História Criminal Mind - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Apink, BtoB, EXO, Mamamoo, Red Velvet
Personagens Changsub, Hwasa, Irene, Moonbyul, Seulgi, Solar, Wheein, Xiumin
Tags Ahn Hyejin, Apink, Btob, Changsub, Chorong, Jung Wheein, Mamamoo, Moonbyul, Moonsun, Red Velvet, Solar, Wheesa, Yongsun, Yuri
Visualizações 260
Palavras 1.495
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HEYYEHEY *foge das pedradas* >>>>>⊙-⊙>>>>>>> (isso é aqueles negocinhos de quando se corre risos)

Que demora nossa
Nem eu aguentava mais tanta deMORA MAS EU FINALMENTE TIVE CRIATIVIDADE

A
Essa fic e Back in Time estão nas retas finais, então me digam ae embaixo se:

(A) Se concentra nas duas e termina ambas pra atualizar as restantes.

(B) A VOCÊ QUE SE VIRE NINGUÉM MANDA LANÇAR UM FANFIC NOVA A CADA 15 DIAS


BOA LEITURA!

Capítulo 8 - Noite Oito


O caminho de volta para casa fora mais silencioso do que Yongsun esperava.

Moonbyul literalmente adentrou o carro, colocou o cinto de segurança e deu partida no automóvel, sem nenhum recado a mais. Não lhe olhou e muito menos disse algo; seu semblante era indiferente e não parecia querer se pronunciar sobre o ocorrido no parque de diversões.

O único problema era que Yongsun desejava mais do que tudo que ela dissesse uma palavra sequer. Poderia ser qualquer coisa: desde um "podemos fazer de novo?" até um "nunca mais faremos novamente."

Ela apenas queria descobrir o que se passava em sua cabeça. 

Estava inquieta em seu assento; o clima estabelecido não era lá dos melhores e a feição de Moonbyul não lhe intusiasmava em puxar assunto. 

Sem esperanças, continuou com o rosto encostado no vidro do carro, espiando a guarda-costas quando a mesma se concentrava na direção. Era incrível como seu peito queimava por apenas observá-la, ou então sentia sua voz sumir quando seus olhos se cruzavam, mesmo que por poucos instantes. 

Chegar em casa parecia ser a melhor opção, pois tinha certeza de que não aguentaria permanecer mais tempo ao lado de Byulyi. 

● ● ●


Nenhuma letra ou frase: ambas seguiram para seus quartos, sem ao menos desejar uma boa noite para a outra.

A cabeça de Yongsun doía como nunca, enquanto sua frustração aumentava gradualmente por ter sido tão covarde a tal ponto. Ela precisava falar com Moonbyul. Necessitava saber o significado daquele beijo. Não queria acordar na manhã seguinte e fingir que nada aconteceu, ou então se distanciar de sua guarda-costas por uma simples birra por ambas as partes. 

No entanto, não era tão fácil como pensava: suas pernas estavam bambas e apenas em pensar na possibilidade de vê-la já lhe dava espasmos. E se Byulyi havia lhe beijado pelo calor do momento? Talvez tenha sido por um simples impulso, não significava nada. 

Estava pensando demais.

Perdendo o restante de coragem existente, suspirou cansada e retirou seu vestimento, procurando por seu pijama. O melhor a se fazer era tentar dormir, já que nem ao menos com os flashes que lhe perseguiam estava conseguindo se preocupar.

"Yongsun?" Seu nome foi acompanhada de uma baixa sequência de batidas nas portas, voltando ao silêncio.

Moonbyul estava ao outro lado.

Imediatamente gaguejou. Não conseguia encontrar seu pijama e nem ao menos uma palavra era pronunciada de sua boca; para piorar, não costumava trancar a porta.

"Yongsun?" a voz baixa voltou a lhe chamar, ganhando uma entonação curiosa. "Posso entrar?"

"A-Ah...bem." Respondeu sem jeito, fechando os olhos com força. "Entre, e-está aberta."

Parecia loucura deixar sua guarda-costas lhe ver apenas com suas roupas de baixo, mas não poderia perder tal chance; provavelmente não havia sido fácil para Moonbyul lhe procurar.

A maçaneta girou devagar, se fechando com cuidado seguidamente. Quando criou forças para fitar Byulyi, acabou não encontrando seu olhar, mas sim suas costas.

"Precisamos conversar..." a mesma sussurrou trêmula, retirando um sorriso de Yongsun. Ela era cuidadosa com si até mesmo quando poderia retirar proveito. 

"Desculpe, estava me trocando, mas não queria lhe deixar esperando..." Se explicou, ganhando um aceno negativo da acinzentada.

"Desde que eu possa ter as respostas que quero, tudo bem."

"Respostas?" Repetiu, voltando a procurar o pijama com rapidez. "Que respostas?"

"Por que retribuiu o meu beijo?" Foi direto ao ponto alto da noite, rindo levemente com o silêncio repentino da modelo.

"Não gostou que tenha retribuído?"

"Não respondeu minha pergunta, Yongsun." Inclinou a voz ao pronunciar o nome da garota, tendo certeza que havia causado a sensação que desejava. 

Usualmente não era de gaguejar, mas não havia como não se desesperar com a pressão que Byulyi conseguia pôr com tanta facilidade em si. 

"P-Preciso procurar meu pijama primeiro..." Respondeu baixo, retirando uma gargalhada sarcástica da mais nova. 

"Não sabia que poderia ser tão tímida assim." Comentou, estendendo as mangas para visualizar o relógio de pulso. "Estou ficando cansada de esperar."

Ainda sem saber o que responder, agradeceu em todas as línguas que conhecia por finalmente encontrar suas roupas, tendo seu corpo preenchido pelo conjunto rosa. De certa forma, gostava de pijamas mais infantis e fofos; lhe caíam bem e eram centenas de vezes mais confortáveis.

"Está vestida?" Confirmou quando recebeu a pergunta, tendo a visão do rosto avermelhado de Moonbyul em sua frente. "Agora pode me responder, certo?"

Desviando o olhar, cruzou os braços e engoliu em seco, se atentando quando a distância entre si e a outra diminuiu. Era visível o envergonhamento em Byulyi; sua postura firme e confiante havia desaparecido por completo quando se virou na direção da modelo.

"Para responder isso, preciso saber o motivo de ter me beijado." Rebateu, ganhando coragem por saber que não era a única que estava suando frio ali.

"Mas eu perguntei primeiro." Respondeu ao se aproximar um pouco mais, obrigando os pés da morena a recuarem.

"Mas você me beijou primeiro." Disse rápida, levantando as sombrancelhas por saber que havia lhe encurralado. "Nada mais justo do que você dizer o motivo primeiro."

"Qual é a resposta que quer?" Um passo a mais foi dado, ainda não conseguindo se manter próxima à mulher. 

"Quero que seja sincera. Por que me beijou, Moonbyul?"

Não havia mais saída para Yongsun; suas costas receberam a frieza da parede ao Byulyi se inclinar pela última vez. Ela havia conseguido o que desejava.

"Te beijei pelo mesmo motivo de agora."


Sorriu ladino pela confusão no rosto da mais velha, segurando em suas bochechas ao tocar em seus lábios úmidos. O susto momentâneo em Yongsun se dissipou rapidamente quando pôde adquirir o ar perdido.

"Entendeu?" Ouviu a pergunta baixa próxima à seu rosto, tendo certeza que suas bochechas provavelmente estavam com a mesma cor que seu pijama. "Agora me diga, estou sendo feita de idiota ou não? Porque se estiver, quero que seja clara."

Yongsun não sabia como dizer que não, ela não estava sendo enganada; que aceitava seus sentimentos e gostaria de demonstrar os seus. O choque de saber que Moonbyul também gostava de si era avassalador e ao mesmo tempo, maravilhoso.

Ela não tinha as palavras corretas, porém, sabia como responder

Os braços curtos da mais velha rodearam a cintura da mais alta, encostando o rosto em seu ombro. Antes mesmo de completar o ato, sentiu seu corpo se esquentar pelo abraço quente que Moonbyul lhe proporcionou, sorrindo ao entender que a resposta havia sido compreendida.

"Eu quero dormir contigo hoje." Moonbyul sussurrou, se assustando quando sentiu o colchão macio lhe acertar. "O que f-foi?"

"O q-quê?!" a mais velha lhe perguntou espantada, cobrindo o corpo com ambas as mãos. "Não acha que está indo rápido demais...?"

"N-Não é isso! Ficar do seu lado, apenas isso!" Se explicou, se tornando desajeitada com o olhar suspeito de Yongsun. "Claro, irei entender se não quiser..."

"Eu quero." Simples e direta, se deitou na cama, concedendo um espaço para que Byulyi se juntasse a si. "Mas apenas iremos dormir."

"Apenas dormir." Riu sem jeito, apagando a luz e puxando a coberta ao se reunir com o corpo da mais velha. 

Caladas, alguns minutos se passaram em total silêncio. Seus braços se tocavam pela falta de espaço, mas nem ao menos seus olhares haviam se encontrado naquele meio tempo.

"Podemos..." Moonbyul pediu baixo, ainda encarando o teto. "Podemos dar as mãos?"

"C-Claro, claro..."

Seus dedos se enlaçaram de maneira firme, motivo de felicidade para ambas. Mal sabiam como seria a manhã seguinte; poderiam se arrepender ou até mesmo bagunçar os fatos ocorridos.

No entanto, o sorrisos que compartilhavam juntas eram mais forte do que qualquer medo futuro.

● ● ●


"Fez o que eu pedi?" 

"Claro que sim, acha que não cumpro com meus trabalhos?"

"Então onde está? Me mostre!"

"Se acalme! Veja bem, consegui um bom ângulo!"

Retirando o documento da pasta, a foto bem enquadrada havia capturado com perfeição algo que não deveria ter sido registrada.

● ● ● 


A manhã não poderia ter sido mais refrescante para Yongsun: apenas trabalharia pela tarde e poderia saber como Moonbyul era quando despertava. 

Isso se ela estivesse ao seu lado. 

"Byulyi?" Chamou, notando estar sozinha na cama.

Coçou os fios castanhos enquanto procurava pelos banheiros e o quarto onde a guarda-costas usualmente dormia, não a encontrando de maneira nenhuma.

"Moonbyul?" Gritou novamente, obtendo respostas dessa vez.

"Estou na sala e preciso de você agora mesmo!" Estranhando a rispez na voz da mais nova, desceu as escadas com velocidade, a encontrando sentada com o notebook sobre o colo.

"O que foi?" Perguntou ao estranhar o aparente mal humor da azizentada, olhando para o computador quando a mesma apontou para o aparelho.

"Como tenho acesso à mensagens desconhecidas que chegam até você, fui notificada disto." 

Se inclinando sobre o encosto do sofá, os olhos castanhos se arregalaram ao compreender o motivo de Byulyi estar tão frenética.

"Isso só pode ser brincadeira..." Disse, olhando para a mais nova, que balançou o rosto em negação.

"Parece que seu stalker foi mais longe dessa vez."


"Olha só! Parece que Kim Yongsun e sua segurança pessoal tem um ótimo relacionamento!"

[Foto] 


"O que será que aconteceria se a Coréia inteira soubesse disso? Acho que não iam gostar, não é? Que bom que você pode impedir que isso se espalhe!"

"Apenas coloque 20 mil na conta abaixo, sei que é fácil para você! :)"


Notas Finais


AI QUE LINDO E AI QUE DESGRAÇA AO MESMO TEMPO HEH
Byul já querendo ir pro oba oba hue •v• parece euzinh-

Um bingo bem bacanudo:

(1) Moonbyul é a stalker certeza eLA TRABALHA PRO STALKER #TeoriaDaByulStalkerNaoVaiMorrer

(2) *Esquece a treta que vai dar e acha o fluffy bem lindineo*

(3) A mas cadê a potaria?

(4) *crying in sapatona language*


MUITO OBRIGADA POR LER E NOS VEMOS POR AE ~⊙♡⊙~


ps: a foto que foi mandada é a das duas se pegando no brinquedo que eu acabei de esquecer o nome ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...