História Criminal (Yoonseok) - Capítulo 2


Escrita por:

Visualizações 281
Palavras 650
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Luta, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - O inicio de tudo


Fanfic / Fanfiction Criminal (Yoonseok) - Capítulo 2 - O inicio de tudo

Já havia comida mais do que poderia aguentar. Hoseok deitado ao meu lado dormia pesadamente. Levantei sentindo a preguiça me pressionando contra o sofá novamente. Infelizmente teria que ir, tinha que pagar a divida para que uma parte daquele inferno tivesse fim.

Usei o dinheiro guardado mais cedo para pegar o ônibus, o lugar não era tão perto e eu estava cansado demais para andar. Chegando no ponto tive a grande sorte de ver que o ônibus vinha se aproximando, corri para não perde-lo.

Ouvi uma musica qualquer em meus fones, até ver que eu já tinha que descer. Bufei ao perceber que estava cansada e com sono. Minha vontade era se jogar no chão e dormir por ali mesmo.

O lugar era um galpão abandonado. Os caras que vigiavam a entrada nem perguntaram meu nome, com tantas visitas que eu havia feito pela dívida eles me conheciam perfeitamente. Bati na sala do líder da máfia que ao me ver abriu um sorriso. Era realmente um babaca, como queria mata-lo. Tive que contar meu olhar de ódio e minhas mãos serradas em punho, que escondi no bolso do casaco. Não queria ganhar motivos para levar um tiro no meio da testa quando estou prestes a me livrar deles.

- Sente-se, fique a vontade. Você é um convidado especial senhor Min, adoro suas visitas, são tão... Revigorantes! - Sentia seu sarcamos esbajando naquela sala. Só queria lhe pagar logo, antes que minha raiva fosse perceptível.

- Não preciso me sentar, só estou aqui para te entregar o dinheiro. Nossa divida acabou. - Disse pondo o envelope sobre sua mesa.

- Eu decido quando acaba senhor Min. E eu não quero mais o seu dinheiro. - Ele se ajeitou sobre a cadeira me olhando com certa malicia.

- O que quer então? - As palavras já saim de minha boca como rosnados irados. Estava difícil controlar-me.

- Fiquei sabendo os serviços que prestou para conseguir o dinheiro. E quero que trabalhe para mim.

- E se eu me recusar.

- Eu mato você. E aquele garoto ao qual você mora, como é seu nome mesmo?.. Ah sim, Jung Hoseok. - Provavelmente eu já deveria ter virado um pimentão de tanta raiva. - Não adianta fazer cara feia. Agora pode se retirar da minha sala.

Assim que pus os pés fora daquele galpão eu urrei de ódio. Achei que me livraria deste inferno, quando na verdade só me afundei mais nele. Maldito dia que peguei dinheiro com eles. Mas Hoseok estava doente, ele precisava.... Aish, Hoseok o que eu vou dizer pra ele.

Invés de pegar um ônibus eu apenas caminhei até em casa, não era como antes, que eu só queria voltar o mais rápido possível. Agora eu tenho que pensar o que falar, o que fazer. O modo como agir.

Me embolei a uma bola de neve que não consigo sair.

Cheguei em casa, sentindo meus pés latejarem e pedirem por um pouco de descanso.

- Você demorou, fiquei preocupado. Está tudo bem? - Hoseok passou a mão sobre meu rosto. Eu encarava seus olhos brilhantes. Pareciam tão cheios de esperanças. - Yoongi?

- Ah, sim foi tudo bem. Resolvi a divida, estamos livres.

Ele pulou em meus braços animado, me dando um abraço apertado.

- Não parece animado, o que houve? - Senti seus braços se afroxarem mencionando que o abraço acabaria, então o apertei trazendo novamente o colar de nossos corpos.

- Nada estou apenas cansado, eu te amo Hoseok.

- Também te amo suga. - Dessa vez foi inevitável que o abraço se rompesse, mas o mais novo me deu um selinho molhado que aqueceu meu coração desesperado.

Depois de alegar muito cansaço eu subi, retirando as roupas e pondo apenas uma bermuda leve para poder dormir. Assim que deitei senti que a tonelada que eu carregava havia se esvaído. E pelo menos por algumas horas, eu descansaria.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...