvantagem. Chanyeol tinha marcado três gols e era questão de honra finalizar a última aula esfregando na cara daquele alfa enrustido que ele era o melhor. Sim, o Park era competitivo até o último fio de cabelo e devido a provocação que começou cedo, precisava mais do que nunca colocar aquele fodido no seu devido lugar.

O Park já tinha relaxado uns 50% a tensão inicial e faltavam apenas 15 minutos pro fim do jogo. Yifan veio a toda velocidade, dando um carrinho em Sehun que não tinha se envolvido na briga dos dois. Sehun caiu gritando de dor e isso bastou pra que Chanyeol viesse correndo. O Oh levantou com o braço deslocado e ainda assim a ira o tomou. Em meio a dor que sentia, acabou indo pra cima de Yifan, empurrando o mais velho pra trás.

— Além de se agarrar pelos lugares escuros da escola, agora você é um babaca covarde de merda. Uma porra de um bissexual enrustido que não tem nem a decência de assumir que gosta de homens e mulheres. Some da minha frente, Wu Yifan. Eu aposto que você não vai querer se meter comigo.

 

Sehun vociferou e Siwon veio apartar qualquer possibilidade de briga. Chanyeol se preocupava mais em levar o melhor amigo pra enfermaria. Sehun estava tomado pela raiva, mas provavelmente não demoraria pra perceber a dor.

 

O professor liberou o restante dos alunos pro banho e encaminhou Sehun pra enfermaria. Yifan estava prestes a abrir a boca mas não teve chance de dizer nada. O professor fez um gesto pra que não tentasse nada.

— Você está suspenso, Yifan. Pegue suas coisas e vá direto na direção.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...