História Criminal (Britney Spears) - Bakudeku - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou
Visualizações 94
Palavras 1.276
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Lemon, LGBT, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu tive essa ideia de "uma música uma história" e achei interessante. Aqui está a primeira one shot desse tipo.

Vejo você lá em baixo =D

Capítulo 1 - Capítulo único



Midoriya andava impaciente em seu quarto, vagando em seus próprios pensamentos, extremamente entretido com o fato de um certo loiro não sair de sua cabeça.

- Você está fazendo da minha vida um inferno Bakugou... - Disse Midoriya dando um logo suspiro. - Não posso negar que gostei de cada segundo que passamos juntos, mas sua mania de sumir de vista e sempre aparecer com problemas não é muito agradável.

Dito isso, flashes da noite anterior passaram na cabeça de Midoriya. Flashes extremamente constrangedores e íntimos diga-se de passagem.

[...]

- Tem certeza de que quer fazer isso aqui? - Perguntou Deku levemente aflito com a situação.

- Eu não tenho hora nem lugar para querer te foder até dizer chega. - Respondeu Bakugou indiferente.

- Ba-bakugou! Não fale esse tipo de coisa em voz alta! É constrangedor...

Então, o loiro se aproxima lentamente do ouvido de Midoriya e diz em um sussurro:

- Esse era o intuito.

Com essa fala cada centímetro do corpo de Deku já estava devidamente arrepiado, aguardando pelas carícias que sempre chegavam após os sussurros. E como esperado, Bakugou desce sua boca até a clavícula do menor e dá uma leve mordida, ganhando um gemido tímido como aprovação. Encorajado pelas mãos de Deku, que percorriam as costas do maior, Bakugou decide aprofundar o contato, retirando sua camisa enquanto Midoriya retirava a sua.

Com ambos sem camisa, o loiro desce sua boca até os mamilos do esverdeado, lambendo e mordendo-os, recebendo cada vez mais gemidos, agora mais descarados, de Deku.

- Acho que já está na hora de darmos algum prazer de verdade a ambos, não é mesmo? - Disse Bakugou descendo as calças de Midoriya, fazendo seu membro já ereto saltar dentro de suas roupas íntimas. - É exatamente disso que eu estava falando.

[...]

"Pare de pensar nessas indecências", reprendeu-se Midoriya mentalmente, mesmo tendo uma súbta vontade de reviver os ocorridos da noite anterior.

Em meio aos seus devaneios, o esverdeado recebe um mensagem em seu celular. Era Bakugou.

"Venha no nosso lugar. Tenho um plano."

[...]

A cada fala do maior, Deku ficava mais constrangido, pondo suas mãos na frente de seu rosto, tentando esconde-lo do outro.

- Ei, coloque suas mãos para o lado. Quero ver cada expressão de prazer que vou te dar.

- O-ok, eu acho...

Logo após a retirada das mãos, Bakugou lambe toda a extensão do membro de Midoriya por cima de sua roupa íntima, recebendo um gemido arrastado e um arfar de costas do pequeno.

- Ah! Ba-bakugou!

- O que foi verdinho? Quer que eu faça o que com isso aqui? - Diz o loiro pondo a ponta de seu indicador na glande do outro.

- M-me chupa...

- Dessa vez vou acatar seu pedido, mas só dessa vez.

Após essa fala, o maior retira a roupa restante do menor e abocanha seu membro.

- Hmm! Cacete! - Geme Deku em êxtase.

Após saborear a expressão no rosto do outro, Bakugou começa a subir e descer com sua boca no membro de Midoriya, recebendo cada vez mais gemidos em resposta. Então, depois de algum tempo fazendo movimentos de sobe e desce, ele rapidamente tira o falo do menor do sua boca e chupa três de seus próprios dedos.

Quando o esverdeado abre seus olhos por sentir falta da boca do loiro, ele engole em seco ao ver os dedos na boca do outro.

- Espero que esteja preparado. - Fala Bakugou.

- Não estou, mas vai. - Diz Deku com a voz tremula.

[...]

- É sério que você some para depois me dizer que estava planejando um roubo?

- Exato - Disse o loiro indiferente.

- Haja paciência com você!

- De qualquer modo, vai ser hoje a noite, esteja pronto.

[...]

Recebendo a aprovação necessária, o maior posiciona dois de seus dedos na entrada do menor. Então ele abocanha o membro do outro novamente e inseri os dois dedos dentro do mesmo.

- Hmf! - O que poderia ser um grande gemido, foi abafado por Midoriya, mordendo seu lábio inferior.

Logo o loiro começou os movimentos de vai em vem, sincronizando sua boca e seus dedos, dando um prazer imenso ao esverdeado, que agarrava o colchão e curvava suas costas envolto em luxúria.

- Ba- bakugou, e-eu vou... - Ao ouvir essa frase o maior para completamente o que estava fazendo, recendo um gemido de desaprovação do menor ao sentir um vazio em seu baixo ventre.

- Agora EU vou me divertir muito com você verdinho! - Disse o loiro retirando toda a sua roupa restante, revelando seu membro grande e latejante. - Eu vou te foder até te deixar sem andar!

[...]

- MÃOS PARA CIMA! É UM ASSALTO! - Exclamou Bakugou entrando no banco com seu revólver a postos. - Se ninguém se mexer, ninguém se machuca! Verde! Vá para o cofre dos fundos pegar o dinheiro.

- É para já! - Respondeu o menor indo até o balcão  dos atendentes. - Agora, qual de vocês tem as chaves do cofre hein? - Perguntou casualmente apontando sua arma para os funcionários.

Não houve resposta.

- EI! Eu perguntei quem tem as...

BANG

[...]

Deku sentiu o membro do outro em sua entrada, fazendo uma leve pressão.

- Pode ir. - Disse Midoriya mesmo sem estar realmente pronto.

Ouvindo a resposta do menor, Bakugou penetrou-o com toda a extensão de seu falo, fazendo o outro deixar algumas lágrimas saírem, junto a alguns gemidos de dor.

Para o loiro, desde o primeiro movimento isso já era o paraíso, para Deku, era apenas dor. Ainda...

Após alguns movimentos sutis de vai e vem, Midoryia mexe seu corpo por conta própria, indicando que o outro podia continuar.

- Você que pediu por isso verdinho! - Dito isso, Bakugou começa a acelerar gradativamente seus movimentos de vai e vem, intensificando o prazer para ambos.

-Ahh! Vai, me fode Bakugou!

Com essa fala de Midoryia o outro se excitou ainda mais, se é que isso era possível, aumentando mais a velocidade.

- B-ba-bakugou! Eu vou - Sem ter tempo de terminar a frase, ambos se desfazem. Deku em seu próprio abdômen, e Bakugou dentro do menor.

Com as respirações aceleradas, os amantes se separam e deitam lado a lado na cama.

- Uf! Isso que é foda!

- Shh Bakugou. Vamos só dormir juntos. - Repondeu Midorya encostando sua cabeça no peitoral do maior.

- He he, pode ser também.

- Boa noite Kaachan.

- Boa noite verdinho.

[...]

Bakugou estava sentado em um bar qualquer da cidade, bebendo e chorando. Chorando sobre o sangue de seu amado que sujava suas mãos.

Enquanto ele se lamentava sobre seus pecados e arrependimentos, um garçom foi em direção ao mesmo.

- Vou te chamar um táxi, você não está nem um pouco bem. - Disse ele claramente preocupado com o outro.

Bakugou apenas contentou-se em acenar minimamente com a cabeça, em sinal de aprovação.

Ao entrar no táxi ele dá o destino errado ao motorista. O lugar era a casa da mãe de Midoriya.

Chegando lá, ele apenas deixa um bilhete em sua porta dizendo: "Sinto muito mas ele não vai voltar. É culpa minha."

Após deixar ele apenas anda sem rumo pelas ruas da cidade em busca de consolo. Para tentar alcançar esse objetivo ele decide voltar ao mesmo banco em que tudo aconteceu.

Ele entra no estabelecimento, anda até a mancha avermelhada no chão, saca sua arma e termina sua dor.

Mesmo tendo a mais pura certeza de que o lugar em que ele iria parar era diferente do que o do namorado, ele não se importava com isso. Ele não se importava com nada além do outro.

Morrer não parecia assustador.


Notas Finais


Espero que não tenha sido uma merda, e que quem quer que esteja lendo isso tenho entendido a minha ideia.

Bjs e até a próxima história <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...