História Criminal Bitch - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Cara Delevingne, Hailey Rhode Baldwin, Justin Bieber, Madison Beer, Martin Garrix, Ryan Butler, Vanessa Hudgens
Personagens Justin Bieber, Madison Beer
Tags Drama, Justin Bieber, Romance
Visualizações 14
Palavras 1.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Obsession


"Everywhere that i go                                                                                                                                                                                                      I see your face and it kills me to know  
        that you'll never know what you did to me"
    -I don't even know your name

              §§§

 

Kendall se aproxima de mim e de Rudy e segura meu braço.

-Vamos? Já está tarde.-ela diz me puxando do banco, olho para Rudy e ele sorri.

-Acho melhor você ir, se cuida.- Rudy fala calmamente se aproximando de mim

-É, acho melhor eu ir mesmo...-olho para Kendall impaciente.

Resolvo finalmente ir junto com Kendall quando percebo que alguém me segura pelo outro braço, Rudy. Quando me viro para trás ele me puxa e aproxima seus lábios à minha orelha.

-Não vai me passar seu número?- ele cochicha e então beija meu pescoço.
Solto meu outro braço rapidamente de Kendall, Rudy para de beijar meu pescoço e me entrega seu celular, onde anoto meu número.

-Feliz?-Digo e ele volta a beijar meu pescoço, dessa vez mais intensamente.

-Muito...- Ele se afasta de mim sorrindo e fico paralisada por alguns instantes.

Vejo Kendall já do outro lado da pista fazendo movimentos com as mãos para que eu vá logo.

Tiro os saltos e dou uma leve corrida até o outro lado da pista onde Kendall e as meninas estão.

-Que merda! Não consigo chamar um Uber!- Ashley fala cambaleando

-Ótimo!-Bella fala cruzndo os braços.
Tudo que eu mais queria, ir para casa andando no meio da noite e sem poder me defender, fantástico!

-Vamos logo.-calço meus saltos novamente e puxo o braço de Kendall nos levando até a saída.

                                                                 ***

Saio do banho com a toalha na cabeça segurando meus cabelos encharcados de se chocarem com minhas costas expostas pelo pijama, ainda não entend...

-Maaad.-Bella grita entrando em meu quarto- Acho melhor você ir atender a porta, parece que algum admirador seu resolveu passar aqui...

Bufo.

Quem poderia ser? Desço as escadas correndo e caminho lentamente até a porta, que já está aberta. Um papel, provavelmente rasgado de algum caderno, está literalmente jogado no chão.

"Ele pode pagar sua bebida mas quem irá te ter na palma da mão sou eu.

                                                                                   D."

 

Quem diabos é 'D'? Essa era a única coisa que eu conseguia pensar no momento.
Isso não tem nexo. Com toda certeza não tinha sido Rudy, mas então quem seria? "Te ter na palma da mão" não sei explicar exatamente o porque mas essa frase me dava arrepios.

Preferi não comentar com as meninas sobre isso, apenas subi para meu quarto e dormi.

                                                                             ***

 

-É melhor trancar a porta da próxima vez que for dormir, nesse mundo existem pessoas com intenções muito ruins, amor.- Uma voz familiar diz fastando o cabelo da minha face com suas mãos frias.- Mas você sabe que estou aqui para te ajudar, não sabe?- Abro meus olhos e seu olhar frio se choca ao meu, eu o reconhecia-o de algum lugar...

Me viro em busca dos meus óculos para ter uma visão mais clara, quando estou prestes a me virar sinto suas mãos frias passarem pela minha nuca.

-É melhor se deitar novamente, você não vai querer se lembrar disso amanhã, afinal. você já sabe o que vai acontecer, não sabe?- foram as últimas palavras que ouvi antes de cair no sono novamente.

Não sabe?

não sabe?

Não sei.

                                                                                    ***

 

Acordo com o som de gritos. Elem vêm do quarto de Kendall. Não, não, não. Em um piscar de olhos vou para seu quarto que é apenas a alguns passos do meu.

-O que aconteceu?- grito desesperada

 Kendall se vira para mim com uma cara de choro e então volta a chorar.

-Kenny, o que aconteceu?- falo pausadamente, ela apenas ignora- Eu simplesmente não sou nenhum tipo de vidente, se você puder falar o que está acontecendo...-continua sem me responder- Fica aí chorando então, ingrata!

Me viro e quando estou quase chegando ao meu quarto escuto

-Grossa!- ela fala entre uma lágrima e outra- Madison eu fiz uma coisa, uma coisa muito ruim...

Volto para se quarto e a encaro.

-Não sei nemcomo te contar isso, eu só... Deixa quieto, você nunca entenderia.- ela diz limpando suas lágrimas.

-Ken, eu não vou te julgar, afinal, su eu quem mato pessoas aqui, aposto que você tenha feito algo pior do que isso.

-Você matou pessoas que não deveriam estar nesse mundo.-eu não deveria estar nesse mundo também, apenas concordo com a cabeça- Eu..- e ela volta a chorar, novamente.

Apenas suspiro e a abraço, é a melhor coisa que eu poderia fazer agora.

-Eu não matei alguém, eu matei o alguém.

                                                                 ***

Decidi ir a uma loja de conveniências comprar alguns doces para Kendall, ela não estava bem, e nem iria melhorar tão cedo, também não iria falar.

Eu apenas ia tentar deixar ela mais confortável e menos depressiva.

Quando eu estava saindo da loja, algum desajeitado esbarrou em mim.

-Cuidado, eu não sou invisível.- cuspi as palavras sarcasticamente.

-Acho que estou ouvindo vozes...- o "desajeitado' se vira para mim com um sorriso tímido e eu o reconheço...

É o mesmo homem que estava me encarando enquanto falava no telefone no dia anterior, estranho.

Reviro os olhos e ele continua.

-Eu acho que já nos vimos antes... ou melhor, você me viu antes!- babaca

-Eu não teria certeza disso...- falo tentando sair e ele bloqueia a passagem.

-Mas eu tenho...-Me observa com um olhar frio-Não seria você a garota que fica encarando os outros enquanto eles estão no telefone?-ele abre um sorriso malicioso ainda com seus olhos frios voltados aos meus.

-Eu acho que você me confundiu com outra pessoa...-falo passando por baixo de seus braços e achando a saída da loja- Adeus estranho!

-Até logo stalker!

Stalker? Eu? Ha ha ha acho que ele está confundindo as pessoas, aliás é ele que fica me encarando em qualquer lugar que estou. Estranho.

Mas aquele olhar, eu reconheço de algum lugar... Aquele olhar gélido que faria qualquer um fugir, ah sim, esse olhar... Tenho certeza que já vi esse olhar mais perto...

                                                                                               ***

 

Chego em casa e Kendall está dormindo, de novo...

Meu celular vibra no bolso e tenho uma mensagem nova.

"Espero que já não tenha se esquecido de mim, Rudy"

Sorrio, salvo o número e respondo imediatamente.

"Acho que você não vai se livrar de mim tão cedo, melhor já ir se acostumando baby"

Todas as meninas saíram, ótimo, só eu e a morta no sofá, opa, Kendall.

"Planos para hoje à noite?"

Rudy me manda, eu definitivamente não estou no clima de sair, mas acho que até seria bom, Kendall precisa de um tempo sozinha quando acordar.

"Na verdade não, surpreenda-me"

A campainha toca no instante seguinte em que respondo Rudy.

-Acho que agora você tem planos...-Rudy estava parado do outro lado da porta com um cigarro entre seus lábios-Vamos?

Eu não faço a mínima ideia de como eleconseguiu meu endereço mas apenas sorri.

-Vamos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...