História Criminal Love - Capítulo 8


Escrita por:

Visualizações 156
Palavras 1.170
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Mistério, Policial, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


heey, to postando bem cedo pq me inspirei. Espero que gostem ;3

Capítulo 8 - Onde estão?


Pov. Authentic

Como assim? O Cauê voltou? Ou será que foi apenas pego? Eu estava muito confuso, ao mesmo tempo que queria abraça-lo, queria soca-lo. O pior era que ele ia ficar na minha cela...

-Vocês se conhecem? - Dizia Pac ao ver minha reação quando avisto Cauê.

-Ele é apenas um assunto mal resolvido meu - me aproximei de Cauê.

-E-eu sinto muito, pos... - na hora corto ele

-Seu maldito de merda - viro um tapa na cara dele.

Logo após isso, me viro e deito em minha cama, pego meu livro e volto a ler

-Não ouse falar comigo.

Percebo que Pac está surpreso, talvez tenha tido essa reação por nunca ter me visto mostrar sentimentos "negativos", como raiva ou até mesmo tristeza.

Os policiais fecharam a cela, mesmo vendo tudo o que aconteceu, eles simplesmente ignoraram... Pensei bastantes, consegui concluir que não irei mais fugir, digo, eu sinto que as coisas com Cauê ainda não estão resolvidas, e eu só ia fugir pra ir atrás dele, então não tinha mais sentido eu fugir... Ia falar com Pac mais tarde, para ele não convidar Cauê para essa fuga. Não ia deixar ele escapar de novo.

Pov. Pac

Me perguntava o que havia acontecido com Authentic e esse tal de Cauê, não conseguia esconder minha cara de espanto, nunca havia visto Authentic tão bravo e chateado ao mesmo tempo, mesmo que não fosse nítido, dava pra perceber que ele estava chateado.

Os policiais estavam nos chamando para sairmos da cela, o mesmo esquema de sempre, ficarmos "livres" por um tempo e depois voltarmos para cela... Não quis sair, deixei Authentic e o Cauê saírem, fiquei escondido em baixo da cama, quando achei que não havia mais ninguém no corredor, subi para minha cama, peguei meu livro e voltei a ler. Pouco tempo se passou, eu ouvi som de passos, fiquei meio desesperado, me escondi em baixo da cama novamente, fiquei olhando para as barras da cela, esperando esses passos passarem por ela, quando acho que ele vai passar, ele para em frente as grades, ele pega chaves e abre a cela

-Pac? - Dizia Mike

Tinha certeza que era Mike pelo o tom de voz, mas não sabia o que fazer, se saia, ou se ficava, fiquei meio paralisado e sem reação.

-Eu sei que você está aqui... Vamos, saia de onde você está, você não vai fazer eu te procurar, né? Aliás, nem lugar pra se esconder aqui tem. Então... Só tem um lugar onde você pode estar - ele abaixou-se e olhou pra baixo da cama - Bingo!

-Errr... E-eu p-posso ex... - ele me puxou, tirando eu debaixo da cama.

-Por que você está aqui?

-Eu... Não queria ir pra fora, não ia fazer tanta diferença, ninguém ia sentir minha falta, eu só queria ler meu livro aqui, de boa, aqui é quieto e lá é tão barulhento.

-Bom, se eu tô aqui e por que senti sua falta - na hora que ouço isso, sinto minha cara toda corando - e tu sabe que não pode ficar aqui... Mas, já que estamos aqui - ele disse aproximando-se de mim

-O-o que está fazendo? - Eu disse indo pra trás, até chegar na parede, onde ele me encurralou

-O que meus instintos estão mandando eu fazer... - Ele disse isso seguido de um beijo calmo...

Eu fico sem reação, digo, que reação ele queria que eu tivesse?! Quando ele termina o beijo eu o pergunto :

-P-por que eu?

-Ele dá uma leve risada - Eu também sei, mas sinto que você é especial... - Ele voltou a beijar-me

Ele mal me conhecia, nem sequer sabia minha história, mas às vezes ele age como se nos conhecessemos, como se fôssemos amigos a anos. Ele estava se tornando alguém especial...

Ele tirou sua camisa, e logo em seguida a minha. Ele queria fazer isso lá na minha cela? Tipo, sério? Eu estava nervoso, nunca havia feito nada disso antes... Não sabia o que fazer, nem como fazer.

-Ei, não se preocupe... Não precisa ficar nervoso.

Fiquei vermelho igual um tomate, ele me conhecia tão bem, mas nem nos conhecíamos... Eu ficava muito espantado com isso. Ele me jogou na cama, e logo seguida subiu, ficando em cima de mim, ele voltou a me beijar de maneira mais intensa, começou a descer, quando ele ia arrancar minha calça, eu o corto

-N-nao s-sei se estou pronto - eu disse colocando minha mão em minha cara, tapando ela toda.

- Ele parou - Ei - ele tirou minha mão da cara - tudo no seu tempo, não se preocupe - ele me deu um selinho...

Estava tão envergonhado, não sabia onde esconder minha cara, ele se deitou ao meu lado, eu coloquei minha cara em seu peito, ele começou a fazer cafuné em mim... Me sentia seguro, me sentia bem.

Pov. Authentic

Estava eu e meu amigo, conversando, quando Cauê nos interrompe...

-Eu vou dar uma volta. - Disse esse meu amigo, ele estava ciente de toda história com Cauê.

-O que quer? Quer outro tapa?!

-Eu quero apenas conversar.

-Vamos, estou ouvindo.

-Eu quero me desculpar, sei que errei com você, e estou arrependido... Eu sabia que você estava nessa prisão, eu ia ser preso, fiz questão de vir para essa prisão, quero resolver as coisas com você... Sinto sua falta.

-Fiquei sem reação ao ouvi-lo falar que sentia minha falta - você deveria ter pensado nisso antes de me deixar - eu me viro e saio andando, atrás, querendo me afastar o máximo possível dele.

-Eu já te conquistei uma vez, vou te conquistar de novo... - ele disse num tom razoavelmente alto, o suficiente para eu e alguns presidiários ouvirem.

Apenas apressei meus passos quando ouvi ele dizer isso.

Pov. Informante

Já sabia o que fazer, sim, ia contar da fuga, porém, iria contar em cima da hora, ia dar chance de algum deles fugir... Não ia ser tão maldoso e egoísta.

 Estava andando, pensando na escolha que fiz. Percebo que o prisioneiro, amigo de Authentic, o tal de Pac não estava em lugar nenhum, percebo também que Mike não se encontrava em nenhum lugar... Meu Deus, será que eles estavam... Ahn... Em algum momento íntimo? Me senti mais calmo, pelo menos não era o único a ter relação com um policial nessa merda de prisão.

Pov. Pac

Estava quase adormecendo, quando Mike começa a se levantar:

-Ei, temos que levantar - ele diz pegando sua camisa - o sinal tocará em breve.

-... Infelizmente, você tem razão - eu ponho minha blusa de presidiário. Fico observando ele por seu uniforme...

-Fique aqui... Se alguém ver a gente junto, podem suspeitar. Não seja tolo e não deixe ninguém descobrir que você está aqui, ein?! - ele me beijou - até depois - ele se retirou da cela e foi fazer o que tinha que fazer.

   Fiquei perguntando a mim mesmo o que estava fazendo, eu estava tendo uma relação com um policial... COMO ISSO ERA POSSÍVEL?!


Notas Finais


Teve muito Mitw siiiim
Já estamos tendo novas informações sobre quem é o informante, ein?! :3

Espero que estejam gostando, até o próximo capítulo aaa ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...