História Criminal Love - Capítulo 54


Escrita por:

Postado
Categorias Barbara Palvin, Cara Delevingne, One Direction, Phoebe Tonkin
Tags Criminal
Visualizações 122
Palavras 2.101
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Luta, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amores, passando pra avisar que teremos apenas mais dois ou três capítulos. Ainda não decidi.

Boa Leitura
&
Beijos

Eu quero comentários!
DEZ É A META DESSE CAPÍTULO. E EU TENTO VOLTAR AMANHÃ.

Capítulo 54 - What About Us


Fanfic / Fanfiction Criminal Love - Capítulo 54 - What About Us

 

 

 

 E quanto a nós?

 

E quanto as vezes em que você disse ter as respostas?

 

E quanto a nós?

 

E quanto a todos os felizes para sempre quebrados

 

E quanto a nós?

 

E quanto a todos os planos que acabaram em desastres?

 

E o amor?

 

E a confiança?

 

E quanto a nós?

 

Pink - What About Us

 

 

 

P.O.V Harry

 

-Celular desligado!_Falo e respiro fundo pra não fazer nenhuma besteira, eu tenho que pensar, não posso agir por impulso é a vida dela que está em risco.

 

-Você acha que Styles realmente fez isso?_Damon pergunta, aparentemente confuso.

 

-Claro que fez, quem outro faria? _Hayley fala como se fosse óbvio.

 

-Eu vou até lá._Falo e pego minhas chaves.

 

-O que?_Emilly quase grita. - Você não pode sair, está uma tempestade lá fora, além de que não sabemos o que nos espera quando sairmos.

 

-Katherine está desaparecida.Eu sinceramente não vou ficar aqui esperando, enquanto ela pode está sofrendo lá fora.

 

-Se você sair agora,pode não voltar. Espera Niall fazer contato com Styles._Ela tenta me convencer, mas eu não caio.

 

Meu coração batia rapidamente, o desespero tomava conta do meu corpo, e o medo de acontece algo com ela também.

 

-Não tente me convencer._Falo e tento sair. Mas Spencer aparece com Lucy no colo, minha menina estava chorando alto, e todo vermelha.

 

-Ela não se cala._Spencer fala, e antes mesmo de eu dizer alguma coisa, Lucy se joga pra cima de mim.

 

-Hey bebê, tá tudo bem._Falo, mas ela não se cala.

 

Balanço ela em meus braços, e ando pra lá e pra cá, aos poucos ela vai se acalmando.

 

-Eu não posso ficar aqui, eu preciso ir, Lucy precisa da mãe dela._Falo e Hayley se levanta de onde estava sentada e brinca com o anjinho que está em meus braços. Aos poucos Lucy se solta e começar a rir, depois com cuidado Hayley a pega.

 

-Prometo voltar logo._Falo e beijo a testa de Lucy.

 

-Cuidado._Hayley fala e eu concordo.

 

-Leva pelo menos alguns seguranças com você. _Emilly fala.

 

-Pode chamar alguns. _Falo pra ver se assim ela fica mais calma.

 

Pego armas, balas, facas e tudo mais.

 

Quando desço as escadas dou de cara com Jane, franzo as sobrancelhas, me perguntando o que ela está fazendo aqui.

 

-Quem é ela?_Hayley fala enquanto balança, Lucy.

 

-O mais próximo que sua sobrinha tem de avó. Me dar ela._Hayley recua, e me olho. Eu balanço a cabeça em forma de sim.

 

-Como...

 

-Tenho meus contatos._Ela diz e eu a olho desconfiado.

 

-Você sabe demais pra ser só uma velha cuidadora de crianças. _Louis fala.

 

-E você...

 

-Chega, Jane como diabos soube do sumiço da Katherine.

 

-Matt; um dos seus seguranças me ligou, somos amigos, e eu pedi a ela pra me contar tudo relacionado a Kate.

 

-Bando de fofoqueiro._Murmuro.

 

-Preciso de uma bolsa, com tudo que seja necessário pra Lucy._Ela diz e eu encaro ela, tentando não soar grosseiro.

 

-Aonde diabos você pensa que vai levar minha filha?_Não deu muito certo.

 

-Eu cheguei agora e vi o inferno que está caindo lá fora. E também sei que só está começando.

 

-O que você quer dizer, com inferno lá fora? _Hayley pergunta.

 

-Carros andando de um lado pro outro, pessoas, armas, traficantes, trovoadas, sangue. Você realmente quer deixar uma criança que não tem nem um ano no meio disso?

 

-Spencer vai com você._Falo e me aproximo. - Eu tô confiando a vida da minha filha à você. Não me desaponte.

 

-Acredite, eu amo essa criança, daria minha vida por ela.

 

-Eu acho bom, porque se acontecer algo com ela eu te mato. E você sabe do que eu sou capaz.

 

-Não tente me colocar medo seu moleque, já vi muita coisa nessa vida, pra ficar amedrontada só com sua ameaças.

 

-Você pode ter visto tudo, mas ainda não viu do que eu sou capaz quando tocam nela._Falo e ela respira fundo.

 

-Eu aviso quando estiver em um lugar seguro e principalmente longe daqui.

 

P.O.V Katherine

 

-Merda!_Falo ao abrir os olhos e ver aonde estou.

 

Era no porão da casa, daqui não se escutava nada que acontecia lá em cima, e vice-versa.

 

Estava escuro, e se eu me lembro bem a luz fica no quanto, do lado esquerdo. Vou andando, topando em tudo que tem pela frente.

 

-Merda do caralho!_Xingo, depois de muito tentar eu acho e acendo a luz, fraca e que estava preste a queimar.

 

-Ótimo, Daniel Marshall. Muito obrigada.

 

Respiro fundo e tento pensar em algo que me faça sair daqui, me aproximo da porta e coloco o ouvido na porta, na tentativa falha de escutar alguma coisa.

 

Bufo e saio dali, o porão estava diferente, havia mais caixas. E muito mais bagunça. Lembro-me que todo sábado eu arruma e limpava isso daqui, pelo visto isso daqui não ver uma vassoura à meses.

 

Me aproximo daquelas caixas, e começo a mecher, na tentativa de achar algo que me ajude a sair daqui.

 

-Fotos, e mais fotos.

 

Mexo em todas, mas nada acho além de fotos minhas quando crianças, e tralhas velhas.

 

Quando passo o olhar pelo cômodo novamente, vejo uma caixa, diferente das outras, ela estava lacrada e meio que escondida.

 

Me abaixo, e com minhas unhas mesmo eu abro a caixa.

 

Se eu não tivesse prestado bastante atenção deixaria passar um grande e importante detalhe.

 

Na caixa tinha um nome!

 

Chel

 

Assim que abro, vejo fotos de uma mulher, olhos azuis, cabelos castanhos, muito bonita, devia ter uns vinte anos por aí. Depois, fotos de criança, vejo também cartas, e bilhetes. Me pergunto quem seria essa Chel, e o qual sua importância na vida do meu pai.

 

Continuo mexendo, e após as fotos, bilhetes e cartas, vejo documentos, nomes de pessoas, idade, sexo, e ao que se parece o dia que morreram.

 

Entre esses documentos; tinha um que levava o nome da minha mãe, o dia que ela tinha morrido, a hora, como, e tudo mais. Junto com esse documento tinha outro, de nome, Chelsea.

 

Eu não abri e li,porque outra coisa chamou mais minha atenção, era uma planta de uma casa, da casa de Harry.

 

Junto com isso tinha outras coisas, mas o que mais me chamou atenção foi o jornal de quase quatro anos atrás.

 

"1, de janeiro, de 2015"

 

 

"Guerra, Sangue e Trovoadas"

 

Eu não pude ler, pois os pensamentos me invadiram. Meu pai não podia está participando do plano de Styles. Ele não faria isso comigo, ele não....

 

Sim,Katherine ele faria.

 

Levo a mão a boca, aparentemente chocada com isso.

 

Meu pai era aliado de Styles, e só Deus sabe o que fariam agora.

 

-Eu preciso sair daqui._Falo, e olho procurando algo que me ajude.

 

Ando entre as caixas, e depois de muito procurar acho um barra de ferro. Eu só preciso ser ágil, esperta, e muito corajosa.

 

Pego a barra de ferro e iria voltar a mexer pra ver se talvez encontrasse algo importante. Mas escuto a som do cadeado sendo destrancado, coloquei o ouvido na porta e realmente era o som do cadeado sendo destrancado.

 

Apago a luz, e vou pro canto, respiro fundo, e seguro a barra de ferro firmemente.

 

A porta é aberta, e a luz invade o local, sendo assim possível eu ver um homem algo e forte, que mais parecia uma muralha. Ele olha o local, me procurando. Ao se virar, nos encaramos. E ele faz menção de tirar a arma dos cos da calça, mas sou mais rápida e acerto ele com com o ferro. Ele cai, mas ainda acordado. Então eu o acerto novamente.

 

Dessa vez, o sangue respinga, sujando minha roupa.

 

Saio dali, rapidamente. Minha respiração estava irregular, a adrenalina estava percorrendo todo meu corpo.

 

Passo pela cozinha e escuto vozes, depois passos se aproximando. Pego uma faca.

 

E novamente me escondo, só que dessa vez não espero seja lá que for se vira. Cravo a faca em suas costas. Ele grita e em segundos outro segurança aparece. Dessa vez o medo me domina, era a hora em que eu iria morrer de vez.

 

O segurança se aproxima, e eu sinto o medo me dominar, então fecho os olhos, e depois escuto um tiro.

 

Sinto algo molhar meu rosto, e rapidamente abro meus olhos.

 

-Você me orgulha e ao mesmo tempo...._Sorrio e pulo em cima de Harry.

 

-Pensei que não viria._Falo e o beijo.

 

-Ainda não aprendeu, que eu sempre venho._Ele diz.

 

-Eu te amo. _Falo e dou um selins em seus lábios.

 

-Não temos tempo, amor. Então vamos logo.

 

Ele segura em minha mão e me leva pro quarto.

 

-O que está acontecendo?

 

-Não se preocupe._Ele diz.

 

-Meu pai está ao lado do seu pai, você realmente acha que eu não devo me preocupar? As duas pessoas que mais te odeiam no mundo estão agindo juntas e você acha que eu não devo me preocupar? _Digo. E ele respira fundo.

 

-Relaxa, deixa comigo.

 

(...)

 

-Que merda é essa?_Falo ao ver um braço no chão da sala. Todos me encaram e Niall é o primeiro a me explicar.

 

-Um braço._Ele diz o óbvio, e eu reviro os olhos.

 

-De quem?

 

-Jake!_Louis fala e Harry o encara.

 

-Você está brincando?_Ele pergunta.

 

-Não._Harry bufa e passa a mão em seus cabelos em um ato frustrado. Jake era o chefe da segurança, e um cara muito legal, pelo que eu via, ele e os meninos eram bastante próximos.

 

-Isso é um aviso! _Liam diz.

 

-Na verdade, é um lembrete._Zayn diz.

 

-Lembrete de que diabos?_Harry pergunta.

 

-Styles ligou, e disse que quer a gente na rua três, a meia noite, na rua três._Ele fala e joga um jornal em cima da mesinha de centro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

-Vocês não vão certo?_Pergunto já com medo da possível resposta. 

-Não podemos ficar aqui e colocar mais gente em perigo._Hayley diz, abraçada a Liam. 

-Mas se vocês irem, assinaram a própria sentença de morte, não vêem que é assim que vai ocorrer._Falo completamente desesperada.

-Ele provavelmente não vai nos matar._Zayn diz, e aponta pro jornal. -Olha o jornal._Harry encara o mesmo e depois pega o jornal sem entender absolutamente nada.  -A data.

-Primeiro, de janeiro de 2015. 

-Amanhã é que dia?_Zayn fala, e todos mudam as expressões.

-Primeiro de janeiro de 2019.

-Amanhã faz quatro anos desde que tiramos tudo do, Styles. Ele quer fazer o mesmo com a gente, ele quer dar o verdadeiro significado ao olho por olho, dente por dente.

-Mas você não podem se confiar apenas nisso. Pelo amor de Deus, estamos falando do Styles; o cara que atoou fogo na própria casa, matou a mulher, e quase te mata,Emilly._Falo e eu encaro ela, mas a mesma não sustenta o olhar.

-Deixem a  gente a sós, por favor._Harry fala, e todos saem.

-Você não pode fazer isso._Falo, e enxugo as lágrimas que começam a cair.

-Eu preciso te proteger, proteger Lucy e a todos que ficaram ao meu lado durante todos esses anos.

-Mas você vai me deixar, enxergue  o que está tentando fazer.

-Eu preciso fazer!_Ele diz alto.

-Pelo amor de Deus, pega suas coisas e vamos embora, todos nós._Fala e me aproximo, seguro suas mãos e encaro seus olhos.

-Não dá, amor.

-Você não pode me deixar.

-Eu prometo voltar.

-Não faça promessas, sendo que você não tem certeza que vai as cumprir. 

-Pode ter certeza que essa eu vou cumprir.

-E quanto à nós? E tudo que construímos e passamos até aqui, e nossos planos? Nosso amor? Me diz e quanto a nós? 

-Eu faço tudo isso por nós. 

-Você não devia ter ido atrás de mim se soubesse que isso iria acontecer._Falo, chorando e soluçando. -Estávamos indo tão bem, eu estava te perdoando.

-E vamos continuar.

-Você não devia ter ido, eu não devia ter voltado._Falo. 

-Kate...

-Eu não consigo respirar, eu não tô conseguindo....

-Hey, você é mais forte que isso.

-Eu te amo. Eu não sei...

-Deixa eu te perguntar uma coisa._Ele diz e segura meu rosto com as duas mãos.

-Não para, por favor para, só me abraça e diz que vamos ficar juntos._Falo e eu abraço ele, firme e forte. 

-Se eu tivesse te contado o final você teria voltado? Se eu te contasse o que aconteceria você teria se apaixonado? Se eu te contasse que era a última vez, você teria se despedido?  

-Sim, sim, e sim._Falo desesperada.

-E é por isso com todas as palavras que eu digo que te amo. Eu te amo, Katherine Marshall.

-Me diz outra coisa.

-Era isso que você queria ouvir? Não era? 

-Não nesse tom de despedida, não assim, não vai, não me deixa.

-Quando eu voltar te comprarei um anel, e te pedirei em casamento, e farei de você minha mulher. 

 

 

 

 


Notas Finais


Só sei chorar com esse final.

Gostaram?
Comentem
Favoritem
Indiquem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...