História Criminal Stone (JB) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Bieber, Chaz, Criminal, Justin, Ryan
Visualizações 107
Palavras 2.718
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Até que eu to att rapido, quero chegar rapido a pelo menos dez capitulos, para voltar a atualizar FDR, dois cap na mesma semana, o que estão achando?

Boa leitura

Capítulo 5 - Just fifth days


💎


Safira Mendes Koullyn

Seattle, Washington

Camp Firwood apt 43

00:04


A sacada do quarto onde eu ia passar a semana era uma das melhores partes daquele lugar, isso, se não for da casa, poderia facilmente passar horas ali estudando, sem me importar com nada, ah não ser o vento frio que batia ali de vez em quando.


Um ofegante, irritando e perplexo Chaz passa pela porta do quarto, que eu distraidamente deixei aberta, o que neste momento me deixa brava.


- Justin quer que você desça até o escritorio.- Mordo minha lingua, fingindo não ter me desconcentrado do livro. Mas o que diabos Justin queria?


- Diga a Justin que suba se quiser falar comigo, ele não manda em mim.- Chaz se surpreende e range os dentes.


-  Admiro que ele ainda não tenha te expulsado daqui.- Do risada, olhando para Chaz.


- Acredita que eu tambem? Queria muito que ele fizesse isso, mas parece que não está funcionando.- Ele se aproxima.- Não quero passar a seman aqui, preciso de um pouco de paz, e Justin tem o poder de destruir isso.


Chaz continua me olhando, bufo e fecho o livro, dando total atenção a ele.- Pelo menos sabe do que se trata?- Ele assente.- E pode me dizer?.- Nega, jogo minha cabeça para trás, batendo levemente no ferro que separa meu corpo do chão lá em baixo, olho o meu relógio de pulso que indica exatamente meia noite.


Estou na casa de Justin a um dia inteiro, e estou ao ponto de criar uma úlcera.


- Certo.- A prateleira onde tinha guardado alguns livros e resvistas ficava ao lado de onde eu estava sentada, então só precisei esticar meu braço para guarda-lo. Levanto do chão e limpo meu Short, seguindo Chaz para fora do quarto.


Não demora muito e eu já estou batendo na porta do escritório de Justin, consegui chegar sozinha já que é o único cômodo alem do quarto, que eu já memorizei o caminho.


- Fala logo, que eu não aguento mais ver a sua cara.- Justin ri com deboche e aponta para a cadeira na frente de sua mesa, encargo em volta e escolho uma poltrona um pouco mais distante. Ele nega com a cabeça e se levanta, sentando na poltrona que tinha ao lado, respiro fundo e o olho.- E então?


Justin começa a falar, mas a falar muito enquanto eu apenas franzia a testa e tentava entender o que merda que ele tava tentando dizer, bufo, assim que entendo a ideia inútil dele.


- Espera.- Ele para de falar e cruza os braços, impaciente.- Você fala demais, eu não entendi metade do que disse mas...Tem uma festa beneficente, para arrecadar fundos para um orfanato e você quer ir ajudar? É isso?


- Exatamente.- Franzo a minha testa, aquilo não tinha colado muito.


Até onde eu sei Justin "acabou" de ser roubado por Roger, e quer recuperar o dinheiro, por que ele iria queter gastar mais com uma doação grande? E para um orfanato? Ele não parece gostar de criança e muito menos ser generoso.


- O evento é para casais, e bom, eu não sou casado.


- E nem tem o nome na lista.- Ele ri.- Sugiro que já tenha resolvido isso, certo, mas, o que eu tenho haver com isso?


- Quero que vái como minha esposa e...- Justin é interrompido por Jack, que entra berrando no escritorio, me fazendo levantar enquanto Justin só bufa e olha para Chris e Chaz, que estão logo atrás do meu irmão.


Ele falava tudo rápido, alto, e claramente enfurecido.


- Calma porra.- Falo, Jack avança e Justin entra em minha frente, me empurrando de volta para a poltrona.


- Claramente eu só tenho boqueteiro dentro dessa casa, não conseguem deixar a porra da boca fechada, nem mesmo quando eu peço.- Justin praticamente berra, fazendo Jack se calar.


- Não vai enfiar minha irmã em um de seus planos Bieber, você tem Cecilia para isso, Safira nem faz parte da Gangue.- Plano?


- Espera, plano?- Me levanto, indo para perto de Jack que não parecia mais um animal enfurecido.- Justin disse que queria me ajuda para entrar em uma festa beneficente, para fazer doações a um orfanato, isso é um plano?


- Roger estará na festa, junto com a puta, Justin supôs na cabeça de gênio dele que Roger tem algum tipo de afeto por você, e que vai odiar ve-la com o seu inimigo, mesma coisa com a prostituta.- Cruzo meus braços e olho para Justin, que não expressa nenhuma emoção.


- Um objeto, de vingança?- Olho para Jack, que assente.- Jack disse que você tem Cecilia para isso, por que não usa ela?- Falo para Justin.


- Cecilia é conhecida e não teria sentido leva-la, Estela sabe que ela é parte da Gangue, assim como Roger.- Da de ombros.- Por isso você.


- Isso é ridiculo.- Jack range.- Safira não vai.


- Isso é ela que decide Koullyn, e não você.- Reviro meus olhos, eles falam como se eu não estivesse ali, bem no meio, se sou eu que decido não preciso decidir isso exatamente agora, certo?


Certo.


Respiro fundo e começo a cantar algo em minha cabeça, conseguindo ignorar totalmente os chamados do meu nome dentro do escritório enquanto eu calmamente me virava e saia de lá, indo direto para a cozinha do apartamento.


- As coisas parecem tensas.- Cici está sentada em uma das cadeiras do balcão, com alguns livros em sua frente, livros que eu reconheço de longe.


- É, um pouco.- Me apróximo.- São livros de Anatomia? Anatomia humana?


- Anatomia Animal.- Me olha, parando suas anotações.- Gosto de estudar sobre essas coisas.


- Pensa em fazer faculdade?- Pego uma maçã e me sento ao seu lado.


- Em voltar.- Da de ombros.


- Saiu da faculdade? Por que?


- Tive que trancar, não tinha mais condições de pagar, e foi ai que eu entrei, bom, nisso.- Ela se refere a gangue.


- Nunca é tarde para voltar.- Falo mordendo minha maçã.- Acredite, ainda é um lugar maravilhoso e enlouquecedor.- Cecilia da risada.


- Jack disse que você cursa medicina.- Assinto.- Está perto de terminar?

 

- Um pouco, um passo a mais a cada, mas temos ter que fechar.


- Mas, Jack paga sua faculdade, seu material, por que fechar se está tão perto do fim? 


- É por causa disso que eu quero fechar.- Cecília parece se espantar.- Não, eu quero terminar.- Explico, ela ri.- Mas, o dinheiro que Jack usa ele é...- Ouço Cecília suspirar, e prefiro não falar mais, afinal, ela usava do mesmo dinheiro para beneficio próprio.- Eu vou arranjar um emprego logo, e vou poder continuar no meu curso.- O clima rapidamente fica leve e Cici sorri.


- Gosto de você Safira, espero que de tudo certo.- Ela abre os braços e eu me encaixo no meio deles, em um abraço.


- Safira.- Ryan me chama do outro lado do balcão, suspiro. "Ficar em silencio enquanto eles dão chilique sempre da certo, garanto" Cici sussurra em meu ouvido, solto uma risada baixinho e me levanto, indo na direção de Ryan.


- Estou aqui.


- Justin...- Bufo, é zoação com a minha cara, ele grudou no meu cheiro, só pode.- Não, calma.- Ele ri.- Eu ia dizer que Justin está cego pela vingança, sempre foi assim, e que não quero que vá embora por causa dos ataques dele.- Ele está querendo que eu fique?- Você faz bem á Cecília.- Ele a olha, que ainda está no balcão fazendo anotações, longe o suficiente para não ouvir o que falamos. 


- Ah, entendi.- Ele me olha e nega.- Não entendi.- Do risada.


- Cici é minha irmã adotiva.- Uau, em menos de uma hora descobri mais coisas do que no dia inteiro.- É a unica mulher nessa casa, ela se sente sozinha, entende?- Assinto.- Normalmente eu odiaria mais uma pessoa aqui dentro, desconhecida então, estaria barrando na sua, para proteger a gangue, é minha familia.


- E se protege a família.- Falo, as mesmas palavras que Jack me diz sempre.-  Koullyn Jack, a vida toda.- Ryan ri e assente.


- Mas, vi como Cecília ficou animada quando Justin desceu bufando, dizendo que você viria passar um tempo com a gente, enquanto seus pais não voltam.- Da de ombros.


- Relaxa, não vai ser Justin que vai me tirar daqui, mesmo sendo a minha vontade, agora são três votos contra dois, já que não sei a opinião de Chaz e Chris.- Ryan concorda.- Não vou embora nem se eu quisesse.


- Isso é ótimo.- Ouvimos Justin e Jack gritando meu nome de dentro do escritorio, era pouco tempo até eles virem até aqui.


- Ryan, me ajuda nessa vai.- Faço beicinho, ele ri.- Diz que fui dormir, ou que morri, ou sei lá, qualquer coisa que afaste esses dois do meu rastro.


- Tubo bem Safira, me deve uma.- Assinto e nem do tempo dele dizer mais algumas, corro pelas escadas e vou para o quarto, fecho a porta e tranco, bufando quando recebo um jato de ar gelado da sacada aberta. Saiu para fora, e quase me penduro para ver o que tinha nas bordas.


- Da para sair.- Penso alto, me arrepiando com mais uma ventania, está frio, mas eu precisava respirar um pouco, esse lugar me abafa. Não, as pessoas me abafam.


Vou até a mochila que eu trouxe e procuro algum casaco, achando vários, mas nenhum que me protegesse do vento lá fora, encaro a porta ao meu lado, com certeza dava para um closet, talvez a ultima pessoa que tenha ficado aqui esqueceu algo decente.


Entro na sala e acendo as luzes, dando de cara com varias peças de roupas, aquele lugar estava completo. Começo a dedilhar as gavetas e cabides, percebendo que eu usaria cada peça que estava ali, não eram muito coloridas, ou curtas e decoradas, pareciam compradas exatamente para mim. Encontro um envelope e abro, sem me importar com o que estava escrito fora.


É tudo seu.

Eu te amo. 

            Jack


Suspiro, olhando para o envelope, tinha meu nome nele. Volto a dedilhar as roupas e encontro um casaco um pouco mais longo que os outros, era preto e junto dele no mesmo cabide tinha uma calça de mesma cor, pego as duas e me visto ali mesmo. Faço um coque no cabelo e coloco a touca do próprio casaco, calço um par de pantufas que tonha a sola parecia com de Tênis e do uma olhada no espelho, ficando feliz ao ver que os hematomas e cortes em meu rosto estavam mais claros, daqui algumas horas aquilo já vai ter sumido.


Saiu do closet e vou para a sacada, respiro fundo e pulo para borda, sentindo meu estomago embrulhar ao olhar para baixo, em frenre a borda havia um parapeito, que praticamente só protegia meus pés. Em questão de segundos eu já estava atrevessando a janela que tinha ao lado da minha.


- Droga.- Murmuro, assim que do de cara com Justin de costas, procurando algo em uma gaveta com uma mãozinha e segurando uma toalha na cintura com a outra, começo a voltar para a janela em passos menores, tentando ser o mais silenciosa possível.


- Queria entender o que leva uma pessoa a praticamente se pendurar no parapeito do prédio, apenas para invandir o meu quarto.- Ele diz, me fazendo parar, ainda dava tempo de sair pela janela e fingir que nada disso aconteceu?- Não achei que perderia a trégua tão rapido Safira.- Ele se vira, prendendo a toalha na cintura. Oh meu santo.- Mas, não estou no pique para transas.


- Ah cala boca, acha mesmo que eu arriscaria a minha bela vida para invadir o seu quarto e transar? Achei que ele ficava do outro lado, e que esse quarto fosse o de Jack.- Ele ri.


- O de Jack é do outro lado, pode pular a janela e tentar mais uma vez, prometo que minha boca é um túmulo.- Debocha, voltando a procurar não sei o que na gaveta.


O quarto de Justin era vermelho, estranhamente e praticamente inteiro vermelho, torando alguma detalhes em branco nas paredes, os moveis, a pichação muito mau feita na cabeceira de sua cama e os troféus.


É, mais troféus.


- Você quem fez?- Ele me olha, aponto para o desenho.


- É.


- Percebi.- Justin fecha a gaveta e entra no banheiro, o que me da tempo de abrir a porta atrevessar a casa e sair pela porta, sem janelas dessa vez. Meu plano é danificado assim que percebo a porta trancada e nenhuma chave por perto. Ótimo, vai ser a janela mesmo.


Era o tempo de abri a porta, sair atrevessar o corredor e sair pela porta, sem janelas dessa vez. Meu plano e destruído assim que percebo a porta  está trancada e não tem nenhuma chave por perto. Ótimo, vai ser a janela mesmo.


Pulo para o parapeito novamente, ouço alguém bufar atrás de mim e meu corpo é puxado para trás pela cintura, empurro Justin para longe e bufo.


- Você realmente não sabe os seus limites.- Do risada.


- É o dono de uma gangue e está me falando sobre limites?- Justin me ignora.- Por que não me deixou pular?


- Seu irmão já quer meu pescoço, dai a irmã vadia dele aparece morta abaixo da janela do meu quarto, acha que ele vai fazer o que?- Cruza os braços.


- Realizar meu sonho.- Ele fraze a testa.- Matar você.


- Piadista você.- Diz, sentando em sua cama com o celular nas mãos, claramente se importando com a minha presença. Sento no tapete e cruzo meus braços encarando fixamente o projeto de demônio.- Safira.- Ele sussurra, finalmente largando o celular e me olhando.- Está na gaveta de cima da escrivaninha.- Fala irritado, se referindo a chave, do um sorriso forçado e me levanto, Abro a gaveta e meu coração para por um estante.


Eu estava vendo a chave, ao lado de uma arma.


- Ela não vai atirar sozinha em você.- Justin diz, pego a chave e fecho a gaveta, abro a porta e jogo a chave na cama de Justin.- Nem um obrigado?- Ele diz rindo, fecho a porta, me segurando para não dar chilique ali mesmo no corredor.


- Safira.- Jack me chama.- O que está fazendo ai parada?


- Eu... Estou parada.- Ele nega rindo.- Me perdi.- Minto e vou na direção dele, que me segue para dentro do quarto.


- Preciso que não aceite a proposta de Justin.- Ele diz, estava demorando.


- Obrigada pelas roupas.- Tento mudar de assunto, mas Jack logo da a volta.


- Safira...


- Por que eu não aceitaria? Se pensar bem, também quero ver o queixo de Roger abaixo, e o corpo também se possível.


- Você vai ser só mais um objeto para aa intermináveis vinganças de Justin, é isso que você quer?


- Eu que determino, não ele Jack, ir em uma, missão boba com essa não vai me tornar um objeto de Justin.- Tiro o casaco.- Manda a Real, por que não quer que eu vá? 


- Quero proteger você desse mundo...- Suspiro.- Safira eu to nela a tempo suficiente para saber o que te espera se entrar na gangue...


- E o que te faz pensar que eu vou entrar na gangue? Jack, se você pensar é uma oportunidade de me vingar, por tudo que Roger já fez e pensou em fazer comigo. Mesmo que isso signifique aguentar Justin por alguma horas.- Me a próximo do meu irmão.- Por favor, me deixa tentar.


- Então, já tomou sua decisão?- Me sento na cama, pra falar a verdade tudo que eu falei para Jack não havia nem passado pela minha cabeça, mas agora fazia total sentido, nunca pensei em vingança, mas talvez, para que eu livre minha cabeça da lembranças, de tudo que Roger já me fez, eu precisava fazer ele sentir o mesmo.


Agora é meta.


- Já.- O olho.- Eu já tomei a minha decisão, e espero que ela não muda nada na nossa relação.- Jack ri e se aproxima.


- Você merece se vingar, mas, eu irei junto.- Balanço a cabeça concordando.- Justin vai encaixar todos nós no plano, como sempre, então, eu estarei lá.


- Eu amo você, sempre.- O abraço.


- Eu amo você.- Ele diz e sorri, saindo do quarto em seguida, fecho a porta e me jogo no carpete, assim que fecho meus olhos a imagem de Justin sem toalha preenche minha imaginação, abro novamente e sacudo a cabeça.


Merda de hormônios.


Me levanto do chão, indo fechar a janela e a sacanagem do quarto, por que tem janela e um sacada em apenas um quarto? Bom, não vou questionar a arquiteta que fez isso aqui.


Apago a luz e me deito na cama, me cobrindo com tudo que tinha em cima daquela cama.


Faltam cinco dias Safira, só cinco dias.



Notas Finais


Ta, mudei de ideia, agr shippo Justin e Safira, alias, não faço ideia de um shipper para esses dois? E vocês?

To adorando esse quebra fogo desses dois, e sinceramente, torço muito para a Safira ganhat isso e acabar com a cara de convencido do Justin.

Até o próximo bebês. 💎


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...